Sábado, 29.04.17

“Gold: Greatest Hits” dos ABBA é reeditado em vinil dourado

abba.jpg

 

“Gold: Greatest Hits” dos ABBA é reeditado em vinil dourado a 30 de junho

A coletânea já vendeu mais de 30 milhões de cópias em todo o mundo

25 anos depois do lançamento original, a muito marcante coletânea “Gold: Greatest Hits”, dos ABBA, será reeditada em vinil dourado de 180 gramas. O duplo LP será lançado a 30 junho e terá uma edição limitada, estando acompanhado de um voucher com um código para fazer download da compilação em MP3, garantindo assim que as canções favoritas dos ABBA podem ser ouvidas tanto como foram originalmente pretendidas como em andamento.

Lançado originalmente a 21 de setembro de 1992, “Gold” dominou os tops de vendas e vendeu mais de 30 milhões de cópias em todo o mundo, tendo atingido a marca de Diamante no Canadá e em França, e de Platina em muitos países de todo o mundo, nomeadamente no Reino Unido, onde se mantém o segundo álbum mais vendido de sempre. Contendo 19 dos maiores êxitos do grupo, “Gold” prova exatamente porque é que Benny, Björn, Agnetha e Anni-Frid foram aclamados como os The Beatles dos anos 1970, continuando a conquistar novas gerações de fãs que não conseguem resistir aos encantos da banda.

Desde o primeiro sucesso global dos ABBA, “Waterloo”, de 1974, a hinos icónicos como “Dancing Queen”, “The Winner Takes It All” e “Thank You For the Music”, “Gold: Greatest Hits” é a súmula de uma década marcante, durante a qual os ABBA revolucionaram a música pop, tornando-se numa das bandas mais amadas em todo o mundo. 

Para muitos dos fãs devotos dos ABBA, a viagem começa aqui - e continua para sempre.

publicado por olhar para o mundo às 11:13 | link do post | comentar | ver comentários (1)

Barreiro - Ateliê de Construção de Marionetas na Biblioteca

Ateliê de Construção de Marionetas na Biblioteca

 

No dia 27 de maio, pelas 11h00, terá lugar o Ateliê de Construção de Marionetas pelo Animador Sociocultural João Gomes, no exterior da Biblioteca.

A iniciativa destina-se a crianças dos 6 aos 10 anos.

O número limite de participantes é de 10 crianças acompanhadas por um adulto. 

Inscrições através do telefone: 212068659.

 

Atividade “Construindo com Histórias” é adiada

 

Por motivos alheios à Câmara Municipal do Barreiro, a iniciativa “Construindo com Histórias” -  Leitura expressiva e Oficina - Maquete Coletiva (agendada para 24 de junho, na Biblioteca Municipal do Barreiro) está adiada.

 

Oportunamente, divulgaremos nova data deste evento orientado pela escritora Joana Mauricio e pela arquiteta Inês Didelet Santos.

 

CMB 2017-04-27

publicado por olhar para o mundo às 10:13 | link do post | comentar
Sexta-feira, 28.04.17

Haim de volta com novo álbum, "Something to Tell You"

haim.png

 

Haim de volta com novo álbum, "Something to Tell You", a 7 de julho

Vídeo do single "Right Now" foi realizado por Paul Thomas Anderson

As HAIM estão de volta com o próximo álbum, "Something to Tell You", a ser editado a 7 de julho. O anúncio surge no momento em que acaba de ser lançada uma versão ao vivo do tema "Right Now", o primeiro single retirado deste novo disco. Foi também revelado um vídeo de Este, Danielle e Alana a gravarem o tema em estúdio. Paul Thomas Anderson (Boogie Nights, Magnolia) esteve na sessão e rodou o vídeo enquanto o trio gravava o tema. A 3 de maio será editado este que é o primeiro single de "Something to Tell You".

Ontem à noite as HAIM deram uma festa especial onde mostraram em primeira mão à família, amigos e fãs parte do vídeo deste single, no Centers on Fairfax. Foi precisamente neste local que as três irmãs deram o seu primeiro concerto, há 18 anos. Esta semana foi anunciado que as HAIM vão voltar ao Saturday Night Live, a 13 de maio, no programa apresentado por Melissa McCarthy. Esta vai ser a estreia ao vivo de temas inéditos da banda. 

As HAIM voltaram a reunir-se com Ariel Rechtshaid para produzir o seu próximo álbum. As irmãs também trabalharam com Rostam Batamanglij (Vampire Weekend). A poucos dias do lançamento do video de "Right Nos", as HAIM divulgaram cartazes um pouco por todo o mundo, entre Los Angeles, Londres, Berlim, Sydney ou Melbourne, com referências à nova música.

Considerado um dos álbuns mais aguardados de 2017 pela Billboard, Complex, Entertainment Weekly, Pitchfork, Rolling Stone, o próximo álbum das HAIM é o sucessor do aclamado disco de estreia, “Days are Gone”. A Pitchfork declarou-o como “um álbum de estreia vencedor”. A Spin descreveu-o como “perfeição art-pop 80s”. “Days Are Gone” garantiu às três irmãs uma nomeação para os BRIT Awards na categoria de Melhor Grupo Internacional e uma nomeação para o Grammy de Artista Revelação.

Reconhecidas pelas suas atuações entusiasmantes e enérgicas, as HAIM passaram boa parte dos últimos anos em digressão por todo o mundo a promover o álbum de estreia. Desde concertos no Coachella, Lollapalooza, Glastonbury, T in the Park, as HAIM são já veternas dos festivais. Em junho deste ano o grupo volta a atuar no célebre festival de Glastonbury. Têm ainda previstos concertos em festivais na Austrália, Reino Unido e Estados Unidos.

 

 

publicado por olhar para o mundo às 23:27 | link do post | comentar

EM CANTOS E CONTOS - TEATRO INFANTIL no Cineteatro Municipal D. João V

EM CANTOS E CONTOS

TEATRO INFANTIL
14 MAI | 16:00H |5€

 


Classificação Etária TodoEm Cantos e Contos é um trabalho conjunto de ligação de música e palavra, especialmente dirigido a famílias e aos mais pequenos, com idades entre 1 e 6 anos. Contos, lengalengas, poesias, trava-línguas, músicas, canções, danças, gestos, afetos e brincadeiras, para experimentar e levar para casa e enriquecer a partilha e vivência familiar.


É um convite para subir ao palco, acordar memórias e explorar formas ancestrais de expressão e interação, recorrendo a repertório tradicional português e do mundo. Cantamos juntos e contamos convosco?

Conceção e Realização: Joana Aguiar e Marta Lourenço.

Joana Aguiar -estreou-se como contadora de histórias em 2007 na Biblioteca Municipal de Oeiras onde integrou a bolsa de contadores do projeto europeu “Histórias de Ida e Volta”, contando regularmente e recebendo formação profissional com contadores, atores, cantores e especialistas de literatura tradicional até 2011. Tem participado como ouvinte ou contadora em serões, festivais, encontros, seminários e workshops. Atualmente desenvolve projetos na área da narração oral.

Marta Lourenço - Na sua formação conta com aulas de formação musical, guitarra clássica, viola de arco, orquestra, orff, coro, musicoterapia, pedagogias musicais, movimento, teatro e danças. Em 2010 licencia-se em Educação básica variante musical pela ESE de Lisboa. Tem integrado diferentes projetos artísticos, como instrumentista, professora de música ou na criação e realização dos mesmos.

publicado por olhar para o mundo às 23:13 | link do post | comentar

IndieLisboa - Venham até nós os amantes da diversão e do horror

horror.jpg

 

 

Venham até nós os amantes da diversão e do horror

Maratona da Boca do Inferno ocupa o Cinema Ideal durante sete horas

SÁBADO, 6 MAIO, 23H00 ÀS 6H00, CINEMA IDEAL

 

 

A maratona nocturna da Boca do Inferno regressa com filmes que prometem desassossegar todas as almas puritanas. A partir das 23h00 de Sábado, dia 6 de Maio, e durante toda a madrugada são várias as dicas úteis para anotar: como fazer locução de filmes pornográficos (Le Plombier), como disfarçar instintos homicidas (Callback), como lidar com as orgias satânicas dos vizinhos (Saatanan kanit), como comer carne humana (Grave), como amar um morto-vivo (Happy Anniversary), como viver com um grande volume entre as pernas (Halko), como usar uma besta (The Robbery) ou como fazer um strip que deixa tudo à vista (Visa allt). Venham a nós, fãs de Christopher Lloyd (Regresso ao Futuro) e de experiências limite para ver I Am Not a Serial Killer.

A secção dedicada aos filmes que marcham, sem medo, à beira do precipício, apresentará ainda uma sessão composta por curtas metragens e cinco outras longas metragens, para além das integradas na Maratona: as desventuras de Sean e as suas experiências com a alquimia satânica em mais um filme sobre personagens psicóticas de Joel Potrykus (The Alchemist Cookbook); a Free Fire, um Reservoir Dogs do nosso século assinado por Ben Wheatley; ao slasher sanguinolento sobre uma mãe que obedece aos desejos macabros e psico´ticos do seu feto (Prevenge); à libertação sexual de uma russa de meia-idade (Zoology) e aos confrontos geracionais e familiares gerados pela violência e angústia da adolescência (Home).

A programação completa pode ser consultada em www.indielisboa.com.

 

Maratona Boca do Inferno: Filmes

LE PLOMBIER

M. Fortunat-Rossi, X. Se´ron, 14’

HALKO

Teemu Nikki, 7’

DON’T TELL MOM

Sawako Kabuki, 3’

THE ROBBERY

Jim Cummings, 10’

CALLBACK

Carles Torras, 83'

AMEN

M. Viens, P. Lupien, 9’

STEVEN GOES TO THE PARK

Claudia Corte´s Espejo, 6’

DO NO HARM

Roseanne Liang, 12’

I AM NOT A SERIAL KILLER

Billy O'Brien, 104'

HAPPY ANNIVERSARY

Mark Kuczewski, 6’

HAPPY END

Jan Saska, 6’

VISA ALLT

Lasse Persson, 2’

SAATANAN KANIT

Teemu Niukkanen, 17’

GRAVE

Julia Ducournau, 98'

 

 

publicado por olhar para o mundo às 11:13 | link do post | comentar

O pano da vida se desata no clipe da Zéfiro: “Andes”

zéfiro 2 foto por Lucas Aguiar.jpg

 

 

O pano da vida se desata no clipe da Zéfiro: “Andes”
Banda lança primeiro clipe do EP de mesmo nome e prepara primeiro disco

 

Um ano depois se lançar com um EP, a banda brasiliense Zéfiro encerra esse ciclo com o clipe da faixa que dá nome ao trabalho. O vídeo de “Andes” é disponibilizado após a banda figurar em diversas listas de melhores do ano e de revelações, marcando assim o fim dos trabalhos do EP e o início dos preparativos para o primeiro disco completo da banda, previsto para ser lançado no início de 2018.

 

“Andes” é uma metáfora para o momento em que o indivíduo depara-se com a grandeza e a imponência do desconhecido. Ao mesmo tempo em que o novo amedronta o sujeito, também o faz andar. A letra fala da solidão, da frieza, mas de forma a naturalizar esses sentimentos. É a descrição das paisagens da caminhada e as mudanças de rumo sem nunca descrever a chegada, porque a caminhada da vida se dá em ciclos e não em linha reta.

 

“Pensamos num pano que fizesse alusão a uma esteira interminável. Pensamos no branco por conta de seu vazio. Pensamos numa paisagem onírica. O diretor propôs que pegássemos esses elementos e os expandíssemos para outros usos, que fizessem alusão a diferentes momentos de vida e não só à caminhada. Dessa forma, ele teria um significado ambíguo, ora servindo de alimento, ora funcionando como algo que sufoca”, explica Pedro Menezes, guitarrista e vocalista da Zéfiro.

 

O vídeo foi dirigido e gravado por Tiago Miollo no teatro do Espaço Usina, em Brasília, e tem a atriz Juliana Drummond como protagonista. A produção é de Tiago Miollo e Maiara Rossi, com direção de fotografia e montagem por Pedro Bedê (dos vídeos de “Amanheceu”, da Scalene, e “Ilha”, da Dona Cislene) e finalização pelo Mamelungo Studio.

 

“De certa forma, o vídeo é uma homenagem da própria banda ao trabalho que concretizamos”, comenta Pedro antes de sentenciar: “O próximo trabalho de estúdio está em fase de pré-produção e deve ser lançado no início de 2018. A proposta mantém-se a mesma, mas um pouco mais madura: fazer música intensa, delicada e que desafie os arranjos tradicionais”.

 

 

publicado por olhar para o mundo às 10:13 | link do post | comentar

Tori Amos anuncia novo álbum, “Native Invader”

tori amos.png

 

Tori Amos anuncia novo álbum, “Native Invader”

O lançamento será a 8 de setembro pela Decca Records

Tori Amos acaba de revelar o lançamento do seu muito aguardado novo álbum, “Native Invader”, com data de edição prevista para 8 de setembro pela Decca Records. A cantora vai também dar início a uma digressão mundial, que inclui datas na Europa e Reino Unido, entre setembro e outubro, e nos EUA e Canadá, em novembro e dezembro.

Sobre o novo álbum, Tori Amos diz: 

“As músicas de 'Native Invader' estão a ser impulsionadas pelas Musas para encontrarem maneiras diferentes de enfrentar desafios imprevistos e, em alguns casos, conflitos perigosos. O disco olha para a Natureza e como ela, através da resiliência, se cura a si própria. As canções também lidam com a questão: qual é a nossa parte na destruição da nossa terra, bem como de nós mesmos, e nas nossas relações uns com os outros?

“Na vida podemos ser surpreendidos com fogos inesperados, cheias, terramotos ou qualquer cataclismo – tanto dentro como fora das nossas mentes. Sonicamente e visualmente, quis analisar a forma como a Natureza cria com as suas forças opostas, tornando-se a última regeneradora através dos seus ciclos de morte e renascimento. Uma e outra vez ela consegue renovar-se. Poderemos encontrar esta renovação em nós mesmos?”

“Native Invader” é o 15.º álbum de estúdio de Tori Amos, sucedendo-se a “Unrepentant Geraldines”, de 2014, tendo sido o seu 8.º disco a alcançar o top 10 da Billboard. Este será o seu primeiro lançamento através da Decca Records. 

O estilo de escrita confessional de Tori Amos faz com que continue a desafiar fronteiras com a sua música. As suas mensagens, ternura, assertividade e o seu som absolutamente incomparável continuam a conquistar públicos em todo o mundo. Neste novo álbum, Tori aprofunda ainda mais as suas experiências pessoais. 

Uma pioneira, Tori foi a primeira artista de uma editora multinacional a oferecer um single para download. Nomeada para vários prémios Grammy, Tori Amos já viu as suas canções serem transformadas em romances gráficos e produziu vídeos inovadores ao longo de toda a carreira. No final de 2016, lançou o tema “Flicker” para o aclamado documentário da Netflix “Audrie and Daisy”, abordando questões ligadas à violação nas escolas. Uma célebre humanitária, Tori é cofundadora da RAINN (Rape, Abuse and Incest National Network), que é a maior organização nos EUA contra a agressão sexual. 

A digressão europeia de Tori Amos arranca a 6 de setembro na Irlanda. A 4 de outubro atua no célebre Royal Albert Hall, em Londres.

publicado por olhar para o mundo às 09:13 | link do post | comentar
Quinta-feira, 27.04.17

Barreiro acolhe Eco Fashion

ecofashion.png

 

 

Barreiro acolhe Eco Fashion a 27 de maio

 

Celebridades juntam-se pela Reciclagem, no Barreiro!

 

Helena Coelho, Iva Lamarão, Lenka, Olívia Ortiz e Vanessa Martins são algumas das celebridades que irão estar no Barreiro, no âmbito do Amarsul Eco Fashion, uma iniciativa realizada pela Amarsul, em parceria com a Câmara Municipal do Barreiro.  Terá lugar no dia 27 de maio, pelas 21h00, nas Oficinas da EMEF, e tem entrada livre.

 

O Amarsul Eco Fashion é um evento que promove e alia reciclagem à moda, e irá confirmar porque continua a ser uma referência a nível nacional, tendo em 2016 obtido uma Menção Honrosa nos Prémios de Comunicação - Meios & Publicidade, na categoria Ambiente & Energia.

Para desenhar as coleções foi escolhida Alexandra Moura e 6 novos designers: Cristina Neves (Assistente de Valentim Quaresma), Mafalda Maçaroco (Assistente de Olga Noronha), Marta Lee (Designer na Levi’s Portugal), Madalena Silva, Mónica Gonçalves (Designer Grigi/Pelcor) e Teresa Samissone (Samissone), apresentaram as suas propostas desenvolvidas, a partir de materiais reciclados. No desfile das coleções estarão muitas figuras conhecidas do grande público. O evento terá outros apontamentos artísticos, com destaque para a DJ Rita Mendes e o Grupo de Hip Hop “Dance Coolture”, do Barreiro.

O Amarsul Eco Fashion é um evento eclético, que reúne estilos diversos, na moda, na música, passando pela história, mas todos com um denominador comum, apresentar novas formas de pensamento, de arte, de como Reciclar está na Moda, consciencializando para a prevenção de resíduos, refere a AMARSUL.

A Amarsul é o Sistema Multimunicipal de Valorização e Tratamento de Resíduos Sólidos da Margem Sul do Tejo que abrange os municípios de Alcochete, Almada, Barreiro, Moita, Montijo, Palmela, Seixal, Sesimbra e Setúbal, servindo cerca de 800.000 pessoas.

Possui três Ecoparques em Palmela, Seixal e Setúbal, sete Ecocentros, uma Eco Transferência, uma Central de Compostagem, uma Central de Valorização Orgânica, dois Sistemas de Aproveitamento Energético de Biogás e uma rede de mais de 3000 Ecopontos.

CMB 2017-04-26

publicado por olhar para o mundo às 23:13 | link do post | comentar

BOLERO no Centro Cultural do Cartaxo

bolero.jpg

 

 

BOLERO

de José Carretas e Manuel Cintra 

encenação de Frederico Corado

Centro Cultural do Cartaxo

 

ESTREIA A 5 de MAIO - às 21.30h

Dias 5, 6, 12, 13 de Maio às 21.30 

Dia 7 de Maio às 16.00 

 

20 anos depois da sua estreia absoluta no Centro Cultural de Belém, “Bolero” volta a ser levado à cena, desta vez no Cartaxo!

O grande texto de José Carretas e Manuel Cintra sobre Lisboa nos anos 50 e as personagens que a habitavam nos encontros de uma cidade povoada de sombras é a próxima estreia da Área de Serviço no Centro Cultural do Cartaxo em Maio. 

 

Num Portugal dos anos 50, dominado pelo medo e pela opressão, Cesário hesita entre cumprir o serviço militar obrigatório ou arriscar a fuga para um exílio forçado. No dia em que não pode adiar mais a decisão, Cesário, desde o café da manhã até ao último copo da noite, com os amigos, vai-se cruzando com as personagens que, de um modo ou de outro, fazem parte da sua vida e da sua Lisboa. A cada encontro, Cesário vai ficando mais indeciso: o medo de uma guerra que mata a razão ou o medo de um exílio que mata o coração? Entre dois medos, qual escolher? E será que Cesário ainda vai a tempo de escolher, ou o medo já escolheu por ele?

 

A 20ª produção da Área de Serviço, com encenação de Frederico Corado é este grande texto de José Carretas e Manuel Cintra um texto carregado de força, poesia e História.

 

Quando em 1997, Frederico Corado acompanhou os ensaios de “Bolero” no Centro Cultural de Belém com a intenção de realizar um documentário sobre o processo de ensaios estava longe de imaginar que 20 anos depois iria ser ele próprio a levar a sua versão a palco no Cartaxo. 

 

Com Gabriel Silva, Vânia Calado, André Diogo,  Carlos Ramos, Carolina Seia Viana,  Ana Rita Oliveira,  João Nunes, João Vitor, Sara Xavier, Frederico Corado, Mauro Cebolo, Tomás Formiga, Sara Margarida, Norberto Nunes, Luis Silva, João Paulo, Mário Júlio, Cátia Nogueira, Sara Inês, Inês Custódio, António Calado, Beatriz Devesa e Daniela Ramos,

 

Encenação: Frederico Corado | Texto: José Carretas e Manuel Cintra | Música Original: Fernando Mota e Gonçalo Pratas | Concepção Cenográfica: Frederico Corado | Execução Cenográfica : Mário Júlio | Desenho ao vivo : Carlos Ouro | Produção da Área de Serviço : Frederico Corado, Vânia Calado e Mário Júlio com a assistência de Florbela Silva e Carolina Viana | Assistente de Encenação: Vânia Calado | Direcção de Cena: Mário Júlio | Técnica: Miguel Sena | Desenho de Luz: Bruno Santos | Montagem: Mário Júlio | Uma Produção da Área de Serviço com o Centro Cultural do Cartaxo e Câmara Municipal do Cartaxo

Parceiros Institucionais: Câmara Municipal do Cartaxo | Centro Cultural do Cartaxo |

 

Apoios: Casa das Peles | Sotinco | J.M.Fernandes - Vidreira e Alumínio | Central de Cervejas | Água de Luso | Negócio de Família | E.Nove | Tejo Rádio Jornal | Revista Dada | Jornal de Cá | Valor Local | Teatralmente Falando | Guia dos Teatros

 

Facebook: https://www.facebook.com/AreaDeServico

Centro Cultural do Cartaxo

Rua 5 de Outubro | 2070-059 Cartaxo, Portugal

Teatro . M/12

Bilhetes: 5€ 

Info e reservas:

CCC - 243 701 600 

Área de Serviço - 914 338 893 

ou centroculturalcartaxo@gmail.com | areacartaxoreservas@gmail.com

publicado por olhar para o mundo às 22:13 | link do post | comentar

CNE - FILHO DA TRETA

filhodatreta.jpg

 

 
SEX 28 ABR 21H30

TEATRO

FILHO DA TRETA

JOSÉ PEDRO GOMES E ANTÓNIO MACHADO
 

[COMPRAR BILHETE] [ENVIAR A UM AMIGO]

 

AUDITÓRIO 12,5€


TEATRO | 90 MIN | M/12


Antigamente, a vida era uma selva. Agora, a vida é uma selfie. Toda a treta se dispersou e cresceu nas redes sociais e os especialistas têm tido alguma dificuldade em encontrar a genuína conversa da treta. Mas quem é vivo sempre falece, e também sempre aparece. Nada se perde, tudo se transforma - o código genético da Treta renasceu em 2016 com a assustadora e nada aguardada peça de teatro FILHO DA TRETA. Numa comovente irritação entre duas gerações perdidas, discutem-se as tascas gourmet, os refugiados, os paus de selfie, as novas famílias e outras pragas que assolam o mundo moderno deste saudoso bairro em vias de extinção.



José Pedro Gomes e António Machado interpretação, Filipe Homem Fonseca, Rui Cardoso Martins texto, Sónia Aragão encenação, Bruno Vasconcelos, Nuno Rafael música, Luís Duarte desenho de luz, Fernanda Ramos figurinos, Força de Produção produção

publicado por olhar para o mundo às 11:13 | link do post | comentar

mais sobre mim

pesquisar neste blog

 

First Class Radio 

posts recentes

últ. comentários

Posts mais comentados

arquivos

tags

favoritos

subscrever feeds



blogs SAPO