Cascais - Lumina Festival de Luz

O “Lumina” incluirá diversas situações, como a conceção de uma intervenção na Baía que abarcará a comunidade de pescadores, a criação de um igloo na praia em pleno verão e projeções de luz nos edifícios históricos da Vila. Serão ainda aplicadas instalações nas ruas e em locais de referência de Cascais, como o Parque Marechal Carmona, que abrirá as suas portas durante a noite para receber um jogo de luzes que se conjugará com a natureza.


Algumas intervenções procurarão envolver o público através da interação em locais específicos. Uma das obras irá mesmo incluir a comunidade de Cascais: o projeto “Faces - Caras de Cascais”, da dupla de artistas Jan Ising (Alemanha) e Bartosz Navarra (Áustria), irá projetar 130 caras de munícipes de Cascais fotografadas durante uma sessão que teve lugar a 9 de agosto.


A componente local do evento estará ainda patente no envolvimento dos alunos de escolas do concelho, através da realização da peça “Sea of Light”, um espetáculo multimédia de grande escala que será apresentado na Cidadela de Cascais e que contará com a colaboração de alunos do 3.º ano da Escola Primária de São João do Estoril e de três escolas da Letónia, Estónia e Eslovénia. Baseado em desenhos, pinturas e filmagens elaboradas pelas crianças, será criado um espetáculo de projeção 3D a 360º com uma narrativa sobre o mar. Esta intervenção surge no âmbito do programa europeu Spectrum.


De notar ainda que a utilização de novas tecnologias que visam alcançar uma maior eficiência energética torna o “Lumina” num evento inovador, tendo a seleção das obras tido em conta a sua eficiência energética - relação “energia gasta versus público alcançado”.


O “Lumina - Festival de Luz” é criado por Nuno Maya e Carole Purnelle, fundadores do ateliê OCUBO.com e autores das maiores projeções multimédia em edifícios em Portugal. Referência internacional nas áreas de video mapping e projeções interativas, com projetos realizados no mundo inteiro, uma preocupação constante no trabalho destes artistas é a comunicação com o público, sendo a interatividade frequente nas suas obras, de forma a tornar o espectador num ator influente da peça artística (tal como decorreu na recente obra “Arco De Luz”, no Terreiro do Paço, em Lisboa). O “Lumina” integra uma rede internacional de festivais de luz espalhada por todo o mundo, envolvendo países como Austrália, Singapura, Israel, Rússia, Alemanha, França, Holanda, Eslovénia, Polónia, entre outros.


Evento desafia visitantes a juntarem-se ao lado luminoso da vida


Paralelamente ao evento, serão realizados workshops e artist talks em que criadores e diretores de festivais da luz internacionais vão partilhar com o público interessado os segredos por detrás desta forma de arte. O programa acolhe atividades que decorrem na Marina de Cascais, onde estará também localizado o Lumina Lounge, espaço de restauração gourmet luminoso e surpreendente da responsabilidade do restaurante Aura, onde o visitante poderá experimentar novas sensações visuais e gustativas num ambiente especial ocupado por diversos DJs e VJs nacionais. Já na Lumina Shop será possível adquirir objetos luminosos para todos fazerem parte da iluminação noturna de Cascais. O “Lumina - Festival da Luz” vai também premiar e divulgar a melhor fotografia de luz. Aberto a todos, este concurso vai premiar as melhores fotografias tiradas pelo público durante o festival - mais informações em www.lumina.pt.


Data: 13 a 15 de setembro, das 20h às 24h. Entrada gratuita.


Primeira experiência de iluminação pública elétrica foi em Cascais


Aos artistas que trazem a Cascais as mais criativas e artísticas iluminações de espaços públicos não passou desapercebido o facto de a primeira experiência de iluminação pública elétrica em Portugal ter acontecido precisamente em Cascais. Corria o dia 28 de setembro de 1878 quando, por ocasião das festas de aniversário do príncipe D. Carlos, a Cidadela ganhou a vida que só a luz pode dar.


Cascais, dado o seu posicionamento geográfico, foi também pioneira como terra de faróis e as suas luzes contribuíram para o sucesso dos descobrimentos portugueses. Hoje a luz destes faróis lembra-nos a ligação de Cascais com o mar, inspirando grande parte das instalações artísticas, espetáculos participativos, conferências e conversas com artistas. Durante o festival, são inúmeras as peças que dão voz às pessoas, deixando-as refletir sobre o espaço público, e que em tom lúdico fazem questionar o nosso modo de viver. 

publicado por olhar para o mundo às 22:49 | link do post | comentar