Sexta-feira, 03.11.17

“Flicker”, álbum a solo de Niall Horan, lidera tops do iTunes em 61 países

horan.jpg

“Flicker”, álbum a solo de Niall Horan, lidera tops do iTunes em 61 países

Primeiro álbum de Niall Horan chegou ainda ao 1.º lugar dos tops de vendas nos EUA, Canadá, México, Irlanda e Holanda

“Flicker”, o álbum de estreia a solo de Niall Horan, acaba de entrar no top 200 da Billboard com o equivalente a 152 mil unidades vendidas até à semana que terminou a 26 de outubro. “Flicker” liderou ainda os tops de vendas de álbuns do iTunes em 61 países.

“Flicker” contém 10 canções originais, incluindo os êxitos platinados “This Town", “Slow Hands” e o mais recente single “Too Much To Ask”. Niall Horan colaborou com os produtores Julian Bunetta, Jacquire King e Greg Kurstin para desenvolver a sonoridade distinta que imaginou para o álbum.

Horan, que já vendeu mais de 70 milhões de discos como membro dos One Direction, foi recentemente nomeado para os American Music Awards na categoria de Artista Revelação do Ano. A votação está a decorrer online.

No próximo ano, Horan vai embarcar na “Flicker World Tour 2018”, que vai passar pelo Coliseu dos Recreios, em Lisboa, a 12 de maio, sendo que o concerto já se encontra esgotado.

 

A Entertainment Weekly descreveu “Flicker” como um novo lançamento “a ouvir” e referiu: “Metam-se no carro, baixem os vidros e deixem-se ir por estradas vazias – estas são as condições ideais para ouvir o álbum de estreia a solo de Niall Horan.” A TIME declarou: “Uma estreia a solo promissora… Uma mudança folksy de um dos membros de uma das maiores boy bands pop.” A revista People escolheu “Flicker” como um dos discos da semana e elogiou a “[produção] contemporânea e lustrosa de ‘Too Much to Ask’ e a confeção pop-country de ‘Seeing Blind’”.

Recentemente, a revista Rolling Stone escreveu: “[‘Flicker’] revela um lado pessoal de Horan nunca antes visto que apela a novos e antigos ouvintes”. Já a Billboard referiu: “Apesar de em ‘Flicker’ pontuarem melodias mais suaves, como em ‘This Town’, no tema título ou ‘Fire Awat’ e ‘You and Me’, que fecham o álbum, também não faltam temas mais arriscados, como a sexy ‘Slow Hands’ e a colaboração country com Maren Morris em ‘Seeing Blind’”.

“This Town”, o primeiro single do álbum, vendeu mais de três milhões unidades em todo o mundo e soma mais de 450 milhões de streams. O sucessor, “Slow Hands”, chegou ao 1.º dos tops de vendas em 44 países, além de ter sido nomeada para uma das Melhores Canções de 2017. “Slow Hands” tem mais de 820 milhões de streams em todo o mundo e conquistou o galardão de Platina nos EUA e Nova Zelândia, quatro Platinas na Austrália, tripla Platina na Irlanda e Canadá e dupla Platina na Holanda.

publicado por olhar para o mundo às 10:13 | link do post | comentar

“M80 Rock Classics” Entrada direta para #1 do Top de vendas de compilações

m80.png

 

“M80 Rock Classics”

Entrada direta para #1 do Top de vendas de compilações

O CD que inclui 34 temas incontornáveis da história do rock, selecionados pela equipa da M80 Rádio, entrou diretamente para o 1º lugar do Top de vendas de compilações na semana de estreia. O disco está disponível em formato duplo CD e digital.

Alinhamento:

CD1

1. Queen – We Will Rock You
2. Bryan Ferry - Let’s Stick Together
3. Kiss – I Was Made for Lovin’ You
4. Steve Miller Band – Abracadabra
5. Simple Minds – Don’t You Forget About Me
6. John Waite – Missing You
7. Russ Ballard – I Can’t Hear You No More
8. Xutos & Pontapés – Contentores
9. Huey Lewis & The News – The Power of Love
10. Men At Work – Down Under
11. Heart – What About Love?
12. Lenny Kravitz – Are You Gonna Go My Way
13. The Stranglers – All Day And All Of The Night
14. The J. Geils Band - Centerfold
15. Peste & Sida – Sol da Caparica
16. Starship – We Built This City
17. Thin Lizzy – The Boys Are Back in Town

CD2
1. John Mellencamp – Hurts So Good
2. Blondie – Heart of Glass
3. The Knack – My Sharona
4. Survivor – Burning Heart
5. Fischer-Z – Marliese
6. James – Sometimes
7. Machiavel - Fly
8. Jáfu’mega – Latin’América
9. Robert Palmer – Addicted to Love
10. John Parr – St. Elmo’s Fire (Man in Motion)
11. Meat Loaf & Cher – Dead Ringer For Love
12. Status Quo – In the Army Now
13. Free – All Right Now
14. George Thorogood & The Destroyers – Bad to the Bone
15. 4 Non Blondes – What’s Up
16. Slade – My Oh My The
17. Tubes – She’s A Beauty

publicado por olhar para o mundo às 00:13 | link do post | comentar
Quinta-feira, 02.11.17

U2 “Songs of Experience” - Novo álbum de estúdio

u2.jpg

 

U2

“Songs of Experience” | Novo álbum de estúdio a 1 de dezembro

Já está disponível o novo single, “Get Out of Your Own Way”

Acaba de ser anunciado o lançamento de “Songs of Experience” para o próximo dia 1 de dezembro. O 14.º álbum de estúdio dos U2, com 13 novas canções, será editado em formato digital, CD e em duplo vinil.

O novo single – o segundo retirado do disco – intitulado “Get Out Of Your Own Way” já está disponível. O primeiro single, “You’re The Best Thing About Me” foi lançado a 6 de setembro, enquanto o tema “The Blackout” foi lançado em agosto num vídeo ao vivo.

 A Live Nation também acaba de anunciar as datas da “eXPERIENCE iNNOCENCE Tour” pela América do Norte, a começar a 2 de maio. Em 2018 serão anunciados mais detalhes sobre esta digressão.

 

Gravado entre Dublin, Nova Iorque e Los Angeles, “Songs of Experience foi concluído no início deste ano, tendo o seu conceito sido influenciado pelo conselho de Brendan Kennelly a Bono, para este “compor como se estivesse morto”. O resultado é uma coleção de canções em forma de cartas íntimas escritas sobre lugares e pessoas muito próximos do cantor: família, amigos, fãs e ele próprio.

Songs of Experience” é o sucessor de “Songs of Innocence”, dois títulos que foram inspirados numa coleção de poemas, “Songs of Innocence and Experience”, do poeta inglês do século XVIII William Blake.

Produzido por Jacknife Lee e Ryan Tedder, com Steve Lillywhite, Andy Barlow e Jolyon Thomas, o álbum conta na capa com uma fotografias de Anton Corbijn dos filhos adolescentes dos membros da banda, Eli Hewson e Sian Evans.

O alinhamento de “Songs of Experience” é o seguinte:

1. “Love Is All We Have Left”

2. “Lights of Home”  

3. “You’re The Best Thing About Me”

4. “Get out of Your Own Way”

5. “American Soul”

6. “Summer of love”

7. “Red Flag Day”

8. “The Showman (Little More Better) ”

9. “The Little Things That Give You Away”

10. “Landlady”

11. “The Blackout”

12. “Love Is Bigger Than Anything in Its Way”

13. “13 (There is a Light)”

publicado por olhar para o mundo às 21:13 | link do post | comentar

Queen revelam gravações inéditas de Freddie Mercury em vídeo de animação de “All Dead, All Dead”

queen.jpg

 

Queen revelam gravações inéditas de Freddie Mercury em vídeo de animação de “All Dead, All Dead”

Reedição especial do álbum “News of the World” chega às lojas a 17 de novembro

News Of The World”, o álbum icónico dos Queen, foi revelado ao mundo a 28 de outubro de 1977. Para celebrar o seu 40.º Aniversário, será editada a 17 de novembro uma caixa deluxe. A caixa já está disponível em regime de pré-venda, com informações adicionais em QueenOnlineStore.com. Um dos elementos mais entusiasmantes desta reedição é o CD “Raw Sessions”, uma versão alternativa do álbum. Tendo sido criado a partir das gravações de estúdio que se encontravam em arquivo, este álbum paralelo traz à luz versões alternativas nunca antes ouvidas dos 11 temas do alinhamento do álbum. Todas as vozes principais de “Raw Sessions” foram gravadas em takes diferentes daqueles que foram usados para o álbum original.

O mais entusiasmante é o podermos descobrir Freddie Mercury em topo de forma a interpretar um tema que ninguém de fora do círculo interno dos Queen alguma vez o tinha ouvido cantar – “All Dead, All Dead”, de Brian May. A versão original é cantada pelo próprio May, sendo que a canção aborda como viveu depois da morte do seu animal de estimação durante a infância. Em 1983, numa entrevista à Guitar Magazine, May falou sobre a canção: “É uma das minhas preferidas. Foi uma daqueles que achei que ficou melhor e fiquei muito contente como acabou por soar. Fico sempre surpreendido quando a oiço porque foi feita para nos emocionarmos ao ponto de ficarmos com lágrimas nos olhos. Isso ainda acontece comigo.”

 

A dias da reedição do 40.º Aniversário chegar às lojas, os Queen apresentam uma versão híbrida que junta parte da versão “Raw Sessions” de “All Dead, All Dead” com a versão original do álbum “News Of The World”. Esta versão foi revelada hoje, juntamente com um inventivo lyric video de animação.

O conceito do vídeo foi cuidadosamente concebido pelos Unanico Studios (os realizadores Jason Jameson e Robert Milne e o produtor Paul Laikin). O vídeo conta a história de Pixie, o cato, perdido num reino de engrenagens e tubos, fios e placas de circuitos. O mundo onde Pixie se encontra acaba por ser revelado mais tarde. Brian e os Unanico Studios inspiraram-se no filme de animação “Allegro Non Troppo”, de Bruno Bozzetto, filme de 1976 que conta como um dos protagonistas um felino a vaguear.

 

Paul Laikin: “O Jason, o Robert e eu sentimo-nos honrados por trabalhar com Brian para criar um mundo visual para esta versão emotiva e fresca de ‘All Dead, All Dead’. O gato do vídeo é inspirado em fotografias que o Brian nos mostrou do seu animal de estimação e esperamos que seja também um tributo à medida de Freddie Mercury, que adorava também os seus próprios gatos.” 

News Of The World” é um dos álbuns dos Queen mais bem vendidos de sempre. Começa com dois dos maiores êxitos mundiais da banda, “We Will Rock You”, assinada por Brian May, e “We Are the Champions”, da autoria de Freddie Mercury, sendo ainda hoje dois hinos de estádio monumentais. Com canções escritas pelos quatro membros da banda, “News Of The World”, o sexto álbum de estúdio, elevou a fasquia a nível de diversidade estilística, desde a proto-punk “Sheer Heart Attack”, de Roger Taylor, ao libertino tema funk-rock “Get Down Make Love”, passando pela fragrância calypso-pop tropical de “Who Needs You”.“News Of The World” conta ainda com o êxito “Spread Your Wings”, a épica saga rock “It’s Late” e a romântica “My Melancholy Blues”.

publicado por olhar para o mundo às 11:13 | link do post | comentar

Ressignificar: Nova música da Ana Muller já está disponível

anamullher.jpg

 

Ressignificar: Nova música da Ana Muller está disponível em vídeo e áudio


Após figurar entre os 500 artistas brasileiros mais ouvidos no Spotify segundo a Red Bull e alcançar mais de 17 milhões de visualizações no Youtube, a cantora Ana Muller mostra uma novidade: “Ressignificar”. A canção inédita, gravada ao vivo em formato banda no Complexo Estúdio, em Goiânia, está disponível em todas as plataformas de streaming e também em vídeo, captado durante a gravação do registro.

A faixa é uma raridade esquecida dentro das inúmeras composições da capixaba e foi resgatada para a turnê de divulgação do EP de estreia da cantora, ganhando arranjo que dá energia para o folk rock da canção. A banda que acompanha a artista é formada por Felipe Duriez (Cícero, Hover) na guitarra, Henrique Paoli (My Magical Glowing Lens, André Prando) na bateria e Marcos Xi (Letuce, Aline Lessa) no baixo.

“A música é bem direta. É sobre achar um novo motivo para as coisas, não só de amor, mas de vida. Aprender a ver tudo de um modo diferente e não atrela-las a traumas do passado. Há muitos significados da vida que podem ser explorados”, comenta Ana Muller sobre “Ressignificar”.

O vídeo é assinado por Moment e Complexo Estúdio, com edição de Diogo Fleury que também filmou ao lado de Rodrigo Cunha e Victor Souza. A captação de áudio e mixagem é assinada por Braz Torres. Produção executiva de Josué Veloso e artística de Marcos Xi, ambos da Garimpo Brasileiríssimos.

O lançamento oficial do registro acontecerá durante o festival Brasileiríssimos, dia 18 de novembro, no Cine Jóia. Antes, Ana toca em Caicó-RN e Caruaru-PE, e em seguida se apresentará no festival DoSol, em Natal. Em dezembro Ana voltará a São Paulo e participará da SIM São Paulo 2017.

 

 

publicado por olhar para o mundo às 09:13 | link do post | comentar
Quarta-feira, 01.11.17

Metallica Apresentação especial da reedição de “Master of Puppets”

metallica.png

 

Metallica

Apresentação especial da reedição de “Master of Puppets” dos Metallica a 9 de novembro na Fnac Colombo

A reedição, que será editada em vários formatos, ficará disponível a partir da meia-noite

No próximo dia 9 de novembro a Fnac Colombo vai celebrar a reedição do álbum icónico dos Metallica “Master of Puppets” com um evento especial. A poucas horas do lançamento desta que é uma das obras-primas da história do metal, um grupo de especialistas, entre eles António Freitas, da Antena 3, Rui Duarte, dos RAMP, e Hugo Vinagre, diretor da revista Playboy, vão estar à conversa sobre “Master of Puppets” e esta reedição especial. Pedro Romão será o moderador. Durante a sessão, que começa às 21h30, vão-se ouvir vários temas da reedição e ver alguns dos vídeos que estão incluídos na reedição Deluxe.

Após a conversa, terá lugar um sorteio, das 22h30 às 22h45, enquanto às 23h00 a banda de tributo Blackallica vai interpretar na íntegra o álbum “Master of Puppets”. As várias versões desta reedição ficarão disponíveis a partir da meia-noite.

 

A reedição de “Master of Puppets” será lançada fisicamente como um LP Standard, um CD Standard, uma edição Expanded de 3CD e uma caixa Deluxe de edição limitada, e digitalmente como um CD Standard (disponível para stream e download), uma edição Expanded de 3CD (apenas disponível para download) e uma caixa digital Deluxe (disponível para streaming e download). A edição Expanded inclui maquetes nunca editadas até hoje, rough mixes, entrevistas, temas ao vivo e um booklet de 28 páginas. A caixa Deluxe de edição limitada inclui um livro de capa dura de 108 páginas com fotografias nunca antes vistas, versões alternativas das canções de
Master of Puppets”, entrevistas inéditas, três LPs, dez CDs, uma cassete áudio, dois DVDs, uma litografia, uma pasta com letras manuscritas e um conjunto de seis pins. 

O álbum está também disponível em regime de pré-venda, com o download imediato da maquete inédita “Master of Puppets (Late June 1985 Demo)”. 

Master of Puppets” foi lançado originalmente a 3 de março de 1986, pela Elektra Records, e tornou-se o primeiro álbum dos Metallica a conquistar o galardão de Platina no mercado norte-americano. O álbum recebeu 6 Platinas nos Estados Unidos e vendeu mais de 10 milhões de cópias em todo o mundo. Em 2016, o álbum tornou-se o primeiro disco de metal a ser integrado no registo discográfico da Biblioteca do Congresso dos EUA para preservação, uma honra que é dada a todas as obras “com uma importância significativa a nível cultural, histórico e estético”.

No próximo ano, os Metallica vão apresentar a digressão “WorldWired” na Europa, tendo data marcada em Portugal, para o dia 1 de fevereiro de 2018, na já esgotada Altice Arena, em Lisboa.

publicado por olhar para o mundo às 23:13 | link do post | comentar

Migos lançam primeiro single de “Culture 2”: “Motor Sport (feat. Nicki Minaj & Cardi B)”

migos.png

 

Migos lançam primeiro single de “Culture 2”: “Motor Sport (feat. Nicki Minaj & Cardi B)”

Single sucede-se ao álbum platinado “Culture”

O supergrupo do hip hop do ano, Migos, acabam de lançar “Motor Sport (feat. Nicki Minaj & Cardi B)”, o primeiro single do próximo álbum, o muito aguardado “Culture 2”. O trio constituído por QuavoOffset e Takeoff convidaram Nicki Minaj e Cardi B a participar no tema, dando as rappers rimas ferozes sobre a produção de Murda Beatz (Drake, Gucci Mane) e CuBeatz (Lil Uzi Vert). “Motor Sport” é um momento crucial na música moderna, juntando no mesmo tema duas das maiores rappers femininas do momento.

O tema sucede-se ao platinado álbum “Culture”, um ponto de viragem para o trio de Atlanta e para o hip hop em geral, tendo o disco entrado diretamente para o 1.º lugar lugar do top 200 da Billboard. Este feito confirmou o esforço do grupo em se manter sempre na vanguarda, um esforço que solidificou o seu papel como os artistas mais influentes do ano. Os seus flows idiossincráticos são agora ubíquos no espectro musical, enquanto o grupo se mantém no zeitgeist do hip hop. Este álbum seminal produziu singles platinados como “Bad and Boujee feat. Lil Uzi Vert", "T-Shirt" e “Slippery feat. Gucci Mane”. Com "Culture" os Migos passaram de um fenómeno da internet para as páginas da GQ, Rolling Stone, Atlantic Monthly ou para os palcos de programas como Saturday Night Live, The Tonight Show with Jimmy Fallon, Ellen e Jimmy Kimmel Live.

Donald Glover comparou os Migos aos “Beatles desta geração” nos Globos de Ouro de 2017, e o canal BET elegeu os Migos o Melhor Grupo do Ano nos BET Hip Hop Awards. Este fenómeno indubitavelmente entra em alta velocidade com o lançamento iminente do terceiro álbum de estúdio do grupo , que promete ser mais um sucesso de hip-hop, “Culture 2”.

 

 

publicado por olhar para o mundo às 00:13 | link do post | comentar
Terça-feira, 31.10.17

Jonas Blue lança vídeo para o novo single: “We Could Go Back”

jonas blue.jpg

 

Jonas Blue lança vídeo para o novo single: “We Could Go Back”

Produtor já soma mais de 3 mil milhões de streams em todo o mundo

Sem dúvida que Jonas Blue é a próxima superestrela global a surgir do Reino Unido. Este produtor, DJ e compositor incrivelmente talentoso acaba agora de lançar o vídeo do seu novo single, “We Could Go Back”.

Filmado em Tóquio e realizado por Masashi Muto, o vídeo acompanha a relação entre Jonas e uma outra pessoa por quem o produtor está apaixonado, rodeados de incríveis bailarinos contemporâneos.

 

Recentemente, Jonas Blue produziu o explosivo novo single de Craig David, “Heartline”, além de ter sido eleito um dos embaixadores do Reino Unido para os MTV European Music Awards, que serão entregues em novembro. O produtor ultrapassou ainda os 3 mil milhões de streams em todo o mundo.

Atualmente, Jonas Blue conta com 3 singles no top 5 dos mais vendidos no Reino Unido.
We Could Go Back” é mais uma excelente produção da sua autoria, com uma linha de guitarra luminosa e um baixo quente que se aliam na perfeição à voz melodiosa de Moelogo. Este tema hipnótico faz-nos lembrar os dias lentos de verão.

Tendo vendido quase 20 milhões de singles até à data, Jonas Blue continua a somar sucessos. O seu single de estreia, “Fast Car”, tornou-se o single mais vendido em todo o mundo em 2016 por um artista britânico estreante, além de lhe ter garantido duas nomeações para os Brit Awards – Melhor Single Britânico e Melhor Vídeo Britânico. O segundo single de Jonas, “Perfect Strangers”, com a participação de JP Cooper, conquistou galardões de platina em todo o mundo, enquanto o terceiro single, “By Your Side”, ajudou a lançar a carreira da artista britânica Raye. Mais recentemente, alcançou um sucesso monumental com o tema “Mama”, que vendeu mais de 850 mil cópias no Reino Unido.

Jonas Blue encontra-se de momento a trabalhar no seu álbum de estreia, que irá certamente afirmá-lo como um dos maiores nomes da música britânica contemporânea.

publicado por olhar para o mundo às 10:13 | link do post | comentar
Segunda-feira, 30.10.17

Gregory Porter lança “Nat King Cole & Me” amanhã

gregory.jpg

 

Gregory Porter lança “Nat King Cole & Me” amanhã

Oiça o tema “Smile” e veja aqui o trailer deste álbum de tributo a Nat King Cole

Esta sexta-feira o cantor, vencedor de dois Grammys, Gregory Porter lança o seu terceiro álbum pela Blue Note, “Nat King Cole & Me”, um tributo emotivo ao seu ídolo, o lendário cantor e pianista Nat King Cole. Com a ajuda de Vince Mendoza, arranjador que já venceu 6 Grammys, da London Studio Orchestra e de uma banda constituída pelo pianista Christian Sands, pelo contrabaixista Reuben Rogers e pelo baterista Ulysses Owens, Porter revisita alguns dos maiores clássicos de Cole, como “Mona Lisa”, “L-O-V-E”, “Nature Boy”, “The Christmas Song” ou “Smile”.

Para Gregory Porter, a influência de Nat King Cole na sua vida é muito profunda, fazendo parte das suas primeiras memórias de infância. “Ele era único. Deixou tanta música incrível, temas lindíssimos que se tornou impossível não ser influenciado pelo seu timbre extraordinário e pelo seu estilo”, Porter afirma. “É natural que vá às raízes da minha inspiração. E essas raízes seriam a minha mãe, a música gospel e Nat King Cole”.

 

Para Gregory Porter, a influência de Nat King Cole na sua vida é muito profunda, fazendo parte das suas primeiras memórias de infância. “Ele era único. Deixou tanta música incrível, temas lindíssimos que se tornou impossível não ser influenciado pelo seu timbre extraordinário e pelo seu estilo”, Porter afirma. “É natural que vá às raízes da minha inspiração. E essas raízes seriam a minha mãe, a música gospel e Nat King Cole”.

No início da carreira de Porter – depois do seu papel no musical “It Ain’t Nothin’ But the Blues”, nomeado para os Tony, mas antes de atingir aclamação crítica enquanto artista a solo – Poter dramatizou o seu profundo apreço por Cole num musical semiautobiográfico “Nat King Cole & Me”, que estreou em 2004.

 

“O musical foi a forma que encontrei de tentar chegar ao meu pai”, explica. “Escrevi-a depois do meu pai [Rufus Porter] ter morrido. O musical era do Nat King Cole; e metade da música eram composições originais minhas. Mas a história era sobre como cheguei à música de Nat devido à ausência do meu pai. Por isso, de certo modo, foi uma terapia e uma medicina emocional auto-prescrita e escrita por mim e para mim.”

O musical acaba por acompanhar “Nat King Cole & Me”, sucessor de “Liquid Spirit” (2013) e
Take Me To the Alley”, dois álbuns vencedores de Grammys que afirmaram Porter como uma superestrela global e um dos maiores cantautores jazz da sua geração.

“Comecei por selecionar as músicas como faço sempre, primeiro de uma forma muito emotiva", diz Porter. "Escolhi as músicas que ao longo dos anos foram significando algo para mim. Houve um período na faculdade, em que tive uma lesão no ombro e precisava de música para me acalmar. Nesse momento, acabei por voltar aos discos de Nat. Fiz o mesmo durante a morte da minha mãe. De certa forma, existe uma certa familiaridade na música de Nat. Gravar a música de Nat foi um processo muito pessoal porque era como se ouvisse e sentisse a minha mãe. E ainda sinto que estou à procura do meu pai.”

publicado por olhar para o mundo às 22:13 | link do post | comentar

Gal Costa em Portugal para comemorar 50 anos de carreira

gal costa.jpeg

 

 

Digressão Espelho  D'Água 


GAL COSTA 

10 e 11 de Novembro | Campo Pequeno

12 de Novembro | Coliseu Porto

 

COMEMORAÇÃO DOS 50 ANOS DE CARREIRA

 

10 e 11 de Novembro – Campo Pequeno
12 de Novembro – Coliseu Porto
 
E já no próximo dia 10 de Novembro que Gal Costa sobe ao palco do Campo Pequeno em Lisboa. A celebração dos 50 anos de carreira da cantora brasileira Gal Costa foi o mote para o seu regresso a Portugal, para três espetáculos únicos,  no ano em que comemora 72 anos de idade.

Para estes concertos intimista, Gal Costa traz na bagagem o seu mais recente disco “Estratoesférica” e promete revisitar um reportório infindável de canções, do qual se destacam temas como “Baby”“Meu bem, meu mal”“Modinha para Gabriela” ou “O meu nome é Gal.
 

publicado por olhar para o mundo às 21:13 | link do post | comentar

mais sobre mim

pesquisar neste blog

 

First Class Radio 

posts recentes

últ. comentários

  • Minha esposa dorme durante a relacao eu viro chego...
  • Minha esposa as vezes dorme , aí eu paro viro de l...
  • hmmm fixe! Será uma daquelas edições para colecion...
  • Interessante
  • gosto do suave tom da sua voz :)
  • Vou procurar para ouvir =)Beijinhos
  • Neste Natal só te desejo duas coisas: TUDO e NADA!...
  • Recomendadíssimo!!Para quem não conhece a sonorida...
  • Great article!

arquivos

tags

favoritos

subscrever feeds



blogs SAPO