Quarta-feira, 18.10.17

Cine'Eco Seia prossegue, mas sem festa

cineeco.jpg

 

 

Portugal está de luto pela tragédia dos fogos florestais.

A região Centro e Norte do país conheceu um dos seus dias mais trágicos com o flagelo dos fogos que lavraram neste mês de outubro atipicamente quente e ventoso. Quando ainda saramos as feridas do outro trágico fogo do mês de agosto que vitimou 64 pessoas num dia.

Neste momento de dor, curvamo-nos perante a memória das vítimas mortais e desalojadas, num clima de desolação e consternação.

Viveram-se dias de guerra em tempo de paz.

Seia foi um dos concelhos bastante afetado e não há memória de cenários dantescos, de pânico e de terror, pela fúria do fogo.

Uma tragédia ocorrida no segundo dia do festival de cinema de temática ambiental. E, por isso, o festival CineEco foi suspenso de imediato em memória das vítimas. Assim como, suspenso ficou o ambiente de festa que era suposto acontecer.

Contudo, e apesar desse ambiente de consternação, a direção do festival decidiu manter as sessões que estavam previstas, porque nos filmes em exibição se enaltece a necessidade de mudança para um mundo melhor. Porque os filmes exibidos alertam precisamente para o fenómeno das alterações climáticas, do aquecimento global e da necessidade de mudanças.

O festival cumpre serviço público e presta relevante contributo educativo em matéria ambiental, por isso, o melhor contributo nesta hora é dar expressão aos gritos de alerta que os filmes dão.

É difícil prosseguir em pleno campo de batalha a missão de alertar para a necessidade de mudança na relação do homem com a natureza. É o que acontece em Seia, entre escombros e dor, prosseguimos com a realização do CineEco, em homenagem aos que foram vitimas desta tragédia e em reconhecimento pela solidariedade prestada pelos convidados que vêm de vários países do mundo.

Sem festa, mas com redobrado serviço de missão, prossegue esta 23ª edição do CineEco, com a exibição de filmes que podem ajudar a mudar-nos e a mudar o mundo!

 

Seia, 18 de outubro de 2017

A Direção do Festival

O CineEco 2017, é organizado como habitualmente pelo município de Seia sendo este ano reforçado pela valorização dos recursos naturais preconizada pelo Festival iNATURE Serra da Estrela e que estará bem patente as atividades paralelas do Festival, como nas comemorações que antecedem a semana do CineEco.

O CineEco é um dos mais antigos festivais de cinema de ambiente do mundo e integra a Green Film Network, uma plataforma de 40 festivais, da qual é igualmente membro fundador.

publicado por olhar para o mundo às 21:13 | link do post | comentar
Terça-feira, 17.10.17

Banda Sonora do filme “Coco”, da Disney•Pixar

 

coco.jpg

 

Banda Sonora do filme “Coco”, da Disney•Pixar, nas lojas a 17 de novembro

Miguel e Natalia Laourcade interpretam o tema “Remember Me”

Coco” é um dos filmes de animação da Disney•Pixar mais aguardados da temporada e em breve será também editada a banda sonora. O filme conta com música original do compositor oscarizado Michael Giacchino, uma canção dos também oscarizados Kristen Anderson-Lopez e Robert Lopez, e canções compostas por Germaine Franco e pelo co-realizador e argumentista Adrian Molina. Também faz parte da equipa o consultor musical Camilo Lara, do Mexico Institute of Sound. Os cantores vencedores de Grammys Miguel e Natalia Lafourcade juntam-se para interpretar a canção dos créditos finais do filme, “Remember Me”. O disco será editado a 17 de novembro, sendo que a versão em CD já está disponível em regime de pré-venda.

Coco” conta a história de Miguel, de 12 anos, um aspirante a músico que ambiciona seguir o caminho do seu ídolo, apesar da sua família ter-lhe banido a música. “‘Coco’ tem a música no seu ADN”, disse o realizador Lee Unkrich.

Coco” conta com música original do compositor Michael Giacchino, que compôs a banda-sonora do premiado filme da Disney•Pixar “Up”. “Quando vi o ‘Coco’ surgiu-me um mosaico de emoções”, disse Giacchino. “Fez-me pensar na minha família e nas minhas relações com os meus familiares em Itália. O filme fala a todas as pessoas.”

 

 

 

Giacchino trabalhou com Franco, que compôs a banda sonora de “Dope” (2015), para supervisionar as orquestrações e concretizar um som específico e envolvente. Franco explorou uma vasta gama de sonoridades e instrumentos tipicamente mexicanos, incluindo um guitarrón, a harpa folclórica, uma quijada, charchetas, jaranas, requintos, marimba, entre outros instrumentos.

A banda sonora foi gravada em agosto com uma orquestra de 83 elementos.

Coco” conta ainda com várias canções tradicionais mexicanas, que dão vida à cidade natal de Miguel, Santa Cecilia. Franco e o consultor musical Camilo Lara, do Mexian Institute of Sound, foram desafiados a criar um mapa sonoro do mundo de Miguel, com a ajuda dos consultores culturais Benjamín Juárez Echenque e Marcela Davison Avilés.

Já Kristen Anderson-Lopez e Robert Lopez, os autores da canção vencedora de um Óscar “Let it Go”, de “Frozen”, assinam o tema “Remember Me”, cuja versão nos créditos finais é interpretada por Miguel e Natalia Lafourcade, sendo produzida por Miguel e Steve Mostyn. “A canção é especial porque é sobre a família e lembrarmo-nos de onde viemos”, afirma Miguel, que venceu o seu primeiro Grammy em 2013.

Entre as canções originais que integram também a banda sonora de “Coco” estão “Un Poco Loco”, “Everyone Knows Juanita”, “The World Es Mi Familia” e “Proud Corazón”, que dão cor à história inspiradora da personagem Miguel e do filme “Coco”.

O disco chega às lojas no próximo dia 17 de novembro, enquanto o filme estreia a 23 de novembro.

 

publicado por olhar para o mundo às 22:13 | link do post | comentar
Terça-feira, 10.10.17

Documentário sobre Terry Jones em Crowdfunding

citizen jones.png

 

 

Documentário sobre Terry Jones em Crowdfunding

O documentário “Citizen Jones”, do realizador Frederico Corado encontra-se neste momento com uma campanha de crowdfunding aberta na plataforma PPL.

Em Dezembro de 2007, Terry Jones, estava em Lisboa, no São Luiz Teatro Municipal a encenar o seu espectáculo “Evil Machines”, com música de Luís Tinoco, direcção musical de Cesário Costa, figurinos Vin Burnham.

Frederico Corado, acompanhou os ensaios com a sua câmara, e durante esse período teve a oportunidade de falar durante algum tempo com Terry Jones, propondo-lhe a possibilidade de fazer um pequeno filme sobre a construção do espectáculo e sobre o próprio Terry Jones.

Gravou-se uma longa entrevista mas o filme nunca foi concluído por falta de financiamento. Hoje, 10 anos depois, procuramos conseguir terminar o filme que conta na voz da primeira pessoa a história da carreira de Terry Jones.  

Pela conversa passam os Monty Python, os filmes, a universidade, o teatro, as relações familiares, com os amigos, os colegas, a música, Inglaterra, Eric Idle, Graham Chapman, John Cleese, Michael Palin, os surrealistas, os Irmãos Marx, Rupert The Bear, Spike Milligan, Lewis Carroll e tanto tanto mais.

É para a conclusão deste projecto que se encontra aberta uma campanha de crowdfunding aberta na plataforma PPL emhttps://ppl.com.pt/prj/citizen-jones, onde todos podem colaborar com valores a partir de 1€ e receber recompensas que vão desde o nome no genérico ao DVD do filme, entre muitas outras.

O financiamento dado pelos apoiantes através destas plataformas veio transformar o cinema independente e viabilizar alguns projectos que nunca teriam a possibilidade de encontrar financiamento em meios mais tradicionais.

“Citizen Jones”

Realização: Frederico Corado; Operação Câmara: Frederico Corado e Nuno Bernardo; Edição: Frederico Corado e Hélder Magalhães; Pós-Produção: Hélder Magalhães; Produção da Área de Serviço

publicado por olhar para o mundo às 09:13 | link do post | comentar
Segunda-feira, 09.10.17

CineEco arranca este sábado em Seia com 100 filmes em competição

cineeco.jpg

 

 
CineEco arranca este sábado em Seia com 100 filmes em competição
 

Tudo pode mudar: Oceanos, Clima e Economia é a proposta da edição 2017 do CineEco Seia, a ter lugar entre 14 e 21 de Outubro na cidade beirã. Inspirada numa das mais importantes obras sobre alterações climáticas, de Naomi Klein, o Festival Internacional de Cinema Ambiental da Serra da Estrela contará com 100 filmes em competição, oriundos de mais de 25 países.

Em destaque a estreia absoluta em Portugal do filme do Al Gore. Uma Verdade (Mais) Inconveniente, de Bonni Cohen e Jon Shenk, com Al Gore, passa a 18 de Outubro. O filme dá sequência ao documentário de 2006 no qual o ex-vice-presidente dos Estados Unidos faz uma análise sobre a crise climática mundial. Após a decisão de Donald Trump em retirar os Estados Unidos do Acordo de Paris, Al Gore, ex-vice-presidente do país e protagonista do documentário pronunciou-se nas suas redes sociais criticando a decisão. O filme mostra a negociação feita há um ano e meio envolvendo 200 países, com o objetivo de impedir o avanço do aquecimento global através da redução das emissões de gases poluentes na atmosfera.

Em competição estará A Idade das Consequências, de Jared P. Scott, que investiga como a mudança climática afeta a escassez de recursos, a migração e o conflito através da lente da segurança nacional dos EUA e da estabilidade global. Rio Azul: Pode a Moda Salvar o Planeta?, de David McIlvride, Roger Williams, mostrará a forma como a indústria da moda, dos tecidos e dos jeans se tornaram nas grandes poluidoras das águas e do ambiente. Acompanhando as notícias recentes sobre a poluição dos Oceanos,Ondas Brancas, de Inka Reichert mostra o combate e a reação dos surfistas de vários pontos do globo, contra a inadvertida contaminação dos oceanos. Ainda no tema dos oceanos, Perseguindo Corais, de Jeff Orlowski viaja pelo mundo mostrando como os recifes estão a desaparecer a uma taxa sem precedentes.

O ponto de encontro para o CineEco Seia volta a ser a Casa da Cultura de Seia, que albergará uma vasta programação de longas, curtas, documentários, reportagens de televisão, a par de uma competição dedicada aos filmes lusófonos, da região e um programa de sessões especiais. O festival abre no Sábado às 18 horas, com A Odiseia, de Jérôme Salle, uma sessão especial sobre a vida de Jacques-Yves Cousteau, sendo que a abertura oficial está reservada para as 21:30 horas, com a exibição do histórico filme Os Lobos, de Rino Lupo, musicado ao vivo pelo pianista Nicholas McNair.

O CineEco 2017, e organizado como habitualmente pelo Municipio de Seia sendo este ano reforçado pela valorização dos recursos naturais preconizada pelo Festival iNATURE Serra da Estrela e que estará bem patente as atividades paralelas do Festival, bem como nas comemorações que antecedem a semana do CineEco.

O CineEco e um dos mais antigos festivais de cinema de ambiente do mundo e integra a Green Film Network, uma plataforma de 40 festivais, da qual e igualmente membro fundador.

publicado por olhar para o mundo às 23:13 | link do post | comentar
Segunda-feira, 25.09.17

“ALGUÉM COMO EU” - Um filme de Leonel Vieira

alguém como eu.jpg

 

ALGUÉM COMO EU
Um filme de Leonel Vieira

12 de Outubro nos cinemas

 

A comédia romântica do ano filmada entre o Rio de Janeiro e Lisboa com Paolla Oliveira e Ricardo Pereira

 

O primeiro lançamento “blockbuster falado em português


ALGUÉM COMO EU, o mais recente filme de Leonel Vieira, (realizador de “Pátio das Cantigas”, o filme português mais visto de sempre - 610.000 espectadores), estreia já no próximo dia 12 de Outubro.

Uma comédia romântica que terá o maior lançamento comercial em sala de um filme falado em Português, nos mercados de Portugal e Brasil.

A NOS Audiovisuais e a Paris Filmes, as duas maiores distribuidoras dos dois mercados, são parceiras deste projeto, que inaugura um novo caminho para a comercialização bilateral do cinema nos dois países. Está também assegurada a emissão do filme no circuito de TV, através de uma parceria com a Telecine, a maior rede de canais de cinema do Brasil.

O ator Ricardo Pereira e a atriz brasileira Paolla Oliveira são os protagonistas desta estória, que conta com alguns dos mais prestigiados atores portugueses e brasileiros.
José Pedro Vasconcelos, Sara Prata, os atores brasileiros Júlia Rabello (Porta dos Fundos) e Arlindo Lopes, e o ator português José Martins formam o elenco do filme que conta ainda com a participação especial de Paulo PiresEduardo Madeira, Manuel MarquesDânia Neto e da fadista Mariza.

ALGUÉM COMO EU, sem subsídios do Instituto de Cinema de Portugal, é o primeiro filme luso-brasileiro onde cada produtora participa com 50% do financiamento. A STOPLINEdesenvolveu este ambicioso projeto com a prestigiada produtora GULLANE de São Paulo, que produziu mais de 40 longas-metragens, algumas em parceria com estúdios americanos, como WARNER, SONY, DISNEY, FOX e UNIVERSAL. Os filmes da GULLANE já estiveram 15 vezes na seleção nos maiores festivais do mundo, como CANNES, VENEZA, BERLIN e SUNDANCE. Em 2017, BINGO - O REI DAS MANHÃS,  foi escolhido para representar o Brasil na corrida ao OSCAR de melhor filme estrangeiro e também para melhor filme latino americano nos prêmios GOYA.

 

 

 

SINOPSE

Helena, uma jovem mulher de 30 anos, toma uma decisão que mudará o resto da sua vida: viver em Lisboa, ser solteira, inteligente e indisponível.
 
Mas como todos nós Helena não controla o destino e dá de caras com a última pessoa que queria: o homem da sua vida.

 Aquilo que parecia ser um ano longe de aventuras amorosas e de puro enriquecimento pessoal transforma-se num louco e imprevisível teste ao seu quociente de inteligência emocional.
 
O maior problema é quando Helena pede a Deus uma preciosa ajuda: ela só queria um homem mais parecido com ela.
 
Isso passa a ser uma combinação de duas coisas: um homem e uma mulher.
 
Será que Helena está preparada para uma relação a três?

publicado por olhar para o mundo às 23:13 | link do post | comentar
Terça-feira, 12.09.17

Filme da economista Naomi Klein marca apresentação do Cine'Eco Seia

cineeco.png

 

Filme baseado na obra de Naomi Klein marca apresentação do festival

 
 

Tudo pode mudar: Oceanos, Clima e Economia é a proposta da edição 2017 do CineEco Seia, a ter lugar entre 14 e 21 de Outubro na cidade beirã. Inspirada numa das mais importantes obras sobre alterações climáticas, Tudo Pode Mudar: Capitalismo vs Clima de Naomi Klein, o Festival Internacional de Cinema Ambiental da Serra da Estrela aponta assim a uma reflexão em torno da criação de um sistema social e económico próspero que abrace a sustentabilidade.

Recorde-se que Naomi Klein é, aos nossos dias, uma das mais reputadas pensadoras sobre os impactos da globalização e do capitalismo no crescimento sustentável e justo do planeta e da economia. Activista, escritora e realizadora, Klein é tida como uma das vozes mais influentes nas questões relacionadas com o clima, tendo reunido prémios e atenção mediática em torno da sua obra.

This Changes Everything, o documentário de Avi Lewis inspirado na obra da canadiana, representa uma épica tentativa de reflexão sobre os desafios impostos pelas alterações climáticas. Rodado em 211 dias, em nove países e 5 continentes, a longa apresenta nove retratos poderosos sobres comunidades fronteiriças mundiais, acompanhados pelos comentários críticos da famosa economista mundial, construindo uma prolífica linha de argumentação sobre a ideia de que é possível parar a crise das alterações climáticas através do redesenho do sistemas económico e social falhado proposto pela sociedade ocidental. O filme será exibido esta sexta-feira, pelas 21h30, no Auditório da Casa Municipal de Cultura de Seia, naquela que será a sessão oficial de apresentação do festival.  

Uma Verdade Inconveniente em antestreia nacional no Cine'Eco Seia

A sequela do documentário Uma Verdade Inconveniente, obra que aborda os perigos do aquecimento global e que tem como figura condutora o ex-vice-presidente americano Al Gore, é um dos destaques das sessões especiais do CineEco Seia. Uma Sequela Inconveniente: A Verdade Para o Poder segue os esforços de Al Gore na sua tentativa de persuadir os mais importantes líderes governamentais mundias a investirem na utilização de energias renováveis culminando com a assinatura do Acordo de Paris.

O ponto de encontro para o CineEco Seia volta a ser a Casa da Cultura de Seia, que, entre 14 e 21 de Outubro, albergará uma vasta programação de longas, curtas, documentários, reportagens de televisão, a par de uma competição dedicada aos filmes lusófonos da região e um programa de sessões especiais. No total serão mais de 100 filmes em competição, oriundos de mais de 25 países.

 

O CineEco 2017, é organizado como habitualmente pelo município de Seia sendo este ano reforçado pela valorização dos recursos naturais preconizada pelo Festival iNATURE Serra da Estrela e que estará bem patente as atividades paralelas do Festival, como nas comemorações que antecedem a semana do CineEco.

O CineEco é um dos mais antigos festivais de cinema de ambiente do mundo e integra a Green Film Network, uma plataforma de 40 festivais, da qual é igualmente membro fundador.

publicado por olhar para o mundo às 22:13 | link do post | comentar
Segunda-feira, 11.09.17

Revelados os vencedores dos Prémios MOTELX 2017

motlx.png

 

 

A 11.ª edição do MOTELX – Festival Internacional de Cinema de Terror de Lisboa chegou ao fim este Domingo depois de nos últimos seis dias ter acolhido milhares de pessoas no Cinema São Jorge, no Teatro Tivoli BBVA, no Museu Coleção Berardo e na Cinemateca Júnior.

“Thursday Night” de Gonçalo Almeida é o grande vencedor do Prémio MOTELX – Melhor Curta de Terror Portuguesa/Méliès d’Argent 2017. O júri composto pela actriz Maria João Bastos, o músico Carlão e o realizador Can Evrenol decidiu atribuir o prémio a esta curta-metragem “pela história, pela direcção, pela fotografia e pelos actores”, acrescentando que se trata de “um filme que nos marcou muito, que consideramos único e que certamente ficará na nossa memória”. Uma história de fantasmas só com animais, “Thursday Night” foi inspirado pelo álbum “Thursday Afternoon” de Brian Eno. O júri decidiu ainda atribuir uma Menção Especial a “Depois do Silêncio” de Guilherme Daniel, cujo trabalho de “argumento e fotografia” considerou “muito promissor”.

O Prémio MOTELX - Melhor Curta de Terror Portuguesa/Méliès d’Argent é o maior prémio para curtas-metragens em Portugal: são 5000€ a que se juntam mais 5000€ em serviços pós-produção Kino Sound Studio e um fim-de-semana de inspiração nos hotéis Belver. Desde a sua criação em 2009 já foram exibidos no Festival mais de cem filmes de terror portugueses em antestreia mundial, cumprindo um dos principais objectivos do MOTELX: o incentivo à produção nacional de cinema de terror. “Thursday Night” fica ainda automaticamente seleccionada para o Prémio Méliès d’Or, que será atribuído pela Federação Europeia de Festivais de Cinema Fantástico em Novembro, na cidade de Trieste.

Na competição internacional, “Cold Hell” de Stefan Ruzowitzky venceu o Prémio MOTELX – Melhor Longa de Terror Europeia /Méliès d’Argent 2017. Uma decisão que o júri composto pelo crítico Kim Newman e os actores Rogério Samora e Iris Cayatte considerou “clara” devido à sua “relevância contemporânea, acção emocionante e imaginativa e excelentes performances de todo o elenco”. “Cold Hell” é um thriller político passado numa Alemanha multicultural que conta a história de uma jovem taxista de origem turca perseguida por um assassino em série. “Filme excepcional que combina elementos do serial killer thriller com o terror”, esta é a mais recente longa-metragem de Ruzowitzky, que em 2008 venceu o Óscar para Melhor Filme Estrangeiro com “The Counterfeiters”. O realizador e a actriz Violetta Schurawlow estiveram presentes na Sessão de Encerramento do MOTELX para receber o Prémio.

A competição de longas-metragens europeias foi inaugurada em 2016 e teve este ano oito filmes a concurso. “Cold Hell” sucede ao checo “The Noonday Witch” de Jiří Sádek e fica nomeado para o Prémio Méliès d’Or, à semelhança da curta “Thursday Night”.

publicado por olhar para o mundo às 22:13 | link do post | comentar
Domingo, 10.09.17

Trent Reznor (Nine Inch Nails) e Atticus Ross compõem banda sonora da série “The Vietnam War”

trenton.png

 

Trent Reznor (Nine Inch Nails) e Atticus Ross compõem banda sonora da série “The Vietnam War”

Disco será lançado a 15 de setembro, juntamente com uma segunda banda sonora com canções dos Beatles, Rolling Stones, entre outros

The Vietnam War” é uma nova série televisiva realizada por Ken Burns e Lynn Novick e a 15 de setembro serão editadas duas bandas sonoras para acompanhar a estreia da série.

“The Vietnam War – Original Score by Trent Reznor & Atticus Ross” contém 90 minutos de música original, disponível num duplo CD e num triplo LP, escrita e gravada por Trent Reznor (Nine Inch Nails) e Atticus Ross, ambos compositores premiados nos Óscares. Simultaneamente, o duplo CD “The Vietnam War – The Soundtrack” contém muitas das canções icónicas que representam a época que a série aborda, incluindo 38 temas escolhidos a partir dos 120 que se ouvem nesta produção. A banda sonora inclui: The Beatles, Crosby, Stills, Nash & Young, Rolling Stones, Bob Dylan, Jimi Hendrix, Buffalo Springfield, Simon & Garfunkel, Janis Joplin, Phil Ochs, TheTemptations, Barry McGuire, The Byrds, Otis Redding, The Animals, Santana, Marvin Gaye, Nina Simone, Booker T and the M.Gs, Pete Seeger, entre outros.

“A época da Guerra do Vietname produziu alguma da melhor e mais importante música alguma vez gravada. Somos gratos que tantos artistas dessa época tenham querido fazer parte da série e da banda sonora. Somos igualmente sortudos por ter a honra tremenda de poder trabalhar com Trent e Atticus. A sua banda sonora original complementa de forma perfeita as música que se ouvem de tempos a tempos. E estamos muito entusiasmados que o público tenha a oportunidade de ter a banda sonora, juntamente com alguma da melhor música da série”, afirmaram Ken Burns e Lynn Novick num comunicado conjunto.

Através de uma narrativa imersiva, Burns e Novick contam a história épica da Guerra do Vietname como nunca foi contada até hoje. “TheVietnam War” conta com testemunhos de quase 80 testemunhas, incluindo muitos americanos que lutaram na guerra e outros que se opuseram ao conflito, bem como combatentes vietnamitas e civis de ambos os lados da guerra. 

“Estamos incrivelmente gratos por podermos participar neste projeto. Com ‘The Vietnam War’, o Ken, a Lynn e a Sarah criaram algo de uma importância vital. Ser uma testemunha do seu processo foi imensamente inspirador”. “Inicialmente, a grande escala deste projeto, combinada com a magnitude do assunto, foi um pouco assustadora para nós, mas o nível de compromisso, cuidado e reverência que eles demonstraram tornou a experiência profundamente satisfatória a vários níveis”, disse Trent Reznor e Atticus Ross num comunicado conjunto.

Acompanhando a série, será editado um livro escrito por Geoffrey C. Ward, com introdução de Ken Burns e Lynn Novick, sendo publicado por Alfred A. Knopft, editor de longa data de Burns.

“The Vietnam War” estará disponível em Blu-ray e DVD a partir de 19 de setembro em shopPBS.org. O DVD e Blu-ray incluem 45 minutos de extras com dois segmentos especiais sobre a vida atual de dois participantes do programa, bem como cenas que não foram incluídas na série. “The Vietnam War” estará também disponível para download.

publicado por olhar para o mundo às 23:13 | link do post | comentar
Terça-feira, 05.09.17

MOTELX 2017: 11.ª edição começa já esta terça-feira

motelx.png

 

MOTELX 2017: 11.ª edição começa já esta terça-feira

O MOTELX – Festival Internacional de Cinema de Terror de Lisboa arranca já esta terça-feira, 5 de Setembro, com a exibição de “Super Dark Times” de Kevin Phillips. A Sessão de Abertura contará com a presença do Senhor Secretário de Estado da Cultura, Dr. Miguel Honrado. Até 10 de Setembro serão exibidos mais de 100 filmes em 74 sessões, numa edição que é marcada pelo tema “O Estranho Mundo do Terror Latino” (programação associada a Lisboa, Capital Ibero-americana de Cultura 2017) e pela presença de Roger Corman e Alejandro Jodorowsky.

Destaques da programação

Terça-feira, 5 de Setembro
No primeiro dia de MOTELX, antes ainda da sessão esgotada de “Super Dark Times”, filme que já atraiu comparações com “Donnie Darko”, destaque para a inauguração da exposição “Os Labirintos de Horror de Edgar Allan Poe”, que dá a conhecer as 28 ilustrações feitas por autores nacionais para a colectânea de contos que será lançada pela editora Saída de Emergência durante o Festival (quinta-feira, às 19h). A noite termina com “The Limehouse Golem”, revisitação feminista do mito de Jack, O Estripador que conta com Bill Nighy no papel principal e passa às 00h15 na Sala 3 do Cinema São Jorge.

Quarta-feira, 6 de Setembro
Quarta-feira é dia de conversa com Roger Corman moderada por Spoiler Alert, seguida de sessão de autógrafos (19h00, Sala 2 do Cinema São Jorge). Corman, convidado de honra do Festival, apresenta o seu filme “X: The Man with the X-Ray Eyes” na Sala 3 às 21h25. A não perder também “The Bar”, último do mestre Álex de la Iglesia, e “Kuso”, o inclassificável primeiro filme do músico Flying Lotus (19h00 e 00h05 na Sala Manoel de Oliveira, respectivamente).

Quinta-feira, 7 de Setembro
Para o terceiro dia, quinta-feira, está reservado um dos filmes mais aguardados do MOTELX: “The Untamed”, de Amat Escalante, história de terror sobrenatural que valeu ao realizador mexicano o Leão de Prata no último Festival de Veneza. Passa às 16h40 na Sala Manoel de Oliveira. Roger Corman recebe a distinção “MOTELX – Mestre de Terror” às 21h30 no Teatro Tivoli BBVA e apresenta “The Masque of the Red Death”. À mesma hora na Sala Manoel de Oliveira há “The Bad Batch”, odisseia pop pós-apocalíptica da realizadora Ana Lily Amirpur cujo elenco conta com Keanu Reeves e Jim Carrey.

Sexta-feira, 8 de Setembro
Sexta-feira começa com a exibição, pela primeira vez em sala, do filme de animação “O Livro da Vida” seguida de uma conversa com o Prof. Eduardo Sá (Teatro Tivoli BBVA, 10h30) e acaba com o grande êxito coreano “Train to Busan” de Yeon Sang-ho em sessão dupla com “Game of Death” de Sébastien Landry e Laurence Baz Morais (Sala Manoel de Oliveira, 00h00). Pelo meio há sessão especial de “Excitação” de Jean Garret, o “menino de ouro” do cinema exploitation paulistano dos anos 70 (19h25, Sala 3), e “Lowlife”, a aclamada primeira longa-metragem de Ryan Prows (21h30, Sala Manoel de Oliveira).

Sábado, 9 de Setembro
O fim de semana é marcado pela presença do convidado de honra Alejandro Jodorowsky, que sobe ao palco do Teatro Tivoli BBVA no sábado para apresentar “Santa Sangre” e receber o galardão “MOTELX – Mestre de Terror” às 19h00. Antes estará em conversa com o crítico Kim Newman e dará uma sessão de autógrafos (17h30, Sala 2). No mesmo dia destaca-se a exibição de “Boys in the Trees” do australiano Nicholas Verso, e “Cold Hell”, o mais recente filme de Stefan Ruzowitzky (vencedor do Óscar para Melhor Filme Estrangeiro em 2007), ambos na Sala Manoel de Oliveira (16h40 e 21h35, respectivamente). A noite prolonga-se com It’s Alive!, uma maratona de escrita de terror fora de horas que ocupa a Sala 2 do Cinema São Jorge até às 2h00.

Domingo, 10 de Setembro
No último dia do Festival, domingo, oportunidade para ver “El Topo” em 35mm com apresentação de Jodorowsky (16h05, Sala Manoel de Oliveira), bem como uma raríssima sessão da coprodução luso-espanhola de 1978 “O Espírita” (19h00, Sala 2). Espaço ainda para uma leitura ao vivo do argumento de “Linhas de Sangue” (previsto para 2018) com Rita Blanco, Pêpê Rapazote, Soraia Chaves, José Raposo e muitos outros actores conhecidos do grande público (17h30, Sala 2).

O MOTELX termina em grande com “IT” de Andy Muschietti na Sessão de Encerramento (21h00, Sala Manoel de Oliveira). Esta é a muito aguardada adaptação do best-seller de Stephen King que trouxe ao mundo o palhaço maléfico Pennywise e que bateu recordes com o trailer mais visto de sempre no dia de lançamento. Os vencedores dos Prémios MOTELX – Melhor Curta de Terror Portuguesa/Méliès d’Argent e Melhor Longa de Terror Europeia/Méliès d’Argent serão revelados durante a cerimónia, que contará com a presença de Roger Corman e Alejandro Jodorowsky, bem como dos jurados Kim Newman, Rogério Samora, Maria João Bastos, Carlão, Iris Cayatte e Can Evrenol.

A programação completa do MOTELX está disponível em www.motelx.org.

publicado por olhar para o mundo às 00:13 | link do post | comentar
Sexta-feira, 04.08.17

FEST e Coca-Cola levam cinema a Paredes de Coura

fest.png

 

 
FEST – Coca-Cola Cool Down

13 – 15 de Agosto de 2017

Praia Fluvial do Tabuão | Festival Vodafone Paredes de Coura

 

O FEST – Coca Cola Cool Down, a jeito de pós-fest, sobe ao palco Jazz na Relva durante os dias 13, 14 e 15 de Agosto, com actividades que começam às 19h e permitem à população e campistas já instalados participarem em actividades cinematográficas entre concertos. O programa inclui ambiciosos filmes do universo FEST, bem como conversas descontraídas com convidados FEST: profissionais nacionais e internacionais do mundo do cinema.
As actividades vão de encontro àquele que foi o lema do festival de cinema, que terminou em Junho: “Stop Oppression, Stop Regression, Stop Agression”. Os filmes exibidos abordam temas como a sobrepopulação, o direito à manifestação pacífica, bem como as consequências da austeridade económica. Documentário, drama e comédia garantem um início de noite irreverente, com olhares frescos de realizadores que não baixam os braços face à adversidade.
Não faltará diversão, introspecção e, claro, pipocas, neste evento apoiado pela Coca-Cola, que assim destaca os novos realizadores e se alia à promoção do cinema independente.


PROGRAMA


13 de Agosto
19h – Conversa com Ruth Llopis | Actriz e Produtora
21h – Exibição “The One Eyed King” | Marc Cruhuet | ES | 85’


14 de Agosto
19h – Conversa com Peter Webber | Realizador
21h – Exibição “10 Billion” | Peter Webber | UK | 83’


15 de Agosto
19h – Conversa com Ricardo Leite (Prémio da Audiência FEST 2017)
21h – Exibição “A Instalação do Medo” | Ricardo Leite | PT | 14´
         “São Jorge” | Marco Martins | PT | 112’


 

publicado por olhar para o mundo às 11:13 | link do post | comentar

mais sobre mim

pesquisar neste blog

 

First Class Radio 

posts recentes

últ. comentários

  • Minha esposa dorme durante a relacao eu viro chego...
  • Minha esposa as vezes dorme , aí eu paro viro de l...
  • hmmm fixe! Será uma daquelas edições para colecion...
  • Interessante
  • gosto do suave tom da sua voz :)
  • Vou procurar para ouvir =)Beijinhos
  • Neste Natal só te desejo duas coisas: TUDO e NADA!...
  • Recomendadíssimo!!Para quem não conhece a sonorida...
  • Great article!

arquivos

tags

favoritos

subscrever feeds



blogs SAPO