Sábado, 18.05.13

Estímulos - Aumente a sua libido

Aumente a sua libido

Combata os inimigos do desejo sexual num plano de sete dias

 

A rotina, a chegada dos filhos, o trabalho, os problemas de dinheiro e os imprevistos podem desligar o botão do desejo.

 

Até a intimidade pode ser uma verdadeira armadilha para a libido.

 

Quando há um excesso de confiança, há o risco do outro passar a ser um dado adquirido e de o casal deixar de investir na relação.

 

A sexóloga Vânia Beliz propõe um plano de sete dias que a vai ajudar a recuperar o desejo e a vontade de voltar a desfrutar do sexo em toda a sua plenitude:

 

 

Dia 1: Reflita 


Identifique os problemas e possíveis soluções. Explore as suas zonas de prazer. Conheça-se para depois indicar o caminho.

 

Dia 2: Transforme-se 


Reveja o seu guarda-roupa, a lingerie, faça a depilação, maquilhe-se… Imagine-se irresistível. Se estiver em sintonia com o seu corpo vai estar mais disponível.

 

Dia 3: Fantasie 


Arranje tempo para pensar sobre sexo. Pense numa fantasia, imagine uma posição… depois mostre ao seu parceiro o que descobriu.

 

Dia 4: Brinque 


Reserve um momento do dia para brincar sozinha ou a dois. Use as suas mãos ou um brinquedo (só para si ou que possa ser partilhado).

 

Dia 5: Namore 


Tire o dia ou reserve parte dele para um programa especial. Não se esqueça que um dia já foi assim. Porquê deixar arrefecer a chama?

 

Dia 6: Surpreenda


Surpreenda o seu companheiro com um convite ousado e concretize-o. Se esperar pelo dia certo, nunca vai acontecer…

 

Dia 7: Entregue-se 


Liberte todos os seus desejos mais íntimos, diga exatamente o que quer e como gosta, tome a iniciativa… Reclame o seu prazer!

 

Retirado do Sapo Mulher

publicado por olhar para o mundo às 21:32 | link do post | comentar
Sexta-feira, 26.04.13

Sexo - Reconquiste o prazer em sete dias

Reconquiste o prazer em sete dias

O plano de uma sexóloga que vai (re)aproximar o casal

Lembra-se da última vez que teve uma noite daquelas com o seu companheiro? Se não, siga o plano de sete dias da sexóloga Vânia Beliz e recupere o desejo sexual numa semana. A Saber Viver testou-o e conta-lhe tudo.

 

«Queres matar-me?!», retorquiu. Foi assim, em jeito de brincadeira, que o meu marido reagiu quando lhe disse que íamos entrar no programa de recuperação da vida sexual traçado pela sexóloga Vânia Beliz, autora do livro «Ponto Quê?» (Objectiva).

 

Um plano que promete, numa semana, levar a satisfação do casal aos píncaros. «Mas temos de fazer todos os dias?», questionou de imediato, denunciando algumas reticências. E, desta forma, sem mais nem menos, tínhamos identificado o que nos desviou do caminho da satisfação sexual, tal como é solicitado no primeiro dia do plano.

 

Dia 1: Refletir


«Cansaço», dissemos em uníssono. Afinal, fomos pais há nove meses e ainda não recuperámos das noites em branco. Longe disso. Ainda hoje dormimos de quatro em quatro horas e estamos sem esperança de voltar a dormir, sem interrupções, nos próximos meses. Os mais otimistas dizem que tudo passa depois do primeiro aniversário. Vamos acreditar. Após apontarmos a fadiga como razão principal por trás deste distanciamento, continuo interessada em apurar mais pormenores.

 

Das tardes inteiras de sexo no sofá da sala passámos a dias, até semanas, sem nos tocarmos. Amuados um com o outro, irritados, até. Porquê? Eu, porque passo o dia inteiro entre fraldas e biberões, ele porque chega do trabalho cansado e eu ainda lhe exijo ajuda. Isto a somar àqueles dias em que quero atenção, como mulher, e ele agarra-se ao comando da televisão.

 

Ele, porque quer sair com os amigos e eu não aprovo ou porque, muitas vezes, chega a casa e o seu lado da cama está ocupado pela filha. Nesta noite, prometi fazer um esforço e não deitei a Madalena (nome fictício) na nossa cama, também decidi controlar a minha fúria com as (poucas) saídas dele. Ele fez o seu papel e tratou dos biberões. Dormi como um anjo.

 

Dia 2: Transformar-se


Acordámos animados, como há muito tempo não acontecia. A decisão de recuperar a nossa vida sexual depressa se tornou numa prioridade. Depois de identificar o problema que, no nosso caso, foi muito fácil, cansaço, empenhei-me a cumprir as ordens da sexóloga («transforme-se») e, ao segundo dia, subi à elíptica e pedalei meia hora, no final do dia, ainda marquei uma esfoliação corporal, uma massagem e troquei o verniz das unhas. Senti-me revigorada. Cheia de vontade de recomeçar.

 

Nesse dia, sentei-me no chão do quarto com a gaveta da roupa interior espalhada. Dividi a lingerie e troquei-lhe os lugares. Para a frente passaram as cuecas de renda, com pérolas e transparências, para trás, ficaram as básicas. E, nesse mesmo dia, esperei-o com o babydoll de renda preta, que me tinha oferecido no aniversário e eu nunca tinha usado. Matámos as saudades e começamos a lidar melhor um com o outro. Afinal, já nem me lembrava da nossa última noite de sexo…

 

Dias 3 e 4: Fantasiar e brincar


O terceiro dia sugere-nos fantasiar. Foi, talvez, a parte mais difícil. A falta de tempo e de imaginação atraiçoaram-me. Lembrei-me, contudo, de um livro, da Natália Correia, que me ofereceram no meu 30.º aniversário, «Poesia Portuguesa Erótica e Satírica» (Antígona). Arrumei-o na mesa de cabeceira, em cima do «O Grande Livro do Bebé» (A Esfera dos Livros) e, depois da casa estar em silêncio, li alguns poemas para ele. Ficámos mais próximos. Ainda nos rimos e viajámos com as rimas.

 

Ao fim do terceiro dia, começámos a falar de sexo como nos velhos tempos. Renasceu a vontade de estarmos a sós e a nossa relação mostrou-se mais sólida. Até parece que a Madalena. Percebeu e começou a dar-nos mais descanso. Contudo, ao fim do terceiro dia, confesso que ainda hesitava entre uma noite de sono e uma noite de sexo. Mesmo assim, no dia 4, fui à sex shop comprar as bolas chinesas, mais conhecidas como as bolinhas do amor.

 

Há muito tempo que falava em experimentar, mas surgiam outras prioridades. Fiquei excitada com a ideia de fazer algo novo. Mais picante. Enviei-lhe uma fotografia minha, em lingerie, com uma mensagem provocadora. Eu sabia que era um dia de stress para ele e foi uma excelente maneira dele descontrair antes de chegar a casa.

 

E assim foi, chegou mais cedo do que o habitual e a reivindicar a minha promessa. Mas a nossa filha não nos deu hipótese. Foi uma daquelas noites malvadas, a chorar de hora em hora e quando conseguimos ficar sozinhos só pensámos em dormir. Esquecemos o plano, as bolinhas do amor, o sexo e a lingerie. Dormir foi mesmo a palavra de ordem.

 

Dias 5 e 6: Namorar e surpeender


No dia seguinte, antes dele ir trabalhar, já com o sono recuperado, sugeri sairmos só os dois, nessa noite. Combinei com a minha mãe ficar com a Madalena e fui buscá-lo ao trabalho. Calcei os meus botins pretos de salto alto, vesti a minha minissaia de lantejoulas e apareci pontualmente ao pé dele. Jantámos num dos nossos restaurantes preferidos e fomos dançar. Há muito tempo que não dançávamos e soube tão bem, apesar do cansaço nos ter obrigado a ir para casa mais cedo do que pensávamos.

 

O cansaço impera, é um facto, e continua a trair-nos, apesar de começarem a surgir sinais de mudança na nossa relação. Voltámos a dizer «amo-te» e a ser mais cúmplices, nem que seja pelo facto de querermos passar mais momentos juntos, ainda que, por algum motivo (o cansaço ou o choro da Madalena) não consigamos. Lidamos melhor com o facto de termos menos sexo. Mais do que fazermos amor como fazíamos antes, senti que o diálogo nos aproximou.

 

Pelo menos, para já, acho que nos aproximámos por termos assumido a existência de um problema e, posteriormente, por o termos reconhecido. Mesmo assim, o plano dos sete dias continuou. Com alguns altos e baixos, é verdade, devido à rotina. O cansaço, afinal, não desaparece em sete dias. Na véspera de terminar o programa, escrevi, de manhã, num post it «Vamos fazer o que ainda não foi feito?» e colei-o no espelho da casa de banho.

 

Se me apetecia? Não, mas achei importante. Nessa noite, não nos abraçámos e estávamos de rastos. A noitada acabou por nos alterar a vida e, se por um lado, soube muito bem, por outro, complicou-nos os horários.

 

Dia 7: Entregar-se


Comecei a sentir falta da minha filha, alguns remorsos por, nesta semana, ter passado menos tempo com ela. Deixei-a mais vezes com a avó do que é habitual e insisti para que dormisse no seu quarto sozinha, mesmo quando chorava. Mesmo assim, quis terminar o programa da sexóloga sem falhas e, ao fim dos sete dias, entreguei-me, tal como sugere Vânia Beliz. Mudei, um bocadinho, os horários das refeições da Madalena, de forma a que ela fizesse o sono maior à hora a que ele chega a casa.

 

Correu bem. Enchi a banheira de espuma e esperei-o. Uma boa estratégia para ressuscitar algum desejo adormecido, pois percebi que consigo relaxar antes do sexo e recarregar baterias para entregar-me de corpo e alma. A nossa filha colaborou e, desta vez, dormiu de seguida. Concluí que quando não se tem a mesma disponibilidade para o sexo, com dedicação e empenho a vontade surge naturalmente. E dialogar é, sem dúvida, um grande truque para recuperar o desejo, pois logo após cumprir o ponto um, o problema pareceu menor.

 

Unimo-nos e lidámos melhor com a questão, mesmo sem ter sexo. Só o desejo bastou para nos relacionarmos melhor. Afinal, queremos muito estar um com o outro, o que é bem diferente de acharmos que o outro não nos deseja. Lida-se, assim, melhor um com o outro e com os obstáculos com que nos deparamos no dia a dia.

 

A sexóloga Vânia Beliz concorda que o ponto de partida para recuperar o desejo é mesmo o diálogo. «Muitas vezes não nos apercebemos o que falta ao outro, por isso, é muito importante sair sem filhos, só os dois», para conversar e perguntar-se «Onde está o nós?», sugere a especialista. Simples mas eficaz, eu garanto!

publicado por olhar para o mundo às 23:50 | link do post | comentar
Segunda-feira, 04.02.13

Quer apimentar a sua vida sexual?, afrodisíacos naturais

Afrodisíacos naturais

Está interessado em apimentar sua vida sexual?

 

Tente adicionar ginseng e açafrão à sua dieta.

 

Os dois alimentos provaram ser aceleradores do desempenho sexual, de acordo com uma nova revisão científica de afrodisíacos naturais.

 

A pesquisa foi realizada por cientistas da Universidade de Guelph, no Canadá.

 

Afrodisíacos com comprovação científica


Você pode também deliciar-se com vinho e chocolate, mas seus efeitos amorosos documentados cientificamente estão todos na sua cabeça.

 

Fique longe dos mais obscuros mosca espanhola e sapo Bufo. Apesar de supostamente serem reforçadores sexuais, eles na verdade produziram o resultado oposto e podem até ser tóxicos.

 

Estas são algumas das conclusões do estudo realizado por Massimo Marcone e John Melnyk. Os resultados serão publicados na revista Food Research International.


"Os afrodisíacos têm sido usados há milhares de anos em todo o mundo, mas a ciência por trás das alegações nunca foi bem compreendida ou claramente documentada," disse Marcone. "A nossa é a revisão científica mais aprofundada feita até hoje. Nada havia sido feito com este nível de detalhe até agora."

 

Sem libido


Há uma grande demanda por produtos naturais que melhorem o sexo, sem efeitos secundários negativos.

 

Atualmente, condições como a disfunção erétil são tratadas com drogas sintéticas

 

"Mas essas drogas podem produzir dor de cabeça, dor muscular e visão turva, e podem ter interações perigosas com outros medicamentos. Elas também não aumentam a libido, por isso não ajudam as pessoas que estejam com baixo desejo sexual," disse ele.

 

Os pesquisadores analisaram centenas de estudos sobre afrodisíacos naturais para investigar as alegações de que eles aumentariam o desejo sexual - psicológica e fisiologicamente.

 

Para manutenção da qualidade da pesquisa, eles incluíram apenas estudos que usaram controles mais rigorosos.

 

Afrodisíacos naturais mais eficazes


Os resultados?

 

Eles descobriram que o ginseng panax, o açafrão e a ioimbina, um produto químico natural extraído da árvore ioimbe, nativa da África Ocidental, melhora a função sexual humana.

 

As pessoas também relataram aumento do desejo sexual após a ingestão de muira puama, uma planta com flores encontrada no Brasil; raiz de Maca, uma planta da família da mostarda, encontrada nos Andes, e chocolate.

 

Contudo, apesar de seu suposto efeito afrodisíaco, o chocolate não foi relacionado com maior excitação sexual ou satisfação, segundo o estudo.

"Pode ser que algumas pessoas sintam um efeito de determinados ingredientes do chocolate, principalmente a feniletilamina, que pode afetar os níveis de serotonina e endorfina no cérebro", disse Marcone.

 

Já o álcool aumenta a excitação sexual, mas inibe o desempenho sexual.

 

Noz-moscada, cravo, gengibre, alho e âmbar cinza, ou âmbar de baleia - formado no trato intestinal do cachalote - estão entre as substâncias relacionadas ao aumento do comportamento sexual em animais.

 

Afrodisíacos eficazes


Embora seus resultados deem suporte ao uso de alimentos e plantas para aumentar o desejo sexual, os autores sugerem cautela.

 

"Atualmente, não há evidência suficiente para apoiar o uso generalizado destas substâncias como afrodisíacos eficazes," disse Marcone. "Mais estudos clínicos são necessários para compreender melhor seus efeitos sobre os seres humanos."

 

Via Diário Saúde

publicado por olhar para o mundo às 00:00 | link do post | comentar
Domingo, 27.01.13

Sexo - a importância dos preliminares

Tornar as preliminares parte do sexo pode deixar a experiência ainda mais agradável para ambos Foto:  / Getty Images

Tornar as preliminares parte do sexo pode deixar a experiência ainda mais agradável para ambos

Nem todos os homens gostam de preliminares, mas alguns acabam colocando-as em prática porque sabem que são importantes para estimular as mulheres. No entanto, o que muitos não sabem é que tornar as preliminares parte do sexo pode deixar a experiência ainda mais agradável para ambos. Abaixo, entenda por que colocá-las em ação é uma boa ideia. As informações são do site Female First.

 

O que são preliminares? As preliminares não são algo específico e, sim, uma combinação de inúmeras atitudesl. Abraçar, tocar, beijar e despir são algumas das "etapas" das preliminares e que deveriam ser usadas com mais frequência.

 

Comunicação é imporante: não existe certo ou errado quando o assunto é sexo, no entanto, algumas coisas que agradam a você podem não agradar ao sua parceira e vice-versa. Por isso, é importante se comunicar, contando quando ela faz algo que te satisfaz. Também siga as direções que ela dita, ouça ao que ela diz e sinta como seu corpo reage.

 

Nunca é demais: não se apresse. Experts dizem que um casal só deve fazer sexo quando estiverem no auge da excitação.  Não tente adiantar coisas, seja paciente e você vai descobrir que os dois irão ter uma experiência melhor.

Retirado de Terra

publicado por olhar para o mundo às 20:53 | link do post | comentar
Sábado, 19.01.13

Sexo no primeiro encontro

 

A revolução sexual tirou um peso gigantesco das costas das mulheres. Todos aqueles cartazes, palavras de ordem, passeatas e sutiãs queimados mudaram o arranjo social e deram início a processos importantes que culminaram na diminuição do abismo social que separava o mundo masculino do feminino. Algumas décadas se passaram e é impossível negar que algumas sementes plantadas naquele tempo germinaram e deram frutos. Mas tem um ponto em que boa parte das mulheres parece ter parado no tempo: transar no primeiro encontro.

 

Você conhece um cara incrível na balada. Fica com ele. A coisa esquenta e vocês estão subindo pelas paredes de tanto tesão. Aí o sujeito faz a pergunta óbvia nesses casos: “vamos para sua casa ou para minha?” (ou suas variações mais elegantes). Nessa hora você, mulher independente e moderna que paga suas contas e não deve satisfação a ninguém, é possuída pelo espírito da sua avó beata e entra em pânico, nega todos os seus instintos e vontades e diz que não pode, emendando uma desculpa fajuta do tipo “tenho que trabalhar amanhã”.

 

Sério? Até quando vocês vão sufocar seus desejos sexuais por medo de serem consideradas fáceis, promíscuas, vagabundas? Porque a gente sabe que mulher gosta de sexo tanto quando homem e que sente tesão quando fica com um cara que tem pegada. Então falta de vontade não é o motivo convincente para se ver diante de um dilema moral toda vez que surge a oportunidade de fazer sexo casual.

 

Admito que existem caras que vão te achar fácil se você der para eles no primeiro encontro e nunca mais vão te ligar. Mas na boa, você quer mesmo ter qualquer coisa além de sexo com um babaca desses? Na boa, você deveria agradecer por se ver livre de um cara que separa as mulheres em “para ficar” e “para ter alguma coisa séria” baseado no tempo em que elas demoram para ir para a cama com ele. Porque a mediocridade não costuma ficar restrita a um único aspecto da personalidade da pessoa.

 

Para aquelas super preocupadas com a reputação, um conselho: bebam menos. Porque mulher bêbada na balada causa uma impressão muito pior nos coxinhas-fortinhos-de-camiseta-polo-e-tênis-Nike-com-mil-molas do que quem transa logo de cara. Agora um conselho de amigo (que vale mais do que conselho): beba o quanto você quiser, durma com quem tiver vontade e deixe os coxinhas-fortinhos-de-camiseta-polo-e-tênis-Nike-com-mil-molas para as garotas-de-franjinha-que-tiram-foto-fazendo-biquinho-na-frente-do-espelho-com-as-amigas-da-facul.

 

Aí vocês me dizem que não tem nada a ver com o que o cara vai pensar, é tudo uma questão de não se sentir a vontade e estar em busca de outra coisa... Ah, as mulheres e essa mania delas de misturar sexo com todas aquelas coisas que não tem nada a ver com ele (amor, relacionamento, fidelidade, etc). Nunca entendi por que vocês têm esse hábito. Ou melhor, não entendo a razão pela qual vocês ainda o mantém.

Veja bem, fazer com que as mulheres acreditassem que todas essas coisas eram pré-requisitos para o sexo foi a forma de encher as cabeças femininas com caraminholas românticas para que elas ficassem em casa esperando pelo príncipe encantado ao invés de dar vazão aos seus desejos como os homens sempre fizeram. Então, garotas, é hora de acordar.

 

Você tem todo o direito de não querer dar para o cara depois da balada se não estiver a fim, por mais gostoso que ele seja e por mais que o encontro tenha esquentado. Às vezes a gente só está a fim de dar uns amassos. Mas se rolar vontade, dê sem medo, porque a decisão de te ligar no dia seguinte não tem nada a ver com o fato de vocês terminarem a noite em camas separadas ou não.

 

*Tá com dúvida se casa ou compra uma bicicleta? Não sabe se liga ou não para o pretê do escritório? Precisa de uma dica de receita para impressionar os amigos? Tem alguma história boa para dividir? Quer jogar conversa fora? 


Retirado de Amigo Gay

publicado por olhar para o mundo às 21:38 | link do post | comentar
Sexta-feira, 18.01.13

Manias ousadas durante o sexo

Manias ousadas durante o sexo

 

 

O que ninguém nega, principalmente nós mulheres, é que as preliminares são peças-chave para uma boa relação sexual. Há quem não se contente com carinhos e beijinhos.

 

Tem gente que pede uma pegada mais forte, ou então recebe sem pedir, e quando vai ver o queridão já estalou um tapinha. E nesse quesito manias na hora do sexo

 

A especialista em autoestima e prazer da mulher, Lu Riva, conta que já ouviu casos para lá de inusitados. "Tem homens que gostam que suas mulheres pisem neles com salto. Casais que gostam de "bater" e de "apanhar", tem as pessoas que gostam de vestir fantasias sensuais como uma colegial, com direito a meia-calça 7/8, que chega à sala mordendo o lápis e dizendo: - ‘Professor me ensina’".

 

" variedade é o que não faltar.

 

Parece que a ideia de dominar ou ser dominado predomina. Fátima Moura, personal sexy trainer, conta que já ouviu muitas histórias de suas alunas. Entre as mais inusitadas está a do casal que teve um grande prejuízo em um motel. "O marido sempre dizia à esposa que gostaria que ela pisasse nele usando salto alto. Em uma bela noite, ela resolveu realizar a vontade dele e subiu na cama com um salto fino. O que eles não haviam notado é que o colchão era d’água! Logo, o plástico se rompeu. Imagine só a bagunça!". Isso sim é um banho de água fria na relação.

 

Lu conta que conhece pessoas que gostam de recitar mantra antes do sexo. Agora imagine, você está lá toda linda e sexy, ansiosa pelo que está por vir e, de repente, o cidadão começa a cantarolar. Ainda nesse assunto, Fátima revela que uma de suas alunas preparou todo o clima à luz de velas e rosas vermelhas para o novo namorado. O que ela não imaginava é que o rapaz era seguidor o candomblé. Sem a menor desconfiança ele chegou a perguntar a ela se aquilo seria um trabalho religioso para ele. Pode?!

 

Outro caso inusitado: "Minha aluna resolveu sair da rotina, vestiu uma roupa para lá de atrevida e pediu que seu marido a deixasse em um ponto na Rua Augusta. Ela mandou que ele fosse dar uma volta e que retornasse para buscá-la. Após a volta, ele apareceu aflito e pediu para que ela entrasse no carro. Ela toda altiva se negou e só entrou no veículo após ele ter pago o ‘programa’", conta Lu. Essa foi corajosa, ela poderia ter apanhado. Ficar em um ponto que não lhe pertence na Augusta pode ter consequências terríveis e irreparáveis.

 

Fátima riu ao se lembrar de outro caso: "O homem pediu à mulher que vestisse uma fantasia e que lhe fizesse uma surpresa. Ela, então, comprou uma roupa de policial. Quando o rapaz viu a mulher vestida daquela maneira teve uma crise de riso". "Mas você pensa que ela perdeu o domínio? Não. Ela acabou prendendo-o por desacato à autoridade", completa.

 

Brincadeiras à parte é importante lembrar que este tipo de atitude faz bem quando ambos querem participar. "Às vezes é bom tentar novidades, pois se pode abrir uma gama de opções para o casal, mas sem que isso seja algo forçado ou mecânico para uma das partes", afirma Lu Riva. Fátima Moura lembra que essas ousadias não servem para salvar casamentos e recomenda: "Você deve analisar a situação, perguntar como foi o dia do parceiro, para que não haja frustração, caso ele não esteja animado."

 

Via Vila Dois

publicado por olhar para o mundo às 19:55 | link do post | comentar
Terça-feira, 08.01.13

Sexo, cinco atitudes ajudam a perder a timidez

Seis atitudes ajudam a perder a timidez na hora do sexo

A vergonha na cama pode ser consequência de uma criação com muita repressão ou de sofrimentos no passado. Pode também ser resultado de uma primeira vez que não foi legal ou um namoro que não deu certo. 


Porém, não vale a pena sacrificar seu prazer e sua felicidade por causa da timidez. Invista em você mesma e se beneficie dos prazeres que você e seu parceiro podem compartilhar. Por isso, se você investir em algumas atitudes, poderá driblar a timidez e se sentir mais livre na cama. Confira abaixo como dar início a esse processo: 

Trabalhe sua autoestima 

O primeiro passo para você se sentir menos envergonhada na cama é trabalhar sua autoestima. Você precisa se ver como uma mulher deslumbrante e maravilhosa, capaz de seduzir qualquer homem. 

Deixe os pensamentos positivos a seu respeito se disseminar na sua mente para que você se veja como uma mulher poderosa e linda, que não precisa ter medo ou vergonha de nada. 

Assim você não ficará mais aflita pensando no momento em que terá que tirar a roupa na frente do seu parceiro e provavelmente vai até topar fazer sexo com a luz acesa, algo que os homens tanto gostam. 

Permita-se sentir prazer 

Muitas mulheres ainda reprimem o prazer. Como antigamente a sexualidade da mulher era muito reprimida tanto pelas mulheres quanto pelos homens, ainda restaram alguns resquícios desta maneira de ver a mulher na sociedade. 

Felizmente, os tempos são outros. Hoje a maioria das mulheres sabe que, assim como os homens, elas têm o direito de sentir prazer, de serem satisfeitas e explorarem as mais diversas sensações prazerosas que o seu corpo pode proporcionar. Por isso, não há motivos para que você se sinta mal por querer sentir prazer, isso é natural de todos seres humanos. 


Alimente seus pensamentos 

Para que o sexo se torne algo menos desconhecido na sua vida e comece a parecer mais natural é importante que este assunto esteja mais aflorado nos seus pensamentos. Veja filmes picantes ou pornôs para que o sexo esteja mais presente na sua mente. Deixe seus pensamento livres para fantasiar sobre situações inusitadas que envolvam sexo. Desta forma, com o passar do tempo, sexo parecerá mais natural para você. 

Troque informações 

Uma coisa que deve ser feita para que você perca um pouco da timidez na cama é trocar informações com as suas amigas mais íntimas. Conversando vocês vão perceber que é normal ter dúvidas, sentir um pouco de vergonha mas que também é natural pensar e fazer sexo. Além disso, podem compartilhar maneiras de lidar com a vergonha na cama, se ajudando mutuamente. 

Conversem sobre o assunto 

Se você acha que o faz na cama com seu parceiro pode fazer com que ele a julgue, converse com ele. Muitas mulheres pensam que alguns comportamentos na cama, como sexo oral e masturbação, farão com que seus parceiros as 'julguem mal', mas na maioria dos casos isso não procede. 

Se ele pediu, incentivou ou deu a entender que gostaria que você fizesse algo, é porque dá total abertura para essa determinada atitude e provavelmente não vai julgá-la. Se vocês se amam e confiam um no outro, vale a pena tentar de tudo entre quatro paredes. 

Muitas vezes, as mulheres pensam que os homens não têm vergonha de nada, mas muitos deles têm sim. E se você demonstrar que está disposta a dialogar e tentar novas experiências, talvez ele também mostre que tem mais a oferecer e que estava apenas com vergonha. Para quem tem a mente aberta, não há limites para o prazer, quanto mais livres vocês estiverem mais maneiras de se satisfazerem terão. 

 

Retirado de Bonde

publicado por olhar para o mundo às 23:10 | link do post | comentar
Sábado, 05.01.13

7 coisas em que os homens não reparam durante o sexo

Quilos extras, pelos e pequenos defeitos ficam de lado entre quatro paredes Foto: Getty Images

 

Quilos extras, pelos e pequenos defeitos ficam de lado entre quatro paredes

Toda mulher tem inseguranças seja por estar com alguns quilinhos a mais ou o cabelo não estar do jeito que gostaria. Na cama, esses receios aumentam ainda mais, no entanto, especialistas afirmara que os homens não se importam com a maioria destas preocupações femininas. 
 
Cosmopolitan listou sete coisas que o parceiro não repara durante o sexo; veja a seguir:
 
Quilos extras: de acordo com o especialista em sexo, autor do livro Ela Vem em Primeiro Lugar, Ian Kemer, a maioria dos caras não está nem vendo ou pensando em um corpo reto e sem curvas na hora do sexo. Na verdade, eles estão ocupados passando por um mix de sensações hormonais de testosterona, oxitocina e dopamina que aumentam a percepção de sensualidade.
 
Pequenos defeitos: pode parecer nítido para você no espelho, mas o parceiro não perceberá que o seu seio direito é um pouco maior que o esquerdo, por exemplo. A maioria dos homens está muito animada em se aproximar desta parte do corpo feminina e não se importa se um é um pouco maior que o outro, ainda mais se forem volumosos.
 
Pele: quem não quer ter uma pele de bebê? O especialista em sexo Darren Michaels, autor de Flipside Erótica, alertou que a corrida na última hora para melhorar a acne ou estrias não vale à pena. O homem estará tão preocupado em ficar com a parceira que não notará esses detalhes.
 
Suor: embora possa parecer nojento para você, o odor natural do corpo da mulher pode ser um estimulante sexual para os homens. Por isso, Kemer aifmou que se você tomou banho há algumas horas e mesmo assim não pode evitar o suor durante a relação sexual, não se preocupe, o parceiro vai até gostar. 
 
Pelos: não deu tempo de depilar bem as pernas e virilha antes da transa? Não é por isso que o parceiro vai deixar de sentir desejo por você, segundo Kemer. 
 
Cabelo e maquiagem: o parceiro não vai se importar se o seu cabelo está para cima ou para baixo, se seus olhos estão bem delineados e a sombra está combinando com a lingerie. Tenha confiança nos seus atos, aconselhou Kemer, pois a preocupação com coisas como a maquiagem pode cortar todo o clima. 
 
Tamanho da vagina: a maioria dos caras não vai comparar seu órgão sexual com a de parceiras anteriores. No entanto, de acordo com Kegel, se preferir fazer exercícios para tornar o sexo ainda mais prazeroso, não há problema algum.
retirado de Terra

publicado por olhar para o mundo às 22:28 | link do post | comentar
Quinta-feira, 03.01.13

Sexo ou abraços? Eis a questão!

Sexo ou abraços? Eis a questão!

Novo estudo diz que as mulheres preferem o sexo. Concorda?

 

Investigadores norte-americanos revelam que os homens são mais felizes se recebem carícias, enquanto as mulheres preferem sexo. Será que os portugueses querem o mesmo?

 

Um estudo realizado com casais de meia-idade pelo Instituto Kinsey da Universidade de Indiana, nos Estados Unidos da América, deita por terra tudo aquilo em que sempre se acreditou sobre comportamento sexual entre géneros.

 

De acordo com a pesquisa, não são as mulheres que valorizam mais os preliminares mas sim os homens. Enquanto eles centram as atenções nas carícias, elas preferem ação. Estaremos perante uma revolução sexual? Com a ajuda da sexóloga Marta Crawford, descubra o que explica este comportamento e o quanto uma relação duradoura pode ser determinante para uma sexualidade satisfatória.

Ternura masculina

«Sempre gostei de sexo com tudo a que tenho direito. Incluindo preliminares. A troca de carinhos é fundamental para que o ato em si corra naturalmente e consiga alcançar o prazer pleno», revela Sónia Ferreira. A confissão desta fisioterapeuta, 42 anos, é a mais comum entre as mulheres.

 

No entanto, após analisar a importância do prazer sexual, dos beijos e dos abraços, em relações de 25 anos (média), o estudo, que envolveu mais de mil casais entre os 40 e os 70 anos de Espanha, Brasil, Alemanha, Japão e EUA, concluiu que os homens que são alvo de carícias por parte das companheiras são três vezes mais felizes do que aqueles que não têm afeto. As mulheres, por sua vez, não consideram que os mimos tenham grande impacto na satisfação sexual.

Relações frustradas

Será que as mulheres maduras estão mais independentes? Segundo Marta Crawford, a resposta é «não». «Regra geral, as mulheres que são muito apressadas para chegar ao sexo não se sentem bem com a sua sexualidade ou relação. Sabem que isso faz parte do casamento, que têm de satisfazer o parceiro, portanto, dão-lhes sexo, mas em doses pequenas. Evitam os preliminares e vão diretamente ao assunto», afirma.

 

Com esta rapidez para chegar à meta, o prazer feminino passa para segundo plano. Nada que as incomode. Prioritário é cumprir a tarefa, evitando abraços e beijos. Ao longo dos anos, «a mulher deixa de se relacionar afetivamente com o companheiro para não dar a ideia de que está disponível para mais. Adota uma atitude centrada em si», acrescenta a sexóloga. Os homens reclamam por uma atenção perdida.

Sexualidade descontraída

Outra das conclusões retiradas do estudo é que, para as mulheres, o sexo melhora com o tempo, com resultados francamente satisfatórios após 15 anos de união. Este ponto de viragem surge numa altura em que elas assumem melhor as suas curvas, tornam-se mais desinibidas e libertas, o que pode ganhar outros contornos quando os filhos saem de casa. Mas nem tudo é linear. Para Marta Crawford, cada caso é um caso.

 

«Se a mulher chega aos 25 anos de casamento com um parceiro interessante, com humor, acredito que se sinta mais liberta e a relação possa ser reinventada», sublinha. O facto de estar na menopausa, sem receio de engravidar, ou numa fase profissional estável também explica uma relação mais descontraída. No entanto, «se houver um esvaziamento em termos de conjugalidade, o relacionamento sexual não melhora. É aquela zona vulnerável a situações extraconjugais», alerta.

 

Retirado de Sapo Mulher

publicado por olhar para o mundo às 23:38 | link do post | comentar | ver comentários (1)
Sábado, 08.12.12

Imunidade, sono e humor, 7 benefícios trazidos pelo sexo

Além de prazer e diversão, o sexo também equilibra o humor e deixa as pessoas mais bonitas Foto: Getty Images

Além de prazer e diversão, o sexo também equilibra o humor e deixa as pessoas mais bonitas
Foto: Getty Images


O sexo não serve apenas como fonte de prazer, diversão ou para a procriação. Ele também é parte de um estilo de vida saudável e o siteYourTango listou sete motivos para que você inclua mais momentos calientes na sua rotina. Confira e note que você não precisa necessariamente de outra pessoa para colher estes frutos.

 

1. Alívio de dores


O orgasmo troca seu estado mental de dor para prazer. Além disso, a contração e relaxamento dos músculos pode aliviar cólicas e algumas outras dores instantaneamente.

 

2. Melhora do humor


O orgasmo aumenta os níveis de estrogênio e endorfina, que pode melhorar o humor das mulheres.

 

3. Aumenta a conexão emocional


Outro hormônio, a oxitocina,  conhecida como o hormônio do amor, aumenta cinco vezes após o momento do orgasmo.

 

4. Melhora o sono


Poder virar para o lado e dormir é um dos maiores presentes da natureza. De acordo com uma pesquisa, você tem de 15 a 20 minutinhos de aconchego antes da oxitocina ser liberada.

 

5. Reduz o estresse


A dopamina liberada durante a excitação induz a um estado de relaxamento que intensifica o orgasmo.

 

6. Brilho no olhar


Tanto homens quanto mulheres são notados ao parecem mais jovens e saudáveis depois de uma boa noite de amor. O sexo e os orgasmos são os melhores spas para tratar a beleza – e, a melhor parte, é que é de graça.

 

7. Melhora a imunidade


O sexo melhora o sistema imunológico, que mantém você saudável. Além disso, faz com que você se sinta melhor. 

publicado por olhar para o mundo às 21:55 | link do post | comentar

mais sobre mim

pesquisar neste blog

 

First Class Radio 

posts recentes

últ. comentários

  • Minha esposa dorme durante a relacao eu viro chego...
  • Minha esposa as vezes dorme , aí eu paro viro de l...
  • hmmm fixe! Será uma daquelas edições para colecion...
  • Interessante
  • gosto do suave tom da sua voz :)
  • Vou procurar para ouvir =)Beijinhos
  • Neste Natal só te desejo duas coisas: TUDO e NADA!...
  • Recomendadíssimo!!Para quem não conhece a sonorida...
  • Great article!

Posts mais comentados

arquivos

tags

favoritos

subscrever feeds



blogs SAPO