Quinta-feira, 06.07.17

O tratado das fusões - exposição • Caio Araujo 2017

exposição.jpg

 

 

‘O tratado das fusões’, exposição do cineasta e artista visual Caio Araujo (PPGAV - UFBA - CAPES) , acontece de 23 de Julho a 27 de agosto no laboratório de experimentação estética do MAB (Museu de Arte da Bahia).

 

A exposição que passa por abordagens contemporâneas do cinema e da fotografia aponta, segundo o artista, para a necessidade da resistência e reexistência de imagens de campos específicos - tanto do séc.XX quanto séc.XXI. Filmes experimentais antigos e vídeos recentes de pagode baiano são algumas das matérias primas dos acordos com a linguagem feitos pelo artista, contribuindo assim com debates sociais, culturais, políticos e processos que circundam a arte contemporânea. A exposição tem orientação da Prof. Dr. Ludmila Pimentel.

publicado por olhar para o mundo às 00:13 | link do post | comentar
Quinta-feira, 22.06.17

Inauguração da Exposição “Contos por um Fio – Petrushka”, de Olga Neves

lga neves.jpg

 

25 junho, 18h00, AMAC

 

Inauguração da Exposição “Contos por um Fio – Petrushka”, de Olga Neves

 

O Auditório Municipal Augusto Cabrita recebe, a 25 de junho, pelas 18h00, a inauguração da Exposição “Contos por um Fio – Petrushka”, de Olga Neves. A mostra está patente até 1 de outubro.

 

As histórias, como reflexo de uma identidade, de um lugar e de uma cultura, chegaram-me através da minha mãe que, com grande entusiasmo e teatralidade, as contava todos os dias e, enquanto as ouvia, imaginava todos aqueles seres fantásticos a movimentarem-se de um lado para o outro. Conseguia imaginar-lhes os rostos, os movimentos, as roupas, tudo.

Mais tarde, formei-me em escultura e, tendo como base do meu projeto a Identidade, iniciei um projeto paralelo onde incluí essas mesmas histórias e memórias. Inicialmente, dediquei este projeto ao público infantil, mas cedo percebi que entusiasmava o público em geral. Estimular as memórias é sempre gratificante.

Contos Por Um Fio são, além de marionetas presas por fios, um lugar onde chegamos e contamos uma história como queremos, como a sabemos, como nos foi contada ou como nos lembramos. Como se entrássemos num livro e, em vez de folhearmos as páginas, caminhamos ao longo da sala e contamos a nossa versão da história.

CMB 2017-06-21

publicado por olhar para o mundo às 10:13 | link do post | comentar
Domingo, 11.06.17

“Fikl. Portuguese Storylines” Exposição de pintura no Palácio Nacional da Ajuda

Cartaz Fikl. Portuguese Storylines (1).jpg

 

 

“Fikl. Portuguese Storylines”

Exposição de pintura no Palácio Nacional da Ajuda

 

No fim-de-semana em que se celebra o dia de Portugal, nada melhor do que aproveitar e visitar um dos principais museus nacionais, o Palácio Nacional da Ajuda, onde está patente a exposição “Fikl. Portuguese Storylines” de Gheorghe Fikl, um dos mais conceituados pintores Romenos da actualidade.

 

À semelhança do que aconteceu com o projecto “Joana Vasconcelos” em 2013, o Palácio Nacional da Ajuda volta a integrar na sua colecção permanente, as obras de uma exposição temporária, criando ambientes de perfeita harmonia entre quadros e o cenário palaciano. Assim, e até 31 de Agosto, será possível conhecer as criações de Gheorghe Fikl e a simbologia do seu trabalho em “Fikl. Portuguese Storylines”.

 

Esta exposição surge no âmbito da celebração de 100 anos de relações diplomáticas luso-romenas, onde a Embaixada da Roménia, o Instituto Cultural Romeno, a Fundação Bonte e a Direção Geral do Património Cultural se uniram para trazer “Fikl. Portuguese Storylines”, de Gheorghe Fikl, ao público Português.

 

Gheorghe Fikl é um dos mais conceituados artistas romenos contemporâneos. Munido de uma mestria pictórica exemplar, Fikl cria um universo visual sumptuoso e perturbador através de uma série de composições com vários revestimentos simbólicos em que animais angustiantes e de grande porte - touros, pavões, cães e ovelhas - são estranhos ocupantes de espaços surrealistas, com um hedonismo violento e trágico, que proporciona tantos outros contextos de reflexão sobre a condição humana em tempo pessoal e histórico.

Aberta ao público até 31 de Agosto, no Palácio Nacional da Ajuda, em Lisboa, e parte integrante do programa ARCO Lisboa, a exposição reúne pinturas de tamanho monumental e obras digitais de importantes coleções privadas (coleção da Fundação Bonte, do Príncipe Carlos de Gales, entre outras), que serão apresentadas em Lisboa graças ao apoio oferecido pelo colecionador Alain Bonte.

A exposição estará aberta todos os dias, das 10h00 às 18h00 (última entrada às 17h30). À quarta-feira, o Palácio Nacional da Ajuda encontra-se encerrado.

 

Sobre o artista – Gheorghe Fikl

Gheorghe Fikl é um dos mais impressionantes artistas romenos contemporâneos pela crescente valorização do seu trabalho e interesse por parte dos colecionadores. Estudou na Universidade de Arte e Design de Cluj-Napoca (Roménia) e na Faculdade de Belas Artes da Universidade do Oeste de Timisoara, sua cidade natal, tendo-se graduado em 1998 com uma tese que se encontra, desde essa altura, em exposição permanente naquela Faculdade. Incentivado pelo Professor Romul Nuţiu, Fikl formou-se inicialmente na área da experimentação e instalação, com trabalhos inovadores em técnicas mistas, de grande originalidade de ideia e de execução. Com exposições individuais de pintura e fotografia em Timisoara (incluindo a mais recente, no Museu Nacional de Arte, que contribuiu de forma decisiva para a candidatura vencedora da cidade a Capital Europeia da Cultura), Bucareste, Luxemburgo e Nova Iorque, Gheorghe Fikl destacou-se em leilões com transações valiosas, tendo, desta forma, entrado em importantes coleções privadas na Roménia, EUA, Portugal, Grã-Bretanha (incluindo a coleção do Príncipe Carlos de Gales), França, Andorra, Luxemburgo, Alemanha. Vive e trabalha em Timisoara, Roménia. Desde 2016 o artista é representado pela galeria AnnArt.

 

 

 

 

publicado por olhar para o mundo às 10:13 | link do post | comentar
Terça-feira, 06.06.17

Auditório Municipal Augusto Cabrita - Exposições Junho

exposição.png

 

Junho

 

Exposições AMAC

 

 

Em junho, o Auditório Municipal Augusto Cabrita recebe as seguintes exposições:

 

Exposição da Coletiva de Artes do Agrupamento de Artes da Escola Secundária de Casquilhos

9 a 20 junho | Piso 1 – Galeria Amarela

Inauguração a 9 de junho, às 18h00

 

Exposição integrada nas Comemorações dos 80 Anos de Água no Barreiro

17 junho a 22 outubro | Piso 0 – Galeria Azul

Em parceria com a Associação Cultural Out.Ra

Inauguração a 17 de junho, às 17h00

 

Exposição Coletiva de Trabalhos dos Alunos da UTIB - Universidade da Terceira Idade do Barreiro 

24 junho a 8 julho | AMAC – Piso 1 – Galerias Branca e Amarela

Inauguração da Exposição no dia 24 de junho, às 15h00.

 

 

CMB 2017-06-05

publicado por olhar para o mundo às 22:13 | link do post | comentar
Quarta-feira, 31.05.17

Exposição de Ilustração de Olga Neves na Biblioteca Municipal

olganeves.jpg

 

 

Exposição de Ilustração de Olga Neves na Biblioteca Municipal

 

 

A exposição de ilustração de Olga Neves encontra-se patente ao público até ao mês de julho, na Biblioteca Municipal do Barreiro. 

 

A exposição

As ilustrações apresentadas referem-se a momentos distintos, sendo que a ilustração um caminho paralelo do conto, dá forma visual à mensagem escrita.

As ilustrações “O Quebra Nozes” foram criadas para a instalação/exposição “O Pequeno Grande Quebra Nozes”, instalação essa que explora o mundo dos contos/romances, através da instalação de marionetas. O visitante entra no quarto da pequena Maria e é confrontado por ratos gigantes, brinquedos que se espalham pelas paredes e pelos personagens principais do romance, Maria e o Príncipe Quebra Nozes. As ilustrações aludem aos momentos da narrativa sugerindo um percurso pela história de E.T.A. Hoffmann.

As ilustrações são realizadas a lápis de cor sobre papel fantasia… tenho especial interesse por encontrar materiais descontextualizados e adaptá-los ao meu trabalho, neste caso, trabalho sobre papel fantasia que é usado para decorar paredes.

Todas as outras ilustrações são resultado de projetos que desenvolvi com escritores, ou projetos pessoais.

 

Olga Neves

Licenciada em Artes Plásticas/Escultura pela Faculdade de Belas Artes de Lisboa.

Tem realizado várias exposições no domínio da escultura, instalação, cerâmica e medalha contemporânea. Expôs em Portugal, Finlândia, EUA, França, Bulgária e Alemanha.

Está representada: British Museum, Londres; Simons Galery, Londres; Medialia... Rack & Hamper Galery, New York; Wellington; Villenave d Órnon; Lillebone; Immenstadt; Seeheim-Jugenheim, Associação ASSIM; Saint Caprais de Bordeaux; Câmara Municipal de Lagos; Câmara Municipal de Torres Vedras.

 

CMB 2017-05-26

publicado por olhar para o mundo às 13:13 | link do post | comentar
Segunda-feira, 15.05.17

“Fikl. Portuguese Storylines” no Palácio Nacional da Ajuda

Cartaz Fikl. Portuguese Storylines (1).jpg

 

 

“Fikl. Portuguese Storylines”

Exposição do pintor romeno Gheorghe Fikl

Palácio Nacional da Ajuda

16 de maio - 31 de agosto

 

 

No âmbito da celebração de 100 anos de relações diplomáticas luso-romenas, a Embaixada da Roménia, o Instituto Cultural Romeno, a Fundação Bonte e a Direção Geral do Património Cultural apresentam a exposição “Fikl. Portuguese Storylines” de Gheorghe Fikl, entre 16 de maio e 31 de agosto, no Palácio Nacional da Ajuda.

 

 

Gheorghe Fikl é um dos mais conceituados artistas romenos contemporâneos. Munido de uma mestria pictórica exemplar, Fikl cria um universo visual sumptuoso e perturbador através de uma série de composições com vários revestimentos simbólicos em que animais angustiantes e de grande porte - touros, pavões, cães e ovelhas - são estranhos ocupantes de espaços surrealistas, com um hedonismo violento e trágico, que proporciona tantos outros contextos de reflexão sobre a condição humana em tempo pessoal e histórico.

 

A justaposição de objetos encontrados, impressões, intervenções de pintura e fotografia despertou em Fikl um interesse particular pelas composições inesperadas e desestabilizadoras, pelo forte contraste associativo. E atualmente, esta é uma marca inconfundível da sua criação, em constante e subtil evolução.

 

Nas palavras de Ileana Pintilie, curadora de Fikl. Portuguese Storylines, “Fikl pinta com facilidade, com o prazer e a naturalidade de quem se entrega, numa paixão contida, dissimulada entre gestos de amor pelos objetos sumptuosos, portadores de identidade espiritual; pelos lugares e paisagens, que na alma lhe ficaram. As suas pinturas aparecem como cortes de um mundo escondido irreal, do além. As fastuosas composições parecem saídas de um sonho que se desenrola repetidamente nos mesmos lugares.”

 

Aberta ao público a partir de 16 de maio, no Palácio Nacional da Ajuda, em Lisboa, e parte integrante do programa ARCO Lisboa, a exposição reúne pinturas de tamanho monumental e obras digitais de importantes coleções privadas (coleção da Fundação Bonte, do Príncipe Carlos de Gales, entre outras), que serão apresentadas em Lisboa graças ao apoio oferecido pelo colecionador Alain Bonte.

 

A exposição estará aberta todos os dias, das 10h00 às 18h00 (última entrada às 17h30). À quarta-feira, o Palácio Nacional da Ajuda encontra-se encerrado.

 

Sobre o artista – Gheorghe Fikl

Gheorghe Fikl é um dos mais impressionantes artistas romenos contemporâneos pela crescente valorização do seu trabalho e interesse por parte dos colecionadores. Estudou na Universidade de Arte e Design de Cluj-Napoca (Roménia) e na Faculdade de Belas Artes da Universidade do Oeste de Timisoara, sua cidade natal, tendo-se graduado em 1998 com uma tese que se encontra, desde essa altura, em exposição permanente naquela Faculdade. Incentivado pelo Professor Romul Nuţiu, Fikl formou-se inicialmente na área da experimentação e instalação, com trabalhos inovadores em técnicas mistas, de grande originalidade de ideia e de execução. Com exposições individuais de pintura e fotografia em Timisoara (incluindo a mais recente, no Museu Nacional de Arte, que contribuiu de forma decisiva para a candidatura vencedora da cidade a Capital Europeia da Cultura), Bucareste, Luxemburgo e Nova Iorque, Gheorghe Fikl destacou-se em leilões com transações valiosas, tendo, desta forma, entrado em importantes coleções privadas na Roménia, EUA, Portugal, Grã-Bretanha (incluindo a coleção do Príncipe Carlos de Gales), França, Andorra, Luxemburgo, Alemanha. Vive e trabalha em Timisoara, Roménia. Desde 2016 o artista é representado pela galeria AnnArt.

publicado por olhar para o mundo às 22:13 | link do post | comentar
Sábado, 13.05.17

ACERT - UM SONO QUALQUER - Exposição de Rui Effe

um sono qualquer.jpg

 

 

UM SONO QUALQUER
Rui Effe
Exposição

Local:  Galeria ACERT
Data/Hora:  de 20 de maio até 2 de julho


Preço: 0 €

O mais recente trabalho deste criador que depois da mostra em Sines chega à galeria da Acert
 
Um Sono Qualquer surge em consequência do projeto já apresentado no Centro Cultural Emmérico Nunes, Sines, Entre o Céu e Outras Loucuras. Trata-se de um projeto que aborda uma relação espaço-sujeito, os diálogos, a distração e as loucuras. Fala do acontecimento poético, do corpo do sujeito, do tempo e da espera. Fala de um quarto e do corpo ausente. Rui Effe e o seu pai fizeram a selecção dos materiais que aqui são apresentados. Materiais, imagens e áudios que permitem uma reflexão, sobre o pai em forma de sujeito, de corpo e condição, do seu tempo e espaço. Neste projeto, Rui Effe sublinha a dor e as gargalhadas, os caminhos e a sequência de reações na apropriação do espaço e ainda outros fenómenos vistos pelo coração. Lembra-se Agustina Bessa-Luís, “Não vale a pena andar de bloco na mão e lápis afiado se o coração não vê o que lhe pertence em qualquer lugar do mundo” , e … aquele quarto, aquele cinzento espaço foi o único e último lugar do Mundo onde tudo podia acontecer…

Rui Effe (Portugal) vive e trabalha entre Braga e Lisboa. Vai atuando como artista visual, professor e curador.
Formado pela Faculdade de Belas Artes do Porto, pela Escola Superior Artística do Porto e também pela Universidade do Minho, vem desenvolvendo trabalhos de Direcção Artística, de ilustração para poetas e escritores portugueses, organizando conferências e planos de trabalho dentro da temática do “corpo e do espaço”. É um escritor que dá a ler os seus textos a atores dos grandes palcos portugueses e, como artista visual, vem expondo individual e colectivamente desde 1999. Rui Effe está representado em inúmeras colecções Nacionais e Internacionais.

Entrada Gratuita

publicado por olhar para o mundo às 11:13 | link do post | comentar
Quinta-feira, 11.05.17

Exposição “Fikl. Portuguese Storylines” no Palácio Nacional da Ajuda

Cartaz Fikl. Portuguese Storylines.jpg

 

 

“Fikl. Portuguese Storylines”

Exposição do pintor romeno Gheorghe Fikl

Palácio Nacional da Ajuda

16 de maio - 31 de agosto

 

No âmbito da celebração de 100 anos de relações diplomáticas luso-romenas, a Embaixada da Roménia, o Instituto Cultural Romeno, a Fundação Bonte e a Direção Geral do Património Cultural apresentam a exposição “Fikl. Portuguese Storylines” de Gheorghe Fikl, entre 16 de maio e 31 de agosto, no Palácio Nacional da Ajuda.

 

Gheorghe Fikl é um dos mais conceituados artistas romenos contemporâneos. Munido de uma mestria pictórica exemplar, Fikl cria um universo visual sumptuoso e perturbador através de uma série de composições com vários revestimentos simbólicos em que animais angustiantes e de grande porte - touros, pavões, cães e ovelhas - são estranhos ocupantes de espaços surrealistas, com um hedonismo violento e trágico, que proporciona tantos outros contextos de reflexão sobre a condição humana em tempo pessoal e histórico.

 

A justaposição de objetos encontrados, impressões, intervenções de pintura e fotografia despertou em Fikl um interesse particular pelas composições inesperadas e desestabilizadoras, pelo forte contraste associativo. E atualmente, esta é uma marca inconfundível da sua criação, em constante e subtil evolução.

 

Nas palavras de Ileana Pintilie, curadora de Fikl. Portuguese Storylines, “Fikl pinta com facilidade, com o prazer e a naturalidade de quem se entrega, numa paixão contida, dissimulada entre gestos de amor pelos objetos sumptuosos, portadores de identidade espiritual; pelos lugares e paisagens, que na alma lhe ficaram. As suas pinturas aparecem como cortes de um mundo escondido irreal, do além. As fastuosas composições parecem saídas de um sonho que se desenrola repetidamente nos mesmos lugares.”

 

Aberta ao público a partir de 16 de maio, no Palácio Nacional da Ajuda, em Lisboa, e parte integrante do programa ARCO Lisboa, a exposição reúne pinturas de tamanho monumental e obras digitais de importantes coleções privadas (coleção da Fundação Bonte, do Príncipe Carlos de Gales, entre outras), que serão apresentadas em Lisboa graças ao apoio oferecido pelo colecionador Alain Bonte.

 

A exposição estará aberta todos os dias, das 10h00 às 18h00 (última entrada às 17h30). À quarta-feira, o Palácio Nacional da Ajuda encontra-se encerrado.

 

Sobre o artista – Gheorghe Fikl

Gheorghe Fikl é um dos mais impressionantes artistas romenos contemporâneos pela crescente valorização do seu trabalho e interesse por parte dos colecionadores. Estudou na Universidade de Arte e Design de Cluj-Napoca (Roménia) e na Faculdade de Belas Artes da Universidade do Oeste de Timisoara, sua cidade natal, tendo-se graduado em 1998 com uma tese que se encontra, desde essa altura, em exposição permanente naquela Faculdade. Incentivado pelo Professor Romul Nuţiu, Fikl formou-se inicialmente na área da experimentação e instalação, com trabalhos inovadores em técnicas mistas, de grande originalidade de ideia e de execução. Com exposições individuais de pintura e fotografia em Timisoara (incluindo a mais recente, no Museu Nacional de Arte, que contribuiu de forma decisiva para a candidatura vencedora da cidade a Capital Europeia da Cultura), Bucareste, Luxemburgo e Nova Iorque, Gheorghe Fikl destacou-se em leilões com transações valiosas, tendo, desta forma, entrado em importantes coleções privadas na Roménia, EUA, Portugal, Grã-Bretanha (incluindo a coleção do Príncipe Carlos de Gales), França, Andorra, Luxemburgo, Alemanha. Vive e trabalha em Timisoara, Roménia. Desde 2016 o artista é representado pela galeria AnnArt.

publicado por olhar para o mundo às 09:13 | link do post | comentar
Segunda-feira, 03.04.17

AMAC - Exposições inauguram a 23 de abril

Nuno Cabrita_1premio_web (3).jpg

 

 

Exposições inauguram a 23 de abril

 

Arbórea”, fotografia e “Tentationes”, escultura

 

O Auditório Municipal Augusto Cabrita recebe, de 23 de abril a 21 de maio, as exposições ARBÓREA, fotografia de Nuno Cabrita, vencedor da 3ª edição do Concurso do Mês da Fotografia do Barreiro, e escultura de Pedro Miranda da Silva. As mostras inauguram no dia 23 de abril, pelas 17h00.

 

23 abril a 21 maio | domingo | Piso 1 – Galeria Branca

ARBÓREA, exposição de fotografia de Nuno Cabrita, vencedor da 3ª edição do Concurso do Mês da Fotografia do Barreiro

Imagens soltas, captadas ao longo dos anos, que em conjunto fazem algum sentido.

Temos em nós um mundo submerso em informação, veloz, hiperativo, egoísta por opção e profundamente desumano. Subsistimos num meio desnecessariamente complexo. Perdemos há muito a capacidade de comunicarmos com nós próprios, de ver, de apreciar a lentidão do próprio tempo.

Arbórea, uma passagem por aquelas que, mesmo imóveis, muito tempo antes de nos afirmarmos como detentores de um subconsciente já produziam e transformavam o suporte para a nossa existência.

 

23 abril a 21 maio | domingo | Piso 1 – Galeria Amarela

TENTATIONES, exposição de Escultura de Pedro Miranda da Silva

Apresentação do trabalho desenvolvido ao longo de um ano pelo artista vencedor do III Concurso do Ateliê Municipal do Barreiro. Os trabalhos tiveram como ponto de partida o tríptico "Tentações de Santo Antão" de Hieronymus Bosch.

"(...) Todo o percurso inicial que nos é proposto por Pedro Miranda da Silva é preenchido por tentações e pelo “escuro” de vária ordem, mas que vai sendo gradualmente substituído pelo reconhecimento de uma “luz” que “está em viagem até nós” e que aqui nos é proposta pela pureza formal e a procura da perfeição (Perfectio quaerere) na arte." Francisco Palma (2017)

 

Recorde-se que o AMAC recebe também em abril as seguintes iniciativas:

 

1 abril | sábado | 22h00 | Concerto LIBERDADE, com SÉRGIO GODINHO - ESGOTADO

 

8 abril | sábado | 15h00 às 18h00 | Aniversário CORUTIB – Coro da Universidade da Terceira Idade

 

22 abril | sábado | 21h30 | Espetáculo SOLÁRIO, pelo PROJÉCTOR – Companhia de Teatro do Barreiro

 

Público-alvo: M/12

Duração: 60 min.

Ingresso: 3,00€

 

Organização: União de Freguesias do Alto Seixalinho, Santo André e Verderena

Informações: 212 068 230 ou bilheteira@cm-barreiro.pt

 

 

30 abril | domingo | 15h00 às 16h30 - Dia Mundial do Jazz | SALA DE ENSAIOS

AMAC JÚNIOR

JungleBrassBand da Escola de Jazz do Barreiro | OFICINA DE MÚSICA

Ingressos: 3,00 €

Duração: 1h30m

Faixa-etária: dos 6 aos 10 anos

Inscrições: 212 068 232

 

 

30 abril | domingo | 17h30 | Concerto com a Big Band da Escola de Jazz do Barreiro

Sob a temática “Let’s Swing”, onde serão interpretados temas dos compositores Glen Miller e Benny Goodman, coreografados pelo grupo de bailarinos de Lindy Hop, de Lisboa.

Ingressos: 5,00 €

M/6 anos

 

 

CMB 2017-03-30

publicado por olhar para o mundo às 09:13 | link do post | comentar

ACERT - MASALA Meus olhos na Índia, Exposição

massala.jpg

 

MASALA
Meus olhos na Índia
Exposição

 

Local:  Galeria ACERT
Data/Hora:  Sáb. 8 abril às 21:00
Local:  Galeria ACERT
Data/Hora:  De 8 Abril a 15 de maio de 2017


A exposição indivudual deste Acertino e fotógrafo de muitas ‘cenas’, chega-nos com o pretexto da sua recente viagem à Índia.
Carlos Teles é um fotógrafo que põe coração na máquina e não perde a oportunidade de ver os outros felizes com a magia do instante.

Uma viagem com duas partes distintas. A primeira foi um roteiro mais social e de cooperação humanitária, em Anantapur, na sede da Fundação Vicente Ferrer. A segunda foi uma viagem para que nos inteirássemos sobre a realidade indiana nos seus múltiplos aspetos. Saindo um pouco dos trajetos mais turísticos, descrever aquilo a que assistimos é muito complicado. Foram vivências muito intensas, únicas e marcantes para a nossa vida. Fotografar passa a ser um ritual insignificante perante o que o coração sente.
A Fundação Vicente Ferreira acolheu-nos com muito carinho e, na nossa estadia em Anantapur, apercebemo-nos da grandeza da sua obra. Dá prazer sentir que este trabalho está a mudar a vida das pessoas e a valorizá-las humanamente.
A magia desta expedição estará sempre presente na forma como sentimentalmente serei um pouco indiano na forma de ver o mundo. Se a máquina falasse, ajudava-me a partilhar emocionalmente o que vivi. Como não fala, conto-vos eu com a ajuda das fotografias que, como sempre, só revelam poucochinho do que o coração sente.

Carlos Teles





Ficha Técnica


Projeto “Uma foto, um sorriso”
Fundação Vicente Ferrer 2016
Viagem organizada pelo “Foro de Fotógrafos”, sediado em Espanha, que promove várias iniciativas para fotógrafos, entre elas, viagens solidárias.

Inauguração: Sáb. 8 abril às 21:00
Até 15 de maio de 2017
Galeria ACERT · Entrada Gratuita

publicado por olhar para o mundo às 00:13 | link do post | comentar

mais sobre mim

pesquisar neste blog

 

First Class Radio 

posts recentes

últ. comentários

arquivos

tags

favoritos

subscrever feeds



blogs SAPO