Terça-feira, 19.11.13

Cristiano Ronaldo coloca Portugal Mundial

Cristiano Ronaldo

 

Pela sexta vez no seu historial, a selecção portuguesa qualificou-se para a fase final do Mundial de futebol, após ter nesta terça-feira derrotado a Suécia por 3-2 em Estocolmo, no jogo da segunda mão do playoff de apuramento, depois do triunfo por 1-0 em Lisboa.

 

Tal como acontecera no jogo na Luz, foi Cristiano Ronaldo a decidir para a selecção portuguesa. Foi o avançado do Real Madrid os três golos portugueses e a confirmar a presença da selecção no Mundial que se realiza no próximo ano no Brasil.

 

Tudo parecia estar encaminhado para um resto de jogo sem sobressaltos quando Ronaldo fez o 1-0 aos 50’, numa jogada de contra-ataque. A Suécia precisava de marcar três golos para anular a desvantagem e Zlatan Ibrahimovic, a sua principal arma ofensiva, parecia desinspirado.

 

O avançado do PSG complicou as contas portuguesas ao marcar dois golos em três minutos. Primeiro, aos 68’, cabeceou sozinho na área portuguesa e fez o empate. Depois, aos 71’, colocou os suecos na frente com um livre directo.

 

Mas a resposta de Ronaldo foi a melhor possível. Aos 77’, Ronaldo fez o empate em mais uma jogada de contra-ataque e, aos 79’, acaba, em definitivo com a eliminatória, ao fazer o 3-2 numa jogada semelhante.

 

Foi o segundo hat-trick de Ronaldo ao serviço da selecção, ele que já tinha marcado três golos frente à Irlanda do Norte e, com esta proeza, o madeirense igualou Pauleta na lista dos melhores marcadores da história da selecção, passando a somar 47 golos em 109 internacionalizações.

 

Retirado do Público

publicado por olhar para o mundo às 21:55 | link do post | comentar
Sábado, 12.10.13

Por que Portugal ainda não está matematicamente no play-off

Por que Portugal ainda não está matematicamente no play-off

A selecção portuguesa de futebol ainda não assegurou matematicamente um lugar no play-off de apuramento para o Mundial de 2014, embora seja altamente improvável que Portugal não tenha essa segunda oportunidade de chegar ao Brasil.

 

Os primeiros classificados de cada um dos nove grupos apuram-se directamente para o Mundial. E os oito melhores segundos classificados disputam um play-off.

 

Portugal soma presentemente 18 pontos, mas como joga num grupo com seis equipas terá de descartar os pontos obtidos com o último classificado do grupo – é esta a forma definida pela FIFA para o segundo classificado do Grupo I, que só tem cinco formações, não ser prejudicado.

 

Assim, Portugal tem actualmente 15 pontos nas contas dos segundos classificados (deita fora três pontos ganhos ao Luxemburgo). Mas, se perder com o Luxemburgo na terça-feira e o Azerbaijão cair para último, a formação das “quinas” passa a somar apenas 12, no somatório com primeiro, terceiro, quarto e quinto classificados do seu grupo.

 

Ficando pelos 12 pontos, a selecção lusa arrisca-se a ser o pior segundo, entre os nove grupos de apuramento, já que há a possibilidade de todos fazerem pelo menos essa pontuação.

 

A Bulgária, segunda classificada do Grupo B, não pode fazer mais do que 10 pontos nestas contas, mas a Arménia, presentemente no quinto posto, ainda pode saltar para o segundo e chegar a 12, uma vez que só descarta três pontos com Malta, garantidamente a última classificada desse grupo.

 

De qualquer forma, para a Arménia ser uma melhor segunda classificada do que Portugal é necessária uma conjugação de resultados (bastante improvável): a selecção portuguesa perder com o Luxemburgo, a Arménia derrotar a Itália, a Dinamarca perder com Malta e a República Checa empatar com a Bulgária – e mesmo que Portugal perca e esta conjugação de resultado se verificar, a equipa de Bento estaria no play-off se for a Irlanda do Norte (e não o Luxemburgo) o último classificado do grupo. Isto porque só descartaria quatro dos 18 pontos já somados.

 

No que respeita aos outros agrupamentos, a Turquia (Grupo D) pode atingir os 13 pontos, a Ucrânia (H) os 15, a Islândia (E) os 16, a Croácia (A), a Suécia (C) e a França (I) os 17 e a Grécia (G) os 19.

 

José Manuel Ribeiro

 

Retirado do Público

publicado por olhar para o mundo às 11:17 | link do post | comentar
Terça-feira, 05.02.13

Cristiano Ronaldo Joga contra o Equador

Cristiano Ronaldo

O internacional português admitiu que não está a 100% fisicamente, mas o técnico não tem dúvidas.

O seleccionador português de futebol, Paulo Bento, confirmou que Cristiano Ronaldo jogará contra o Equador, no particular de quarta-feira, em Guimarães. “O seu estado é bom e está fisicamente bem, apesar de ser um jogador que compete sempre muito durante o ano”, disse o seleccionador nacional, questionado quanto à sobrecarga de jogos do capitão português.

 

Frisando que a questão emocional “é muito importante, e, também aí, está sempre bem”, Paulo Bento justificou: “Já somámos 28 jogos desde 2010, e ele esteve em 25, sempre com vontade de representar a selecção nacional”. “Sabemos bem como isto funciona. Mas o cargo de seleccionador é de consenso entre a selecção e os clubes e não uma guerra entre a selecção e os clubes”, disse.

 

De acordo com Paulo Bento, “Ronaldo vai jogar”, depois se verá “o tempo que jogará”. “Temos seis substituições e tentaremos gerir da melhor maneira, durante os 90 minutos, sem pôr em causa a nossa competitividade e o objectivo”, afirmou, colocando um ponto final no assunto relativo ao jogador do Real Madrid.

 

Quanto ao confronto com o Equador, Paulo Bento sublinhou que, “independentemente de serem jogos particulares ou oficiais”, Portugal tem de “competir da melhor maneira, enquadrando o momento dos jogadores que estão na selecção, não pondo em causa os 90 minutos de um jogo que pretender preparar os próximos jogos oficiais”.

 

Sublinhando que “os resultados são sempre importantes”, o seleccionador pretende “agregar a um bom resultado uma boa exibição”. “Não devemos abdicar dos nossos processos, de fazer as coisas bem só por causa de um resultado. Tentaremos fazer coincidir um bom resultado com uma boa exibição”, disse o treinador.

 

Quanto ao Equador, o seleccionador nacional explicou que se trata de um conjunto “com algo similar ao sistema de jogo de Israel”, próximo adversário de Portugal na qualificação para o Mundial 2014. “Os equatorianos têm grande qualidade do meio-campo para a frente, são evoluídos tecnicamente e rápidos, com agressividade e intensidade no processo defensivo, o que vai obrigar a jogar com qualidade e concentração”, explicou.

 

Paulo Bento referiu-se ainda à chamada de André Gomes, médio do Benfica, que substituiu na convocatória Ruben Micael (indisponível por lesão): “Estava sob observação há algum tempo”. “À parte os minutos no Benfica B, já tinha jogado em todas as competições [pela equipa principal]. E, num jogo de grau de dificuldade elevado, no Sporting-Benfica, revelou uma maturidade acima da média para a idade que tem”, justificou, admitindo que esta chamada “não impede que André Gomes prossiga o seu caminho nos sub-20 ou sub-21”.

 

Numa última nota, o técnico referiu-se ao muito público na sessão matinal desta terça-feira (quase cinco mil na ponta final do treino): “O que se pretende sempre é que haja apoio. Depois, temos que fazer a nossa parte: jogar bem e competir para contar com esse apoio”.

 

A selecção portuguesa defronta o Equador na quarta-feira (20h45, RTP1), no Estádio D. Afonso Henriques, em Guimarães, em jogo de preparação com vista ao apuramento para o Mundial 2014.

 

Após quatro jogos, Portugal é terceiro classificado no Grupo F de qualificação para o Mundial 2014, em igualdade com o segundo, Israel, ambos com sete pontos, e a cinco da Rússia, que lidera só com vitórias. No seu próximo compromisso desta campanha, a selecção portuguesa visita a congénere israelita, a 22 de Março.

 

Noticia do Público

publicado por olhar para o mundo às 19:21 | link do post | comentar
Sábado, 02.02.13

O longo e difícil trajecto dos Lobos rumo a Inglaterra começa neste sábado

O longo e difícil trajecto dos Lobos rumo a Inglaterra começa neste sábado

A selecção nacional de râguebi inicia, no Estádio Universitário de Lisboa, a fase de qualificação para o Mundial 2015.

 

Os anos passam, mas a história repete-se. A selecção nacional de râguebi inicia neste sábado, no Estádio Universitário de Lisboa, frente à Roménia (15h30, SportTV4), a fase de qualificação para o Mundial 2015. E, à semelhança do que aconteceu em apuramentos anteriores, Portugal não estará na máxima força. Para além das incontornáveis lesões, o seleccionador Errol Brain não pode contar com jogadores importantes para a equipa por “motivos pessoais”. Mais uma vez, a “chantagem” a que os atletas são sujeitos pelos clubes franceses fragiliza os Lobos.

 

A situação é delicada para a Federação Portuguesa de Râguebi (FPR) e parece não ter resolução. A selecção nacional recebe hoje a Roménia, um dos principais rivais na luta pelo apuramento directo para o Mundial, mas jogará desfalcada num dos sectores onde, tradicionalmente, sente mais dificuldades frente às formações do Leste: a primeira-linha.

 

Perante um adversário que tem na força do pack avançado a sua principal arma, Portugal não vai contar com Cristian Spachuk, Tadjer Barbosa, David Penalva e Aurélien Béco. Os três primeiros invocaram “motivos pessoais” para não defrontarem a Roménia, enquanto Béco informou que está lesionado, apesar de a FPR não ter recebido qualquer relatório médico a justificar a lesão.

 

Contactado pelo PÚBLICO, Tomaz Morais, director técnico nacional, explicou que Tadjer Barbosa e David Penalva entraram em contacto com a FPR e que os dirigentes federativos, “olhando para o lado humano”, acederam às solicitações dos jogadores. “Ao Tadjer Barbosa, que acaba contrato este ano, foi pedido para jogar. O clube tem os outros talonadores lesionados. Percebemos que era importante para ele jogar pela equipa e chegámos a um acordo”, revelou.

 

O mesmo se passa com David Penalva, “um jogador muito querido” que “já deu muito à selecção”. Em relação a Spachuk, o luso-argentino “vai ser pai” e não queria “deixar a mulher, que é portuguesa e não fala francês, sozinha em França”. Os três jogadores estarão, no entanto, disponíveis para próximas convocatórias.

 

Diferente é a situação de Aurélien Béco. O jogador do Colomiers informou a FPR que “tinha uma lesão no pescoço”, mas, ao contrário do que aconteceu com Samuel Marques — o Albi enviou o relatório médico —, todas as tentativas federativas para confirmar a lesão de Béco foram infrutíferas. “Vamos estar atentos ao que se vai passar este fim-de-semana”, garantiu Tomaz Morais.

 

O director técnico nacional, que sabe que “os jogadores sofrem muita pressão pelos clubes”, lembrou que há regulamentos para cumprir e garantiu que a FPR será intransigente a fazer valer os seus direitos se Béco alinhar pelo Colomiers neste fim-de-semana.

 

Apesar das ausências, Morais acredita que Portugal tem “armas para derrotar a Roménia”, num jogo que “vai ser decidido no combate”. “Se aguentarmos a intensidade que os romenos vão introduzir no jogo, podemos vencer”, afirma o director técnico nacional, que, no entanto, adverte para a pouca rotina de jogo entre o par de médios: Francisco Magalhães e Pedro Leal.

 

Para além da Roménia, Portugal terá que defrontar no apuramento a Geórgia, a Rússia, a Espanha e a Bélgica. Os georgianos são os grandes favoritos e dificilmente deixarão fugir o primeiro lugar, mas entre as restantes selecções há muito equilíbrio.

 

Os romenos, que nunca falharam o apuramento para um Campeonato do Mundo, serão, em teoria, os principais rivais de Portugal na luta pelo segundo lugar, a par da Rússia, que, nos últimos anos, tem dado muitas dores de cabeça à selecção portuguesa.

 

Num segundo patamar, mas com legitimas aspirações a lutar pela qualificação estão a Espanha e a Bélgica. Os espanhóis têm progredido muitos nos últimos anos e são sempre um problema para Portugal, pela rivalidade entre as duas selecções, enquanto os belgas, que contam com muitos jogadores que alinham nos campeonatos franceses, são a grande incógnita.

 

Os dois primeiros classificados da fase de qualificação, que apenas terminará em Março do próximo ano, apuraram-se directamente para o Mundial 2015, enquanto o terceiro classificado vai disputar uma repescagem.

 

XV de Portugal: 1 - Francisco Fernandes, 2 - João Correia, 3 - Juan Murré, 4 - Gonçalo Uva, 5 - David dos Reis, 6 - Jacques Le Roux, 7 - Julien Bardy, 8 - Juan Severino; 9 - Francisco Magalhães, 10 - Pedro Leal, 11 - Gonçalo Foro, 12 - Carl Murray, 13 - Frederico Oliveira, 14 - Adérito Esteves, 15 - Nuno Penha e Costa.

 

XV da Roménia: 1 - Lazar Mihaita, 2 - Radoi Andrei, 3 - Ursache Andrei, 4 - Ursache Vali, 5 - Sirbe Marius, 6 - Lucaci Viorel, 7 - Macovei Mihai, 8 - Carpo Daniel, 9 - Surugiu Florin, 10 - Manole Dorin, 11 - Apostol Adrian, 12 - Vlaicu Florin, 13 - Dascalu Robert, 14 - Rosca Mihai, 15 - Fercu Catalin.

 

Calendário da 1.ª fase do apuramento:


Jornada 1 (2 Fevereiro)


PORTUGAL - Roménia
Rússia - Espanha
Bélgica - Geórgia

 

Jornada 2 (9 Fevereiro)


Geórgia - PORTUGAL
Roménia - Rússia
Bélgica - Espanha

 

Jornada 3 (23 Fevereiro)


Rússia - Geórgia
Espanha - Roménia
PORTUGAL - Bélgica

 

Jornada 4 (9 Março)


Geórgia - Espanha
PORTUGAL - Rússia
Bélgica - Roménia

 

Jornada 5 (16 Março)


Roménia - Geórgia
Espanha - PORTUGAL
Rússia - Bélgica

 

Retirado do Publico

publicado por olhar para o mundo às 14:04 | link do post | comentar
Quinta-feira, 03.01.13

Paulo Bento considerado o sétimo melhor seleccionador do mundo

Paulo Bento considerado o sétimo melhor seleccionador do mundo

O técnico português levou a selecção às meias-finais do Campeonato da Europa.

 

O português Paulo Bento foi designado o sétimo melhor seleccionador nacional em 2012, segundo a classificação divulgada hoje pela Federação Internacional de História e Estatística do Futebol (IHHFS), liderada pelo espanhol Vicente del Bosque.

 

O seleccionador português obteve 16 pontos, muito longe dos 231 atribuídos a del Bosque, num ano em que levou a “equipa das quinas” às meias-finais do Campeonato da Europa, nas quais foi eliminado precisamente pela Espanha.

 

O treinador da selecção espanhola juntou o título europeu ao mundial que já tinha conquistado em 2010, ano em que também foi designado o melhor seleccionador nacional, o que lhe valeu a liderança destacada da lista elaborada pela IHHFS.

 

O italiano Cesare Prandelli, derrotado pela Espanha na final do Euro 2012, é o segundo classificado, mas com apenas 83 pontos, imediatamente à frente do mexicano Luis Tena, terceiro posicionado, que recebeu 70 pontos.

 

Joachim Löw, Hervé Renard e Alejandro Sabella, seleccionadores da Alemanha, Zâmbia e Argentina, ocupam a quarta, quinta e sexta posições, respectivamente, todos à frente de Paulo Bento.     

 

Noticia do Público

publicado por olhar para o mundo às 18:48 | link do post | comentar
Sexta-feira, 23.11.12

Mano Menezes afastado da selecção brasileira de futebol

Mano Menezes afastado da selecção brasileira de futebol
Mano Menezes foi esta sexta-feira demitido do cargo de técnico da selecção brasileira. Além do treinador, toda a comissão técnica foi afastada, confirmou a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) num comunicado divulgado esta tarde no seu site. O próximo nome só deverá ser anunciado em Janeiro, mas Luiz Felipe Scolari está entre os favoritos.

A decisão foi tomada depois de uma reunião em São Paulo, onde estiveram reunidos o presidente da CBF, José Maria Marin, o vice-presidente Marco Polo del Nero e o director de Selecções, André Sanches, escreve o portal de desporto da Globo.

 

Mano Menezes teve conhecimento da decisão logo após a reunião, mas ainda não se pronunciou sobre o sucedido.

 

Entre os nomes favoritos para ocupar o lugar agora vago estão Tite (do Corinthians), Muricy Ramalho (Santos) e Luiz Felipe Scolari.

 

No comando da selecção brasileira desde Agosto de 2010, Mano deixa o cargo apenas com as taças do Superclássico das Américas de 2011 e de 2012, com os fracassos na ‘Copa América’ e nos Jogos Olímpicos e com a queda histórica no ranking mensal da Fifa. Em Outubro, e sob a liderança de Mano Menezes, o Brasil caiu para sua pior posição na história do ranking da Fifa, 14º lugar. Actualmente, a selecção que é pentacampeã do mundo ocupa o 13º lugar.

 

Noticia do SOL

publicado por olhar para o mundo às 20:34 | link do post | comentar
Terça-feira, 16.10.12

Ronaldo chega ao 100 Jogos com a selecção

Ronaldo chega ao 100 Jogos com a selecção

Com 18 anos, Cristiano Ronaldo era um miúdo tímido, quando se apresentou para o seu primeiro estágio na selecção, em Agosto de 2003. O então avançado do Manchester United integrava um grupo com estrelas como Figo, Pauleta, Deco, Couto ou Rui Costa, este último seria quem lhe cederia o lugar no primeiro jogo, contra o Cazaquistão, aos 46 minutos. Passaram nove anos desse particular com o Cazaquistão e Ronaldo, lançado então por Scolari, passou a CR7, a timidez deu lugar à vanglória de líder, o jogador-promessa é agora um dos melhores do mundo e luta pela Bola de Ouro, a segunda da sua carreira. Hoje, com a Irlanda do Norte, Ronaldo faz o jogo 100 pela selecção.


Ainda mais para trás, no início do ano de 2001, Ronaldo era considerado uma das jóias mais valiosas do Sporting e foi chamado para a estreia na selecção sub-15. O seleccionador dessa equipa, Carlos Dinis, lembra-se de ver o “miúdo traquinas” sem respeito pelas “indicações tácticas” a trautear o hino. “A primeira coisa que me vem à cabeça dessa data é o Cristiano a ensaiar o hino”, conta ao “DN”. As etapas nas selecções mais jovens queimou-as a um ritmo alucinante e, em dois anos, Ronaldo, que deve o seu nome ao antigo presidente do EUA Ronald Reagan, estava a estrear-se na formação principal.

Para chegar ao jogo 100, Luís Figo lembra, do alto de ser o mais internacional dos jogadores portugueses - 127 jogos pela selecção, quando abandonou há seis anos (1991-2006) -, os “sacrifícios e alegrias” por que Ronaldo passou. “É um número redondo, atrás do qual se escondem muitos sacrifícios, muitas alegrias, a expectativa de alcançarmos sempre os nossos objectivos”, destaca Figo, que não tardará muito a ver-se ultrapassado pelo actual jogador do Real Madrid. 

Ronaldo tem uma média de 11 jogos por ano, pelo que precisará de pouco mais de dois anos para bater o antigo capitão da selecção. CR7, com 27 anos, é o primeiro em Portugal a atingir as 100 internacionalizações antes dos 30 anos. Luís Figo e Fernando Couto, este com 110 jogos pela selecção, são os únicos a atingirem a fasquia da centésima internacionalização, ainda que os dois antigos jogadores o tenham conseguido numa fase muito mais adiantada das respectivas carreiras: o médio contava 31 anos e o defesa já tinha ultrapassado os 34.

O avançado do Real Madrid já tinha sido o mais jovem a atingir as 50 internacionalizações, com 22 anos, substancialmente menos do que o anterior recordista, precisamente Figo, que tinha atingido a marca aos 26 anos. “A marca de Ronaldo é um sinal das suas qualidades e de uma enorme vontade em representar Portugal”, enfatiza Figo.

Fernando Couto foi o primeiro a chegar aos 100 jogos com o emblema da selecção. Mas nem por isso sente rivalidade, nem foi assim com Figo, nem o é agora com Ronaldo. “Os recordes são para bater”, diz, apontando para os números de CR7. Paulo Bento disse ontem, em tom profético, que irá ultrapassar os jogos de Figo e os golos de Pauleta. Ronaldo é o terceiro melhor marcador de sempre da selecção, com 37 golos, atrás de Eusébio (41) e do avançado açoriano (47). 

Desafio com ele próprio

“Ele bate todos os recordes, porque não haveria de bater o meu?”, perguntava em Junho deste ano Pauleta, o avançado que fez toda a sua carreira sem nunca ter experimentado a principal Liga portuguesa e chegou ao topo dos marcadores pela selecção. “O meu recorde está em perigo desde que Ronaldo está em competição. Neste momento sou o melhor marcador da selecção e de certeza absoluta que o Cristiano vai ultrapassar-me, isso só me deixa satisfeito”, declarou.

Foi a 20 de Agosto de 2003, num particular em Chaves, que Ronaldo vestiu pela primeira vez a camisola da selecção. “Foi um dos momentos mais marcantes da minha vida e um percurso que muito me orgulha pelo que todos juntos, conseguimos”, escreveu o avançado na sua página do Facebook. O jogador que nesse dia de Verão entrou depois do intervalo para enfrentar o Cazaquistão era alguém ansioso que queria mostrar o potencial que tinha.

“Não parava, os jogadores mais velhos diziam-lhe para ele respirar um pouco, porque eram constantes os ‘sprints’ e os piques que fazia”, lembra Carlos Godinho, director desportivo da FPF, a “O Jogo”. Cansava-se porque queria mostrar o valor que tinha.

António Simões não tem dúvidas que irá bater todos os recordes e estatísticas. E diz que agora o desafio é outro: com ele próprio. “Com tudo o que se passou na sua vida, com momentos não muito simpáticos, pequenas falhas de personalidade através de um perfil um pouco egoísta, possa ele fazer com que, não apenas tenha feito história, mas que fique na história”, diz o ex-internacional (46 jogos e 3 golos pela selecção). Fala de um reajustamento ao comportamento, à sua maturidade. “Este é o momento.”

O momento é simbólico e é já com a Irlanda do Norte, num jogo de apuramento para o Mundial 2014. Hoje, Ronaldo volta ao Estádio do Dragão, palco onde comemorou o seu primeiro golo pela selecção. E aqui vai tornar-se o terceiro europeu mais jovem a chegar às 100 internacionalizações, atrás do alemão Podolski e do estónio Viikmae.


Noticia do Público

publicado por olhar para o mundo às 20:42 | link do post | comentar
Segunda-feira, 15.10.12

Paulo Bento: “O ranking diz-me pouco”

Paulo Bento: “O ranking diz-me pouco”

Após a derrota (0-1) na Rússia, o seleccionador nacional não acredita em facilidades na partida frente à Irlanda do Norte.


“Não há adversários ‘ideais’ para recuperar após uma derrota. Pretendemos fazer um jogo de acordo com as nossas capacidades. Mas se fosse outro adversário teríamos o mesmo objectivo”, começou por afirmar Paulo Bento, na conferência de imprensa de antevisão da partida frente à Irlanda do Norte (terça-feira às 20h45, no Estádio do Dragão), a quarta de Portugal no Grupo F de qualificação para o Mundial 2014.

“Perdemos três pontos [na Rússia], mas não perdemos o ânimo ou a motivação. Continuaremos a lutar pelo objectivo de estar no Mundial”, acrescentou o técnico da equipa nacional.

Questionado sobre a importância da posição da Irlanda do Norte no ranking da FIFA (117.ª, numa tabela em que Portugal ocupa o terceiro posto), Paulo Bento desvalorizou o tema: “O ranking diz-me pouco. Não é uma preocupação nossa”, sublinhou. “A primeira preocupação é ganhar, não importa por quanto. O objectivo são os três pontos.”

Sobre a Irlanda do Norte, Bento disse ainda que se trata de uma equipa que “pode dar alguns problemas”. “Usa muito o jogo directo no seu ponta-de-lança. A nível defensivo, deverão usar um bloco baixo, apresentando-se muito recolhidos e a tentar sair em contra-ataque. Compete-nos tentar contrariar isso”, analisou o seleccionador português.

Bento admitiu que a equipa pode estar um pouco mais pressionada após a derrota na Rússia, mas negou que os próximos jogos tenham um carácter decisivo. “Estamos preparados e vamos abordar o jogo com confiança. Prefiro muito mais a situação actual que aquela que encontrei no caminho para o Euro 2012, quando joguei aqui [no Estádio do Dragão] pela primeira vez [contra a Dinamarca]. Tínhamos três jogos e um ponto”, lembrou.

Voto de confiança em Ruben Micael

“Não faremos grandes alterações ao ‘onze’”, revelou ainda Paulo Bento, garantindo que Ruben Micael “vai jogar”. “A única pessoa que errou no golo da Rússia fui eu. Eu é que os mando jogar assim. O futebol é um jogo de erros”, vincou o seleccionador, a propósito da perda de bola do médio do Sporting de Braga, que ditou o golo da vitória da Rússia sobre Portugal.

Relativamente à chamada de Nelson para o lugar do lesionado Fábio Coentrão, Paulo Bento explicou que a opção recaiu em “ter laterais direitos que fazem também a posição de esquerdo, como é o caso do Miguel Lopes”. “O Eliseu era uma possibilidade, mas adaptaríamos um extremo a lateral”, esclareceu.

O encontro com a Irlanda do Norte marcará também o jogo número 100 de Cristiano Ronaldo com a camisola da selecção nacional. “É o terceiro jogador a chegar à centésima internacionalização, algo alcançado por muito poucos jogadores. Que faça muito mais internacionalizações”, desejou o técnico. “Até final da carreira acabará por bater o recorde de internacionalizações e de golos” pela selecção, acredita Paulo Bento.


Noticia do Público


publicado por olhar para o mundo às 20:26 | link do post | comentar
Domingo, 14.10.12

João Moutinho só admite “vencer” a Irlanda do Norte

João Moutinho só admite “vencer” a Irlanda do Norte

João Moutinho garantiu que Portugal só admite “vencer” a Irlanda do Norte na terça-feira, considerando-o o único resultado válido para a selecção manter intactas as aspirações de apuramento para o Mundial 2014.


“Na Rússia, sofremos uma derrota que não esperávamos. Mas isso não torna as coisas impossíveis ou muito mais difíceis. Torna-as complicadas porque perdemos um jogo que não esperávamos, mas temos ainda vários jogos e a Rússia ainda vem cá. Temos de defrontar outras selecções sobre as quais somos teoricamente favoritos, mas temos de mostrar em campo que somos melhores. A começar frente à Irlanda do Norte”, vincou Moutinho. 

O médio do FC Porto salientou que frente a uma selecção teoricamente mais frágil só os três pontos interessam, para que Portugal não se desvie do trilho do apuramento. 

“É mais um desafio importante. Estamos focados para dar o nosso melhor. Começar a trabalhar da melhor maneira para preparar esse jogo e, como em todos, entrar para vencer. É o nosso grande objectivo”, frisou. 

Moutinho assegurou que o adversário está mais do que analisado, tratando-se de um oponente com “jogadores muito fortes fisicamente” e que prometem “criar imensas dificuldades no jogo directo”. 

O triunfo implica marcar golos, tarefa que o médio portista espera ver dificultada por uma Irlanda do Norte empenhada em travar a desejada avalanche ofensiva lusa. 

“Depois do que temos feito, qualquer selecção vai ter mais cautelas defensivas connosco. Temos dos melhores do mundo na frente, criamos muitas oportunidades. Estas equipas defendem mais, mas temos de encontrar soluções e marcar golos, pois sem eles não há vitória”, referiu. 

Se o resultado importa, satisfazer o público é outro dos objectivos da equipa das “quinas”, embora nunca colocando em causa a meta pontual. 

“Este é mais um jogo em que vamos manter o perfil desde que Paulo Bento entrou. Fazer o nosso futebol. Mesmo que as coisas não estejam a correr da melhor maneira, acreditamos. Conseguimos chegar à vitória na maior parte dos jogos. Vamos continuar a dar o nosso melhor e fazer bom futebol para que as pessoas que vierem ao estádio saiam satisfeitas. Vamos tentar conciliar as duas coisas”, prometeu. 

Cristiano Ronaldo vai cumprir o jogo 100 com a camisola da selecção principal e João Moutinho acredita que o “capitão” luso “tem tudo para bater todos os recordes” da equipa das “quinas”, pois entende que o companheiro “é o melhor do mundo e vai continuar a mostrá-lo em todos os jogos”. 

João Moutinho acredita que o habitual apoio dos portugueses à selecção se justifica pelo que esta tem vindo a fazer “ao longo do trajecto de Paulo Bento”. 

“Temos conseguido bons jogos e vitórias, essenciais para as pessoas acreditarem. Acreditam em nós e continuam a apoiar. De certeza que, com o estádio cheio, vão apoiar do primeiro ao último minuto para nos motivaram e conseguirmos um bom resultado no Dragão. É o que estamos à espera. Agradeço às pessoas que encherem o estádio. Espero que venham ajudar a selecção”, disse. 

A derrota na Rússia é passado e já foi analisada pelo grupo, que entende não ter feito um “mau jogo” em Moscovo - ainda assim, Moutinho entende que Portugal “não esteve no seu melhor no início” e acabou por ser surpreendido com a “entrada forte da Rússia”. 

“Depois, pusemos a Rússia a jogar 80 minutos no seu campo. Só que não conseguimos concretizar em golo as oportunidades. Agora, o mais importante é ganhar os três pontos com a Irlanda do Norte, pois ainda vai haver vários jogos”, concluiu. 


Noticia do Público

publicado por olhar para o mundo às 19:10 | link do post | comentar
Sábado, 13.10.12

Nelson chamado à selecção

Nelson chamado à selecção

O defesa Nelson, do Betis de Sevilha, foi chamado por Paulo Bento para os trabalhos da selecção portuguesa de futebol, em virtude das lesões de Raul Meireles e Fábio Coentrão, informou este sábado a Federação Portuguesa de Futebol (FPF).


Uma nota publicada pelo organismo dá conta da chamada do lateral da equipa espanhola para o encontro de terça-feira com a Irlanda do Norte, do Grupo F de qualificação para o Mundial 2014, depois de o médico da selecção ter anunciado na sexta-feira que Meireles e Coentrão eram “baixas” certas.

“Devido às lesões de Raul Meireles e Fábio Coentrão, irrecuperáveis para o próximo jogo de apuramento para o Mundial 2014, Portugal contará com 22 atletas para o jogo face aos irlandeses”, acrescenta a nota da FPF.

O defesa Fábio Coentrão sofreu uma lesão nos músculos adutores, na fase inicial da partida com a Rússia, disputada na sexta-feira em Moscovo, onde Portugal perdeu por 1-0. O médio Raul Meireles lesionou-se no treino de quinta-feira, véspera do jogo, ao sofrer uma entorse no ligamento do joelho esquerdo que o impediu de alinhar.

Depois da derrota em Moscovo, Portugal recebe na terça-feira a Irlanda do Norte, no estádio do Dragão, no Porto, a partir das 20h45. A Rússia isolou-se no comando do grupo Grupo F, com nove pontos, mais três do que Portugal.


Noticia do Público


publicado por olhar para o mundo às 17:57 | link do post | comentar | ver comentários (1)

mais sobre mim

pesquisar neste blog

 

First Class Radio 

posts recentes

últ. comentários

  • Minha esposa dorme durante a relacao eu viro chego...
  • Minha esposa as vezes dorme , aí eu paro viro de l...
  • hmmm fixe! Será uma daquelas edições para colecion...
  • Interessante
  • gosto do suave tom da sua voz :)
  • Vou procurar para ouvir =)Beijinhos
  • Neste Natal só te desejo duas coisas: TUDO e NADA!...
  • Recomendadíssimo!!Para quem não conhece a sonorida...
  • Great article!

Posts mais comentados

arquivos

tags

favoritos

subscrever feeds



blogs SAPO