Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

As Coisas da Cultura

Porque há sempre muito para ver e para contar

Porque há sempre muito para ver e para contar

As Coisas da Cultura

26
Nov13

Fechou o King e a atenção pública foi mínima

olhar para o mundo

Fechou o King e a atenção pública foi mínima


Fechou o King e a atenção pública foi mínima

Há situações que precisam de ser explicadas”, começou por dizer o produtor e distribuidor Paulo Branco, o responsável pelo - agora extinto - Cinema King. 

O King, que teve ontem o seu último dia de exibição cinematográfica naquele que era um espaço único situado ao lado da Avenida de Roma, encerrou portas devido à insustentabilidade financeira provocada pela revisão da renda e a perda significativa de espectadores no último ano. 

Numa conferência de imprensa dada na Sala 1 do Cinema King, o distribuidor mostrou o seu desagrado e tristeza pelo encerramento, mas também para a falta de atenção por parte dos portugueses e das entidades do Governo ao cinema. 

Há 10 ou 12 anos atrás, apesar de reiterar a situação que podia acontecer na edição e distribuição [do cinema] em Portugal, não fui ouvido”, referiu Paulo Branco, mencionando que informou várias vezes, a autarquia de Lisboa e o Secretário de Estado da Cultura, da situação delicada em que se encontrava a distribuição de cinema de autor e algumas salas de cinema na capital. 

Paulo Branco tem noção de que esta situação é fruto de um aglomerado de “contratempos”, assim apelidou, como a força cada vez maior dos multiplexes, que são dominados pela industria americana e de Hollywood, pelas pipocas, e por todo o fervor exterior ao filme a que na realidade se vai assistir. 

A redução do número de espectadores na sala – 60 000 espectadores em 2012 competiram com apenas 40 000 espectadores desde Janeiro a Outubro deste ano -, a “digitalização selvagem neste país” sobre a qual existe um total alheamento por parte da autoridade da concorrência, a falta de divulgação por parte da comunicação social e das televisões, foram ainda outros aspectos que apresentou para justificar o fecho do King e essencialmente a fraca adesão ao cinema em Portugal. 

Ir ao cinema é uma experiência e essa experiência tem de ser cultivada como acontece noutros países“, referiu, aludindo ao forte peso que a educação para o cinema e para a cultura tem na vida dos portugueses. “Estou aqui mais a pensar no futuro do que no passado”. 

Segundo Paulo Branco, a renda que pagava para ter o espaço aberto, passou de 4 000 e poucos euros para cerca de 12 000 euros, devido à revisão do IMI actualmente em vigor. 

É um milagre as salas de cinema independente estarem abertas”, afirmou o distribuidor que ainda assim pretende manter o espírito do cinema de autor existente. “O Monumental e o Nimas vão ser os herdeiros do espirito do King”. 

Quanto ao material de projecção do King, disse que iria aproveitar para levar o cinema independente “às províncias”, principalmente para as zonas que constituem os ¾ do país onde não chega este tipo de cinema. 

Está fora de questão uma nova sala de cinema? “Nada está fora de questão”, respondeu o produtor. “Enquanto tiver pelo menos cabeça e energia vou continuar”. 

Em Lisboa, Paulo Branco é actualmente detentor do Espaço Nimas, do Cinema Fonte Nova e do Monumental. 

A Medeia Filmes, do qual é responsável, tem também programação no Cine Estúdio Teatro do Campo Alegre, no Porto, e no Auditório Charlot, em Setúbal.
 


retirado do HardMúsica

26
Nov13

Ups… Afinal sou lésbica!

olhar para o mundo

Ups… Afinal sou lésbica!

 

Lidar com a sexualidade não é um assunto particularmente fácil e assumir que se é gay, lésbica, bissexual ou transformista é difícil em qualquer idade.

 

A orientação sexual traduz a forma como se atrai romanticamente e sexualmente por outras pessoas. No caso da homossexualidade, tanto feminina como masculina, a atração é sentida por pessoas do mesmo sexo. 

 

Para a maioria das pessoas, ser homossexual não é uma escolha, faz parte daquilo que são, sendo que esta descoberta pode ser feita ao longo do tempo. Muitas pessoas ficam a par da sua orientação sexual durante a adolescência ou no período da pré-adolescência, sendo que esta etapa pode ser marcada por várias experiências que só por si não significam que certo adolescente será homossexual.

 

Nalguns adolescentes a atracção pelo mesmo sexo desvanece-se, enquanto que noutros se torna mais forte. Por outro lado, também é comum assumir a sexualidade mais tardiamente, como no caso recente da cantora brasileira Daniela Mercury, que passou por dois casamentos heterossexuais e que em 2013 se assumiu como gay perante a sociedade, apresentando a sua companheira.

 

Como lidar com a sua sexualidade


Ter a certeza daquilo que quer e sentir-se confortável com a sua escolha é o primeiro passo. Será mais fácil fazer compreender às outras pessoas aquilo que é e o que sente se primeiro se sentir confortável e com segurança, estando menos vulnerável à rejeição. «Manter relações sexuais e assumir uma identidade sexual são processos que não se associam como etapas sequenciais de um curso de vida organizado», sublinha Andrea Moraes Alves, investigadora brasileira, autora do estudo «Envelhecimento, trajetórias e homossexualidade feminina».

 

Desabafar com alguém em quem confie totalmente pode revelar-se uma ajuda fundamental nesta fase. «Escolha alguém de confiança para fazer a sua primeira revelação, um amigo ou um familiar que saiba que não vai criticar as suas decisões e que lhe prestará todo o apoio que precisa».

 

Este está, no entanto, longe de ser o único conselho destes especialistas. «Não se sinta pressionado(a). Cada pessoa leva o seu tempo. Se não se sente seguro(a) da sua decisão, por vezes é melhor esperar até o momento se tornar mais oportuno. Reações intempestivas tendem a ser mal recebidas, pelo que deve preparar o momento com calma para que a sua conversa seja bem aceite», sublinham.

 

Ter paciência também integra a lista de recomendações. «Seja paciente, provavelmente levará algum tempo até que as pessoas à sua volta aceitem a sua orientação sexual. A homossexualidade é um processo para si e para a sua família e amigos, pelo que requere um período de ajustamento», alertam os especialistas.

 

Viver (mais) feliz


Se é gay, é importante compreender que não está sozinha. Existem pessoas que partilham as mesmas questões e os mesmos receios, quer já tenha assumido a sua homossexualidade ou não. Pode ser útil falar com outras pessoas sobre aquilo que está a sentir e procurar aconselhamento se for caso disso. Na internet, encontra sites de associações de defesa dos direitos homossexuais e de grupos de apoio que a poderão ajudar.

 

O stress e a ansiedade de lidar com a discriminação podem ter repercussões na sua saúde psicológica e levar à depressão. É bom que esteja preparada para isso. As pessoas que continuam a manter a sua orientação sexual em segredo têm uma maior preocupação relativamente à descoberta deste facto por parte dos outros.

 

É muito stressante esconder um segredo desta importância, podendo este facto ter consequências na sua saúde e na sua relação com as outras pessoas. Ninguém escolhe a sua sexualidade, sendo impossível saber o que faz das pessoas gays, lésbicas, bissexuais ou heterossexuais. Se sente atração por alguém do mesmo sexo, o mais importante é identificar as suas emoções, para que possa tomar decisões futuras que conduzam à sua felicidade.

 

Retirado do Sapo Mulher

24
Nov13

Exposição "Geração 2013" inaugurada no Barreiro

olhar para o mundo

Exposição


Exposição "Geração 2013" inaugurada no Barreiro

Será inaugurada a 23 de Novembro pelas 18:00 na Galeria de Arte do Barreiro, a exposição colectiva de Arte de jovens do Barreiro intitulada “Geração 2013”.

 

Esta exposição é organizada pela Câmara Municipal do Barreiro em parceria com a Artesfera, a Associação de Artes Plásticas do Barreiro.

 

A organização tem por objectivo valorizar e apresentar os novos valores da arte que estão a despontar no Barreiro. Esta exposição conta com algumas premissas destacando-se o convite a artistas com menos de 40 anos de idade e que ali tenham obtido a sua formação, participado em exposições ou tenham desenvolvido a sua actividade artística com regularidade.

 

Os artistas envolvidos contam maioritariamente com formação de artes plásticas, design, cinema e gestão e economia, transportando isso para os seus trabalhos artísticos onde utilizam várias linguagens desde a banda desenhada ao grafitti, da ilustração à pintura, da escultura aos grafismos ou fotografia.

 

Não existe uma definição para estes artistas obrigando a quem visita a exposição uma busca pelos vários sentidos e sobre os vários géneros artísticos apresentados.

 

A exposição estará patente na Galeria de Arte do Barreiro até ao próximo dia 31 de Dezembro.

 

Retirado do HardMúsica

23
Nov13

O amor está a mudar?

olhar para o mundo

O amor está a mudar?

O amor é uma forma poderosa de estimular as nossas vidas, mas a sua ausência pode motivar diferentes estados de espírito como a tristeza e a depressão. Por isso é importante que haja humildade, diálogo e entendimento e se conheça bem o perfil do seu amado, só assim uma relação terá sucesso. Faça a sua autoavaliação e perceba qual o seu estilo de amar.

 

O amor é um sentimento multifocal. é, segundo a psicologia, uma confluência de paixão, intimidade e união. Está ligado a numerosas emoções e influencia os comportamentos. O amor, ele próprio, combina-se com sentimentos de fundo como a excitação, o bem-estar, o entusiasmo e a harmonia.

 

O amor influencia também o estado do nosso Eu (nas suas dimensões espiritual, psíquica e física) e pode contribuir para o enriquecimento da autoestima. o que quer dizer que, na ausência do sentimento do amor, ou na sua falta de correspondência, o nosso psiquismo pode falhar, sofrer ruturas e provocar sentimentos de frustração, desânimo, tristeza e depressão.

 

O ser humano está predisposto geneticamente para amar e ser amado porque é um animal profundamente social, envolvido em múltiplas redes de relações (familiares, comunitárias, laborais, etc.). Os sentimentos têm servido ao homem para o influenciar na sua perceção de si e do mundo e levá-lo a agir no e sobre o mundo. O amor, em particular, é um estimulante poderoso (motivador) da ação. Já a falta de amor conduz à inação.

 

O desenvolvimento da capacidade de amar depende de fatores históricos, culturais e familiares. O amor, hoje, é diferente do que era em épocas passadas. por exemplo, no período do Romantismo (final do século XVIII e grande parte do século XIX) o amor estava associado à paixão - um sentimento intenso, contemplativo e subversivo. Ele era sentido como emancipador mesmo que trágico, como na história de Romeu e Julieta.

 

Atualmente, o amor é mais dominado pela racionalidade. O amor já não provoca escravidão como antes da época do Romantismo. O sofrimento é mais limitado nas suas consequências e, não amar para toda a vida já não constitui um drama para a maioria das pessoas. O amor romântico, por exemplo, ainda que procurado por muitas pessoas, não passa agora de um mito. «A paixão de hoje é mercadoria de consumo. Não tem nada a ver com o destino, com os riscos, com o enfrentamento» - escreveu Renato Ribeiro, professor titular de ética e filosofia política.

 

O amor em tempos de divórcios


As transformações sociais modificaram um pouco a forma como o amor é percebido, sentido e gerido. O modo de amar depende muito das aprendizagens sociais nos primeiros anos de vida. Num mundo em que aumentam os divórcios entre casais, os filhos ficam menos preparados para relacionamentos amorosos duradouros.


Por outro lado, nas escolas, ensina-se mais sobre as relações sexuais do que sobre as relações amorosas. Os jovens sabem mais sobre sexo do que sobre amor. E isto influência o seu comportamento no mundo.

 

Como é que o ser humano ama?


Data dos anos 70 o primeiro estudo sobre os diferentes estilos de amor. As conclusões do sociólogo John Alan Lee, ainda hoje são consideradas válidas. Homens e mulheres podem amar-se de forma diferente e não complementar. As pesquisas mostram que os relacionamentos amorosos entre eles assentam em estilos diferentes e que essa não complementaridade pode explicar o fracasso de muitas ligações sentimentais. A falta de recompensa mútua devido às diferenças de estilo pode pôr em risco uma relação, criando conflitos frequentes e, finalmente, rupturas.

 

A forma como uma pessoa ama o seu parceiro depende de muitos fatores: personalidade, autoconceito, cultura, educação, etc. Dessa confluência resulta um estilo preferencial de amar. Alguns são compatíveis com o estilo do parceiro. Outros não.

 

O sucesso da relação vai depender de como os dois amantes forem capazes de superar as lacunas e as diferenças. O egoísmo pode ser, porém, um fator impeditivo de uma relação bem-sucedida se ambos não abdicarem das suas exigências e posturas.

 

O amor bem sucedido depende também da humildade e da franqueza. Conversar sobre as diferenças e as expetativas de cada um em relação ao outro pode facilitar o sentimento.

 

Retirado do Sapo Mulher

23
Nov13

Eu quero ser como o (Luís Filipe) Vieira

olhar para o mundo

Eu gostava de ser como Luís Filipe Vieira (tirando a parte de ele ser do Benfica, sendo eu do Sporting e talvez em matéria de orelhas prefira as minhas). Porque o Estado assumiu uma dívida do presidente do Benfica no valor de 17 milhões de euros. Vieira e a sua empresa deviam esse dinheiro ao BPN e parece que foi dado como incobrável.

 

Eu juro que não preciso tanto, mas se for preciso fico incobrável também. A mim quaisquer 170 mil, que é só 1% do que lhe perdoam, já me deixava feliz. Mas 1,7 milhões, ou seja 10% deixava-me muito rico, mas se não quiserem dar-me mais de 0,1%, ou seja 17 mil euros, eu já vos agradeço bastante.

 

Pensando melhor, isto deve ser tudo mentira, uma cabala contra o presidente do Benfica (apesar de ainda não ter visto qualquer desmentido). Porque um senhor que tem uma dívida de 17 milhões não deve poder estar à frente de uma instituição de utilidade pública que recebe dinheiros públicos. Se acaso o presidente do Sporting, do Porto ou do Braga forem também prejudicados por uma norma assim, paciência. Gosto muito do meu clube, mas gosto mais de contas bem feitas e de verdade e transparência.

 

Se for verdade, no entanto, deixem-me gritar: ESCÂNDALO! Ao pé disto, o que se diz dos políticos é - como dizia o Berardo - 'penauts', ou, em português, amendoins. Não gozem mais com o Zé pagante, porque eu sinceramente já não aguento!

 

Luís Filipe, grande homem. Andar todos os dias na televisão sabendo que nós lhe pagamos as dívidas (mesmo aqueles que como eu foram contra a nacionalização do BPN porque já sabiam no que ia dar...) é de homem. E de homem corajoso!

Eu não tinha cara para isso...  

 

PS - Os policias manifestantes terem rompido a barreira da polícia no Parlamento, embora sem consequências, é preocupante, pelo menos do ponto de vista simbólico. Também o facto de Soares ter dito que o Presidente e o primeiro-ministro devem ir para casa "enquanto o podem fazer pelo próprio pé" constituí uma ameaça que só se desculpa pela idade avançada de quem a disse. Um facto e outro demonstram, sobretudo, a falta de cultura democrática que por aí campeia. Os nossos órgãos políticos foram eleitos de acordo com regras que não foram alteradas e têm prazos, que não foram alterados, para ser substituídos. Ser democrata é saber que pode protestar, pressionar, indignar-se, propor, manifestar-se, mas nunca ameaçar quem foi legitimamente escolhido.


Retirado do Expresso

23
Nov13

"Fados Jocosos" no Teatro Ibérico

olhar para o mundo


"Fados Jocosos" no Teatro Ibérico

O Teatro Ibérico apresenta a partir de 24 de Novembro um espectáculo onde rir é a única solução através de “Fados Jocosos”.

 

A estreia já estava prevista há algum tempo tendo que ser adiada devido a uma doença súbita de um cantor.

 

Neste espectáculo serão interpretados Fados jocosos, eróticos, críticos, corrosivos, cómicos e politicamente incorrectos para colocar o público a rir.

Em tempos de profunda crise financeira e de alegria em Portugal, “Fados Jocosos” pretende alterar a situação colocando as pessoas a divertirem, neste caso com um dos mais belos e importantes patrimónios da nossa cultura: o Fado.

 

Compõem o elenco Nuno de Aguiar, Clara e André Gomes sendo acompanhados ao piano por João Marques.

 

Os arranjos, direcção musical e guitarra portuguesa estarão a cargo de Sidónio Pereira, pertencendo a direcção cénica a Laureano Carreira.

 

Estará em cena aos Domingos à tarde, pelas 16:00.

 

Retirado do HardMúsica

23
Nov13

Cinema King, em Lisboa, deverá fechar as portas no domingo

olhar para o mundo
Cinema King, em Lisboa, deverá fechar as portas no domingo
O cinema King, em Lisboa, deverá encerrar no domingo e os sete trabalhadores serão colocados noutras duas salas de cinema da mesma exibidora, disse à agência Lusa fonte sindical.

Contactado pela agência Lusa, o exibidor Paulo Branco remeteu esclarecimentos para segunda-feira, numa conferência de imprensa nas instalações do cinema King.

 

No início de Novembro, Paulo Branco tinha explicado à Lusa que a decisão de encerramento do cinema estava em cima da mesa, por causa de uma proposta de actualização do valor da renda por parte do proprietário do espaço, mas que os postos de trabalho estavam garantidos.

 

Fonte do Sindicato Nacional dos Trabalhadores das Telecomunicações e Audiovisual (SINTTAV) disse hoje que os trabalhadores foram informados que o cinema irá fechar no domingo e que serão recolocados nos cinemas Fonte Nova e Nimas, ambos em Lisboa.

 

O cinema King, que integra duas salas - chegou a ter três em funcionamento - para exibição sobretudo de cinema de autor, é gerido desde 1990 pela exibidora Medeia Filmes, de Paulo Branco.

 

A Medeia Filmes detém ainda o cinema Monumental, Nimas e Fonte Nova, todos em Lisboa, e tem programação no Cine Estúdio Teatro do Campo Alegre, no Porto, Auditório Charlot, em Setúbal, no Centro de Artes e Espetáculos da Figueira da Foz, no Theatro Circo de Braga e no Teatro Académico Gil Vicente, em Coimbra.

 

De acordo com dados do Instituto do Cinema e Audiovisual, até Outubro a exibidora Medeia Filmes (incluindo o cinema Fonte Nova) contabilizou 186.367 espectadores.

 

O Cinema King abriu no espaço onde antes funcionou o Cinema Vox, inaugurado em Abril de 1969.

 

Em 2011, Paulo Branco encerrou os cinemas Saldanha Residence, que funcionavam praticamente frente ao cinema Monumental, deixando nove pessoas sem trabalho.

 

Este ano, a rede de exibição de cinema em Portugal sofre uma mudança depois da exibidora Socorama ter aberto falência, fechando algumas das salas que detinha (mais de cem) de norte a sul do país, incluindo o cinema Londres, em Lisboa.

 

Algumas dessas salas de cinema, em particular as que estão localizadas em centros comerciais, têm estado a reabrir gradualmente por iniciativa da exibidora brasileira Orient.

 

Retirado do Sol

22
Nov13

"Metastasipolis" em cena no Teatro D. Maria II

olhar para o mundo


"Metastasipolis" em cena no Teatro D. Maria II

No Teatro Nacional D. Maria II estará em cena a 22 e 23 de Novembro pelas 21:15, na Sala Estúdio a peça “Metastasipolis”.

 

“Metastasipolis” mostra-nos que das sombras renascem novos e caducos imbecis do poder. Nesta peça assistimos a várias incoerências do que é tipicamente normal e encarado como tal.

 

Pessoas e bichos assumem actos patéticos, psicóticos, onde a informação descobre também novas formas de entretenimento vulgares.

 

A festa é uma guerra ao longe, num ritmo frenético onde criaturas se confundem num espaço e num tempo em que se confunde o que é e o que não é.

 

Esta peça não pretende nem é seu objectivo informar ou formar mas sim ser um excelente entretenimento para pessoas bem formadas.

 

“Metastasipolis” foi escrita no ano de 1937 num ambiente bastante festivo onde a farsa ainda hoje continua.

 

A interpretação conta com Ana Paula Bastos, André Carvalho, António Pestana, Carlos Neves, Estela Augusto, Filipe Carmo, Manuela Borges, Maria José Santos, Nuno Monteiro, Olga Varanda, Pascoal Barros, Rita Fernandes e Ariana Santos.

 

A encenação está a cargo de João Silva, sendo a produção responsabilidade do Grupo de Teatro Terapêutico do Hospital Júlio de Matos.

 

Retirado do HardMúsica

22
Nov13

ARIANA GRANDE APRESENTA «CHRISTMAS KISSES»

olhar para o mundo

Ariana Grande


ARIANA GRANDE APRESENTA «CHRISTMAS KISSES»

SÉRIE DE SINGLES NATALÍCIOS ARRANCOU COM «LAST CHRISTMAS»

 

No próximo domingo, Ariana Grande actua na entrega dos American Music Awards, onde está nomeada para Artista Revelação

 

Ariana Grande mal pode esperar pela chegada do Natal! Para acompanhar a contagem decrescente até 25 de Dezembro, a multiplatinada cantora vai apresentar um abundante conjunto de «prendas», intitulado «Christmas Kisses» – uma série de singles natalícios que não podia ter começado de melhor maneira. Esta semana, chegou ao iTunes e às restantes lojas digitais a versão deAriana Grande de «Last Christmas», que surge repleto do seu charme magnético, ao mesmo tempo que a sua voz inconfundível dá ao clássico dos Wham! um surpreendente envolvimento r&b. Eis o Natal em Grande estilo.


Dentro do seu sapatinho, no entanto, Ariana Grande tem, também, dois originais. No dia 26 de Novembro, os fãs poderão deliciar-se com «Love Is Everything», ao passo que «Snow in California» será revelado a 3 de Dezembro. A série «Christmas Kisses» chega ao final a 10 de Dezembro, com uma abordagem sexy ao eterno «Santa Baby», que partilha com Liz Gillies, sua companheira em «Sam & Cat».


2013 foi um ano incrível para Ariana Grande e, com «Christmas Kisses», termina em festa. Para este conjunto de singles, que promete dar a toda a quadra festiva uma nova banda sonora, a cantora voltou a juntar-se à equipa de produção The Rascals e ao lendário Kenneth «Babyface» Edmonds. Mas Ariana tem mais motivos para sorrir: foi nomeada, na categoria Artista Revelação, para os American Music Awards, cuja cerimónia de entrega decorre no próximo dia 24, onde actuará, lado a lado, com um leque de super-estrelas que inclui One Direction, Lady Gaga, Macklemore & Ryan Lewis, Miley Cyrus, entre muitos outros. Esta é a sua primeira nomeação nos AMA.


Recentemente, Ariana Grande também estreou o teledisco de «Right There» – que conta com a participação de Big Sean –, que se tornou um verdadeiro «blockbuster», ultrapassando, em apenas um dia, 1 milhão de visualizações, no YouTube/VEVO. «Right Here» é o mais recente single retirado do seu álbum de estreia, «Yours Truly», e sucede ao tremendo êxito alcançado com «The Way», que Ariana partilhava com Mac Miller. O vídeo de «Right Here» pode ser visto aqui.


«Yours Truly» estreou-se no nº1 do Billboard Top 200, sendo a primeira vez, desde Janeiro de 2010, que tal feito foi alcançado pelo registo de estreia de uma artista feminina. Mas «Yours Truly»conseguiu muito mais – liderou a Tabela Geral de Álbuns do iTunes e a contagem Digital de Álbuns. A verdade é que Ariana Grande já é um fenómeno pop: o single «The Way», que chegou à dupla platina, estreou-se no Top 10 do Billboard Hot 100 e entrou, directamente, para o 1º lugar da tabela geral de canções no iTunes. Todos os dados estavam lançados e a confirmação chegaria logo depois, com a edição de «Yours Truly», que, logo na fase de pré-venda, atingiu a liderança da contagem de álbuns pop do iTunes e o top geral de álbuns.


Que não restem dúvidas: 2013 foi um ano Grande!

20
Nov13

Regressam as “Noites em São Carlos”

olhar para o mundo

Regressam as “Noites em São Carlos”


Regressam as “Noites em São Carlos”

De 21 de Novembro a 23 de Dezembro, entre as 10:00 e as 18:00 o Teatro Nacional de São Carlos (TNSC) abre novamente as suas portas a todos quantos queiram passear pelos corredores, visitar salões, ver zonas técnicas e camarins que há 220 anos acolhem Arte e Saber.

Desta vez o visitante é surpreendido com uma exposição que celebra várias efemérides ocorridas em 2013.

Assim o visitante é convidado a lembrar o duplo centenário do nascimento de Giuseppe Verdi e Richard Wagner, os 120 anos do nascimento de Almada Negreiros, os 150 anos do nascimento do barítono açoriano Maurício Bensaúde e a carreira do tenor António de Andrade.

Trata-se de um percurso expositivo que revisita um passado, num presente que diariamente constrói o futuro do Espectáculo e da Música em Portugal.

A exposição conta com a colaboração da Direcção-Geral do Património Cultural, Biblioteca Nacional de Portugal, Museu Nacional de Arte Antiga, Museu Nacional de Arte Contemporânea, Museu Nacional do Traje, Museu Nacional do Teatro, Museu da Música, Direção Regional de Cultura da Região Autónoma dos Açores, Mário Moreau, Família Bensaúde, Herdeiros Almada Negreiros, Herdeiros de Francisco e António Andrade, Coral de São José – Associação Musical e Profitecla, Escola Profissional.

 

Retirado do HardMúsica

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub