Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

As Coisas da Cultura

Porque há sempre muito para ver e para contar

Porque há sempre muito para ver e para contar

As Coisas da Cultura

18
Abr16

Acert - Lançamento do Livro COM TRÊS NOVELOS (O mundo dá muitas voltas)

olhar para o mundo

3novelos.jpg

COM TRÊS NOVELOS (O mundo dá muitas voltas)
de Henriqueta Cristina e Yara Kono
Lançamento do Livro



Um livro sobre a liberdade e a necessidade de questionarmos o mundo, na véspera de celebrarmos a Revolução dos Cravos

Em busca de um lugar mais livre, onde todos os meninos possam ir à escola, uma família muda-se para outro país. No entanto, apesar de diferente, o país novo que a acolhe está longe de ser perfeito e, neste novo mundo cinzento, a falta de liberdade sente-se em coisas tão simples como escolher a cor da camisola que se quer vestir pela manhã...


É então que uma mãe entra em ação.


Na verdade uma mãe, um par de agulhas e três novelos de lã...


Com as cores de sempre, as mesmas cores de sempre, esta mãe vai lançar mãos à obra e despertar uma pequena revolução na cidade!


Baseada em factos reais, esta história inspira-se na aventura de uma família portuguesa que, no final dos anos 60, fugiu à ditadura do Estado Novo e viveu uma experiência de exílio em vários países.

Entrada Gratuita

Local:  Bar ACERT
Data/Hora:  Dom, 24 abr'16 às 17:00

Ficha Técnica


Esta obra foi selecionada para os Prémios Amadora BD 2015: Melhor Ilustração de Livro Infantil na categoria de Autor Português.


Henriqueta Cristina nasceu em 1960, em Vila Nova de Gaia, numa família com muitos irmãos tios, primos e histórias. É professora há mais de 30 anos.

Yara Kono
nasceu em São Paulo, Brasil, em 1972.
Começou os seus primeiros sarrabiscos na parede da saleta. A mãe, que de início não ficou nada satisfeita, acabou por ceder aos «dotes artísticos» da filha. Integra a equipa do Planeta Tangerina e tem vários prémios por livros ilustrados.


 

18
Abr16

Realejo - O iê-iê-iê nordestino da trupe Versos & Canções

olhar para o mundo

realejo.jpg

 

 

Realejo é uma caixa musical feita artesanalmente, acionado por uma manivela, tocando até sete músicas e contendo um ou vários foles.

 

Inspirado nos realejos, que durante anos fizeram parte da rotina dos transeuntes de diversas praças e ruas pelo país, tirando a sorte, levando música, distribuindo sorrisos e alegrias, a trupe Versos & Canções lança seu segundo disco, intitulado Realejo.  

 

Com 6 anos de existência, realizando diversas ações por onde passa, a trupe faz um mergulho cênico-lítero-musical e traz, em seu novo trabalho, o que durante anos fez em palco, unindo, em 7 faixas, música, teatro e poesia.

 

Realejo traz uma temática romântica por meio de suas baladas de estilo rock-brega, além de contar, pelas suas canções e poemas, uma quase história de amor. Tendo como centro desse enredo, Fernando (Pessoa), Clarice (Lispector) e a misteriosa Ana. 

 

Feita as devidas homenagens, Realejo traz, em suas 7 faixas, 6 músicas de autoria de Patrick Lima (fundador e violinista), sendo 3 destas regravações ampliadas do Caixa de Entrada, primeiro disco do grupo, 2 canções inéditas, uma valsa-poema, além da citação de "Três Amores", poema de Mario Quintana.

 

O disco retrata em sua identidade musical o lirismo de uma sanfona alencarina, a viola cearense, o frevo que soa do sax, piano, cordas e o casamento tradicional entre bateria e baixo, além do timbre regional de uma guitarra acústica e seus efeitos, remetendo a uma paisagem sonora que nos permite, entre toda a brasilidade, os ritmos e os sentimentos, passear por um desafiador Iê-iê-iê nordestino. 

 

Realejo é, em sua essência, um grito de amor, toda forma de amor.

Fernando, Ana e Clarice são personagens dessa radionovela. 

E o final? O final é imprevisível - como tudo é imprevisível no amor.

 

Sobre a trupe:

 

Versos & Canções é um espetáculo de música e poesia. São poemas de amor, cantados e declamados com muita brasilidade, ritmo e sentimento.

 

Com 6 anos de existência, a trupe se destaca no cenário cearense pela proposta desafiadora e inovadora de fazer uma arte unificada, acessível e com foco em produções autorais. O mix de canções, poemas e esquetes teatrais tornam as apresentações verdadeiros espetáculos. 

 

O grupo destaca como influências/inspirações a poética de Mario Quintana, Clarice Lispector, Fernando Pessoa e a musicalidade de Herbeth Viana, Marcelo Jeneci, O Teatro Mágico, Reginaldo Rossi, entre outros, identificando-se com os estilos ROCK / BREGA / IÊ-IÊ-IÊ. 

 

O primeiro álbum, intitulado “Caixa de Entrada”, foi lançado em 2012, tendo como principal faixa a canção “Razão de Viver”. Repleto de romantismo e intervenções poéticas, o projeto reafirma a identidade do grupo na proposta do fazer músico-literário. 

 

Ao longo da estrada, a banda já teve a honra de se apresentar no II Festival Latino-Americano das Juventudes, tendo passado pelo mesmo evento nomes como Lenine, Arnaldo Antunes, Ponto de Equilíbrio e Dorgival Dantas. Também participou da X Bienal Internacional do Livro do Ceará ao lado de grandes artistas, como Humberto Gessinger, Teatro Mágico, Zeca Baleiro e Palavra Cantada.

 

Em 2014, a Versos & Canções foi finalista do I Festival Cuca Soltando a Voz, realizado pela Prefeitura Municipal de Fortaleza, com a canção “Razão de Viver”, e do Sarau Entre Palavras, realizado pela Universidade Federal do Ceará. Em 2015, foi contemplada pelo mesmo Sarau Entre Palavras com os poemas DespertAmor, Auge do Amor e a música “A Canção Que Se Desfez”, sendo os mesmos lançados em livro e, posteriormente, em CD.

 

Em nova fase, após um mergulho cênico-lítero-musical, a trupe lança em 2016 o disco Realejo, incluindo, em suas 7 faixas, 6 músicas de autoria de Patrick Lima (fundador e guitarrista), sendo 3 destas regravações ampliadas do Caixa de Entrada, primeiro disco do grupo, 2 canções inéditas, uma valsa-poema, além da declamação de "Três Amores", autoria de Mario Quintana.

 

A trupe também realiza uma série de atividades e intervenções urbanas por Fortaleza, tendo destaque para a ação Poesia de Quinta, onde há mais de 1 ano distribuem semanalmente e gratuitamente mais de cem poemas escritos à mão, balões em formato de coração e realizam pocket shows pela cidade, transformando assim, praças e avenidas em palcos de afetos e delicadezas.

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub