Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

As Coisas da Cultura

Porque há sempre muito para ver e para contar

Porque há sempre muito para ver e para contar

As Coisas da Cultura

11
Mai16

Teatro - Mário ou Eu Próprio o Outro

olhar para o mundo

mario.jpg

 

 
 
Quis o destino, ou outra força desconhecida, como a coincidência, que criássemos esta produção no ano do centenário da morte do seu protagonista: Mário de Sá-Carneiro. Esta vontade da companhia em recriar cenicamente o texto de José Régio, fantasiando o dia do suicídio do seu amigo Mário, estava na gaveta das nossas vontades, e este ano decidimos tirá-la de lá.

Assim, surge esta criação artística, de artistas, sobre artistas, através de artistas e para todos. O poeta e contista Mário de Sá-Carneiro, é o protagonista, José Régio, o autor. Ambos homens das letras. Amigos. Artistas.

Loucos. Como se a loucura pudesse ser sempre identificada. Ambos se confrontavam com dualidades, com alter-egos, com contrastes e cobiças projetadas em alguém deles próprios, mas camufladamente privados, íntimos.

No caso de Fernando Pessoa, amigo bastante próximo de Sá-Carneiro, podemos dizer que acontecia o mesmo, mas manifestado de forma diferente. Pessoa não só se recriava enquanto vários Outros, mas também dava a conhecê-los. Mário escondia o seu Outro de todos, porque o escondia de si, exorcizando-se dele apenas nos seus textos.

Esta projeção era construída através dos reflexos dos seus antagonismos, servindo-se dela para o fazer sentir rebaixado e vitimizado, uma forma de estar que cada vez mais começou a tomar conta deste artista, fruto da sua loucura, ou estranha razão, mas sempre e progressivamente com tendências depressivas, e, mais tarde, suicidas. Foi assim que encontrou a solução para que o outro o deixasse em paz, tomando uma forte dose de estricnina.

Régio, através das suas palavras, conta esse momento; cartas entre Mário e Pessoa ilustram esses pensamentos, e com estes ingredientes, nós criámos este espetáculo.
 
26 de abril de 1916, Mário de Sá-Carneiro suicida-se em Paris. Na verdade, não se suicidou, foi suicidado.
 
Pelo Outro, por ele próprio, o espelho de uma mente instável e revoltada em si, de si, para si.

Esta peça vem propor um tecido cénico e performativo a este episódio, escrito por Régio e com textos das cartas de Fernando Pessoa, recriando uma relação entre dois personagens com génese apenas num.
 
A atuação das palavras e os diálogos visuais são criados num jogo de conflito, submissão, superioridade e loucura. Os dois personagens não procuram ser o oposto um do outro, mas sim a personificação de desejos e diferenças que Mário almejava. E deu vida ao Outro. E o Outro, deu-lhe a morte.
 
 
Local, Datas e Horários
Local Teatro Turim

Datas 16 a 19 de Junho
Horários quinta a Sábado – 21h30 / Domingo – 17h

Ficha Artística/Técnica:
Texto de José Régio
Cartas de Fernando Pessoa
Poemas de Mário de Sá Carneiro
Interpretação: Anouchka Freitas e Ricardo Barceló
Adaptação e Encenação: rogério paulo
Grafismo: roger
Produção Artística: Umbigo - Companhia de Teatro
Produção Executiva: Resto de Nada - Associação Cultural
Duração: 60 minutos
 
11
Mai16

O'culto da Ajuda DO AVESSO - Dramatículos 2 de SAMUEL BECKETT

olhar para o mundo
 
O'culto da Ajuda  

12, 13, 14 DE MAIO  ÀS 21H30  
DO AVESSO - Dramatículos 2 de SAMUEL BECKETT

Eu não, Acto sem palavras I e Cadeira de embalar

pelo Teatro da Rainha 

Tradução e dramaturgia | Isabel Lopes
Encenação | Fernando Mora Ramos
Design sonoro | Carlos Alberto Augusto
Desenho de Luz | Carina Galante
Interpretação | Isabel Lopes e Fábio Costa

Produção Teatro da Rainha

Parceria Miso Music Portugal / O'culto da Ajuda

M/ 16 anos
Duração | 50m

 

O'culto da Ajuda

O’culto da Ajuda

art music centre
because sound matters

O O’culto da Ajuda inaugurado nos dias 30 e 31 de Outubro de 2014, situado na Travessa das Zebras, nº 25/27 (à calçada da Ajuda em Belém) é um novo espaço da Miso Music Portugal para a pesquisa, a experimentação, a comunicação e a partilha de criações artísticas, que fomentam relações entre música e espaço, entre música e poesia, entre música e teatro, entre música e movimento, entre música e design; sendo a nova ópera com meios tecnológicos o nosso foco principal.

Morada:

Travessa das Zebras, nº 25/27, (à Calçada da Ajuda), 1300-589 Belém, Lisboa, Portugal 

GPS Latitude=38.699070   Longitude=-9.198810

+ 351 213620382

11
Mai16

CTE - LUÍS FRANCO-BASTOS VOZ DA RAZÃO

olhar para o mundo

luis franco bastos.jpg

 

 
QUI 12 MAI 21H30

AUDITÓRIO 12€
COMÉDIA STAND UP |75 MIN. | M/16

LUÍS FRANCO-BASTOS

VOZ DA RAZÃO
 

 

 

Depois do enorme sucesso da sua anterior digressão “Roubo de Identidade”, Luís Franco-Bastos regressa à estrada com um espetáculo a solo: “Voz da Razão”. O novo material que Luís Franco-Bastos apresenta baseia-se numa nova perspetiva sobre o mundo, numa nova fase da sua vida, agora que atingiu a maturidade tanto pessoal como artística. Passou por novas experiências, chegou a novas conclusões e a sua visão da política, do futebol, da sociedade, da música ou das relações entre homens e mulheres, é mais complexa e crítica. A esquizofrenia vocal e as personagens que sempre o caracterizaram continuam presentes mas, através da voz dos outros. De todas as vozes que vivem na sua cabeça, passou a dar ouvidos principalmente a uma: a Voz da Razão.


Luís Franco-Bastos intérprete autor
Bridgetown Talent Agency Produção, Mega Hits, Nixon, Fox Comedy, Fnac, MTV Apoio


11
Mai16

ACERT Teatro - ...NÃO TENS CORAGEM? - ESTREIA

olhar para o mundo

coragemter.jpg

 

 

...NÃO TENS CORAGEM? - ESTREIA
Na Xina Lua - Grupo de Teatro da Escola Secundária de Tondela
Teatro

 

 Auditório 1
Data/Hora:  Sex e sáb, 20 e 21 mai'16 às 21:45
Local:  Auditório 1 (Púb. Escolar)
Data/Hora:  Qua, 25 mai'16 às 15:30
Local:


Mais uma estreia de Na Xina Lua celebra a cooperação com o Trigo Limpo teatro ACERT para a realização de um sonho comum

“…não tens coragem?!”
É um olhar sobre o eu, o nós e a sociedade.
Um desafio aos nossos medos.
Um teste à nossa coragem.
Um desejo de ser livre!
Um quebrar com o silêncio.
E uma vontade incondicional de estar vivo e de viver!

 

Sobre o processo de trabalho

Desde a sua criação que o Grupo de Teatro Na Xina Lua trabalhou textos dramáticos ou fez adaptações de textos para teatro. Este ano, pela primeira vez, o grupo aventurou-se na criação de um espetáculo original, com textos por nós criados e outros que foram surgindo a partir de alguns improvisos teatrais ou da pesquisa feita em torno de temas como o medo, a coragem, a solidão, a sociedade. Alguns destes temas já tinham sido abordados no projeto Circus Lab, do qual resultou o espetáculo Não tens coragem?!. A vivência nesse projeto foi tão intensa que motivou os improvisos que vieram a despoletar a criação deste novo texto, que mantivemos com o mesmo título e alguns elementos cénicos. Neste momento, o grupo está na fase inicial de ensaios, onde os atores começam a descobrir as suas personagens e a encontrar as motivações para que cada palavra e cada gesto chegue ao público com dedicação e verdade.

PREÇO: 2€ / 1€Estudantes




Ficha Técnica


Interpretação: Adriana Ferreira, Alexandra Costa, Andréa Fernandes, Beatriz Brás, Beatriz Simões, Cátia Martins, Cátia Mota, Daniel Nunes, Daniel Paz, Daniela Sousa, Diana Mota, Inês Dias, Inês Silva, Joana Brás, João Costa, Luísa Campos, Madalena Almiro, Maria Inês Gomes, Mariana Adão, Marta Cardoso, Marta Rodrigues, Patrícia Sacras, Raquel Salomão, Sofia Cunha, Telmo Pedrosa, Tiago Clamote e Tomás Cabrito
Encenação: Sandra Santos
Assistência de encenação: João Almiro
Desenho de Luz: Paulo Neto
Apoio à produção: Trigo limpo teatro ACERT
Espetáculo criado em Residência Artística no Novo Ciclo ACERT

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub