Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

As Coisas da Cultura

Porque há sempre muito para ver e para contar

Porque há sempre muito para ver e para contar

As Coisas da Cultura

05
Dez16

O 22º FINTA, inicia com um espetáculo dos Mutumbela Gogo e a exposição "A Casa" de José Cruzio

olhar para o mundo

 

 

 

 

finta.jpg

 

22º Festival Internacional de teatro ACERT
6/10 Dez, Novo Ciclo ACERT, Tondela 

 

Mutumbela Gogo (Moç)

O regresso de um espetáculo que marcou o primeiro encontro, em 1993, entre o Trigo Limpo teatro ACERT, o grupo moçambicano Mutumbela Gogo e o escritor Mia Couto. Em duas noites, com o mesmo cenário, representou-se este espetáculo e À Roda da Noite.


Durante os anos da Guerra civil, da brutal e devastadora destruição das estruturas sociais e dos movimentos sem fim de refugiados, cada vez mais crianças de rua se fizeram visíveis nas ruas das principais cidades de Moçambique. No centro da cidade de Maputo, onde está situado o Teatro Avenida, estas crianças foram e continuam sendo algo comum. Foi óbvio para o Mutumbela Gogo que uma peça sobre estas era um desafio natural. Através das suas vidas, muito poderia ser contado sobre a situação do país.

Terça-feira, 6 de dezembro às 21:45, Auditório 1

05
Dez16

Bee Gees assinam contrato com a Capitol Records

olhar para o mundo

bee gees.png

 

Bee Gees assinam contrato com a Capitol Records

Catálogo completo do grupo passa a ser gerido pela Universal Music Enterprises em parceria com Barry Gibb e os patrimónios de Robin Gibb e Maurice Gibb

Os Bee Gees, um dos grupos mais bem-sucedidos comercialmente e aclamados na história da música popular, assinaram um acordo de longo-prazo com a Capitol Records que abrange todo o catálogo de música gravada pelo lendário trio. Além dos 22 álbuns de estúdio e de várias bandas sonoras, como o grande sucesso “Saturday Night Fever”, o acordo inclui ainda os direitos de várias compilações, gravações inéditas e projetos audiovisuais. 

A Capitol Records, em conjunto com a Universal Music Enterprises (Ume), Barry Gibb e os patrimónios dos membros cofundadores Robin Gibb e Maurice Gibb, vão levar a cabo uma série de campanhas que pretendem revigorar o ilustre catálogo dos Bee Gees. Como Steve Barnett, CEO do Capitol Music Group, explicou, “o catálogo dos Bee Gees é um dos mais estimados e importantes conjuntos de trabalhos na história da música gravada e estamos cheios de ideias que vão recordar aos fãs da sua importância, introduzindo o legado desta banda a novos públicos. Estamos muito orgulhosos pelo facto dos Bee Gees terem escolhido a Capitol como a sua nova casa.”

Segundo Barry Gibb, “toda a família está muito entusiasmada com este acordo. Estarmos rodeados pelos maiores artistas de sempre é uma experiência honrosa. Gostava muito que os meus irmãos estivessem aqui para partilharmos este momento.”

Esperam-se, por isso, muitas novidades em torno da fascinante obra dos Bee Gees. Estejam atentos!

05
Dez16

O'culto da Ajuda - MUTABILIS TEMPS D’IMAGES 2016

olhar para o mundo

MUTABILIS_BANNER_original_800x280.jpg

 

O'culto da Ajuda  • art music centre • because sound matters • 09 de Dezembro • 19h00

 

MUTABILIS

TEMPS D’IMAGES 2016 

 

MUTABILIS, performance de Paula Pinto, António de Sousa Dias e Rita Casaes resulta da união de movimento, som e imagem, uma alegoria dos processos de mudança que nos atravessam e se entrecruzam em nós.


Lugares de encontro, uma abertura a diferentes modos de existência. Convivência de diferentes espaços, de diferentes tempos, lineares e cíclicos onde apenas a mudança é constante.

 

O título inspira-se na flor do Hibisco Mutabilis também conhecida por rosa-louca. Estas flores hermafroditas abrem pela manhã em branco puro e mudam no mesmo dia, tornando-se róseas, passando por um rosa vivo intenso, que acaba violáceo nos dias subsequentes.


Na passagem de um estado para outro, constantemente mudando de forma, pela experiência da plenitude do ser, o corpo converte-se em lugar de fina criação e fonte de todos os renascimentos, afirmando a vida nas suas transformações.

 

A performance desenvolve-se a partir da detecção de presença e movimento gerado pela intérprete de dança numa sala dotada de um sistema de som envolvente e vídeo-projecção frontal e vertical propondo uma experiência sensorial imersiva, buscando capturar o movimento vivo da realidade humana, um contributo para a abraçar na sua diversidade e profundidade.

 

Tal como a rosa-louca, apresenta-se agora MUTABILIS/branco estando previsto apresentar MUTABILIS/rosa no Festival Música Viva e MUTABILIS/violeta (performance-instalação) no Temps d’Images ambos em 2017.

 

Ficha artística:

Criação e Interpretação | 
Paula Pinto (movimento e figurino),
António de Sousa Dias (criação sonora e programação),
Rita Casaes (criação vídeo, videomapping),
Participação especial de Miguel Azguime (projecção sonora)
Execução de guarda-roupa | Alexandra Monteiro e Rafael Saldanha 
Desenho de Luz | Victor Azevedo 
Produção | Associação sentidosilimitados 
Co-Produção | Miso Music Portugal 
Residência de Criação | O’Culto da Ajuda

Este espectáculo é uma co-produção Miso Music Portugal / Temps d’Images

 

 

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub