Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

As Coisas da Cultura

Porque há sempre muito para ver e para contar

Porque há sempre muito para ver e para contar

As Coisas da Cultura

08
Dez16

Finta - OS SILVA Roger Bento

olhar para o mundo

os silva.jpg

 

OS SILVA

Roger Bento

Sexta-feira, 9 dezembro às 23:30 no Bar ACERT

Humor na companhia da Zunzum


Os Silva são fruto de um mundo moderno – exposto, ritmado e definido – com a leveza do que é intenso: rapidamente procuram a aventura, desafiam a imaginação e interagem com quem os vê. Os vários momentos são recheados de diversão e curiosidade numa relação direta, participativa e surpreendente com o público. Rir é inevitável.

Ficha Técnica

Interpretação e Conceção: Roger Bento 
Direção Artística: Jorge Fraga 
Operação de Luz e Som: Daniela Fernandes 
Coprodução: Roger Bento e ZunZum Associação Cultural

08
Dez16

Finta - Algures, Colectivo de Criação

olhar para o mundo

levantei-me.jpg

 

Algures, Colectivo de Criação

Um solo de um contador e cantador de histórias de José Saramago

Levantamos o pó dos tempos, levantamos um livro bem lá no alto, levantamos ainda cabeça e o corpo, e acima de tudo tentamos levantar-nos como comunidade. Um músico de hoje conta e canta as histórias do livro. Serão necessárias novas músicas de intervenção? Numa conversa franca com o espectador, vamos descobrindo a musicalidade nas palavras e nas ideias de Saramago.

Aqui reflete-se sobre a democracia – que mundo queremos, afinal? E tudo isto num concerto. Um solo de um contador de histórias carregado da memória afetiva da leitura e da importância dos conhecedores da obra do Nobel, ou um músico de canções avulsas, oriundas das palavras de Saramago, e ainda um ator submerso num texto inédito e assumidamente fragmentado. Um espetáculo baseado no livro onde se diz - à laia de mito - que o autor descobriu o estilo saramaguiano de narrar.

 

PREÇO: 6 € / Associado: 4€ / Descontos: 5€ / Desempregado: 2 € 
CADERNETAS: 
25 € / ASSOCIADO 17,50€


Ficha Técnica

Carlos Marques Criador, Colagem de textos, Composição Músical e Actor | Susana Cecílio Apoio à criação | Nuno Borda de ÁguaDispositivo cénico | João Bastos Composição Musical | Rodolfo Pimenta Vídeo | Susana Malhão Designer Gráfica | Produção  ALGURES, Colectivo de Criação

 

 

08
Dez16

CASA DA CULTURA DE SETÚBAL - TEXTOS EM CENA - ROMANCE DA ÚLTIMA CRUZADA

olhar para o mundo

romance em cena.jpg

 

 

9 de Dezembro | sexta-feira| 21h30 | Sala José Afonso

 

Textos em Cena

 

ROMANCE DA ÚLTIMA CRUZADA

 

Romance da Última Cruzada” é a segunda criação original do Visões Úteis em 2016, um ano dedicado ao eixo temático “Biografias”. Inspirado pelos modos de representar teatralmente as experiências de guerra, o espectáculo pretende reflectir sobre a forma como a representação da biografia condiciona a própria construção da memória e da identidade.

 

Na matriz desta criação esteve o continuado fascínio pelas representações (mais ou menos teatrais) dos eventos e cenários de contextos de guerra – desde palestras e espectáculos dos soldados na Primeira Guerra Mundial aos apaixonados “auto-retratos” dos soldados do Estado Islâmico nas redes sociais.

 

Um fascínio que se estende às coincidências biográficas, mas também às divergências entre os factos relatados a partir da memória individual e os que ficaram marcados na memória colectiva.

 

Romance da Última Cruzada” desenvolve-se em torno da articulação entre biografias e documentos que marcaram a historiografia do século XX e os diversos modos de representar dados biográficos, nomeadamente os encontrados pela literatura, teatro, cinema ou televisão. Trata-se, portanto, de um olhar sobre as fascinantes nuances que determinam a sedimentação da memória individual e da própria História.

 

Romance da Última Cruzada” é uma criação original de Ana Vitorino e Carlos Costa.

 

Produção, encenação e representação: Visões Uteis

 

Entrada: € 3,00

Reservas válidas até ½ hora antes do início do espectáculo: 265 236 168 | casacultura@mun-setubal.pt

 

Organização: CMS

08
Dez16

A ILHA DESCONHECIDA Coprodução Fundação José Saramago e Trigo Limpo teatro ACERT

olhar para o mundo

AILHA.jpg

 

A ILHA DESCONHECIDA

Coprodução Fundação José Saramago e Trigo Limpo teatro ACERT

Quinta-feira, 8 dezembro às 21:45 no Auditório 2
Sexta-feira, 9 dezembro às 10:30 e às 12:00 no Auditório 2 (Público Escolar)

 

Como é que uma ilha poderá ser a utopia que há em cada um de nós?

Como é que a utopia pode ser o desconhecido que se procura pelo prazer da navegação e o desprendimento pela calculista ancoragem?

Imagine-se um pensamento de uma Mulher da Limpeza: “Se não sais de ti, não chegas a saber quem és”. Imagine-se que um Homem que Queria um Barco sonhou com a Mulher da Limpeza e lhe segredou: “Gostar é provavelmente a melhor maneira de ter, ter deve ser a pior maneira de gostar”. Agora, imagine-se que estamos no lugar deste homem e desta mulher; que temos diante de nós três portas: a dos obséquios, a das petições e a das decisões. Qual delas seremos tentados a abrir?

No seu conto, José Saramago convida-nos a uma viagem em “que é necessário sair da ilha para ver a ilha, que não nos vemos se não saímos de nós”. Habitar teatralmente esta aventura onde a metáfora se espraia na areia das palavras é desafiante. Parabolizar teatral e musicalmente uma narrativa que, sendo complexa, não se pode desligar da singeleza do pensamento que a originou, constitui um desafio artístico aliciante. A palavra teatral e musicada é o roteiro para a construção de personagens oníricas, fantasiosa e poético-amorosas. A música, território de eleição dos intérpretes, pisca o olho sedutor ao argumento, deixando-o fluir encantatoriamente. A cenografia e os figurinos são enxertias de uma só planta.

Esta adaptação teatral do conto de José Saramago são as palavras de um livro feito palco.

O Trigo Limpo teatro ACERT, após ter compartilhado com a Fundação José Saramago a maravilhosa aventura de A Viagem do Elefante que, desde 2013, continua e continuará a circular junto das comunidades onde ancora, aceitou afetuosamente este convite para partilhar, em coprodução, esta bonita loucura.

PREÇO: 6 € / Associado: 4€ / Descontos: 5€ / Desempregado: 2 € 
CADERNETAS: 
25 € / ASSOCIADO 17,50€



Ficha Técnica
A partir de “O Conto da Ilha Desconhecida” de José Saramago
Pesquisa e coordenação literária: Sérgio Letria e Sara Figueiredo Costa
Adaptação e encenação: José Rui Martins 
Interpretação: Catarina Moura e Luís Pedro Madeira 
Música: Luís Pedro Madeira 
Desenho de Luz: Paulo Neto 
Montagem e operação de luz: Rui Sérgio Henriques 
Apoio técnico: Luís Viegas 
Cenografia: Zétavares 
Figurinos, tapeçaria e adereços: Cláudia Ribeiro (Casa de Figurinos) 
Carpintaria de cena: Filipe Simões 
Adereços:
 Sofia Silva 
Costureira: Marlene Rodrigues 
Assistentes de produção: Joana Cavaleiro e Ricardo Viel
Fotografia: Ricardo Chaves 
Apoio à produção: António Gonçalves, João Silva e Marta Costa

Estreado a 22 de setembro de 2016 no FOLIO, Óbidos.

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub