Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

As Coisas da Cultura

Porque há sempre muito para ver e para contar

Porque há sempre muito para ver e para contar

As Coisas da Cultura

03
Mar17

Palácio Nacional de Sintra volta a receber “Exposição de Camélias e Orquídeas”

olhar para o mundo

Cartaz_Expo_Camelias_e_Orquideas.jpg

 

18 e 19 de março

Palácio Nacional de Sintra volta a receber “Exposição de Camélias e Orquídeas”

 

- Mostra decorre no terreiro em frente ao Palácio Nacional de Sintra

- O chá e as camélias de chá são o mote desta edição, a propósito do restauro do Alto do Chá no Parque da Pena

- Evento conta com workshops de camélias e de orquídeas

- Entrada gratuita

 

 

Sintra, 2 de março de 2017 – O terreiro em frente ao Palácio Nacional de Sintra vai receber, no fim de semana de 18 e 19 de março, a “Exposição de Camélias e Orquídeas”, organizada pela Parques de Sintra, em colaboração com a Associação Portuguesa de Camélias e o Clube dos Orquidófilos de Portugal. A mostra, com entrada gratuita, decorre anualmente e visa promover o valor botânico associado às camélias e orquídeas em Sintra.

 

Este é o sétimo ano em que decorre a exposição de camélias em Sintra e o terceiro ano de exposição de orquídeas. Nesta edição, o mote é o chá e a camélia de chá, a propósito do projeto de restauro que a Parques de Sintra está a levar a cabo no Alto do Chá, no Parque da Pena, e cuja primeira fase de recuperação terminou no final de 2016.

 

Na mostra, será possível observar os melhores exemplares de camélias e orquídeas de cada um dos participantes. No sábado, dia 18, serão eleitas a melhor espécie de camélia e de orquídea em exposição; o melhor cultivar de camélia e de orquídea em exposição; a melhor mesa em exposição e também o melhor expositor de venda de camélias e orquídeas.

 

Além da exposição, também estarão à venda no local exemplares de camélias e orquídeas, assim como outros produtos derivados destas flores. Ao longo do evento, decorrerão ainda demonstrações de técnicas de propagação e poda de camélias e de técnicas de propagação, envasamento e manutenção de orquídeas, bem como sessões de degustação de chá.

 

Restauro do Alto do Chá

 

Localizado no Parque da Pena, o Alto do Chá corresponde a uma área de 5 hectares, que acolheu a primeira plantação de camélias de chá (Camellia sinensis) em Portugal continental, no século XIX.

 

Esta plantação contribuiu para criar no Parque um cenário oriental, onde as plantas crescem nas fissuras de penhascos graníticos, como um revivalismo das representações cantonesas de plantações de chá. D. Fernando II terá plantado 100 plantas de chá, 28 das quais sobreviveram até aos dias de hoje.

 

Em 1941, um ciclone atingiu o Parque da Pena e causou a queda de dezenas de árvores notáveis em tamanho e idade e alterou significativamente a composição e densidade do arboreto no Alto do Chá, permitindo o desenvolvimento de espécies invasoras lenhosas como a acácia. Já em 2013, a serra de Sintra voltou a ser alvo de um violento temporal, que provocou a alteração drástica desta zona e das condições de desenvolvimento das camélias de chá.

 

Desde então, a Parques de Sintra, procedeu à remoção de árvores caídas e ao desenvolvimento do projeto de restauro daquela área. Em 2016, executou-se a recuperação do sistema de águas e da rede de caminhos que estrutura o jardim, num percurso ascendente até ao topo do Alto do Chá, de onde é possível fruir de vistas magníficas sobre o Palácio da Pena, a Cruz Alta, o Castelo dos Mouros e as linhas de costa de Cascais e Sintra.

 

Já em 2017, iniciou-se a recuperação das camélias de chá sobreviventes, através de podas de limpeza, revitalização e condução, e a plantação de 500 exemplares de Camellia sinensis. Em 2018 e 2019, serão plantados mais mil exemplares, perfazendo um total de 1500, recuperando-se integralmente esta zona do Parque da Pena.

 

O projeto de restauro do Alto do Chá representa um investimento de cerca de 150 mil euros.

 

 

EXPOSIÇÃO DE CAMÉLIAS E ORQUÍDEAS

 

PROGRAMA:

Sábado, 18 de março

10h – 18h: Exposição de Orquídeas

12h – 18h: Exposição de Camélias

10h – 18h: Venda de Orquídeas e Camélias

12h e 16h: Demonstrações de técnicas de propagação e poda de Camélias 

11h, 15h30: Demonstrações de propagação, envasamento e manutenção de Orquídeas

10h30; 11h30; 15h; 16h: Degustação de Chá por Nina Guntkowski da CháCamélia

 

14h30 - Abertura oficial da Exposição:

          - Entrega de distinções:

  • Melhor espécie de Camélia em exposição
  • Melhor cultivar portuguesa de Camélia em exposição
  • Melhor mesa em exposição
  • Melhor espécie de Orquídea em exposição
  • Melhor cultivar de Orquídea em exposição
  • Melhor expositor de venda de camélias e orquídeas

15h – Lançamento do Livro “Como cuidar das minhas Camélias”, de Jorge Garrido e António Assunção

 

Domingo, 19 de março

10h - 18h: Exposição e Venda de Orquídeas e Camélias

12h e 16h: Demonstrações de técnicas de propagação e poda de Camélias 

11h, 15h30: Demonstrações de propagação, envasamento e manutenção de Orquídeas

10h30; 11h30; 15h; 16h: Degustação de Chá por Nina Guntkowski da CháCamélia

03
Mar17

ACERT - MARIA SIMÕES Artes Nu Palco

olhar para o mundo

NU PALCO.jpg

 

 

MARIA SIMÕES
Artes Nu Palco
Nu Palco

Duração: 50 minutos

 

Local:  Palco do Auditório 1
Data/Hora:  Sáb. 4 mar'17 às 21:45

Uma ACERTina nómada, sonhadora, inquieta… com muito para contar. Sempre com partidas marcadas, mas sempre convicta de que o mais recente poiso será o último onde finalmente assentará seus mil ofícios.

Revê-se como uma “Palhaça de profissão, viajeira do mundo e doutora de problemas do coração em causas pe(r)didas. Especialista em cantos de todos os lugares, baile, agricultura bio e não bio-lógica e ciências histéricas. Planta frequentemente o Amor.“

Agora, assentou em Castelo de Vide. Há um ano, contou ao Diário de Notícias como foi ser “Voluntária em missão na Macedónia num campo de refugiados e de como “Luna”, a sua personagem, foi silenciada pelas autoridades do campo:

“Se há memória boa que guardo daqueles dias é a quantidade de gargalhadas das crianças, quando me punha a brincar com elas”, conta.

“Fui impedida de trabalhar como palhaça, mas aprendi que consigo fazer o meu trabalho sem o nariz e sem as roupas, e isso vale tudo”.

Não será logo isto um bom mote para os segredos que guardará a nudez do palco desta viajeira que semeia a paixão por impossíveis como a sua arte maior?

 

PREÇO: 7,50€ / Associado: 5€ / Descontos: 6€ / Desempregado: 2,50€ / Bilhete família disponível




Ficha TécnicaFemininas Artes NU Palco

Uma rubrica da programação que prossegue o conceito iniciado em 2016, onde vários foram os momentos genuínos que contaram com a grande adesão do público.

Em 2017, trimestralmente, a música dá lugar a outras formas de expressão artística.

Serão mulheres as artistas que compartilharão o palco com os espetadores, num diálogo de proximidade que privilegiará a conversa e momentos íntimos de demonstração da sua criatividade artística.

Cada momento revela um espaço de intimidade onde cada artista partilha segredos, inquietações e ternuras. Na nudez do palco, transformado em sua casa, o espetador é convidado a entrar na habitação da criadora, num momento de convivência informal onde tudo pode acontecer.

Um encontro irrepetível pela autenticidade e uma descoberta do universo de paixões que fazem de cada artista uma contadora das suas histórias.

 

03
Mar17

ACERT - L’INAUGURATION

olhar para o mundo

acertexposição.jpg

 

 

L’INAUGURATION DE HYPERBAROQUE LE PROFOND, SUBLIME... ET FRIVOLE
Sapiens Atelier
Exposição

 

Local:  Galeria ACERT
Data/Hora:  Sáb. 4 mar'17 às 21:00


Uma instalação artística onde a escultura se transforma o espaço em (hiper-)realidade barroca

Te Deum laudamus: te Dominum confitemur.

Te æternum Patrem omnis terra veneratur.

Tibi omnes Angeli; tibi cæli et universæ Potestates;

Tibi Cherubim et Seraphim incessabili voce proclamant:

Sanctus, Sanctus, Sanctus, Dominus Deus Sabaoth.

Pleni sunt cæli et terra maiestatis gloriæ tuæ

Hino Cristão (Utilizado na celebração de diversos acontecimentos religiosos e pagãos como agradecimento a Deus)séc. IV, adaptado e musicado ao longo dos séculos

Ooh shit, I’m a dangerous man

with some money in my pocket

(Keep up)

So many pretty girls around me

and they waking up the rocket

(Keep up)

Why you mad? Fix ya face

Ain’t my fault y’all be jocking

(Keep up)

“24K Magic” Bruno Mars, 2016

Dois poemas, dois cenários, duas representações. Podemos mesmo afirmar - dois espaços, dois tempos. Mas esqueçamos o espaço e o tempo e foquemos-nos na Festa, pois é isso mesmo que estas músicas representam: a celebração. A celebração de valores que em Bruno Mars cremos serem tangíveis e num Te Deum acreditamos como intangíveis. O profundo, o sublime... e o frívolo, características que através da beleza definem o hiperbarroco.

O barroco que renasce e que se apresenta constante, num palco de poder e do poder.

Na deslembrada memória da arte dos marnotos, está o peso da Arte. E na criação de hiper-cenários, de Caes de Pedra que servem para a partida e chegada de tão nobres pessoas, que ascendem para a festa, que é a mesma, igual, dourada. É este gaudio que aqui vamos ajudar a louvar, a manter e a consumir - L'inauguration de l’hyperbaroque - Le profond, sublime ... et frivole.

Sapiens Atelier

Um projeto artístico que funciona sob a forma de atelier, conjugando vários saberes e perseguindo uma ideia de arte total contemporânea. O projeto é impulsionado por Miguel A. Rodrigues enquanto aluno de escultura da Faculdade de Belas Artes da Universidade de Lisboa e tem a sua primeira materialização, em 2015, na exposição “Sapiens Exhibition – e se a Festa Barroca fosse hoje” que decorreu em Braga.

A história, o património, a antropologia e a economia são neste projeto conjugados com o saber fazer das artes plásticas resultando em coleções que criam novos cenários de hiper-realidades. Vemos a arte numa perspetiva de intervenção nas comunidades, procurando que através dela se promovam externalidades positivas.




Ficha TécnicaInauguração: Sáb. 4 março de 2017, às 21:00
Galeria ACERT · Entrada gratuita

03
Mar17

ACERT - Teatro - UTOPIA Maria Simões

olhar para o mundo

utopia.jpg

 

 

UTOPIA
Maria Simões
Teatro Duração: 50 minutos

 

Local:  Palco do Auditório 1
Data/Hora:  Sáb. 4 mar'17 às 15:30

Clown contemporâneo / sem palavras / para público familiar / música, poesia e humor

Sozinha em cena, a palhaça chega à sua casa-vulcão-ilha carregando o mundo às costas, um mundo disforme e velho, pesado e doente. Ao longo do tempo, tratará de o remendar, criando uma ilha Utopia, sem guerras e sem fome, sem religião, uma ilha‑país‑nómada com bandeira e hino.As cores das 9 ilhas dos Açores marcam as cenas do espetáculo, o figurino, a estética. O humor poético acompanha a ação e a linguagem universal utilizada faz-nos recordar grandes clássicos que serviram de mote a esta criação: Alice no País das Maravilhas, Peter Pan, “Soldadinho de Chumbo”, Irmãos Grim, “A lenda do fio vermelho do destino” ou as inspiradoras criações de Charlie Chaplin e a Mafalda de Quino, entre outros.

No final, uma criança do público é convidada a subir ao palco. Passamos-lhe o testemunho de transformar o mundo, falamos Esperanto – a língua universal – e adormecemos sonhando novas utopias num mundo possível e perfeitamente imperfeito.

Com muitas pitadas de humor e ternura, Utopia é o espetáculo para toda a família olhar o futuro com olhos de riso e de esperança. Especialmente dedicado às refugiadas de ontem e de hoje.

PREÇO: 7,50€ / Associado: 5€ / Descontos: 6€ / Desempregado: 2,50€ / Bilhete família disponível




Ficha Técnica

Texto e dramaturgia Maria Simões
A partir de Ilhas: imagina – os sonhos são como vulcões
Direcção Maria Simões
Assistência de direcção Celia Ruiz
Assistência de criação Veronica San-Vicente
Interpretação Maria Simões (Luna)
Cenografia Rocio Matosas e Marta F. da Silva
Figurino Rocio Matosas
Carpintaria Mário Medeiros
Música Circus Marcus, V. Jankovska, René Abry
Desenho de Luz Rocio Matosas
Luminotecnia Conchi Acal
Fotografia Andrés Plaza, Andreia Luís, Maria Gabriel Sousa, Niza Bela Falcão
Fotografia ensaios Andrés Plaza, Carla Veríssimo
Filmagem Mário Roberto Carvalho, Ana Nunes
Trailer Mário Roberto Carvalho
Cartaz e Design gráfico Ana do Canto
Clown training em criação Gardi Hutter, Jesús Jara, Veronica San-Vicente, Fanny Giraud
Agradecimentos Sara Furtado do Canto, Helena Freitas, Rui Romão
Apoio Direção Regional da Cultura, Sata - internacional, Junta de Freguesia de S. Vicente Ferreira, Teatro Miramar, Câmara Municipal de Castelo de Vide, Quinta dos Canchos, Trigo Limpo Teatro Acert
Produção e comunicação Maria Gabriel Sousa
Produção Descalças coop. cultural | Maria Descalça
Projecto co-financiando pelo Programa de Bolsas de Criação Artística do Governo dos Açores

02
Mar17

VALE DA ESTRANHEZA - Próxima exposição na Casa Da Cultura de Setúbal.

olhar para o mundo

exposição.jpg

 

 

VALE DA ESTRANHEZA | Próxima exposição na Casa Da Cultura | Setúbal.

Abre no dia 3, sexta-feira, às 22h00 (patente até dia 3 de Abril de 2017)

 

BERNARDO SOUSA SANTOS [b.1989, Beja].


Vive e trabalha no Porto, licenciou-se em Fotografia e Cultura Visual no IADE, completou ainda o mestrado em Práticas Artísticas Contemporâneas (MPAC) na FBAUP. O seu trabalho intervém maioritariamente no campo expandido da fotografia. Entre as últimas exposições destacam-se Sen-tido(s)/ Direction(s) (2014) e (Des) Hemisférios (2015). Recentemente foi ainda assistente de produção em Pictures and Cream na galeria Cristina Guerra. É um dos sócios fundadores da SOM-BRA Cineclube FBAUP e do colectivo de ilustração e design gráfico Gunardo.

 

02
Mar17

Migos juntam-se à Motown/Capitol Records

olhar para o mundo

migos.jpg

 

Migos juntam-se à Motown/Capitol Records

Trio de Atlanta, EUA, é um dos grupos mais bem-sucedidos do hip hop atual

Como uma extensão da parceria da editora Quality Control Music (QC) com o Capitol Music Group (CMG), o trio de hip hop de Atlanta Migos – cujo segundo álbum, editado pela QCM, “C U L T U R E”, entrou diretamente para o 1.º lugar do Top 200 da Billboard e para o top de álbuns de r&b/hip hop há menos de três semanas – acabam de anunciar que de hoje em diante toda a sua música será lançada através da QC e Motown/Capitol Records. A parceria foi anunciada pelos três membros dos Migos, Quavo, Takeoff e Offset, mas também pelo diretor executivo da Quality Control Music, Pierre “Pee” Thomas, pelo seu diretor de operações, Kevin “Coach K” Lee, pelo presidente e diretor executivo do Capitol Music Group, Steve Barnett, e pela presidente da Motown Records, Ethiopia Habtemariam.

Desde que se estrearam em 2013 com o single “Versace” que os Migos se tornaram num dos grupos de hip hop mais populares e aclamados mundialmente. Além de terem entrado para o topo das tabelas de vendas a 6 de fevereiro com “C U L T U R E”, o trio também alcançou o 1.º lugar do top Hot 100 da Billboard com o single “Bad and Boujee”, a 21 de janeiro. O mais recente single dos Migos, “T-Shirt”, já se encontra no top 20 da tabela Hot 100 desde o seu lançamento, a 18 de fevereiro. A primeira digressão do grupo pelos EUA deste ano arrancou recentemente em Santa Ana, na Califórnia.

A Quality Control Music foi formada em março de 2013 pelos parceiros de negócios Pierre “Pee” Thomas e Kevin “Coach K” Lee, que desenvolveram uma lista de talentos escolhidos a dedo vindos do movimento rap de Atlanta. A empresa está estabelecida em Atlanta, tendo iniciado uma parceria com o Capitol Music Group em 2015.

02
Mar17

Teatro infantil - A carochinha no Cineteatro Municipal D. João V

olhar para o mundo

a carochinha.png

 

TEATRO INFANTIL
05 Março| 16:00H |6€

 

A carochinha

 

 

Era uma vez uma carochinha, muita prendada, que vivia num cogumelo e sonhava casar com um príncipe encantado… Mas será que na floresta existem príncipes? Depois de anunciar no Jornal da Floresta que procurava noivo, aparecem diferentes e divertidos pretendentes: um porco alentejano que só gostava de comer, um burro muito burro, um sapo mentiroso, um urso bem-disposto, um elefante elegante e claro… João Ratão!

Cada um, à sua maneira, tentou conquistá-la com os seus dotes… Mas só com a ajuda dos mais pequenos é que a Carochinha vai escolher o noivo ideal!

Será que a Carochinha faz a escolha certa e concretiza o seu sonho!?

Um espectáculo que nos ensina a respeitar e a aceitar o outro! Uma adaptação original e muito divertida do famoso conto infantil, onde entre muitas músicas tradicionais a história é contada e a alegria reina durante cerca de uma hora

Pág. 11/11

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub