Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

As Coisas da Cultura

Porque há sempre muito para ver e para contar

Porque há sempre muito para ver e para contar

As Coisas da Cultura

04
Mai17

ACERT - PÉS NA ESTRADA Dragão 7 (Brasil)

olhar para o mundo

pés na estrada.jpg

 

 

PÉS NA ESTRADA
Dragão 7 (Brasil)
TeatroPreço: 7,5 / 5 €

Local:  Auditório 1
Data/Hora:  Sáb. 6 de maio de 2017 às 16:00

Um espetáculo para famílias onde se demonstra que, em boa companhia, a vida se torna mais encantadora
 
Três palhaços estão com os pés na estrada: Casimira, Bob e Bu. Por onde passam levam alegria e diversão. No meio da viagem, param para descansar. A partir daí acontecem confusões e peripécias, pois cada um tem seu próprio jeito de fazer as coisas. Descobrem que, juntos, tudo é mais gostoso e proveitoso.
Usando objetos inusitados e brincadeiras para promover um jogo interessante, proporcionam ao espectador uma viagem pelo mundo imaginativo do universo circense.

PREÇO: 7,50€ / Associado: 5€ / Descontos: 6€ / Desempregado: 2,50€ / Bilhete família disponível




Ficha TécnicaDireção Geral: Creuza Borgez
Preparação Corporal: Letícia Bortoletto
Manipulação de objetos: Ailton Rosa
Música original: Ricardo Herz
Percussão: Daniel Dheme
Figurinos: Marli Bortoletto

04
Mai17

Barreiro - Uma Tarde com… Nuno Caravela e o Bando das Cavernas

olhar para o mundo

bando das cavernas.jpg

 

Uma Tarde com… Nuno Caravela e o Bando das Cavernas

 

Inserida na programação da Biblioteca Júnior terá lugar no dia 27 de maio, sábado, pelas 15h00, “Uma tarde com…” Nuno Caravela e o Bando das Cavernas”, na sala multiusos da Biblioteca Municipal do Barreiro.

O evento é direcionado ao público familiar, com crianças entre os 7 e os 12 anos. A entrada é livre, mas sujeita à lotação da sala.

 

Será uma apresentação da obra e do projeto educativo que o autor tem vindo a desenvolver com as escolas do 1º e 2º ciclos. Uma tertúlia dirigida a pais e crianças e onde se falará de como é escrever, ilustrar e editar livros em Portugal.

 

Nuno Caravela nasceu a 1 de agosto de 1968 e é um conhecido autor e ilustrador com vários livros publicados. A sua coleção de maior sucesso é precisamente ‘O Bando das Cavernas’.

 

CMB 2017-04-28

03
Mai17

CTE - A TRANSFORMAR A CIDADE… O Potencial da Arte Urbana

olhar para o mundo

transformar.jpg

 

 
QUI 04 MAI 21H30

CONVERSA

A TRANSFORMAR A CIDADE…

O POTENCIAL DA ARTE URBANA.
 
 

 CASA MUNICIPAL DA CULTURA 


ENTRADA GRATUITA
CONVERSA | 60 MIN | M/12


A 1.ª Edição do ESTAU - Estarreja Arte Urbana trouxe uma nova vida e cor à Cidade. Esta nova abordagem de reabilitação e vivência do espaço público, experiência de criação artística que fomos assistindo ao longo do Festival, resultaram numa fórmula de interação global com a Cidade, tanto ao nível urbano como social, colocando Estarreja no roteiro internacional de “Street Art”, com o seu “Museu a Céu Aberto”. Enquanto se prepara a segunda edição do Festival, é tempo de conhecer outras realidades deste conceito artístico e refletir sobre arte urbana como potencial transformador das cidades... Vindos de Espanha os nossos convidados são alguns dos fundadores do ASALTO – Festival Internacional de Arte Urbana de Zaragoza, que partilharão a sua experiência,  refletindo connosco esta nova dimensão artística de uma cidade, numa conversa que abre um intenso fim de semana de programação cultural em rede da Região de Aveiro.

03
Mai17

Primeiro tema da reedição de “Sgt. Pepper’s Lonely Hearts Club Band” já chegou ao Spotify

olhar para o mundo

the beatles.jpg

 

Primeiro tema da reedição de “Sgt. Pepper’s Lonely Hearts Club Band” já chegou ao Spotify

Reedição do 50.º aniversário do álbum histórico dos The Beatles disponível a partir de 26 de maio

“Sgt. Pepper’s Lonely Hearts Club Band (Take 9)”, o tema que dá título ao álbum histórico dos The Beatles e que abre a reedição especial do 50.º aniversário do disco já está disponível no Spotify.

Esta reedição especial de “Sgt. Pepper’s Lonely Hearts Club Band” chegará às lojas a 26 de maio, mas já está disponível em regime de pré-venda. Quem fizer já a sua reserva recebe em primeira mão e de forma gratuita não só este “Sgt. Pepper’s Lonely Hearts Club Band (Take 9)”, mas também poderá ouvir pela primeira vez a remistura do tema feita por Giles Martin. Além destes, com a pré-venda pode-se ainda ouvir a partir de hoje “With A Little Help From My Friends (Take 1)” e a remistura do mesmo tema por Martin.

Assim, a um mês da reedição dos 50 anos de “Sgt. Pepper’s Lonely Hearts Club Band” ficar disponível para todos, pode-se descobrir as versões mais “despidas” e num estado ainda embrionário de dois dos temas mais importantes do século XX.

Para esta reedição, “Sgt. Pepper’s Lonely Hearts Club Band” foi novamente misturado por Giles Martin e Sam Okell em stereo e áudio 5.1 surround. Da reedição fazem parte maquetes das primeiras gravações de estúdio, incluindo 34 gravações até hoje nunca editadas. 

Esta é a primeira vez que “Sgt. Pepper’s Lonely Hearts Club Band” é remistado e apresentado com sessões adicionais de gravação, sendo também o primeiro álbum dos Beatles a ser remisturado e expandido desde o lançamento em 2003 de “Let It Be… Naked”.

A reedição de “Sgt. Pepper’s Lonely Hearts Club Band” estará disponível nos seguintes formatos:

- Versão Deluxe: 1 CD com as misturas de Giles Martin e um 2.º disco com maquetes e versões alternativas sequenciadas na mesma ordem que o alinhamento do álbum original (adicionalmente inclui os temas “Strawberry Fields Forever” e “Penny Lane”). Esta versão deluxe estará disponível em CD, LP e formato digital.

- Versão Super Deluxe: CD1 com as misturas de Giles Martin; CD 2 e CD 3 com 33 maquetes e versões alternativas sequenciadas na mesma ordem que o alinhamento do álbum original (além das novas misturas dos temas “Strawberry Fields Forever” e “Penny Lane”); CD 4 com versão em mono do álbum (e os singles “Strawberry Fields Forever” e “Penny Lane”), além de misturas em mono inéditas de “She’s Leaving Home”, “A Day In The Life” e “Lucy in the Sky With Diamonds”, tendo esta última sido descoberta no processo de pesquisa; 1 DVD e 1 Blu-ray com o documentário “Making of Sgt. Pepper”, estreado somente em 1997 na televisão britânica, os filmes promocionais de “Strawberry Fields Forever”, “Penny Lane” e “A Day in the Life”, e o álbum em alta resolução áudio e mistura 5.1.

 

 

03
Mai17

Palácio Nacional de Sintra “Acolhe Melhor”

olhar para o mundo

Acessibilidades_Palacio_Nacional_de_Sintra_credito

 

 

Palácio Nacional de Sintra “Acolhe Melhor”

 

- Revisão do plano de acessibilidades no Palácio Nacional de Sintra

- Aumento do circuito museológico para visitantes com mobilidade condicionada

- Instaladas novas soluções técnicas que permitem a melhoria das condições de acessibilidade

- Património mais inclusivo é a missão do projeto “Parques de Sintra Acolhem Melhor” 

 

Sintra, 28 de abril de 2017 – No âmbito do conjunto de intervenções que a Parques de Sintra tem realizado no Palácio Nacional de Sintra para melhoria das condições de acolhimento ao visitante, nomeadamente a alteração do circuito de visita (*), o restauro dos Pátios do Leão e de Diana e a implementação de uma nova loja no final do novo circuito, procedeu-se igualmente à revisão do plano de acessibilidades para visitantes com mobilidade condicionada. A Parques de Sintra considerou sua responsabilidade, enquanto entidade gestora de Património da Humanidade, melhorar as condições de visita através de um estudo cuidado e da avaliação dos espaços caso a caso, adaptando as soluções às características específicas do monumento.

 

Enquadradas no projeto “Parques de Sintra Acolhem Melhor” (PSAM), as intervenções no campo das acessibilidades permitiram um aumento de circuito museológico acessível de 13% para quase 40% do circuito visitável total, prosseguindo a Parques de Sintra a missão de tornar o património cultural e natural que gere mais inclusivo. O número de espaços museológicos passou de quatro (Cozinha Real, Sala Manuelina, Sala dos Archeiros e Sala dos Cisnes) para sete (Cozinha Real, Sala Manuelina, Sala dos Archeiros, Sala dos Cisnes, Pátio Central, Pátio do Leão e Jardim da Preta). Também o facto de o circuito de saída, pelo Pátio Central, coincidir atualmente com o dos restantes visitantes evita a segregação, permitindo que grupos ou famílias com pessoas com deficiência façam o percurso em conjunto a partir do Pátio Central.

 

No âmbito do projeto PSAM, a Parques de Sintra definiu uma estratégia para melhorar as condições de acessibilidade neste edifício com elevado valor patrimonial. Este processo teve uma complexidade acrescida pela impossibilidade de realizar profundas alterações físicas e pela busca do equilíbrio entre a conservação das características e autenticidade do monumento e a responsabilidade de acolher uma maior diversidade de público, muito debatida com entidades externas responsáveis pela salvaguarda do Património. A estratégia contou com a análise de três níveis de soluções, desde equipamentos que garantem autonomia e servem todos os públicos (preferencialmente) até à utilização pontual de soluções em que os visitantes dependem de terceiros (apenas quando nenhum outro ultrapassa a barreira).

 

Foram, assim, instaladas novas soluções no Palácio Nacional de Sintra que passam por equipamentos amovíveis, como rampas, e equipamentos fixos e reversíveis, como plataformas elevatórias, de modo a garantir que os espaços mantêm as suas características, as quais espelham os valores culturais e patrimoniais que lhes são associados, assumindo-se, ao mesmo tempo, o compromisso na igualdade de oportunidade no acesso ao turismo e à cultura.

 

 

(*) Novo percurso de visita proposto para os visitantes com mobilidade condicionada depois da conclusão da segunda fase da campanha de intervenções:

O início do percurso faz-se no exterior, circundando o Palácio com o auxílio do veículo de tração até chegar à Cozinha, primeiro espaço museológico acessível. O visitante poderá percorrer a Cozinha Real e alcançar a Sala Manuelina, vencendo um lanço de escadas através de uma rampa amovível.

De seguida, e transpondo também uma rampa amovível, será possível visitar a Sala dos Archeiros e, posteriormente, a Sala dos Cisnes. O visitante retrocederá até à Sala dos Archeiros e dirigir-se-á ao Pátio Central. A partir do Pátio Central, todos os visitantes realizarão o mesmo circuito de saída. Para vencer o lanço de escadas e alcançar o Pátio Central foram analisadas várias opções, de acordo com os três níveis mencionados anteriormente, e a única solução adequada é a utilização do trepador de escadas.

Do Pátio Central é possível aceder até à nova loja e ao Pátio do Leão através de um conjunto de rampas fixas em aço inoxidável, úteis para a segurança de todos os visitantes aquando da passagem pelos diversos pequenos desníveis.

A ligação entre o Pátio do Leão e o Jardim da Preta é feita através de dois lanços de escadas, que poderão ser vencidos utilizando duas plataformas elevatórias fixas à parede. Finalmente, poderão aceder ao Jardim da Preta por uma rampa fixa composta pelo mesmos materiais que as anteriores, e deslocar-se novamente no trepador de escadas até ao terreiro do Palácio.

03
Mai17

Mês da Fotografia 2017 - Concurso de Fotografia, Normas de Participação

olhar para o mundo

fotografia.png

 

Mês da Fotografia 2017

Concurso de Fotografia | Normas de Participação

 

Estão abertas as inscrições para o Concurso de Fotografia, no âmbito da 4ª edição do Mês da Fotografia, promovido pela Câmara Municipal do Barreiro. O objetivo deste concurso consiste na procura de novos valores, fomentar, reconhecer, premiar e difundir a criatividade e sentido estético da produção fotográfica contemporânea. Pretende-se, ainda, incentivar a produção fotográfica proporcionando a sua apresentação pública.

A entrega de candidaturas decorre até dia 6 de outubro de 2017, devendo as candidaturas ser enviadas por correio registado ou entregues presencialmente durante o horário de funcionamento do Auditório Municipal Augusto Cabrita (3ª a domingo, das 14h às 20h – encerra à 2ª feira). O tema do Concurso é livre.

 

De acordo com as Normas de Participação (consulte em www.cm-barreiro.pt):

  1. a) A inscrição é gratuita. As fotografias apresentadas devem ser inéditas, nunca tendo sido avaliadas por um júri.
  2. b) Este concurso está aberto a qualquer tendência, abordagem e linguagem fotográfica, sem exceção, permitindo assim que se revelem novos valores e novas perspetivas da Fotografia.
  3. c) A participação está aberta a todos aqueles que tenham idade igual ou superior a 18 anos ou que complete 18 anos até ao final de 2017.
  4. d) Os trabalhos a concurso devem fazer-se acompanhar de Memória Descritiva do projeto a concurso, Biografia do Autor, Identificação Pessoal e a Ficha de Inscrição, devidamente preenchida e assinada. Todos os materiais solicitados devem ser entregues também em formato digital. O não envio destes documentos compromete a participação no concurso.
  5. e) Só serão aceites trabalhos em suporte papel, a cores ou a preto e branco, com número mínimo de três e um máximo de cinco fotografias por concorrente, do mesmo formato e com a mesma qualidade de impressão.
  6. f) Só serão aceites suportes fotográficos com as dimensões mínimas de 20x30/20x20 cm e máximas de 30x40/40x40 cm.
  7. g) As fotografias a concurso, bem como a memória descritiva, não devem vir identificadas com o nome do autor.
  8. h) Não deverão ser entregues obras originais. A Câmara Municipal do Barreiro não se responsabiliza por qualquer deterioração, roubo ou perda dos documentos entregues.
  9. i) Cada concorrente deverá declarar na ficha de inscrição a autoria dos trabalhos e que autoriza a sua publicação e exibição, não estando a Câmara Municipal do Barreiro obrigada a atribuir-lhe qualquer remuneração.
  10. j) As obras devem ser enviadas dentro de envelope fechado, devidamente identificados no verso com o respetivo título e nome do autor.

 

Durante o Mês da Fotografia 2017, que terá lugar em novembro, realizar-se-á uma exposição constituída por 10 projetos fotográficos, previamente selecionados pelo júri do concurso, composto por três profissionais da área da Fotografia.

O Júri avaliará os trabalhos a concurso segundo os seguintes critérios:

  1. a) Inovação, criatividade e características estéticas do trabalho
  2. b) Coerência e qualidade global do conjunto, assim como a originalidade

do assunto abordado.

 

CMB 2017-04-28

03
Mai17

IndieLisboa Cinema ao Ar Livre na reabertura do Capitólio

olhar para o mundo

indielisboa.jpg

 

 

IndieLisboa

 

Cinema ao Ar Livre na reabertura do Capitólio

IndieLisboa de 3 a 14 de Maio

 
 
 

Guardem a data: no dia 5 de Maio o Cineteatro Capitólio/Teatro Raul Solnado volta a abrir portas para a aquela que será a primeira sessão de cinema ao ar livre do 14.º IndieLisboa – Festival Internacional de Cinema Independente. Desde o seu passado cinéfilo do pós-25 de Abril, que teve o seu fim nos anos 90 com o fecho do edifício, esta será a primeira vez que o Capitólio recebe uma programação regular de cinema, durante as datas do festival. De 5 a 13 de Maio, todas as noites, pelas 21h30, será apresentado um filme da secção IndieMusic, no terraço. Na primeira noite apresentamos Tony Conrad: Completely in the Present, o documentário que olha o legado incontornável do “padrinho” dos Velvet Underground.

Nas noites que se seguem, uma bela vista da cidade, no terraço do recém habilitado teatro, serve de pano de fundo para a exibição de: Bunch of Kunst (6 de Maio), The Man From Mo'Wax (7 de Maio), Revolution of Sound. Tangerine Dream (8 de Maio), A Story of Sahel Sounds (9 de Maio), Liberation Day (10 de Maio), Where You're Meant to Be eTalasnal (11 de Maio), Beatbox, Boom Bap Around the World (12 de Maio) e Shot! The Psycho-Spiritual Mantra Rock (13 de Maio). No total serão nove as sessões do IndieMusic a terem lugar no Capitólio, estando as restantes programadas para as restantes salas do festival. Haverá ainda um bar onde será possível, a partir das 20h30 de todos os dias do festival, acompanhar as exibições com cerveja artesanal MUSA.

Durante as exibições de cinema no Capitólio será ainda possível ouvir e questionar alguns dos criadores dos documentários: Conversa com Paul Williams, produtor do filme Tony Conrad: Completely in the Present (5 de Maio), Conversa com Christine Franz, realizadora do filme Bunch of Kunst (6 de Maio), Conversa com Matthew Jones, realizador do filme The Man From Mo'Wax (7 de Maio), Conversa com Florian Klaeger, realizador do filme A Story of Sahel Sounds (9 de Maio) e Conversa com Pascal Tessaud, realizador do filme Beatbox Boom Bap, e Wawad, campeão francês de Beatbox protagonista do filme (12 de Maio).

O IndieLisboa 2017 by Allianz é organizado pela IndieLisboa - Associação Cultural, com o apoio financeiro do Ministério da Cultura/ICA - Instituto do Cinema e do Audiovisual, da CML - Câmara Municipal de Lisboa, do Programa Creative Europe da União Europeia e da Allianz; em co-produção com a Culturgest e o Cinema São Jorge e em parceria estratégica com a EGEAC - Empresa de Gestão de Equipamentos e Animação Cultural, EEM.

02
Mai17

ACERT - Estreia de ATALHOS - NA XINA LUA ou sobre o caminho mais comprido entre dois pontos

olhar para o mundo

atalhos.jpg

 

ATALHOS - NA XINA LUA
ou sobre o caminho mais comprido entre dois pontos
Teatro



Persistência e ousadia teatral celebradas por duas dezenas de intérpretes que têm na Acert o espaço de residência do seu grupo e dos seus sonhos
 
O Na Xina Lua - Grupo de Teatro da Escola Secundária de Tondela volta a participar no Projeto PANOS – palcos novos, palavras novas. Um projeto da Culturgest que alia o teatro escolar/juvenil às novas dramaturgias, inspirando-se no programa Connections, do National Theatre de Londres. Todos os anos há peças novas escritas de propósito para serem representadas por grupos escolares ou de teatro juvenil, e das três peças disponíveis em 2017 o Na Xina Lua elegeu o texto Atalhos, de Joana Craveiro.

Ainda em fase de ensaios, os vinte jovens atores partilham entre si descobertas, inquietações e os constantes desafios que cada uma das personagens oferece.

Sinopse


Cinco jovens empreendem uma viagem por entre as suas dúvidas e desadequações da sociedade e daquilo que é esperado deles. Cada um define o seu ponto de partida, mas não sabem dizer à partida aonde vão chegar. Pelo caminho, tiram para fora a sua lista de perguntas e de acontecimentos inexplicados, ao mesmo tempo que se vão aproximando de alguns sonhos ou fantasias que têm. Num não-lugar de mapas imaginários, estas cinco figuras unidas pela vontade comum de encontrar respostas e fugir ao sentirem-se fora de tudo percorrem a memória de alguns acontecimentos recentes que têm surgido nos jornais ao longo dos últimos meses/anos, para falarem deles próprios e pedirem explicações pelo que não compreendem.
O caminho que escolheram é o mais longo, e daí o título.
Porque demora sempre mais ir à volta das coisas, ao cerne das coisas, do que passar por cima do que não se compreende nem faz sentido só para se chegar mais depressa aonde se pensa que tem de se chegar a horas.

Sobre a autora

Joana Craveiro é diretora artística do coletivo Teatro do Vestido, que fundou em 2001, e no qual dirigiu mais de 20 projetos até ao momento, tendo escrito a maioria deles e participado igualmente como atriz e cocriadora. Tem o curso de formação de atores da Escola Superior de Teatro e Cinema (1997), é licenciada em Antropologia pela Universidade Nova de Lisboa, FCSH (2003) e tem o Mestrado em Encenação pela Royal Scottish Academy of Music and Drama (2004). Encontra-se de momento a finalizar o doutoramento no departamento de Teatro e Estudos da Performance da Roehampton University, em Londres, sobre a transmissão da memória política da ditadura portuguesa, da revolução do 25 de Abril de 1974 e do processo revolucionário que se lhe seguiu. A relação entre os acontecimentos históricos e as suas representações no presente, bem como a recolha de memórias e histórias de vidas e as cartografias poéticas e afetivas das cidades são algumas das questões a partir das quais Joana Craveiro tem trabalhado mais recentemente.


Bilhete: 2€ · Estudante: 1€




Ficha Técnica


Texto: Joana Craveiro
Interpretação: Afonso Cortez, Alexandra Costa, Beatriz Brás, Daniel Nunes, Daniel Paz, Daniela Sousa, Diana Mota, Diogo Macedo, Guilherme Henriques, Joana Brás, João Costa, Luísa Campos, Madalena Almiro, Maria Alves, Maria Inês Gomes, Marta Rodrigues, Rafaela Almeida, Raquel Nunes, Sofia Cunha e Tiago Clamote
Encenação: Sandra Santos
Assistência de encenação: João Almiro
Desenho de Luz: Paulo Neto
Apoio à produção: Trigo limpo teatro Acert

Espetáculo criado em Residência Artística no Novo Ciclo Acert

Pág. 10/10

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub