Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

As Coisas da Cultura

Porque há sempre muito para ver e para contar

Porque há sempre muito para ver e para contar

As Coisas da Cultura

28
Jan13

Sporting empata em casa

olhar para o mundo

Sporting empata em casa

“Leões” cedem empate em Alvalade frente ao Vitória. Wolfswinkel marcou de calcanhar, mas o golo do holandês foi insuficiente para evitar que a equipa de Jesualdo Ferreira perdesse os seus primeiros pontos.

 

O Sporting de Jesualdo Ferreira já não tem o pleno de vitórias. Depois de três triunfos consecutivos, os “leões” cederam neste domingo um empate em Alvalade (1-1), frente ao Vitória de Guimarães, em jogo da 16.ª jornada da I Liga. Os vimaranenses ainda estiveram em vantagem, mas Wolfswinkel fez o empate com um toque de calcanhar. Com este empate, a classificação de ambas as equipas ficou inalterada: o Vitória mantém-se no sexto lugar, enquanto o Sporting continua em oitavo.

 

Mesmo limitado pelas ausências de muitos jogadores, desde cedo ficou claro que este Vitória não vinha a Alvalade ser apenas espectador de mais um capítulo da retoma do Sporting. Com um trio de “rejeitados” da Academia “leonina” no ataque (Baldé, Ricardo e Marco Matias), mais uma base de jogadores muito jovens e pouco experientes, a formação vimaranense não entrou à defesa e exigia enorme atenção à defesa sportinguista. Em qualquer outra altura da época, o Sporting ter-se-ia deixado dominar, sofreria a pressão do adversário e só acordaria quando fosse demasiado tarde. Mas a verdade é que, com Jesualdo no banco, a equipa mudou.

Esta atitude activa dos “leões” podia ter dado frutos aos 19’, numa arrancada de André Carrillo pelo flanco direito que Freire não conseguiu acompanhar. O peruano foi correndo com a bola colada aos pés, chegou à área do Vitória e disparou um remate que acabaria por acertar com estrondo no poste. Dois minutos depois, foi Xandão quem teve o golo nos pés, mas o seu remate foi fraco e permitiu a defesa fácil de Douglas. Os golos não chegavam, mas o Sporting jogava bem frente a uma das melhores equipas desta Liga, que, durante quase toda a primeira parte, pouco conseguiu sair do seu meio-campo.

 

Foi só aos 44’ que o Vitória esteve realmente perto de incomodar Rui Patrício, numa jogada de contra-ataque conduzida por Ricardo permitindo a defesa do guarda-redes “leonino” no momento do remate.

 

Os últimos instantes da primeira parte trouxeram uma contrariedade a Jesualdo Ferreira. Boulahrouz cai no relvado após um sprint e já não voltaria do balneário. No seu lugar, mais um da formação “leonina”, o central Pedro Mendes, que até ontem tinha mais minutos pela equipa principal do Real Madrid que pela do Sporting.

 

Tal como acontecera no início do jogo, o Vitória voltou a entrar bem e, desta vez, conseguiu estender esse domínio por mais uns minutos, o suficiente para ter duas jogadas de perigo em que Matias e Tiago Rodrigues estiveram perto do golo.

 

Aos 53’, os vimaranenses fizeram funcionar o marcadar. Baldé tem espaço na área do Sporting, consegue fazer o cabeceamento e Xandão confirma a trajectória da bola na direcção da baliza do Sporting.

 

Há um mês, os “leões” teriam ficado a remoer a má sorte, os assobios teriam enchido Alvalade e os jogadores ficariam todos de braços caídos. Mas esta equipa está mesmo diferente e a reacção não durou nem um minuto. Na jogada seguinte, Miguel Lopes fez o cruzamento e Ricky van Wolfswinkel voltou a marcar um golo de calcanhar, tal como havia feito frente à Lazio na Liga Europa da temporada passada. Era o dia de anos do avançado holandês e ele ofereceu a ele próprio e aos adeptos um belo golo.

 

Ainda faltava mais de meia-hora e o Sporting continuou a carregar. Jesualdo arriscou com Viola e Jeffren, Rui Vitória fez a equipa recuar. Os “leões” queriam mesmo continuar a retoma, mas os jovens vimaranense não deixaram e até reclamaram de um lance na área “leonina” com Ricardo a ser derrubado — Carlos Xistra mandou seguir, mas os protestos eram legítimos. Já nos descontos, Wolfswinkel teve na cabeça o golo do triunfo de novo a cruzamento de Miguel Lopes, mas a bola saiu por cima. Tal como tantas outras vezes esta época, o Sporting voltou a não vencer, mas desta vez não se ouviram assobios.

 

Retirado do Público

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub