Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

As Coisas da Cultura

Porque há sempre muito para ver e para contar

Porque há sempre muito para ver e para contar

As Coisas da Cultura

13
Mai13

Governo japonês atribui bolsas de estudo a portugueses

olhar para o mundo

Estudantes

Bolsas para mestrado, investigação ou curso profissional no Japão disponíveis para portugueses. Até 21 de Junho

O Ministério da Educação, Cultura, Ciência e Tecnologia do Japão está a recrutar licenciados portugueses que queiram realizar um projecto de investigação, um mestrado, um doutoramento ou um curso superior profissional em universidades do país.

 

O programa de bolsas não tem um número definido de vagas ou cursos disponíveis. O processo assemelha-se àquele que um estudante teria de fazer no seu próprio país de origem. Ou seja, escolhe uma área de estudo, a instituição que gostaria de frequentar e candidata-se.

 

A bolsas atribuídas incluem todas as despesas com propinas, inscrição e viagens, bem como uma remuneração mensal, de 143 000 ienes (cerca de 1098 euros) para bolseiros de investigação, 144 000 ienes (cerca de 1106 euros) para alunos de mestrado ou curso superior profissional, e 145 000 ienes (cerca de 1113 euros) para alunos de doutoramento.

 

Candidaturas até 21 de Junho

Os interessados devem apresentar, até 21 de Junho, o boletim de inscrição, certificado de licenciatura, carta de recomendação e restante documentação exigida no regulamento junto da Embaixada do Japão. Depois deverão ainda fazer uma entrevista e um exame em japonês. Ainda que o domínio da língua japonesa não seja exigido, a realização do exame é obrigatória, sendo ainda possível fazê-lo também em inglês.

 

Mediante os resultados desta primeira fase, a Embaixada do Japão e o Governo Português fazem uma selecção preliminar dos candidatos. Os escolhidos deverão então contactar universidades e envidarem esforços para obter uma carta de admissão. A selecção final dos bolseiros, bem como a escolha da universidade onde serão colocados cabem às autoridades japonesas.

 

A data de partida é diferente para os diferentes cursos e instituições, mas todas têm vista a frequência durante o ano lectivo de 2014. As bolsas de investigação terminam em 2016, e as restantes no final do curso.

 

Os bolseiros que não falam japonês terão direito a um curso intensivo da língua nos primeiros seis meses, e só começam os estudos quando este terminar. No caso de não conseguirem resultados satisfatórios, perdem o direito à bolsa.

 

O regulamento, bem como morada e contactos, podem ser consultados online na página da Embaixada do Japão

 

Retirado do P3

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub