No horizonte de Telma Monteiro está o “Animal Matsumoto”

<p>A japonesa Kaori Matsumoto (aqui num dos combates que já fez com Telma Monteiro) é conhecida pela forma agressiva como combate</p>

A japonesa Kaori Matsumoto (aqui num dos combates que já fez com Telma Monteiro) é conhecida pela forma agressiva como combate

 

O azar inicial calhou a Vezna Dzukic. A judoca eslovena vai defrontar Kaori Matsumoto logo no seu primeiro combate nos Jogos Olímpicos na categoria de -57kg. Ok, a japonesa é a líder do ranking mundial, já foi campeã do mundo e é a grande candidata ao título olímpico numa prova em que Telma Monteiro tem aspirações. Mas os títulos e o currículo não dizem tudo sobre esta pequena japonesa de 1,62m de altura. Palavra a Carli Renzi, judoca australiana que também está em Londres: “As raparigas japonesas chamam-lhe o ‘Animal Matsumoto’. Porque ela é muito agressiva quando combate. Lutar contra ela é como jogar ténis contra o Roger Federer.”


Este é o dia de quase todas as esperanças portuguesas em conquistar uma medalha nos Jogos de Londres. Também há João Pina, mas é Telma Monteiro quem concentra as atenções. Matsumoto vai estar, quase de certeza no seu caminho. Devido ao facto de serem as duas mais bem cotadas no ranking que estão em Londres (a número dois também é japonesa, Aiko Sato, mas só pode competir uma atleta de cada categoria por país), Matsumoto e Telma ficaram afastadas no sorteio e só se poderão encontrar na final para disputar a medalha de ouro.

Matsumoto e Monteiro já se defrontaram por oito vezes e a portuguesa venceu apenas em duas ocasiões, a última das quais em Janeiro do ano passado, em Baku – a outra foi em Hamburgo, numa prova da Taça do Mundo, em 2009. Mas foi uma excepção na carreira recente de Matsumoto, apenas um dos três combates que perdeu nos últimos dois anos (os outros foram contra a ausente Sato e contra a brasileira Rafaela Silva). A regra é a vitória da japonesa, que vai cumprir em Londres a sua estreia olímpica. Até agora, o combate entre as duas em que estava mais em jogo foi a final do Mundial, em 2010. Em Tóquio, no dia de anos da japonesa, Telma só cedeu para Matsumoto a 23 segundos do fim.

Antes de chegar mais longe, o primeiro obstáculo da judoca portuguesa chama-se Marti Malloy, 11.ª do ranking mundial, com quem nunca perdeu nos três combates que disputaram. Depois, se tudo correr bem a Telma, que participa nos seus terceiros Jogos (12.º lugar em 2004 e 9.º posto em 2008, em -52kg), serão mais três combates até chegar ao provável confronto com Matsumoto.

Nascida a 11 de Setembro de 1987, Kaori Matsumoto começou a praticar judo aos seis anos por influência dos irmãos e do pai, que nunca foi judoca. Actualmente, é uma presença regular nos lugares cimeiros das provas da Taça do Mundo e dos grandes campeonatos internacionais. Telma tem um currículo à altura, até mais recheado (vice-campeã mundial por três vezes e campeã europeia por quatro). Evita é falar de Matsumoto porque não lhe quer dar mais poder, como dizia numa entrevista há poucos meses: “Se me dissessem que eu era um alvo a abater, a minha confiança iria crescer muito. E não quero dar isso a ninguém.” 

 

Noticia do Público

publicado por olhar para o mundo às 08:30 | link do post