Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

As Coisas da Cultura

Porque há sempre muito para ver e para contar

Porque há sempre muito para ver e para contar

As Coisas da Cultura

12
Mai13

Sexo - Paixões de verão

olhar para o mundo

Paixões de verão

Saiba quais os melhores locais para fazer amor

O verão é tempo de férias, de descontração, de calor, as pessoas sentem-se mais livres, mais despreocupadas o que se torna propício a novos relacionamentos. As férias para locais distantes dispertam a curiosidade de conhecer pessoas novas, de ter aventuras e experiências diferentes, surgem os olhares atrevidos, a sedução, as paixões intensas e tórridas, as peles bronzeadas, os corpos menos cobertos e tudo isto é o cenário perfeito para encontrar o seu amor de verão!

 

Vale a pena viver uma paixão assim, poder encontrar alguém que a atraia em diversos lugares: na praia, na esplanada, no restaurante, num passeio, numa discoteca,… Todos estes sítios são certos para encontrar a sua aventura. O importante é divertir-se, não pensar no futuro, e desfrutar todos os momentos como um casal, ver o pôr-do-sol, passear numa praia deserta, dar longas caminhadas pela praia à noite...

 

Seja ele fugaz ou duradouro, o melhor é aproveitar os dias ao máximo com total liberdade, sem criar expectativas, sem compromissos, criando uma história de verão inesquecível e vivendo-a intensamente ao sabor deste momentos únicos. Já dizia o poeta: “ Que seja infinito enquanto dure.”

 

Inspire-se nas nossas sugestões sobre os locais ideais para fazer amor e aproveite os últimos dias de calor das mais variadas maneiras, loucas e curiosas.

 

No mar: Alugue um barco a remos e vá até ao meio do mar, num local sossegado, aproveite a adrenalina e o medo de serem apanhados como estímulo sexual.

 

Num parque de diversões: Para quem gosta de aventura, nada melhor do que criar outra aventura dentro da cabine da roda gigante, desfrutando do tempo da “viagem” e vivendo um dos melhores momentos sobre uma paisagem incrível.

 

Num estádio de futebol: Depois de ele a convencer a assistir a um jogo de futebol ao vivo, convença-o a fazer amor consigo nesse mesmo local. Aproveite a altura em que o jogo está a decorrer e leve-o para um sítio escondido.

 

Numa cascata: Se tiver de férias num local repleto de lagos e cascatas, escolha uma hora menos movimentada ou até mesmo uma pequena cascata que não seja frequentada e leve a sua paixão de verão para trás da queda de água, mais romântico e excitante não poderia ser.

 

Na praia: É o local mais comum mas não deixa de ser entusiasmente, leve uma tenda ao fim da tarde para uma praia e combine passar lá a noite. Prepare uma cesta com comida afrodisíaca, desfrute do pôr-do-sol e de uma noite de amor.

 

No teleférico: Se tiver numa cidade com teleférico e se as cabines forem individuais, é um local perfeito para fazer amor. Tendo em conta que está suspenso e com muito cuidado por causa do balanço, sejam discretos e aproveitem.

 

No chuveiro: Mais um local que não deixa de ser comum mas depois de um dia quente de praia, leve-o para casa e prepare-lhe uma surpresa. Seja na banheira ou no chuveiro, viva momentos de paixão.

 

Num campo de golfe: Se ele gosta de golfe pode desafiá-lo para uma partida e vencedora ou vencida, escolha um local seguro no descampado, de dia ou de noite, e aproveite.

 

No Spa: Se está hospedada num hotel com Spa, veja uma hora que a sauna esteja vazia e aproveitem para aquecer ainda mais o ambiente.

 

No parque: Durante um passeio à noite, escolha um parque de merendas fora da cidade que, normalmente têm parque de diversões para crianças e tranforme o baloiço numa brincadeira de adultos.

 

Numa casa abandonada: Com muito cuidado com o estado da casa e de serem vistos, escolha umas ruínas e façam o vosso reconhecimento do território.

 

Num miradouro: Estacionados num miradouro, estendam uma manta no capot do carro, desfrutem do luar e das estrelas e entreguem-se ao prazer.

 

No campo: Organize um piquenique no meio do campo de flores selvagens em comunhão com a natureza e transforme a sesta da tarde num momento de amor.

 

Na montanha: Numa caminhada, suba a montanha, reconheça a paisagem magnífica e aprecie o pôr-do-sol da melhor forma.

 

Nos provadores de uma loja: Numa ida às compras enquanto supostamente vai experimentar a roupa, muito discretamente, pode conseguir a rapidinha mais curta do mundo, mas também a mais inesquecível.

 

Retirado de Sapo Mulher

11
Mai13

Depressão e sexo

olhar para o mundo

Depressão e sexo

O impacto da doença na diminuição do desejo e no afastamento do casal

 

A depressão é uma doença muito mais comum do que à partida se poderia pensar, afetando uma em cada cinco pessoas ao longo da sua vida.

 

Portugal é o país da Europa com maior taxa de doentes com depressão e, apesar de ser um dos países com maior consumo de antidepressivos, aproximadamente um terço das pessoas com perturbações mentais continua sem tratamento.

 

A depressão caracteriza-se por sentimentos de cansaço, falta de esperança, baixa auto-estima, insónia e dor física. As consequências da depressão podem evidenciar-se em vários campos, nomeadamente na vida pessoal, sexual e profissional. A falta de tratamento desta doença pode ter consequências graves e levar em última instância ao suicídio.

 

Relação entre os problemas sexuais e a depressão


Ao afetar vários aspetos da vida quotidiana, a depressão também afeta a vida amorosa e a vida sexual. A sensação de não conseguir levar uma rotina normal, causa muitas vezes o distanciamento entre parceiros, levando a pessoa com depressão a sentir-se pouco desejada ou amada.

 

Estudos demonstram que duas em cada três pessoas afectadas pela depressão perdem o interesse pelo sexo, sendo este um resultado de desequilíbrios químicos no cérebro, que podem ser acompanhados por falta de energia, ganho de peso de perturbações do sono.

 

Por outro lado, a falta de desejo sexual pode ser uma consequência de tratamentos antidepressivos, pelo que é importante avaliar o impacto destes medicamentos na vida sexual de cada paciente, de forma a proceder a alterações na terapêutica, se for caso disso.

 

As principais consequências da depressão na vida sexual incluem:

 

Nos homens, a falta de motivação e o cansaço podem ser associados à falta de libido e a problemas de ereção.

 

Nas mulheres, a falta de actividade cerebral tende a ser associada ao baixo interesse pelo sexo e muito frequentemente à dificuldade em atingir o orgasmo.

 

O cérebro é um órgão altamente sensível, sendo neste órgão que a estimulação sexual começa. A depressão influencia os neurotransmissores responsáveis pelo desejo sexual, causando desequilíbrios na resposta ao estímulo sexual.

 

Como se podem tratar os problemas sexuais e a depressão?


Tratar a depressão é sempre o primeiro passo, uma vez que à medida que esta condição é curada, o desejo sexual é recuperado. Existem formas de contornar os efeitos secundários dos medicamentos antidepressivos na sua vida sexual, sem comprometer o tratamento. Discutir este assunto com o seu médico é fundamental, uma vida sexual saudável é importante para o bem-estar pessoal e pode ajudar a encarar a depressão de forma mais positiva.

 

A maioria das pessoas com depressão pode notar melhorias quando adopta uma rotina de exercício físico, tal como desporto ou dança, pelo que se a falta de vontade sexual, não lhe permite uma vida sexual normal, comece por outras actividades com o(a) sua/seu parceiro(a), de forma a manter uma relação próxima entre o casal. A depressão ou o seu tratamento podem não ser, no entanto, a única causa dos seus problemas sexuais.

 

Outros problemas de saúde como a diabetes, a esclerose múltipla e a tensão arterial, podem influenciar a sua vida sexual. O tratamento com anti-epiléticos, anti-hipertensores ou antidislipidémicos, também pode causar perturbações, bem como o consumo de álcool, canábis, opiáceos e anfetaminas. Falar abertamente com o(a) seu/sua parceiro(a) e o seu médico sobre os seus problemas sexuais é o principal passo para a sua resolução e para uma vida sexual saudável.

 

Retirado do Sapo Múlher

08
Mai13

Depressão e sexo

olhar para o mundo

Depressão e sexo

O impacto da doença na diminuição do desejo e no afastamento do casal

A depressão é uma doença muito mais comum do que à partida se poderia pensar, afetando uma em cada cinco pessoas ao longo da sua vida.

 

Portugal é o país da Europa com maior taxa de doentes com depressão e, apesar de ser um dos países com maior consumo de antidepressivos, aproximadamente um terço das pessoas com perturbações mentais continua sem tratamento.

 

A depressão caracteriza-se por sentimentos de cansaço, falta de esperança, baixa auto-estima, insónia e dor física. As consequências da depressão podem evidenciar-se em vários campos, nomeadamente na vida pessoal, sexual e profissional. A falta de tratamento desta doença pode ter consequências graves e levar em última instância ao suicídio.

 

Relação entre os problemas sexuais e a depressão


Ao afetar vários aspetos da vida quotidiana, a depressão também afeta a vida amorosa e a vida sexual. A sensação de não conseguir levar uma rotina normal, causa muitas vezes o distanciamento entre parceiros, levando a pessoa com depressão a sentir-se pouco desejada ou amada.

 

Estudos demonstram que duas em cada três pessoas afectadas pela depressão perdem o interesse pelo sexo, sendo este um resultado de desequilíbrios químicos no cérebro, que podem ser acompanhados por falta de energia, ganho de peso de perturbações do sono.

 

Por outro lado, a falta de desejo sexual pode ser uma consequência de tratamentos antidepressivos, pelo que é importante avaliar o impacto destes medicamentos na vida sexual de cada paciente, de forma a proceder a alterações na terapêutica, se for caso disso.

 

As principais consequências da depressão na vida sexual incluem

 

Nos homens, a falta de motivação e o cansaço podem ser associados à falta de libido e a problemas de ereção.

 

Nas mulheres, a falta de actividade cerebral tende a ser associada ao baixo interesse pelo sexo e muito frequentemente à dificuldade em atingir o orgasmo

 

O cérebro é um órgão altamente sensível, sendo neste órgão que a estimulação sexual começa. A depressão influencia os neurotransmissores responsáveis pelo desejo sexual, causando desequilíbrios na resposta ao estímulo sexual.

 

Como se podem tratar os problemas sexuais e a depressão?


Tratar a depressão é sempre o primeiro passo, uma vez que à medida que esta condição é curada, o desejo sexual é recuperado. Existem formas de contornar os efeitos secundários dos medicamentos antidepressivos na sua vida sexual, sem comprometer o tratamento. Discutir este assunto com o seu médico é fundamental, uma vida sexual saudável é importante para o bem-estar pessoal e pode ajudar a encarar a depressão de forma mais positiva.

 

A maioria das pessoas com depressão pode notar melhorias quando adopta uma rotina de exercício físico, tal como desporto ou dança, pelo que se a falta de vontade sexual, não lhe permite uma vida sexual normal, comece por outras actividades com o(a) sua/seu parceiro(a), de forma a manter uma relação próxima entre o casal. A depressão ou o seu tratamento podem não ser, no entanto, a única causa dos seus problemas sexuais.

 

Outros problemas de saúde como a diabetes, a esclerose múltipla e a tensão arterial, podem influenciar a sua vida sexual. O tratamento com anti-epiléticos, anti-hipertensores ou antidislipidémicos, também pode causar perturbações, bem como o consumo de álcool, canábis, opiáceos e anfetaminas. Falar abertamente com o(a) seu/sua parceiro(a) e o seu médico sobre os seus problemas sexuais é o principal passo para a sua resolução e para uma vida sexual saudável.

 

Retirado do Sapo Mulher

05
Mai13

AS 10 PIORES MANIAS MASCULINAS

olhar para o mundo

 

Não se irrite ignore As 10 piores manias masculinas

 

As manias masculinas que mais nos irritam, será que é a natureza? Foto/© Sandra Hoever/Corbis

 

Nós amamos os homens, mas em certas ocasiões e com certas manias, eles nos irritam, sim! E acredite, eles não fazem isso por mal, é da péssima e esquecida natureza deles. Pelo menos, é o que dizem por aí, mas melhor do que se descabelar e passar horas pensando: por que ele é assim? Melhor é ignorar.

 

Pois, como todas nós sabemos, isso não mudará. Afinal de contas você também deve ter as suasmanias, que atire a primeira pedra quem não tem. O que muda de homens para mulheres, é que quando a gente percebe que está fazendo algo errado, tenta mudar, já eles...!

 

Mas enfim, vamos à nossa lista das coisas maisirritantes que os homens fazem segundo nossa redação e aquelas que já compartilhamos com as amigas:

 

1 - Status monossilábico- Depois de falarmos muito, e explicarmos determinado problema do relacionamento, ou algo que queremos, ou estamos simplesmente nos declarando, eles apenas dizem, "sim", ou "não", ou apenas sorriem.

 

2 - Quando pulam as preliminares na hora do sexo, ou fazem rápido demais. Não dá, né?

 

3 - Não entendem que mulher precisa de um tempo para se arrumar: não dá pegar a primeira camiseta amarrotada no armário, ou colocar aquele tênis imundo que ele insiste em adorar.

 

4 - Esquecer que carinho não se faz somente quando ele quer sexo. Um abraço e um beijo demorado são bons de vez em quando, para variar.

 

5 - Uma calma inexplicável diante de nosso pânico quando a gente vê uma barata. Eles dizem: "não entendo porque você tem ficar histérica desse jeito?".

 

6 - Quando ele esquece que saiu da casa da mãe dele e deixa tudo bagunçado, por semanas. E se você não arrumar, vai ficar assim, para sempre.

 

7 - A toalha molhada na cama: um clássico com direito a remake - todo dia.

 

8 - Desleixo com a aparência, isso é duro de engolir. Unhas cortadas, barba cuidada, seja ela grande, rente, ou bundinha de nenê, precisa estar perfumada, e roupas, minimamente combinando. Será que é pedir muito? Parece que sim.

 

9 - Impossível ele dizer que te ama ou algo romântico espontaneamente, mesmo depois de assistirem a um filme romântico, e mesmo que te ame.

10 - Você gastou horas, escolhendo aquela lingerie de matar e na hora H o gato nem sequer olhou tamanha era a vontade de tirar. Pode isso? Um elogio antes e uma olhada de 15 segundos resolveria esse problema.

 

Mesmo assim, gostamos desse espécime e muito, né?

 

Retirado de Vila Mulher

02
Mai13

Afrodisíacos light

olhar para o mundo

Afrodisíacos light

Alimentos pouco calóricos que proporcionam momentos de intimidade intensos

Existem alimentos e substâncias que têm o condão de potenciar o apetite sexual. Muitas delas, como o chocolate, as bebidas alcoólicas, o abacate e as avelãs, têm contudo a desvantagem de ser demasiado calóricos.

 

É extensa a lista de alimentos a que são atribuídas propriedades afrodisíacas. Selecionámos alguns dos menos calóricos. Para que os possa consumir com todo o prazer, mesmo que esteja a fazer dieta.

 

O seu poder a este nível é indesmentível. Estes são os mais recomendados, de acordo com Vicki Edgson e Ian Marber, autores do livro «O Nutricionista – O que se deve comer para dormir melhor e ter melhor sexo», publicado em Portugal pela Didáctica Editora:

 

- Cogumelos

Contêm apenas 14 calorias por 100 g. São ricos em vitaminas do complexo B e cálcio. Contribuem para a produção de energia, sem a qual não existiria libido. Além disso, despertam a sensibilidade ao tato e ajudam à contração muscular associada à ereção masculina e ao orgasmo feminino.

 

- Tomate

Fornece apenas 19 calorias por 100 g. Este fruto, que muitos pensam ser um legume, tal como a abóbora, é rico em betacaroteno, precursor da vitamina A. É ital na produção das hormonas sexuais masculinas e femininas, promove a fertilidade e regula o desenvolvimento das hormonas sexuais.

 

- Papaia

Contém 39 calorias por 100 g. Fonte de vitamina C, estimula o impulso sexual, aumenta o volume do sémen e assegura a sua fluidez. Fortalece ainda os órgãos sexuais masculinos e femininos.

 

- Espargos

São um alimento hipocalórico que não vai além das 17 kcal por 100 g. Poderosos estimulantes dos rins e do fígado, libertam energia lentamente e têm um efeito laxante. São ricos em vitaminas C e K, betacaroteno, ácido fólico, fósforo, potássio e fibra.

 

- Morangos e framboesas

A sua cor estimulante e o seu formato pequeno tornam-nos ideais para brincadeiras apaixonadas. Leve um destes frutos lentamente à boca do seu parceiro, terminando com um beijo apaixonado. Se preferir, ingira um de forma insinuante e sensual, provocando-o e excitando-o. Uma dose de morangos contém apenas 29 calorias por 100 g.

 

- Espinafres

Contêm apenas 22 calorias por 100 g. Aumentam os níveis de energia no organismo, intensificando a relação e os movimentos dos músculos, incluindo os sexuais. O seu elevado teor de potássio tem ainda uma função reguladora, equilibrando os níveis de gordura no sangue.

 

Retirado de Sapo Mulher

28
Abr13

Como explorar os pés durante o sexo

olhar para o mundo

Como explorar os pés durante o sexo

Dicas para potenciar esta parte do corpo

Os podólatras, indivíduos que têm fetiche pelos pés, retiram prazer sexual desta parte do corpo de inúmeras formas. Os pés são encarados como um objeto de satisfação sexual capaz de proporcionar prazer, uma vez que são ricos em terminações nervosas.

 

Aqui vão algumas dicas para potenciar ao máximo esta parte do corpo:

 

1 - Usar óleos de massagens nas trocas de carícias, estimulando sensorialmente a planta ou o peito do pé

 

2 – Beijar e chupar cada um dos dedos do pé

 

3 –Brincar com as temperaturas. Usar gelo ou gelado e causar arrepios nos pés e depois aquecê-los imediatamente com as mãos

 

4 - Fazer cócegas e deslizar os pés sob o corpo do outro

 

5 – Usar o dedo grande para estimular 

 

Há, no entanto, casos mais extremos deste fetiche, em que se aprecia mesmo o odor de pés femininos sem asseio.

 

Retirado do Sapo Mulher

26
Abr13

Sexo - Reconquiste o prazer em sete dias

olhar para o mundo

Reconquiste o prazer em sete dias

O plano de uma sexóloga que vai (re)aproximar o casal

Lembra-se da última vez que teve uma noite daquelas com o seu companheiro? Se não, siga o plano de sete dias da sexóloga Vânia Beliz e recupere o desejo sexual numa semana. A Saber Viver testou-o e conta-lhe tudo.

 

«Queres matar-me?!», retorquiu. Foi assim, em jeito de brincadeira, que o meu marido reagiu quando lhe disse que íamos entrar no programa de recuperação da vida sexual traçado pela sexóloga Vânia Beliz, autora do livro «Ponto Quê?» (Objectiva).

 

Um plano que promete, numa semana, levar a satisfação do casal aos píncaros. «Mas temos de fazer todos os dias?», questionou de imediato, denunciando algumas reticências. E, desta forma, sem mais nem menos, tínhamos identificado o que nos desviou do caminho da satisfação sexual, tal como é solicitado no primeiro dia do plano.

 

Dia 1: Refletir


«Cansaço», dissemos em uníssono. Afinal, fomos pais há nove meses e ainda não recuperámos das noites em branco. Longe disso. Ainda hoje dormimos de quatro em quatro horas e estamos sem esperança de voltar a dormir, sem interrupções, nos próximos meses. Os mais otimistas dizem que tudo passa depois do primeiro aniversário. Vamos acreditar. Após apontarmos a fadiga como razão principal por trás deste distanciamento, continuo interessada em apurar mais pormenores.

 

Das tardes inteiras de sexo no sofá da sala passámos a dias, até semanas, sem nos tocarmos. Amuados um com o outro, irritados, até. Porquê? Eu, porque passo o dia inteiro entre fraldas e biberões, ele porque chega do trabalho cansado e eu ainda lhe exijo ajuda. Isto a somar àqueles dias em que quero atenção, como mulher, e ele agarra-se ao comando da televisão.

 

Ele, porque quer sair com os amigos e eu não aprovo ou porque, muitas vezes, chega a casa e o seu lado da cama está ocupado pela filha. Nesta noite, prometi fazer um esforço e não deitei a Madalena (nome fictício) na nossa cama, também decidi controlar a minha fúria com as (poucas) saídas dele. Ele fez o seu papel e tratou dos biberões. Dormi como um anjo.

 

Dia 2: Transformar-se


Acordámos animados, como há muito tempo não acontecia. A decisão de recuperar a nossa vida sexual depressa se tornou numa prioridade. Depois de identificar o problema que, no nosso caso, foi muito fácil, cansaço, empenhei-me a cumprir as ordens da sexóloga («transforme-se») e, ao segundo dia, subi à elíptica e pedalei meia hora, no final do dia, ainda marquei uma esfoliação corporal, uma massagem e troquei o verniz das unhas. Senti-me revigorada. Cheia de vontade de recomeçar.

 

Nesse dia, sentei-me no chão do quarto com a gaveta da roupa interior espalhada. Dividi a lingerie e troquei-lhe os lugares. Para a frente passaram as cuecas de renda, com pérolas e transparências, para trás, ficaram as básicas. E, nesse mesmo dia, esperei-o com o babydoll de renda preta, que me tinha oferecido no aniversário e eu nunca tinha usado. Matámos as saudades e começamos a lidar melhor um com o outro. Afinal, já nem me lembrava da nossa última noite de sexo…

 

Dias 3 e 4: Fantasiar e brincar


O terceiro dia sugere-nos fantasiar. Foi, talvez, a parte mais difícil. A falta de tempo e de imaginação atraiçoaram-me. Lembrei-me, contudo, de um livro, da Natália Correia, que me ofereceram no meu 30.º aniversário, «Poesia Portuguesa Erótica e Satírica» (Antígona). Arrumei-o na mesa de cabeceira, em cima do «O Grande Livro do Bebé» (A Esfera dos Livros) e, depois da casa estar em silêncio, li alguns poemas para ele. Ficámos mais próximos. Ainda nos rimos e viajámos com as rimas.

 

Ao fim do terceiro dia, começámos a falar de sexo como nos velhos tempos. Renasceu a vontade de estarmos a sós e a nossa relação mostrou-se mais sólida. Até parece que a Madalena. Percebeu e começou a dar-nos mais descanso. Contudo, ao fim do terceiro dia, confesso que ainda hesitava entre uma noite de sono e uma noite de sexo. Mesmo assim, no dia 4, fui à sex shop comprar as bolas chinesas, mais conhecidas como as bolinhas do amor.

 

Há muito tempo que falava em experimentar, mas surgiam outras prioridades. Fiquei excitada com a ideia de fazer algo novo. Mais picante. Enviei-lhe uma fotografia minha, em lingerie, com uma mensagem provocadora. Eu sabia que era um dia de stress para ele e foi uma excelente maneira dele descontrair antes de chegar a casa.

 

E assim foi, chegou mais cedo do que o habitual e a reivindicar a minha promessa. Mas a nossa filha não nos deu hipótese. Foi uma daquelas noites malvadas, a chorar de hora em hora e quando conseguimos ficar sozinhos só pensámos em dormir. Esquecemos o plano, as bolinhas do amor, o sexo e a lingerie. Dormir foi mesmo a palavra de ordem.

 

Dias 5 e 6: Namorar e surpeender


No dia seguinte, antes dele ir trabalhar, já com o sono recuperado, sugeri sairmos só os dois, nessa noite. Combinei com a minha mãe ficar com a Madalena e fui buscá-lo ao trabalho. Calcei os meus botins pretos de salto alto, vesti a minha minissaia de lantejoulas e apareci pontualmente ao pé dele. Jantámos num dos nossos restaurantes preferidos e fomos dançar. Há muito tempo que não dançávamos e soube tão bem, apesar do cansaço nos ter obrigado a ir para casa mais cedo do que pensávamos.

 

O cansaço impera, é um facto, e continua a trair-nos, apesar de começarem a surgir sinais de mudança na nossa relação. Voltámos a dizer «amo-te» e a ser mais cúmplices, nem que seja pelo facto de querermos passar mais momentos juntos, ainda que, por algum motivo (o cansaço ou o choro da Madalena) não consigamos. Lidamos melhor com o facto de termos menos sexo. Mais do que fazermos amor como fazíamos antes, senti que o diálogo nos aproximou.

 

Pelo menos, para já, acho que nos aproximámos por termos assumido a existência de um problema e, posteriormente, por o termos reconhecido. Mesmo assim, o plano dos sete dias continuou. Com alguns altos e baixos, é verdade, devido à rotina. O cansaço, afinal, não desaparece em sete dias. Na véspera de terminar o programa, escrevi, de manhã, num post it «Vamos fazer o que ainda não foi feito?» e colei-o no espelho da casa de banho.

 

Se me apetecia? Não, mas achei importante. Nessa noite, não nos abraçámos e estávamos de rastos. A noitada acabou por nos alterar a vida e, se por um lado, soube muito bem, por outro, complicou-nos os horários.

 

Dia 7: Entregar-se


Comecei a sentir falta da minha filha, alguns remorsos por, nesta semana, ter passado menos tempo com ela. Deixei-a mais vezes com a avó do que é habitual e insisti para que dormisse no seu quarto sozinha, mesmo quando chorava. Mesmo assim, quis terminar o programa da sexóloga sem falhas e, ao fim dos sete dias, entreguei-me, tal como sugere Vânia Beliz. Mudei, um bocadinho, os horários das refeições da Madalena, de forma a que ela fizesse o sono maior à hora a que ele chega a casa.

 

Correu bem. Enchi a banheira de espuma e esperei-o. Uma boa estratégia para ressuscitar algum desejo adormecido, pois percebi que consigo relaxar antes do sexo e recarregar baterias para entregar-me de corpo e alma. A nossa filha colaborou e, desta vez, dormiu de seguida. Concluí que quando não se tem a mesma disponibilidade para o sexo, com dedicação e empenho a vontade surge naturalmente. E dialogar é, sem dúvida, um grande truque para recuperar o desejo, pois logo após cumprir o ponto um, o problema pareceu menor.

 

Unimo-nos e lidámos melhor com a questão, mesmo sem ter sexo. Só o desejo bastou para nos relacionarmos melhor. Afinal, queremos muito estar um com o outro, o que é bem diferente de acharmos que o outro não nos deseja. Lida-se, assim, melhor um com o outro e com os obstáculos com que nos deparamos no dia a dia.

 

A sexóloga Vânia Beliz concorda que o ponto de partida para recuperar o desejo é mesmo o diálogo. «Muitas vezes não nos apercebemos o que falta ao outro, por isso, é muito importante sair sem filhos, só os dois», para conversar e perguntar-se «Onde está o nós?», sugere a especialista. Simples mas eficaz, eu garanto!

19
Abr13

30 dicas para apimentar a relação

olhar para o mundo

30 dicas para apimentar a relação

Veja ideias para 30 dicas que vão deixar o seu marido ainda mais apaixonado. Experimente uma por dia para um mês diferente e muito apaixonado

 

Finalmente... ideias românticas! Por vezes, quando se está numa relação, acabamos por nos esquecer de a alimentar todos os dias. Presos às surpresas e presentes para os dias mais especiais, negligenciamos o dia-a-dia. Para não cair na rotina e de forma a animar a sua relação, sugerimos-lhe 30 dicas que vão deixar o seu marido ainda mais apaixonado. Siga as nossas dicas e experimente uma surpresa por dia, durante um mês. Garantimos-lhe um mês diferente e muito apaixonado. 

 

1 - Deixe um bilhetinho querido no bolso do casaco. De certo que verá o bilhete mal ponha a mão no bolso e a surpresa será muito simpática.

 

2 - Se quiser fazer um jantar diferente, organize um jantar temático. Decore a sua sala, faça uma refeição e vista-se dentro do tema e claro... coloque música ambiente para animar ainda mais o serão.

 

3 - A famosa troca de papéis é um presente agridoce! Mas ele não precisa de saber. Todas sabemos que o papel da mulher é o mais exigente, mas quem sabe passar pela experiência de executar as tarefas inversas durante um dia não fará com que ambos valorizem mais o trabalho de cada um?

 

4 - SMS quentes. Envie-lhe mensagens escritas e de imagem com alguma malícia, propondo um final de dia mais divertido com promessas e imagens sugestivas. Tenho a certeza que o seu marido chegará a casa com outra motivação.

 

5 - Uma ideia que vai agradar o seu marido é a famosa caixa de surpresas. Junte todas as pequenas coisinhas que ele mais gosta. Desde chocolates e bolachinhas, a um ou dois presentes que ele precise, um cd da banda preferida, a revista que mais gosta de ler, um bilhete para um jogo da sua equipa de futebol e claro uma fotografia dos dois. Dê largas à sua imaginação. É um presente que demonstra conhecê-lo melhor que ninguém e é muito fácil!

 

6 - Se ainda não tiver casado ou não viver com o seu namorado, pode sempre personalizar uma fronha de almofada. Em qualquer shopping, poderá encontrar lojas que estampam imagens em tecidos. Escolha uma fotografia ou uma frase com significado e ofereça-lhe. Assim terá a certeza, que a última pessoa em quem ele pensará antes dormir, será em si.

 

7 - Uma surpresa em gulosa é de facto um telegrama de chocolate. Procure na internet, já muitas pastelarias fazem este miminho para casais. Pode encomendar chocolates em forma de letras, de modo que formem a palavra ou frase que pretende. Se não quer gastar dinheiro e o seu forte for a culinária, pode fazê-lo em casa. Pode até fazer cupcakes e personalizá-los com uma letra em cada um. É amoroso e não se esqueça que muitas vezes é pela barriga que se conquistam os homens.

 

8 - Uma caixinha com trinta bilhetinhos, cada um com uma frase em que o seu marido vá lendo um por dia é uma ideia fácil e muito querida, que vai deixá-lo super feliz todas as manhãs. 

 

9 - Mais típico das mulheres mas que os homens também gostam de recordar é fazer um álbum dos melhores momentos do casal. Compile todas as fotografias mais simbólicas e das ocasiões mais importantes da sua relação. Escreva pequenos comentários como legenda em cada fotografia. Pode até organizar o álbum em forma cronológica, contando a vossa história.

 

10 - Surpreenda-o com um vídeo seu no telemóvel do seu marido. Em casa, sem ele se aperceber, grave um vídeo amoroso no telemóvel. No dia seguinte, quando ele estiver a trabalhar, mande-lhe uma mensagem para que vá ver os filmes no seu telefone. De certo que ficará completamente surpreendido e com saudades de estar consigo.

 

11 - Uma ideia que lhe dará um pouco mais de trabalho, mas valerá a pena é cobrir o carro dele com post its. Pense numa temática, palavras ou frases simbólicas, promessas ou convites, vale tudo... Se não for uma pessoa com muito tempo ou muito paciente já há empresas que tratam desta surpresa para si.

 

12 - Qualquer pessoa ouve música e é das melhores formas de nos lembrarmos das pessoas especiais para nós. Poderá compilar as músicas que ele mais gosta e adicionar todas as que são "vossas". Poderá finalizar fazendo uma capa para o cd com uma fotografia vossa. É muitíssimo fácil e será útil nos dias em que for apanhado no trânsito.

 

13 - Apesar de nós mulheres gostarmos de buquets de flores, fica mal oferecer a um homem. Por isso, pensámos em ser originais e montarmos um buquett diferente. Pegue em pauzinhos e na ponta coloque doces, chocolates, marshmallows, leite condensado caramelizado, frutas com chocolate enfim tudo o que ele mais gostar. Junte todos os pauzinhos e ofereça-lhe. Quer seja guloso ou não, tenho a certeza que irá adorar.

 

14 - Num fim de semana, poderá preparar o típico pequeno almoço na cama. Não há nada melhor do que acordar com uma bandeja com tudo o que mais gostamos. Apesar de ter de acordar um pouco mais cedo, dará os bons dias ideias ao seu marido e valerá a pena a surpresa, até porque também irá usufruir da mesma.

 

15 - Não é uma ideia nova e de certo já o fez, mas resulta sempre e é um bom momento para ambos. Faça um jantar especial à luz das velas. O ambiente será de certo muito romântico, principalmente se acompanhar com uma música calma. Poderão partilhar o vosso dia e conversar de uma forma mais acolhedora e simpática.

 

16 - Adolescente mas muito sexy, é o desejo de bom dia no espelho. Pode usar o vapor do banho para deixar uma declaração no espelho, ou então use um baton para escrever.

 

17 - Compre o livro do Kamasutra sem ele saber e numa noite ofereça-o. Abram uma página à sorte e façam o que lá estiver escrito. De certo irá apimentar a sua relação.

 

18 - Pode também optar por apimentar a sua relação com uma ideia mais erótica. Os dados sexys são um brinquedo divertido que poderá usar com o seu marido e com certeza, serão muito bem vindos.

 

19 - Depois de um dia duro de trabalho, uma massagem é muitas vezes a melhor coisa do mundo. Tenha a iniciativa e massage-o com óleos e cremes perfumados. Poderá também acender umas velas e criar um ambiente mais relaxante e sexy.

 

20 - Um bom programa para um final de tarde romântico é um lanche num jardim com uma garrafa de vinho, queijo e pão. Só os dois terão tempo para apreciarem o momento e a companhia um do outro.

 

21 - Peque no seu carro e arranque para a praia. Quer seja inverno ou verão, aproveite um dia de sol para ir ver o mar e apreciar a vista. 

 

22 - Se é uma romântica, poderá fazer uma faixa declarando o seu amor. Coloque-a em frente de sua casa ou em um lugar por onde ele passe e veja. É uma mensagem querida e demonstra que não tem vergonha de expor os seus sentimentos em público. 

 

23 - Surpreenda seu namorado vendando-lhe os olhos dele e levando-o para um hotel. Alugue um quarto por uma noite e faça-lhe uma surpresa que ele nunca esperaria. Arranje-se um pouco mais do que o habitual e vá jantar fora. Aproveite uma noite fora do normal e que irão recordar. É uma inicitiva gira que não lhe sairá muito cara. 

 

24 - Aprecie as luzes da cidade e uma vista maravilhosa, num passeio de barco à noite. Leve uma taça de champanhe e disfrute do passeio com o seu marido.

 

25 - Faça um caminho com pétalas de rosas até ao quarto e peça-lhe para o seguir para ver onde este vai dar. Deixe um presente no final do caminho.

 

26 - Para além de poder pôr post-it’s no carro, pode também deixá-los espalhados por toda a casa, com pequenas frases a elogiarem o seu marido e a declararem o seu amor.

 

27 - Uma saída à noite, só os dois será uma forma de se divertirem juntos e desanuviarem da semana de trabalho. Leve-o a um bar de karaoke e cantem músicas juntos. Será um momento divertido de que se vai lembrar durante uns bons tempos!

 

28 - Prepare um fondue de chocolate com morangos e deliciem-se com esta óptima sobremesa.

 

29 - Escreva um poema sobre ele. Se não tiver jeito para a escrita, escreva-o na brincadeira e com piadas. Acompanhe com uma música e cante-o para ele. Dedique-lhe a música!

 

30 - Faça uma lista com tudo aquilo que adora nele e mostre-lhe. É uma forma simpática de mostrar o seu apreço por ele. 

 

retirado de Sapo mulher

17
Abr13

Comprovado cientificamente: Afinal para elas o tamanho importa

olhar para o mundo

A eterna questão sobre a importância do tamanho do pénis para as mulheres foi avaliada por uma equipa internacional de cientistas, que concluiu que os homens bem dotados são considerados mais atraentes.

O estudo revelou ainda que as mulheres pré-históricas, que conseguiam ver os órgãos sexuais dos seus companheiros que vestiam pouca roupa, podem ter ajudado a influenciar a evolução de genitais maiores nos seres humanos, ao escolher ter relações com parceiros com pénis grandes.

 

Os cientistas envolvidos na investigação explicaram que decidiram estudar o assunto porque os relatórios anteriores tinham apresentado dados pouco corretos, que podiam ter ficado comprometidos. Isto porque as mulheres foram confrontadas com perguntas muito diretas sobre as suas preferências.

 

"Dado que o tamanho do pénis é um tema delicado, é difícil determinar se as mulheres mentiram ou se se 'auto-enganaram' nas suas respostas", explicou por e-mail à AFP o principal autor do estudo, Brian Mautz, cientista de pós-doutorado em evolução e seleção sexual da Universidade de Ottawa, no Canadá.

 

Assim, os cientistas lançaram-se num novo tipo de estudo, recorrendo ao uso de imagens digitais de silhuetas genéricas masculinas com diferentes pesos, formatos corporais e comprimentos de pénis em repouso.

 

Foi pedido a uma amostra de 105 mulheres australianas que observassem 53 dessas imagens em tamanho real, semelhantes às de robôs, e que podiam girar para que pudessem ser vistas em diferentes ângulos.

 

As mulheres, todas heterossexuais, não sabiam que estavam a participar num estudo sobre o tamanho do pénis e seu poder de atração. Simplesmente tinham de dar notas às imagens masculinas que considerassem mais atraentes sexualmente. As respostas foram recolhidas anonimamente.

 

Os cientistas descobriram, então, que as mulheres consideraram mais atraentes os homens com pénis maiores. Demonstraram também ter uma tendência de olhar com mais atenção para os homens mais bem-dotados. Mas não por muito tempo, já que cada avaliação foi feita em cerca de três segundos. No entanto, os cientistas não conseguiram explicar qual o tamanho ideal que um pénis deve ter para ser considerado mais atraente.

 

"Nós não encontrámos um tamanho ou calibre ideal (isto é, 'mais atraente') para o pénis", explicou Mautz. Contudo, "as notas de atratividade foram crescentes em relação aos valores mais altos destes traços", emendou.

 

O estudo foi publicado esta segunda-feira na revista científica Atas da Academia Americana de Ciências (Proceedings of the National Academy of Sciences, PNAS).

 

Os resultados "contradizem diretamente as alegações de que o tamanho do pénis não é importante para a maioria das mulheres" e também sugerem uma explicação para o facto de os machos humanos terem uma genitália relativamente maior em comparação com a de outros primatas, destacou o estudo.

 

"Os nossos resultados demonstram que a escolha feminina de um parceiro pode ter desempenhado um papel na evolução de um pénis relativamente maior entre os humanos", concluíram os autores do estudo. "Antes do uso de roupas, o pénis humano não-retráctil teria sido um indicador de atração para possíveis parceiros", acrescentaram.

 

Os cientistas não avaliaram questões de ascendência racial e se isto afetaria o tamanho do pénis, mas documentaram a origem étnica e a idade das mulheres que acompanharam durante este estudo.

 

Mais de 70% das mulheres que participaram na investigação eram de origem europeia, 20% asiática e 7% tinham origens diversas. A média de idades rondou os 26 anos.

 

Retirado do Sapo Mulher

03
Abr13

Naomi Wolf em manifesto à arte do orgasmo feminino

olhar para o mundo

Naomi Wolf em manifesto à arte do orgasmo feminino

Escritora norte-americana abriu o Festival Literário da Madeira esta quarta-feira. Falou do seu mais recente livro Vagina e de política.

Chegou ao palco e disse que não estava habituada a falar de temas tão pessoais em público, mas que as 150 pessoas que ali estavam se iriam tornar em breve os “seus novos melhores amigos”.

 

É, porém, difícil acreditar que a americana Naomi Wolf não esteja já treinada a dizer em público, e perante uma plateia com pessoas de várias idades, as palavras vagina, orgasmo, prazer sexual, vulva, pénis – repetiu-as com o à-vontade de quem já o fez algumas vezes. A plateia do Teatro Municipal Baltazar Dias, na Madeira, riu-se das suas piadas e fez perguntas no fim sem pudor. 

 

Naomi Wolf, que defende o “empoderamento das mulheres”, escritora associada à chamada terceira vaga feminista, ou Naomi Wolf, a crítica política – depende dos temas que está a abordar – foi abrir o Festival Literário da Madeira, nesta quarta-feira. O festival tem como mote Manifesto à Arte

 

Esteve no palco nos dois papéis: como feminista primeiro, quando passou em revista as ideias principais do seu último livro, ainda não traduzido, Vagina – A Cultural History, que tem ideias, segundo Wolf, revolucionárias sobre a sexualidade feminina; como comentadora política depois, em conversa com o eurodeputado e historiador Rui Tavares a propósito de O Fim da América – Carta de Aviso a um Jovem Patriota, livro de 2007 mas só agora traduzido para português pela Nova Delphi, que organiza o festival. 

 

A vagina, defende, é o último tabu sobre as mulheres e aquilo que ela percebeu durante a sua investigação é que tem uma ligação directa com o cérebro – e essa ligação é única. Como é que ela torna a vagina num tema feminista? De forma simplificada, o argumento dela é assim: durante o orgasmo, as mulheres têm um descarregamento de dopamina, que provoca determinados estados de espírito, como poder e assertividade, qualidades associadas ao feminismo – e por ser tão poderosa, esta tem sido uma “história” calada. 

 

"Devia ser capa de todos os jornais"


Depois de discorrer sobre as especificidades da vagina e do orgasmo feminino, sublinhando que o que tem de singular é que cada mulher é única, Naomi Wolf defendeu que “como feminista, isto devia ser a capa de todos os jornais”: “Se quer que uma mulher faça amor consigo entusiasticamente para o resto da vida tem que ser bom/boa para ela o resto da vida.” 

 

Após o “one woman show” de Naomi Wolf sobre a “complexidade” e a “beleza” da sexualidade feminina, como ela diz, Rui Tavares juntou-se e disse para a plateia: “Vamos fazer uma transição horrível de tema, do prazer para a repressão”. 

 

De facto, a superentusiasta Naomi Wolf a falar de pé sentou-se à mesa com ele e a energia e o tom de voz abrandaram. As técnicas de repressão que Wolf acusa o Governo norte-americano de George W. Bush de ter usado, a sua visita a Guantánamo, a vigilância da sociedade que viola direitos, temas que denuncia no livro publicado em português, não provocam a mesma adrenalina, nem acendem o cérebro da mesma maneira que o sexo.

 

Ela, afinal, tinha agarrado no microfone, descido para se aproximar da plateia, para pôr todos a rir, tendo recorrido aos gestos para descrever a anatomia da vagina e do pénis. Ao lado de Rui Tavares, que recentemente publicou A ironia do projecto europeu (Tinta da China), Wolf voltou, assim, ao papel de comentadora política. Respondeu a perguntas do historiador, mas o que quis mesmo foi saber coisas sobre o sistema político português, o envolvimento dos cidadãos, as relações dos portugueses com a Europa.

 

O festival continua até dia 7, com as Conversas Cruzadas, debates que têm como base títulos de livros: A Arte de Morrer Longe (Mário de Carvalho), moderada por Cláudia Rodrigues, com João Tordo, Raquel Ochoa, Tiago Patrício e Tiago Salazar; A Arte de Lidar Com as Mulheres (Schopenhauer), moderada por Paula Moura Pinheiro, com Ana Luísa Amaral, Filipa Leal, Inês Fonseca Santos, João Paulo Cotrim e Waldir Araújo; A Arte da Guerra (Sun Tzu), moderada por Ricardo Miguel Oliveira, com Antonio Scurati, Carlos Vaz Marques, João Luís Barreto Guimarães e Pedro Mexia; A Arte da Libertação(Krishnamurti), moderada por Sílvio Fernandes, com Anselmo Borges, Gina Picart, Lídio Araújo e Tabish Kahir; e A Arte de Pagar as Suas Dívidas(Balzac), moderada por Carlos Vaz Marques, com Carlos Quiroga, Maria do Rosário Pedreira, Raquel Varela e Rui Zink.

 

O programa completo pode ser consultado aqui.

 

Retirado do Público

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub