Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

As Coisas da Cultura

Porque há sempre muito para ver e para contar

Porque há sempre muito para ver e para contar

As Coisas da Cultura

22
Jan17

AMAC - Programação de Fevereiro

olhar para o mundo

tiago.jpg

 

AMAC | Programação de Fevereiro

 

Além do programa dirigido ao público infantil Palmo e Meio 2017 (http://www.cm-barreiro.pt/frontoffice/pages/792?news_id=6103), o Auditório Municipal Augusto Cabrita irá receber, em fevereiro, exposição de artes plásticas, fotografia e ilustração e o Concerto com Tiago Bettencourt.

 

4 fevereiro | sábado| 16h00 | “A Menina do Mar”, de Sophia de Mello Breyner | Teatro da Terra

Esta é uma história da amizade entre um menino e uma menina que vive no mar e é bailarina da Rainha dos mares, “A Grande Raia”. Esta Rainha proíbe os seus súbditos de se aventurarem em terra firme pelo que a menina anseia por concretizar esse desejo. Por seu lado o menino tem o sonho de conhecer o fundo do mar, e toda a história se desenrola à volta da tentativa dos dois de realizar os seus sonhos.

Peça a partir do livro de Sophia de Mello Breyner, que integra o Plano Nacional de Leitura. Um teatro feito a partir de um universo infantil/juvenil, recorrendo a uma estética contemporânea, pelo uso de novos mídia de autor, permitindo assim que este público específico tome contacto com as novas linguagens tanto dramatúrgicas como plásticas.

https://teatrodaterra.wordpress.com/

Faixa Etária – M/4

Duração  – 60m

Ingresso  – 3,00 €

Iniciativa inserida nas comemorações dos 80 anos do abastecimento público de água no Barreiro e na programação PALMO E MEIO.

 

11 fevereiro | sábado | 22h00 | Concerto com TIAGO BETTENCOURT | MÚSICA

Autor de várias composições de referência da nova música portuguesa, foi há mais de dez anos que embarcou naquela que seria a sua primeira aventura em estúdio, com Toranja, marcando para sempre o panorama musical português.

A riqueza da simplicidade dos seus poemas e melodias depressa captou a atenção do público e se "Esquissos" foi um sucesso de vendas, o álbum "Segundo" também não ficou aquém. Temas inesquecíveis como "Carta" e "Laços" são indissociáveis das suas melodias e da sua voz marcante. Já em 2006 os Toranja anunciam uma pausa prolongada. É então que Tiago Bettencourt parte para o Canadá e tendo como banda de apoio os Mantha, grava o álbum "Jardim", editado em 2007 com o grande êxito "Canção Simples".

Em 2010, é editado "Em fuga" com o single "Só mais uma volta". A mesma edição exclusiva CD DVD contém imagens inéditas de estúdio durante a gravação de «Em Fuga», juntamente com uma filmagem de músicas do primeiro álbum a solo do músico.

No final do ano de 2011 é editado "Tiago na Toca e os Poetas". Neste álbum, que surge acompanhado de um livro, Tiago o músico canta poemas de autores portugueses como Florbela Espanca e José Carlos Ary dos Santos, na companhia de amigos, entre eles, Carminho, Camané, Fernando Tordo, entre outros.

A 26 de Novembro de 2012 chega às lojas “Acústico”. O regresso aos discos é também uma imensa celebração: reunido de convidados (Lura e Jorge Palma) e munido dos melhores momentos de uma carreira exemplar, «Acústico» assinala um percurso de uma década de muitas experiências e sucesso, que não só revelou uma das maiores vozes nacionais como trouxe um dos grandes autores da sua geração.

Em 2014, Tiago Bettencourt apresenta o novo disco “Do Princípio”, contando com três colaborações de luxo (Jacques Morelenbaum, Mário Laginha e Fred Pinto Ferreira) além dos seus músicos habituais. Neste disco Tiago renova-se apresentando, entre outros, os surpreendentes “Aquilo que eu não fiz”, “Morena” e “Maria”, que podem ser ouvidos nas principais rádios nacionais.

Desde então, Tiago Bettencourt tem-se dedicado à apresentação ao vivo do mais recente álbum. Concertos onde não faltarão todos os grandes sucessos da sua carreira.

 

Faixa Etária – M/6

Duração  – aprox. 60 min.

Ingressos – 12,50 €

 

4 fevereiro a 25 março | Aventura modernista, Exposição de Tapeçaria de Delei | EXPOSIÇÃO DE ARTES PLÁSTICAS

Piso 1 | Galeria Amarela

Inauguração: 11 fevereiro | Sábado – 17h00

(Inauguração conjunta com a exposição de Fotografia de Flávio Andrade)

Artista Plástico brasileiro.

 

Variações em tapetes de grandes formatos sobre o tema da pintura Abaporu / 1928, de Tarsila do Amaral. Os desenhos transpostos para as tapeçarias são estudos do ícone do Grupo Antropofágico e do modernismo brasileiro iniciado com a Semana de arte em 1922 / São Paulo.

No quadro original o personagem é apresentado em primeiro plano, de perfil e com proporções agigantadas, em posição estática e central sobre fundo plano. A pose é “clássica”, mas o tratamento plástico é antiacadêmico e tem gerado, ao longo de seus quase 90 anos, uma gama de interpretações para além das recorrentes alusões à escultura: O Pensador (1904) de Rodin,  ou à síntese do universo primitivo da arte indígena.  

Represento a grande figura solar ao abandonar sua postura fixa pela movimentada curiosidade da Aventura Modernista em busca de fontes da Arte Universal. Os tapetes retratam o roteiro da viagem do Abaporu pelos continentes: América do sul e central, África, Europa e Ásia. Revelam encontros com o ideal de beleza personificado por figuras femininas em diferentes paisagens culturais.

A arte propaga sua presença acima das fronteiras geo-ideológicas. Esta apropriação da imagem Tarsiliana coloca o Abaporu como obra-signo que alimenta o imaginário no  polêmico território das resignificações artísticas.

 

Entrada Livre

 

 

4 fevereiro a 25 março | Split, Fotografias Flávio Andrade | EXPOSIÇÃO DE FOTOGRAFIA

Piso 1 | Galeria Branca

Inauguração: 11 fevereiro | Sábado – 17h00

(Inauguração conjunta com a exposição de Tapeçaria de DELEI)

Flávio Andrade é formado em Fotografia pelo Ar.co - Centro de Arte e Comunicação Visual. Tem também formação específica em foto reportagem, pós-produção digital de imagem fotográfica, web design, teoria e gestão prática da cor e produção de vídeo HD para a web com DSLR.

Como artista dedica-se exclusivamente à realização de projetos pessoais tendo como suporte a fotografia. Expõe com regularidade desde 1999.

É formador no Centro Protocolar de Formação Profissional para Jornalistas (CENJOR), onde leciona cursos de fotografia e fotojornalismo.

Colaborou na área do fotojornalismo durante vários anos para várias instituições, jornais e entidades públicas e privadas, tanto nacionais como estrangeiras onde ainda mantém ligação.

Foi professor assistente na Faculdade de Ciências Humanas da Universidade Católica Portuguesa durante dez anos, onde co-lecionou a cadeira de Teoria e Prática da Fotografia, no Curso de Comunicação Social e Cultural.

 

SPLIT Em Split, proponho uma visão sobre despojos que poderiam ser de um qualquer ambiente apocalíptico, como se tratassem de estruturas de um pós-guerra. A luz direta na maioria das fotografias serve como reforço, realçando os aspectos primários dos materiais/instalações, dando-lhes uma impressão táctil, textural. São rasgos de luz, cisões na paisagem, contrapontos. Procurei com a cor, criar ambiências lumínicas, quer pelo espaço organizado - enquadramento, quer pela ausência - sombra, criar momentos psicológicos e estéticos, que garantissem um olhar mais íntimo e pormenorizado sobre o espaço de trabalho. É também uma referência/saudação ao primeiro momento em que a aldeia viu energia elétrica. Certamente um momento sublime e mágico. Projeto realizado tendo como base a Mina de São Domingos no concelho de Mértola e distrito de Beja em Portugal. Ano 2016. Fotografia digital. História da Mina: A tradição mineira na zona de São Domingos remonta aos Fenícios e Cartagineses e, depois destes aos romanos, cujo trabalho mineiro se estendeu desde o inicio do séc. l até aos finais do séc. lV, sendo o seu principal objetivo a extração de cobre, ouro e prata. A exploração mineral no local de São Domingos é anterior à invasão romana da península Ibérica, período em que os trabalhos se intensificaram com a exploração do "chapéu de ferro" que cobria a massa piritosa, para a exploração de cobre, ouro e prata. Em 1858 tem início a moderna exploração da mina, por iniciativa da companhia de mineração "Mason & Barry". Os trabalhos prolongaram-se até 1965, ano em que esgotou o minério e encerrou a mina. Neste período, a lavra foi feita a céu aberto até aos 120 metros de profundidade, tendo os trabalhos continuado por meio de poços e galerias até aos 400 metros. Como curiosidade a aldeia de Mina de São Domingos foi a primeira aldeia do país a ter luz elétrica.

 

Entrada Livre

 

19 fevereiro | domingo | Photobook Club Barreiro – Apresentação de Flávio Andrade | ENCONTRO DE FOTOGRAFIA

Conversa em torno de um livro fotográfico.

Entrada Livre

 

25 fevereiro até 21 maio | VAGA MENTE | EXPOSIÇÃO DE ILUSTRAÇÃO de ANDRÉ LETRIA | Piso 0, Galeria Azul

Inauguração no dia 25, às 17h00

Nasceu em Lisboa, em 1973. Trabalha como ilustrador desde 1992. Ganhou o Prémio Gulbenkian, o Prémio Nacional de Ilustração, um Award of Excellence for Illustration, atribuído pela Society for News Design (EUA), medalhas de prata e bronze do Children’s Book Annual, da revista americana 3×3, entre outros. Tem livros publicados em diversos países, como EUA, Brasil, Espanha ou Itália. Participou em exposições como a Bienal de Bratislava, a Exposição de Ilustradores da Feira de Bolonha, Sarmede ou Ilustrarte. Realizou filmes de animação e fez cenários para teatro. Foi membro do Júri do Prémio Digital da Feira do Livro Infantil de Bolonha. Em 2010, criou o Pato Lógico. O livro MAR, com ilustrações suas e texto de Ricardo Henriques, recebeu em 2014 uma menção dos Bologna Ragazzi Awards, na categoria Não Ficção.

Iniciativa inserida na programação PALMO E MEIO

 

26 fevereiro | domingo | 15h00 e 16h30 | CONCHAS | d´Orfeu AC, Marionetas de Mandrágora, Franzisca Aarflot | Teatro de Marionetas

“Conchas” é uma coprodução internacional para bebés, resultante do projeto «Hands full of Shells and Feet full of Flowers», um processo criativo colaborativo desenvolvido entre Portugal e Noruega.

Partindo da memória coletiva de ambos os países (Portugal e Noruega), misturou-se a música, a expressão dramática e corporal, o movimento e as marionetas e encontrou-se um compromisso cultural identitário. Um espetáculo icónico onde a abordagem não-verbal ganha forma através da fusão fonética das duas línguas, criando novas palavras e sons, aliada à musicalidade e à linguagem corporal. "Conchas" conta a história de viajantes, pintados na tela, reais e imaginários, privilegiando os bebés e as suas famílias, porque este público é a semente que germina.

www.dorfeu.pt/conchas

 

FICHA TÉCNICA: Encenação | Filipa Mesquita

Elenco Portugal: Clara Ribeiro - interpretação e manipulação-Ricardo Falcão - interpretação e música

Elenco Noruega: Idun Losnegård - interpretação e dança Lenka Rozenahl - interpretação e manipulação Apoio à Dramaturgia- Franziska Aarflot Criação musical- Manuel Maio e Ricardo Falcão|Marionetas, cenário e adereços - enVide neFelibata Produção Executiva - Tiago Castro|Coordenação do Projeto - Luís Fernandes

 

Faixa Etária – Dos 0 aos 5 anos

Duração  – 35´aprox.

Ingresso  – 7,50 € (Bebé e adulto)

Iniciativa inserida na programação PALMO E MEIO

 

De salientar que, ainda durante o mês de janeiro, o AMAC acolhe, até dia 29, a Exposição VENDE-SE, com fotografias de Augusto Brázio, e, até março, a Exposição de Escultura de Carlos Ribeiro.

 

No âmbito do AMAC JUNIOR, tem lugar, no dia 22 de janeiro, pelas 10h30, a Oficina de Dança para Famílias “Na Barriga do Mar”, na Sala de Ensaios do AMAC.

 

Reserva e venda de ingressos: AMAC - 21 206 82 30; Posto de Turismo - 21 206 82 87

 

CMB 2017-01-19

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub