Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

As Coisas da Cultura

Porque há sempre muito para ver e para contar

Porque há sempre muito para ver e para contar

As Coisas da Cultura

26
Set17

Barreiro assinala Jornadas Europeias do Património com Moinho de Vento Nascente reabilitado

olhar para o mundo

moinho.jpg

 

 

Barreiro assinala Jornadas Europeias do Património com Moinho de Vento Nascente reabilitado

 

O Barreiro assinalou as Jornadas Europeias do Património com um conjunto de iniciativas com o tema “Património Natureza: Pessoas, Lugares, Histórias – Moinhos de Alburrica: reabilitação do Moinho de Vento Nascente”.

 

Ao final da tarde de sexta-feira, 22 de setembro, foi assinado o Protocolo de Doação de Espólio de Augusto Pereira Valegas entre o Município do Barreiro e a Família Valegas. A cerimónia, junto ao recém recuperado Moinho de Vento Nascente de Alburrica, foi abrilhantada por um apontamento musical com Violinista Miguel Vaz.

 

A doação, num “ato simbólico muito importante para nós”, conforme afirmou a filha Amália Valegas, representante da família, reúne o espólio resultado de anos de trabalho do pai. Augusto Valegas, figura incontornável, Medalha de Honra do Concelho, esteve, recorde-se, envolvido na criação e realização dos Jogos Juvenis do Barreiro, um ícone na Região exemplo no País, e foi editor de “Um Olhar Sobre o Barreiro”, Revista não Periódica, nas bancas de 1981 a 1997, um retrato do Concelho, ainda a hoje um contributo para a “reconstrução” da História do Barreiro e para a preservação da memória coletiva. De acordo com Amália Valegas, o espólio será acolhido no Espaço Memória onde será catalogado, digitalizado, e disponibilizado ao público.

O Presidente da Câmara Municipal do Barreiro (CMB), Carlos Humberto de Carvalho, lembrou a personalidade “com quem a gente discutia mas, fundamentalmente, trabalhava, construía” e momentos em que se fez “cultura” mas, também, “resistência” e “democracia” – “momentos muito importantes que nos marcaram para o resto da vida”, disse, fazendo, ainda, questão de assinalar a localização daquela sessão perante “uma vista maravilhosa”, com o Rio como pano de fundo.

 

 

 

Conversa sobre o Património Moageiro e a Classificação de Interesse Municipal

 

Na tarde de sábado, dia 23, realizou-se, igualmente, junto ao Moinho de Vento Nascente de Alburrica, uma Conversa sobre o Património Moageiro e a Classificação de Interesse Municipal do Sítio de Alburrica e do Mexilhoeiro e o seu Património Moageiro, Ambiental e Paisagístico.

 

Na sessão, marcaram presença Jorge Miranda, CEO da Etnoideia, empresa especializada no desenvolvimento Rural, Molinologia e Etnoturismo, responsável pelo projeto de reabilitação do Moinho, os técnicos da Autarquia, do Espaço Memória, António Camarão, e o Chefe da Divisão de Planeamento Ambiente e Mobilidade, João Paulo Lopes, e o Presidente da CMB.

 

António Camarão frisou o caráter “emblemático” e “simbólico” que os moinhos têm para os barreirenses, numa zona paisagem natural, “modelada pelo homem”.

 

João Paulo Lopes falou do território e apresentou o pensamento e visão para o local, onde existe memória da existência de mais de uma dezena de moinhos de vento e de outros tantos de maré. O técnico municipal referiu a orientação para a “preservação e requalificação das frentes ribeirinhas” e os seus patrimónios vários, e enfatizou o caráter turístico daquele local, tão próximo Lisboa, como “algo que pode ser potenciado”, contemplando a “eventualidade de criar redes” ao nível da margem sul – “não competir mas cooptir”, disse.

“Aqueles milhões de pessoas [em Lisboa] não lhes passa pela cabeça a excelência que há aqui”, disse Jorge Miranda. Os moinhos refletem conhecimentos do Sec. XVIII, que, disse, “são, na sua génese:  investigação, tecnologia de ponta”.

O especialista reconheceu, também, o potencial turístico da zona: “É preciso vir a primeira vez… depois vem-se muitas vezes”.

O moinho nascente tem uma inclinação de 4cm, fruto da erosão, pelo que terá que haver alguma intervenção para corrigir esta situação, informou o Presidente da CMB. Carlos Humberto de Carvalho salientou que as velas dos moinhos e as velas da embarcação muleta, nesta altura, em processo de construção, são ícones do Barreiro.

 

Atividades com a comunidade escolar

 

Na sexta-feira, 22 de setembro, decorreram, também, duas sessões do Teatro de Marionetas “O Principezinho visita o Barreiro”, apresentadas pelo técnico da Autarquia João Gomes à comunidade escolar, seguidas de visita ao Moinho de Vento Nascente de Alburrica.

As visitas ao Moinho foram guiadas por um “moleiro do séc. XVIII” e pelo especialista Jorge Miranda, da Etnoideia.

O Moinho de Vento Nascente tem um mastro com cerca de 10 metros e varas de sete metros.

 

O Programa das JEP incluiu, ainda, Passeios de Varino Pestarola diurnos (com circuito pelo património classificado, de Alburrica à Quinta da Braamcamp) e noturno.

 

CMB 2017-09-25

 

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub