Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

As Coisas da Cultura

Porque há sempre muito para ver e para contar

Porque há sempre muito para ver e para contar

As Coisas da Cultura

14
Set17

Benjamin Clementine - Nova data de lançamento de “I Tell A Fly”

olhar para o mundo

benjamim.jpg

 

Benjamin Clementine | Nova data de lançamento de “I Tell A Fly” | Nas lojas a 29 de setembro

A partir de novembro o músico inicia uma nova digressão pela Europa

Benjamin Clementine, o músico já premiado nos Mercury, lança o seu muito aguardado segundo álbum de estúdio, “I Tell A Fly”, a 29 de setembro. O novo single de Clementine, “Jupiter”, já está disponível, bem como os temas “Phantom of Aleppoville” e “God Save the Jungle”. “I Tell A Fly” sucede ao álbum de estreia “At Least For Now”, que em 2015 foi premiado com o Mercury, e a uma colaboração com Damon Albarn para o último álbum dos Gorillaz. Clementine vai ainda dar uma série de concertos pela Europa entre novembro e dezembro.

Em 2013, Benjamin Clementine apareceu como se vindo do nada. Se com o álbum de estreia “At Least For Now” olhou para dentro de si e para o seu passado, agora no sucessor “I Tell A Fly” olha em frente e para fora de si, para um mundo em constante mudança, para lutas anciãs e para uma resposta individual.

“Um alien de habilidades extraordinárias” começou tudo. À primeira vista, uma descrição incomum emitida pelo visto americano, mas rapidamente tornou-se inspiração para uma peça de teatro (que se tornou num álbum narrativo) explorando de forma abrangente o conceito de alienígena, de migrante, de estranho ou de refugiado. “Fiquei desconcertado durante dez minutos quando vi pela primeira vez o visto”, diz Benjamin. “Mas depois pensei para mim, eu sou um alien. Sou um vagabundo. Na maioria dos lugares em que estive, sempre fui diferente. Então comecei a pensar sobre a história de um par de pássaros, que estão apaixonados: um tem medo de ir mais longe, e o outro arrisca, para ver o que acontece ". Em “I Tell A Fly" Benjamin recorre à sua história pessoal como um prisma através do qual analisa o mundo ao seu redor (tentando assim dar um sentido a ambos), explorando musicalmente territórios desconhecidos enquanto mantém uma vitalidade que não pode ser confundida com o trabalho de outro sem ser ele próprio.

Tudo isto torna "I Tell A Fly" um álbum que é tanto compassivo e empático quanto revoltado, satírico e crítico. Em “God Save the Jungle” aborda a dura realidade do campo de Calais, ao mesmo tempo que brinca ironicamente com o hino do Reino Unido. Em “Paris Cor Blimey” explora de forma única os recentes acontecimentos tráficos ocorridos em França. 

Em “I Tell A Fly” o cantor expande também os seus horizontes musicais, explorando não só uma longa admiração pelos compositores impressionistas, como Erik Satie, mas revelando um crescente interesse na música eletrónica (particularmente a desenvolvida pelo pioneiro japonês Isao Tomita).

Peculiar, emotivo e fascinante, “I Tell A Fly” é um disco que aborda questões de hoje, mas também temas que – diz Benjamin – "não vão desaparecer. Nós vagueamos por aí, o meu bisavô vagueou por aí, e essa é razão pela qual eu estou aqui. Eu sou um alienígena; tu és um alienígena. E é isso.”

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub