Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

As Coisas da Cultura

Porque há sempre muito para ver e para contar

Porque há sempre muito para ver e para contar

As Coisas da Cultura

20
Jan14

Ilustrarte: Um Tetris de esponja em Belém

olhar para o mundo
Ilustrarte: Um Tetris de esponja em Belém
A Ilustrarte, Bienal de Ilustração para a Infância, abriu portas na sexta-feira no Museu da Electricidade. O espaço volta a surpreender: desta vez as ilustrações estão envoltas em cubos de esponja.

Já foram mesas de cabeceira, já foram malas. Agora, a dupla de arquitectos Pedro Cabrito e Isabel Diniz propõe para o cenário industrial do Museu da Electricidade, em Belém, cubos de esponja a envolver as molduras das 150 ilustrações seleccionadas. Um enorme Tetris, que convida à interacção e às brincadeiras dos mais novos.

 

À sexta edição, a terceira na antiga Central Tejo, a Ilustrarte apresenta números dignos de respeito. Receberam propostas de dois mil participantes, provenientes de 72 países. O que significa que apenas 2,5% dos trabalhos foram seleccionados pelo júri desta edição, constituído por ilustradores (os italianos Chiara Carrer e Valerio Vidali, o belga Carll Cneut) e a editora e designer polaca Ewa Stiasny.

 

O acordeão do diabo

 

E foi esse júri que distinguiu com o Prémio Ilustrarte 2014 o trabalho da jovem alemã Johanna Benz. As ilustrações fazem parte de um livro editado pelo Instituto das Artes de Leipzig, que conta com cores muito vivas e num estilo aparentemente infantil a história de um navio que partiu de Hamburgo com um carregamento de instrumentos e que naufraga ao largo da Colômbia. E um acordeão vai parar a Pacho Rada, nome maior do folclore daquele país, o chamado ‘acordeão do diabo’.

 

O júri distinguiu ainda, com menções especiais, o argentino Diego Bianki (que utilizou caixas pintadas) e a polaca Urszula Palusinska (que ilustra um pequeno dicionário hebraico-polaco).

 

“Agrada ver claramente a evolução da ilustração. Há dez anos a moda era a ilustração com muitos elementos, muita colagem. E agora houve uma certa depuração da imagem e há referências claras à ilustração dos anos 50 e 60, com a utilização de cores directas. E a gravura está muito na moda”, destaca Eduardo Filipe, organizador da Ilustrarte.

 

Além dos trabalhos dos 50 seleccionados (seis dos quais portugueses), há ainda uma homenagem ao escritor José Jorge Letria, e uma retrospectiva de Chiara Carrer. Tudo para ver até 13 de Abril.

 

Retirado do Sol

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub