Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

As Coisas da Cultura

Porque há sempre muito para ver e para contar

Porque há sempre muito para ver e para contar

As Coisas da Cultura

08
Nov17

Marano lança projeto Ailum e mostra seu primeiro disco solo

olhar para o mundo

marano.jpg

 

Marano lança projeto Ailum e mostra seu primeiro disco solo

Multicultural, trabalho consagra largo histórico do músico e conta com várias participações especiais

 

Após trabalhar com Roy Cicala (John Lennon, Madonna, Elvis) e Carlos Trilha (Legião Urbana, Marisa Monte, Ana Carolina), o músico paranaense Marano (baixista d’A Banda Mais Bonita da Cidade e ex-integrante da Terminal Guadalupe, Charme Chulo e Humanish) lança seu primeiro projeto solo, Ailum, apresentando o álbum “Quem Me Salvará Sou Eu”.

 

No disco, Marano expõe com honestidade comovente seu universo mais íntimo. O grito ecoa sempre na direção do amor, não como um clichê, mas como algo urgente, como o melhor ou único caminho a ser seguido. É uma ode ao respeito, à liberdade e claro, ao amor.

 

O nome do álbum vem de uma história de família. Em meados dos anos 70, o pai de Marano mudou-se de Recife-PE pra Rolândia-PR. Durante uma festa na cidade, Dominguinhos (que era o convidado especial) improvisou um tema na sanfona. No dia seguinte, Seu Terto (pai de Marano) convidou seus conterrâneos (Dominguinhos e banda) pra um almoço em família.

 

Nessa tarde, José Domingos de Morais disse que o tal improviso seria gravado e lançado como “Forró em Rolândia”. Décadas depois, ao fuçar em vinis antigos, Marano encontrou a música no disco “Quem Me Levará Sou Eu”. “Escolhi o título do meu álbum, não só como homenagem a Dominguinhos e aos meus, mas também porque representa uma vontade própria de renascimento" explica Marano.

 

O disco é uma junção de experiências e influências, refletindo pluralidades étnicas e culturais. As composições ousam na mistura de banda de metais com Baião, Dub com música indígena, batidas eletrônicas com canção de raiz. O registro tem 11 faixas e conta a participação de vários músicos, entre eles Taká Owê Fulni-ô e Thaydjo Owê Fulni-ô, da tribo indígena pernambucana Fulni-ô, Uyara Torrente (A Banda Mais Bonita da Cidade), Lilian e Layane Soares (Tuyo), o trio de metais Bananeira Brass Band, e Yasmin Torrilhas, Luisa Morozowicz e Giovana Trevisan do Coral Curumim.

 

“Quem Me Salvará Sou Eu” foi produzido por Du Gomide, com exceção de “Nossa Força” (Carlos Zubek) e “Mana” (Rodrigo Lemos). As gravações ocorreram entre agosto de 2014 e agosto de 2017 em Curitiba, Morretes, Londrina e Antonina no Paraná. A mixagem é assinada por Buguinha Dub, Victor Rice, Du Gomide e Rodrigo Lemos. Já a masterização leva o nome de Fernando Sanches (El Rocha). Todas as faixas foram compostas por Marano, com exceção de “Ywek´detsahe”, dele com Taká Owê Fulni-ô, e “Recomeço”, feita ao lado de Du Gomide. A direção artística e musical ficou por conta de Marano.

 

O trabalho está disponível em todas as plataformas digitais para audição.

 

 

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub