Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

As Coisas da Cultura

Porque há sempre muito para ver e para contar

Porque há sempre muito para ver e para contar

As Coisas da Cultura

15
Jan15

“Caixa Forte” em dose dupla no Cine-Teatro de Estarreja

olhar para o mundo

caixaforte.jpg

 

 

“Caixa Forte” em dose dupla no Cine-Teatro de Estarreja

 

Com lotação esgotada para dia 31 de janeiro, o Cine-Teatro de Estarreja abre nova sessão do espetáculo “Caixa Forte”, dia 1 de fevereiro, às 16 horas. A elevada procura da comédia com Fernando Mendes motiva a sessão extra.

 

Com Fernando Mendes, nada fica pela metade. Uma dose não sacia o conhecido comediante e apresentador de um dos concursos com maior audiência na televisão nacional. É com prato cheio que Estarreja recebe o protagonista de “Caixa Forte”, espetáculo que conta as peripécias de um segurança e um casal, fechados no interior da caixa forte de um banco.

Esgotado a três semanas de entrar em cena, “Caixa Forte”, da autoria de Frederico Pombares, Henrique Dias e Roberto Pereira, conta com Fernando Mendes, Carla Andrino, Cristina Areia e Frederico Amaral no elenco. Além da sessão de 31 de janeiro, às 21h30, o espetáculo volta ao palco do Cine-Teatro de Estarreja (CTE) no dia 1 de fevereiro, às 16 horas.

No total, são três horas de boa disposição extraída das mais variadas conversas, de circunstância e não só, fruto do convívio involuntário no interior de uma caixa forte.

Os bilhetes para esta comédia encontram-se à venda na Bilheteira do CTE, no site da Bilheteira Online, lojas Fnac, CTT e El Corte Inglés. Os dois dias do espetáculo têm disponível serviço de babysitting gratuito.

Sessão extra de Caixa Forte altera horário de cinema

A exibição de “Invencível”, novo trabalho de Angelina Jolie, passa para as 21h30. A entrada do filme no grande ecrã do CTE, prevista para as 17 horas de 1 de fevereiro, será adiada para as 21h30 do mesmo dia. O ajustamento de horário deve-se à nova sessão do espetáculo “Caixa Forte”, protagonizado pelo humorista Fernando Mendes.

Inspirado na vida do atleta olímpico Louis Zamperini (1917-2014), “Invencível” transmite o poder arrebatador da persistência, resistência, coragem, espírito de sacrifício e luta pela vida. Na figura do ator Jack O'Connell, Angelina Jolie abre o livro da vida de um celebrado sobrevivente norte-americano que, depois de lutar para resistir a um acidente de avião, é capturado pelos japoneses durante a II Guerra Mundial.

SÁB 31 JAN 21H30 | DOM 01 FEV 16H00
Caixa Forte

Frederico Pombares, Henrique Dias e Roberto Pereira
 autores
Fernando Mendes, Carla Andrino, Cristina Areia e Frederico Amaral atores
[TEATRO] 15€ PLATEIA | 12,5€ BALCÃO /
/ 12,5€ PLATEIA | 10€ BALCÃO (Cartão Amigo, Cartão Sénior e Jovem Municipal)

Espetáculo com Babysitting

+

http://www.cineteatroestarreja.com
http://www.facebook.com/cinestarreja
http://twitter.com/CTE__

24
Fev14

Fernando Mendes numa "Caixa Forte" no Teatro Villaret

olhar para o mundo

Fernando Mendes numa "Caixa Forte" no Teatro Villaret

"Caixa Forte", a peça em exibição, no Teatro Villaret, com Fernando Mendes, Carla Andrino, Cristina Areia e Frederico Amaral, continuará em cena até 01 de Junho.

 

Fernando Mendes é Rogério, um segurança de um banco, que numa sexta-feira se prepara para um dia normal de trabalho ao acompanhar um casal de clientes ao interior da caixa forte.

Mas azar dos azares, minutos depois de entrarem, a porta da caixa forte fecha-se automaticamente, deixando o segurança e o casal de clientes encurralados no seu interior.

 

E a partir daqui ficamos a saber como convivem num espaço fechado e sem hipóteses de sair, de imediato, um seguranaça que gosta da vida com calma e alegria, uma rica arrogante e o seu jovem e maltratado marido.

 

Vão ter de aprender a conviver juntos e arranjar um plano que lhes permita sobreviver até segunda-feira, altura em que a porta se voltará a abrir.
Dentro da caixa forte os telemóveis não funcionam, não há maneira de contactar com o exterior, só há uma garrafa de água e o mais grave, na opinião de Rogério, não há chanfana.


Durante uma hora e meia, os três vão conhecer-se, odiar-se, discutir o canibalismo, confessar os seus pecados, arranjar maneira de ultrapassar o facto de não haver uma casa de banho, ouvir Jorge Fernando e... sobreviver.


Sobreviver à clausura e, mais difícil, sobreviver às conversas e teorias do segurança.

Com encenação de Henrique Dias, o texto é da autoria de Frederico Pombares, Henrique Dias e Roberto Pereira.

 

Retirado do HardMúsica

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D