Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

As Coisas da Cultura

Porque há sempre muito para ver e para contar

Porque há sempre muito para ver e para contar

As Coisas da Cultura

16
Out17

Banda Sonora do documentário “Chasing Trane: The John Coltrane Documentary” lançada a 17 de novembro

olhar para o mundo

Banda Sonora do documentário “Chasing Trane: The John Coltrane Documentary” lançada a 17 de novembro

Disco será lançado em CD, duplo vinil e formato digital. Filme chega ao mercado em DVD e Blu-ray

A 17 de novembro o aclamado documentário “Chasing Trane: The John Coltrane Documentary”, de John Scheinfeld, será lançado em DVD e Blu-ray com material bónus exclusivo. No mesmo dia, será lançada a banda sonora do filme, “Chasing Trane: The John Coltrane Documentary Original Soundtrack”, em CD, duplo vinil de 180 gramas e em formato digital. O percurso de John Coltrane enquanto homem e artista é retratado em “Chasing Trane”, que reflete ainda sobre o contexto social, político e cultural da época. O filme é o olhar definitivo sobre o músico e compositor que destruiu fronteiras e cuja influência continua a sentir-se em todo o mundo.

Escrito e realizado por John Scheinfeld, “Chasing Trane: The John Coltrane Documentary” é um retrato rico e cativante de um artista único que nos revela os acontecimentos mais importantes, as paixões, experiências e desafios que moldaram a vida de John Coltrane e a sua música revolucionária. Este filme é produzido por Spencer Proffer, John Beug, Scott Pascucci e Dave Harding com o apoio da família Coltrane e das editoras que, coletivamente, gerem o catálogo de Coltrane. Os DVD e Blu-ray de “Chasing Trane” incluem um booklet com um ensaio de Scheinfeld e fotografias raras vistas no filme. O booklet da banda sonora também inclui fotos raras do filme e um ensaio do jornalista Ashley Kahn, que também participa no documentário.

 

Chasing Trane: The John Coltrane Documentary” conta com vídeos caseiros nunca antes vistos de Coltrane, imagens de arquivo de Coltrane e da sua banda em estúdio (descobertas numa garagem na Califórnia, durante a produção do filme), além de centenas de fotografias inéditas e atuações televisivas raras um pouco por todo o mundo. Esta é uma história de demónios e trevas, de persistência e redenção. Acima de tudo, esta é a incrível viagem espiritual de um homem que se encontrou e, no processo, criou um corpo de trabalho extraordinário e icónico que transcende todas as fronteiras geográficas, de raça, religião e idade.

A história incrível de John Coltrane é contada pelos músicos que trabalharam com ele (Sonny Rollins, McCoy Tyner, Benny Golson, Jimmy Heath, Reggie Workman), músicos que se inspiraram na sua arte destemida e na sua visão criativa (Common, John Densmore dos The Doors, Wynton Marsalis, Carlos Santana, Wayne Shorter, Kamasi Washington), pelos filhos e biógrafos de Coltrane, e admiradores bem como conhecidos como o presidente Bill Clinton e Dr. Cornel West. Apesar de Coltrane não ter participado em nenhuma entrevista televisiva e de ter gravado poucas entrevistas de rádio, a sua presença no filme é constante e vibrante, através das suas atuações e dos pensamentos que expressou durante entrevistas a várias publicações impressas. Em “Chasing Time”, as palavras de John Coltrane são ditas por Denzel Washington.

A 17 de novembro, no mesmo dia em que será também lançada a banda sonora de “Chasing Time”, o Grammy Museum, em Los Angeles, vai inaugurar uma nova exposição de John Coltrane, intitulada “Chasing Time: Coltrane’s Musical Journey Transcended”. Esta exposição conta com fotografias raras, gravações áudio da digressão japonesa de Coltrane em 1966, manuscritos e vários instrumentos musicais.

10
Out17

Documentário sobre Terry Jones em Crowdfunding

olhar para o mundo

citizen jones.png

 

 

Documentário sobre Terry Jones em Crowdfunding

O documentário “Citizen Jones”, do realizador Frederico Corado encontra-se neste momento com uma campanha de crowdfunding aberta na plataforma PPL.

Em Dezembro de 2007, Terry Jones, estava em Lisboa, no São Luiz Teatro Municipal a encenar o seu espectáculo “Evil Machines”, com música de Luís Tinoco, direcção musical de Cesário Costa, figurinos Vin Burnham.

Frederico Corado, acompanhou os ensaios com a sua câmara, e durante esse período teve a oportunidade de falar durante algum tempo com Terry Jones, propondo-lhe a possibilidade de fazer um pequeno filme sobre a construção do espectáculo e sobre o próprio Terry Jones.

Gravou-se uma longa entrevista mas o filme nunca foi concluído por falta de financiamento. Hoje, 10 anos depois, procuramos conseguir terminar o filme que conta na voz da primeira pessoa a história da carreira de Terry Jones.  

Pela conversa passam os Monty Python, os filmes, a universidade, o teatro, as relações familiares, com os amigos, os colegas, a música, Inglaterra, Eric Idle, Graham Chapman, John Cleese, Michael Palin, os surrealistas, os Irmãos Marx, Rupert The Bear, Spike Milligan, Lewis Carroll e tanto tanto mais.

É para a conclusão deste projecto que se encontra aberta uma campanha de crowdfunding aberta na plataforma PPL emhttps://ppl.com.pt/prj/citizen-jones, onde todos podem colaborar com valores a partir de 1€ e receber recompensas que vão desde o nome no genérico ao DVD do filme, entre muitas outras.

O financiamento dado pelos apoiantes através destas plataformas veio transformar o cinema independente e viabilizar alguns projectos que nunca teriam a possibilidade de encontrar financiamento em meios mais tradicionais.

“Citizen Jones”

Realização: Frederico Corado; Operação Câmara: Frederico Corado e Nuno Bernardo; Edição: Frederico Corado e Hélder Magalhães; Pós-Produção: Hélder Magalhães; Produção da Área de Serviço

05
Mai17

Parques de Sintra exibe documentário “D. Fernando II – Notas Biográficas” no Palácio Nacional da Pena

olhar para o mundo

Parques de Sintra exibe documentário “D. Fernando II – Notas Biográficas” no Palácio Nacional da Pena

 

- Evento marca encerramento da exposição “Fernando Coburgo fecit: a atividade artística do rei-consorte”

- Filme regista aspetos biográficos do monarca com base em testemunhos de especialistas

- A exposição, dedicada à obra artística do rei, foi inaugurada a 29 de outubro de 2016 e assinalou o bicentenário do nascimento de D. Fernando II

 

Sintra, 3 de maio de 2017 – A Parques de Sintra marca o encerramento da exposição “Fernando Coburgo fecit: a atividade artística do rei-consorte”, patente no Palácio Nacional da Pena, com a exibição do documentário “D. Fernando II – Notas Biográficas”, no próximo dia 11 de maio, às 20h00, no auditório do monumento.

 

A mostra dedicada à obra artística do monarca foi inaugurada a 29 de outubro de 2016, data de aniversário do rei, com o propósito de assinalar o bicentenário do nascimento de D. Fernando II, criador do Parque e Palácio da Pena.

 

Com curadoria de Hugo Xavier, conservador do Palácio, a exposição revela um numeroso conjunto, nunca exposto, de desenhos, gravuras e documentos manuscritos adquiridos em 2012 pela Parques de Sintra, e conta ainda com doações efetuadas por descendentes da Condessa d’Edla, segunda mulher do monarca, e com peças cedidas por particulares e instituições, como o Museu Nacional de Arte Antiga, Palácio Nacional da Ajuda, Museu-Biblioteca da Casa de Bragança e, dentro do universo da Parques de Sintra, o Palácio Nacional de Queluz.

 

O documentário “D. Fernando II – Notas Biográficas”, realizado por João Santa Clara, a partir do guião de João de Oliveira Cachado, levanta um conjunto de questões pertinentes sobre o monarca e regista aspetos biográficos com base em testemunhos de diferentes especialistas nos domínios em que o rei repartiu a sua atividade, como é o caso da historiadora de arte, Raquel Henriques da Silva, da historiadora e autora da biografia de D. Fernando II, Maria Antónia Lopes, da historiadora de arte, Maria João Neto, e do diretor do Palácio Nacional da Pena, António Nunes Pereira, entre outros.

 

O filme remete, assim, “para uma partilha de conhecimento que, apesar de veiculada por académicos, é perfeitamente acessível, sendo previsível que o seu potencial didático-pedagógico não escapará à atenção de professores das mais diversas áreas, formadores, etc.”, destaca o autor do guião.

 

“Personalidade fascinante de ilustre europeu, que tão bem soube entender os portugueses, D. Fernando II merece que estes lhe devolvam o interesse. Dois séculos depois do cognominado Rei Artista, ao aproveitar o contexto da efeméride, «D. Fernando II – Notas Biográficas» assume-se como modesto contributo, concebido, é verdade, com a permanente preocupação de estar à altura dos desafios que, ainda hoje, ele não cessa de propor”, conclui João de Oliveira Cachado.

 

Aposentos de D. Manuel II reintegrados no circuito de visita

 

A exposição “Fernando Coburgo fecit: a atividade artística do rei-consorte” está patente nos antigos aposentos de D. Manuel II, situados no piso nobre do Torreão do Palácio Nacional da Pena, restaurados em 2016.

 

No âmbito da intervenção, foram recuperados os estuques dos tetos, assim como as paredes, janelas e pavimentos. Foi dada particular atenção aos vestígios de cor que ainda se puderam encontrar nas paredes, assim como portas e ombreiras. Serão estas cores que se utilizarão, de resto, na musealização permanente das salas.

 

Terminada a exposição, estes compartimentos serão encerrados para obras de renovação, e posteriormente musealizados de acordo com a sua vivência histórica, ou seja, como aposentos do último rei de Portugal, D. Manuel II.

04
Nov16

É filmado em Buenos Aires um documentário sobre a vida de Aristides de Sousa Mendes.

olhar para o mundo

documentario.jpeg

 

"Aristides era um homem como qualquer outro simplesmente que num desses cruzamentos que nos sabe pôr a vida não reagiu como a maioria" começa-nos dizendo Victor Lopes,um argentino com nacionalidade portuguesa que confessa "assim como alguns portugueses me dão vergonha e pelo qual peço desculpa ao mundo inteiro, há também outros, como Aristides de Sousa Mendes que é o orgulho de um Portugal moderno e vigoroso que respeita os direitos humanos e rejeita qualquer tipo de autoritarismo e ditadura".

 

Sousa Mendes é um dos quatro portugueses declarado "Justo entre as nações" por ter salvado milhares de pessoas perseguidas pelos nazis durante o holocausto, enquanto os argentinos filmam o documentário na cidade de Buenos Aires, o Presidente de Portugal Marcelo Rebelo de Sousa anuncia em Nova Iorque que vai condecorar a Aristides de Sousa Mendes com a "Grande Cruz da Ordem da Liberdade" e reconhece que "hoje lhe devemos a Aristides muito mais do que sabiamos até agora".

 

"Não se é Santo por ser elegido pelos Deuses, senão que, se é elegido pelos Deuses por ser Santo". Repete Victor Lopes para significar a obra humanitária do Cônsul de Portugal em Burdeus que assinou 30000 visas em apenas sete dias desobedecendo ao ditador luso António de Oliveira Salazar, quando os nazis invadian França nos cruéis tempos de 1940, "Para Aristides tinha sido fácil desocupar com o exército ou a policia os jardins da Embaixada que nesse momento encheram-se de homens, mulheres e crianças perseguidos procurando un salvoconduto que os levara ao porto de Lisboa sem embargo Aristides não o fez....Sousa Mendes não chamou as tropas alemãs.... o que eu faria?....o que farias tu? o que fariam os nossos atuais Embaixadores de Portugal ao redor do mundo?".

 

É o eterno conflito gerado entre " o dever e a conciência que não sempre se põem de acordo" diz Lopes, enquanto nos faz lembrar daquele soldado da obra de Javier Cercas que pudendo matar a um Sanchez Mazas indefeso decidiu não o fazer durante a tragédia da Guerra Civil Espanhola

 

Portugal teve uma ditadura de mais de quarenta anos e desembaraçar a trama de complicidades com centos, milhares de profissionais e lideres formados na intolerância vai levar muito tempo como sabe suceder nos países que sofrimos os regimes autoritários apesar do esforço e a boa vontade que os atuais dirigentes e novas gerações democráticas realizam.

 

Levar ao ecrã do público americano a história de Sousa Mendes é um dos objetivos do realizador com uma equipe formada nas universidades Argentinas de cinema baixo a atenta olhada de Paula Fossatti e Ramiro Klement, junto aos atores Melissa Zwanck y Nahuel Vec, Lopes vai aportar "o seu grãozinho de areia" aos que já vêm realizando faz muito tempo em diversos lugares do mundo, familiares, amigos e ferventes seguidores da causa Sousa Mendes.

 

A estréia do documentário "Aristides um homem bom" está previsto para o fim do ano e se realizará no marco do Festival Internacional dos Direitos Humanos., embora Victor Lopes reconhece que pouco a pouco irá respondendo âs convocatórias que a diário lhe chegam já que a proposta causou boa recepção por tratar-se duma história práticamente desconhecida e que ainda desperta certa polémica nos setores mais conservadores da sociedade portuguesa.

31
Out14

METALLICA - Documentário "Some Kind of Monster" reeditado com conteúdos extra

olhar para o mundo

METALLICA  Documentário "Some Kind of Monster" reeditado com conteúdos extra

 


METALLICA

Documentário "Some Kind of Monster" reeditado com conteúdos extra

Filme elogiado por imprensa e fãs disponível também em formato digital

Os Metallica, uma das bandas rock mais influentes do planeta, reeditam a 24 de novembro o documentário "Some Kind of Monster", originalmente lançado em 2004 e entretanto fora de circulação. O filme será lançado em formato DVD e Blu-ray, em edições de dois discos.

Elogiado por publicações influentes como a Q, Rolling Stone, Uncut, Timeout ou New York Times, "Some Kind Of Monster" segue a banda durante três dos anos mais turbulentos da sua longa carreira. Na altura, com "St. Anger" a ser gravado, os Metallica lutavam contra dependências diversas e a sua própria relação enquanto banda, e o documentário que será agora reeditado traça um retrato dessa época.

Realizado por Joe Berlinger e Bruce Sinofsky, o documentário será disponibilizado por via digital e em "Video on Demand". A nova edição de "Some Kind of Monster" traz algumas novidades face à de 2004: ao filme original junta-se um outro, de 25 minutos, chamado "This Monster Lives", e que foi gravado em Toronto, no Canadá, a propósito do lançamento no país de "Through the Never", o segundo filme sobre a vida do grupo. "This Monster Lives" integra entrevistas com a banda e os realizadores do documentário, que traçam um balanço volvidos dez anos sobre a edição do mesmo.

Poucos dias depois da reedição de "Some Kind of Monster", chega a 28 de novembro uma edição em vinil de 12 polegadas de "Lords of Summer", canção nova dos Metallica gravada este ano. O tema pode não sair no próximo álbum do grupo mas é "representativo de onde está a mente criativa" dos Metallica nesta fase, avançou o baterista Lars Ulrich recentemente à revista Rolling Stone.

Formados em 1981 pelo baterista Lars Ulrich e pelo guitarrista e vocalista James Hetfield, os Metallica tornaram-se uma das bandas de rock mais influentes e bem-sucedidas da história, tendo vendido 110 milhões de álbuns no mundo inteiro e tocado para milhões de fãs em todos os continentes.

O último álbum de originais do grupo, "Death Magnetic", foi editado em 2008.
19
Jul14

THE BEATLES - Novo documentário realizado por Ron Howard

olhar para o mundo

 THE BEATLES  Novo documentário realizado por Ron Howard


THE BEATLES

Novo documentário realizado por Ron Howard

A Apple Corps Ltd., a White Horse Pictures e a Imagine Entertainment anunciaram que vão produzir um novo documentário oficial assente na primeira parte da carreira dos The Beatles – os anos em digressão. O filme será realizado por Ron Howard, cineasta galardoado com o prémio maior da indústria, o Óscar, e será produzido com a cooperação total de Paul McCartney e Ringo Starr, membros sobreviventes do grupo, e Yoko Ono Lennon e Olivia Harrison, viúvas de John Lennon e George Harrison. Nigel Sinclair, produtor da White Horse, também ele já galardoado com um Óscar, Scott Pascucci e Brian Grazer, da Imagine Entertainment, vão produzir o filme em conjunto com Ron Howard. Michael Rosenberg, da Imagine Entertaintment e Guy East, da White Horse, serão produtores executivos.

“Estou excitado e honrado por trabalhar com a Apple Corps e a equipa de White Horse nesta esta história surpreendente sobre quatro jovens que invadiram o mundo em 1964. O seu impacto na cultura popular e a experiência humana não podem ser vistos como exagerados”, diz Ron Howard sobe o projeto.

O filme será focado no período que medeia os dias iniciais dos The Beatles, no Cavern Club, em Liverpool, e as preparações em Hamburgo para o que viria a ser o último concerto do grupo, no Candlestick Park, em São Francisco, em 1966.

04
Out13

Secção de música do DocLisboa começa com filme sobre Ney Matogrosso

olhar para o mundo

Secção de música do DocLisboa começa com filme sobre Ney Matogrosso

O documentário de Joel Pizzini mostra como o carácter libertário e político do cantor brasileiro sempre influenciou o seu reportório.

 

A secção Heart Beat do festival DocLisboa, dedicada a documentários sobre música e artes performativas, vai abrir, a 25 de Outubro, no cinema São Jorge, com Olho Nu de Joel Pizzini.

 

O filme parte de um conjunto de imagens e sons reunidos pelo cantor brasileiro Ney Matogrosso. Ao todo, foram mais de 300 horas de material cedidas pelo artista e três anos de pesquisa do realizador brasileiro para chegar ao trabalho final. No fim de contas, segundo a organização do festival, trata-se de um retrato da vida e obra do cantor, das suas motivações artísticas, mas também do seu carácter libertário e político que sempre influenciou o seu reportório.


O programa Heart Beat regressará também ao espaço do Lux Frágil, depois de em 2012 aí ter sido apresentado Shut up and play the Hits: o Fim dos LCD Soundsystem. Desta vez, a 31 de Outubro, às 23h, será mostrado The Stone Roses: Made of Stones, realizado por Shane Meadows, sobre aquele grupo pop inglês que marcou os anos 1990. O filme revela materiais exclusivos da banda e o testemunho de pessoas cujas vidas foram inspiradas pela sua actividade.


Outros destaques da secção são: Mistaken for Strangers, realizado por Tom Berninger, irmão do líder e vocalista dos The National, Matt Berninger, ePussy Riot – A Punk Prayer, de Mike Lerner e Maxim Pozdorovkin, um documentário sobre o julgamento dos membros da banda punk rock feminista russa.


Com o contexto de Angola em fundo existem dois filmes: I Love Kuduro eDeath Metal Angola. O primeiro, realizado por Mário Patrocínio, retrata a nova cultura urbana em torno do kuduro, com epicentro em Luanda. O segundo, da autoria do realizador americano Jeremy Xido, mostra-nos como Angola se tornou no centro do metal africano.


Em homenagem ao reconhecido cineasta norte-americano Les Blank, falecido em Abril do presente ano, será programada uma sessão que inclui Dizzy GillespieThe Blues Accordin’ to Lightin’ Hopkins e Chulas Fronteras.

No total, a secção Heart Beat reúne 17 filmes que, ao longo do festival, serão apresentados nas salas da Culturgest, Cinema São Jorge e Cinema City Alvalade.
 

 

Retirado do Público
 

24
Jun13

Oliver Stone realiza filme sobre Hugo Chavez

olhar para o mundo

Oliver Stone realiza filme sobre Hugo Chavez


Oliver Stone realiza filme sobre Hugo Chavez

"Oliver Stone está a fazer um filme muito bonito sobre o nosso comandante Hugo Chávez que deverá estar terminado nos próximos meses", disse Maduro afirmando ainda estar "ansioso" para que o resultado estreie na Venezuela.


Nicolás Maduro terá sido informado do trabalho de Oliver Stone por um dos produtores numa visita oficial a Paris, no âmbito do périplo europeu que o levou também a Portugal e Itália, esta semana.

 

O realizador norte-americano já tinha entrevistado Chávez, de quem é admirador, para um documentário em 2009.

 

O presidente venezuelano afirmou que Oliver Stone irá em breve à Venezuela para a estreia de um projecto sobre "a história do imperialismo americano".

 

Stone já realizou três documentários sobre outro líder sul-americano carismático, o líder cubano Fidel Castro, para além de filmes sobre outros líderes norte-americanos como os presidentes Kennedy, Nixon e George W. Bush.

 

Retirado do HardMúsica

30
Set12

Jovens leiloam virgindade para protagonizar documentário

olhar para o mundo
Jovens leiloam virgindade para protagonizar documentário

O Brasil nunca foi conhecido por ter 'tabus' sexuais, mas ainda assim o caso está a chocar o país. Uma jovem brasileira de 20 anos e um rapaz russo de 21 aceitaram leiloar a sua virgindade para participarem num filme de uma produtora australiana. As licitações já chegaram aos 155 mil dólares (cerca de 102 mil euros).

 

Catarina Migliorini é uma estudante brasileira residente na Austrália. Tem 20 anos, mas já está no projecto do documentário ‘Virgins Wanted’ há dois. Com o dinheiro da «experiência» quer ajudar instituições de caridade e estudar medicina na Argentina.

 

O documentário, pensado por um jovem realizador australiano, pretende acompanhar o dia-a-dia dos dois jovens, antes e depois de perderem a virgindade, passando por todo o processo do leilão.

 

«Eles filmam o meu dia-a-dia, os meus novos amigos aqui, as conversas com a minha mãe, as minhas reacções», explicou Catarina ao site brasileiro G1, referindo-se à experiência do primeiro mês de filmagens em Bali, Indonésia.

 

Desde que o estranho leilão arrancou, Catarina conseguiu, até ontem, propostas de 13 candidatos espalhados um pouco por todo o mundo, num valor que ultrapassa os 100 mil euros.

 

Já Alexandre Stepanov, o jovem russo de 21 anos também escolhido para integrar o ‘Virgins Wanted’, reúne até agora apenas 5 candidatos, entre homens e mulheres, sendo que a licitação mais alta até ontem era de cerca de 900 euros.

 

Ao jornal brasileiro Folha de São Paulo, Catarina disse que conta com o apoio da família, especialmente da mãe, e defende-se dizendo que é «maior de idade, e responsável pelos [seus] actos».

 

A jovem brasileira esclareceu ainda que o dia D deverá acontecer dez dias depois do fim do leilão, que termina no próximo dia 15, e o acto será consumado num avião, algures entre a Austrália e os EUA, para evitar problemas legais. Problemas que, de resto, já começam a bater à porta do realizador.

 

Noticia do Sol

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D