Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

As Coisas da Cultura

Porque há sempre muito para ver e para contar

Porque há sempre muito para ver e para contar

As Coisas da Cultura

05
Out17

Elton John anuncia nova coletânea, “Diamonds”

olhar para o mundo

elton jhon.jpg

 

Elton John anuncia nova coletânea, “Diamonds”, a 10 de novembro nas lojas

Disco editado em formato 2CD, 3CD Deluxe e 2LP

Elton John acaba de anunciar o lançamento de “Diamonds”. A ser lançada a 10 de novembro, “Diamonds” é a mais recente e completa coletânea de Elton John e estará disponível em 2CD, numa caixa de edição limitada 3CDduplo LP e em formato digital.

Arrancando com a sempre surpreendente “Your Song”, esta coletânea reúne todos os grandes êxitos de um dos melhores cancioneiros de sempre, incluindo “Tiny Dancer”, “Rocket Man”, “Candle In The Wind”, “Don”t Go Breaking My Heart”, “Sacrifice”, “Can You Feel The Love Tonight?”. Faz ainda parte do disco o dueto de Elton com George Michael no clássico “Don’t Let the Sun Go Down On Me”, que aparece pela primeira vez numa coletânea de Elton John.

O lançamento de “Diamonds” coincide com o 50.º aniversário da parceria incrível entre Elton John eBernie Taupin. Tendo-se conhecido em 1967 através de um anúncio numa revista de música, Elton e Bernie vieram a tornar-se num dos mais duradouros duos de compositores de sempre, alcançado um nível de sucesso que os eleva perante a competição que enfrentam. O duo foi catapultado para as luzes da ribalta em 1971 com “Your Song”, e desde então numa mais abrandaram com a sua criatividade, tendo produzido uma série de álbuns clássicos nos anos 1970 que definiram uma era. “Candle in the Wind” dominou os tops de vendas em três décadas diferentes, enquanto “The Diving Board”, de 2013, alcançou o top 3 dos álbuns mais vendidos no Reino Unido, além de ter sido alvo de uma grande aclamação crítica.

 

Elton diz sobre esta parceria: Chegamos aos 50 anos e a nossa relação está mais saudável que nunca. Já houve alturas na nossa relação em que compusemos com outras pessoas, mas isso nunca fez parar este amor. Amo o Bernie como nunca antes e acho que ele sempre o mesmo por mim, porque ambos vivemos vidas separadas. Ambos escrevemos em quartos separados. Temos um enorme respeito e admiração um pelo outro e isso só tem crescido.”

Já Bernie Taupin afirma: “Ainda nos divertimos com o que fazemos. Quando nos juntamos e escrevemos algo, ainda existe algo de mágico a acontecer. É impossível conseguir algo melhor que isto.”

A coletânea está disponível em pré-venda em todos os formatos, sendo que a versão de 2CD contém 34 canções, um booklet de 10 páginas com ilustrações de retratos de Elton, enquanto a versão de 2LP conta com dois vinis de 180 gramas. Já a edição limitada de 3CD está inserida numa caixa de colecionador, incluindo um livro de capa dura de 72 páginas com anotações sobre as histórias de cada tema e cinco postais com ilustrações de retratos Elton. Todas as ilustrações são da autoria do artista contemporâneo Richard Kilroy.

Uma carreira sem paralelo que mudou para sempre o panorama cultural, a música de Elton John e Bernie Taupin continua a esgotar estádios, a dominar os tops de vendas e a conquistar novos fãs de todas as gerações.

08
Abr17

Elton John celebra Record Store Day com reedição em vinil do álbum ao vivo “17.11.70”

olhar para o mundo

elton jhon.png

 

Elton John celebra Record Store Day com reedição em vinil do álbum ao vivo “17.11.70”

Nova edição conta com mais 6 gravações inéditas, tendo sido remasterizada por Bob Ludwig

Em novembro de 1970, Elton John deu um concerto intimista nos A&R Studios, em Nova Iorque, concerto que foi gravado para a WABC FM. Perante 125 pessoa, Elton tocou com uma formação também reduzida, um trio formado por Dee Murray no baixo e Nigel Olsson na bateria. Inicialmente o concerto foi pensado apenas para ser transmitido na rádio, mas a qualidade inexcedível da gravação (graças ao trabalho do lendário Phil Ramone) levou a que se tornasse rapidamente numa bootleg, acabando por ser editada oficialmente sob o título “17.11.70” pela DJM Records em abril de 1971, reunindo o disco seis dos temas interpretado no concerto.

Agora para celebrar o Record Store Day, que se assinala a 22 de abril, “17.11.70” é reeditado num duplo LP de 180 gramas que junta ao alinhamento original mais 6 temas cujas gravações eram inéditas até à data. A versão de “Amoreena” que se encontra nesta reedição nunca foi lançada em vinil. Este é um disco do qual Elton John se sente, e bem, tremendamente orgulhoso. Misturando originais com versões (Elton interpreta canções dos Stones, Beatles e Elvis), “17.11.70” é o retrato perfeito da força e do sentido de humor de um showman de 23 anos que estava prestes a tornar-se num fenómeno internacional.

Apesar de constantemente “17.11.70” parecer uma mera nota de rodapé na história de Elton John, um pouco esquecido comparando com a incrível série de álbuns de estúdio (o músico era muito produtivo, sendo que este foi o seu quarto álbum em dois anos). Quando, anos mais tarde, se transformou numa estrela global, “17.11.70” acabou por ser negligenciado pelos fãs de sucessos como “Crocodile Rock” ou “Saturday Night’s Alright for Fighting”.

“17.11.70” é um artefacto fascinante: este é o Elton John pela qual a América se apaixonou, começando então uma longa relação de cumplicidade, graças à interpretação despida de adornos das belíssimas canções compostas com Bernie Taupin que inventaram a Americana antes ainda do género ter esta denominação.

Na altura o álbum atingiu o n.º 11 do top de vendas de álbuns da Billboard. Elton foi, então, o primeiro artista desde os Beatles a ter quatro álbuns em simultâneo no top 100 da Billboard. Incidentalmente, as fotografias que aparecem na capa e contracapa do álbum foram tiradas no primeiro concerto de Elton John na América, no lendário Troubadour, em Los Angeles, uma atuação que ficou para a história.

Esta reedição acaba por ser o documento mais completo e fiel do que foi o concerto que Elton John deu em novembro de 1970 e que resultou no disco “17.11.70”, cujas gravações foram recentemente remasterizadas por Bob Ludwig para este lançamento no Record Store Day.

26
Mar17

70.º aniversário de Elton John e 50 anos da parceria com Bernie Taupin celebrados em Los Angeles

olhar para o mundo

elton.png

 

70.º aniversário de Elton John e 50 anos da parceria com Bernie Taupin celebrados em Los Angeles este sábado

Gala contará com a presença de convidados como Lady Gaga ou Rob Lowe, que será o anfitrião da noite

Este sábado o 70.º aniversário de Elton John e os 50 anos da parceria de escrita com Bernie Taupin serão celebrados com uma gala de angariação de fundos que vão reverter para a Elton John AIDS Foundation e para o Hammer Museum, na UCLA. A gala terá lugar nos Red Studios, em Los Angeles, e terá como mestre-de-cerimónias o ator Rob Lowe, sendo que vai ainda contar com atuações de Lady Gaga e de outros convidados surpresa.

 

Mantendo a sua dedicação à filantropia, Elton John está com grandes expetativas para a celebração do seu 70.º aniversário e da sua colaboração extraordinária com Bernie Taupin, com o objetivo de ajudar duas causas nobres que são duas das maiores dedicações da sua vida: acabar com a epidemia global do VIH/Sida e a arte, em todas as suas formas. Este evento vai assim angariar fundos que são muito necessários para ajudar a financiar as iniciativas levadas a cabo pela Elton John AIDS Foundation, bem como as exposições e programas apresentados pelo Hammer Museum, em Los Angeles.

Esta noite muito especial vai homenagear os feitos alcançados pelo músico, bem como a sua história de vida inigualável, que continua a encantar e a inspirar pessoas em todo o mundo. Elton John é um verdadeiro iconoclasta musical e cultural, com um percurso que fala por si mesmo. Já venceu mais de 250 milhões de discos em todo o mundo e teve 58 singles que atingiram o Billboard Top 40, nos EUA. Compôs a música para o musical “Billy Elliot: The Musical”, para “Aida” (colaboração de Elton John com Tim Rice), bem como para o fenómeno de animação da Disney “O Rei Leão”. Um músico de palco nato, Elton John deu mais de 3.500 concertos em mais de 80 países. Já recebeu 12 Ivor Novello Awards, 6 Grammys, 2 Brits, 1 Óscar e 1 Tony Award. Foi indicado para o Rock and Roll Hall of Fame e para o The Songwriters Hall of Fame e foi codecorado pela Rainha Isabell II de Inglaterra com a Ordem do Império Britânico. É um ativista e filantropo incansável, falando abertamente sobre as causas em que acredita. Elton John é uma lenda indisputável da cultura pop. O seu conhecimento e defenda de nova música tem ajudado muitos novos artistas a alcançar reconhecimento e sucesso. É um músico que está constantemente a seguir em frente, nunca ficando preso nos seus próprios feitos, nunca se tornando complacente, previsível ou aborrecido.

Da sua carreira com Bernie Taupin, Elton John diz simplesmente: “É o mesmo entusiasmo de quando começámos. O facto deste ano se assinalar o 50.º aniversário da minha parceria com Bernie Taupin é surpreendente porque parece que foi ontem que o conheci. É uma conquista incrível estar ao lado de uma pessoa durante 50 anos ao nível criativo, numa indústria onde isto raramente acontece.”

Sobre o seu 70.º aniversário, Elton John refere: “Estou sempre interessado em seguir em frente, com o que crio, com as minhas colaborações e também em descobrir o trabalho de outras pessoas. Acho que a idade é imaterial, desde que mantenhamos as nossas mentes vivas, mantemo-nos abertos a novas ideias. Posso ficar tão entusiasmado por um novo artista que toca para mim uma maquete como posso ficar pelo novo disco de um dos meus heróis musicais. Fico tão entusiasmado em tocar numa cidade onde nunca estive como a revisitar locais que conheço há muito e ver como é que mudaram. A vida é um estado de fluxo constante para todos nós e gosto de abraçar essa ideia. Fico também muito feliz por usar a minha posição em dar atenção para as injustiças que existem no mundo e tentar ajudar como posso. Nesta altura da minha vida sinto-me o mais feliz que alguma vez estive.” 

Bernie Taupin diz de Elton John: “Tem sido uma parceria pouco convencional e enquanto patenteámos a técnica de compor em duas salas separados, atrevo-me a dizer que deve ser difícil encontrar dois compositores que estejam mais em sintonia um com o outro e na sua arte.”

Para mais informações sobre Elton John consulte: www.eltonjohn.com

 

 

13
Jan17

“Elton John: The Cut supported by YouTube”

olhar para o mundo

eltonyoutube.jpg

 

Jeffrey Katzenberg, Melina Matsoukas e Barry Jenkins serão jurados da competição “Elton John: The Cut supported by YouTube”

Competição dá aos concorrentes a oportunidade de criarem vídeos oficiais para as canções “Bennie and the Jets”, “Rocket Man” e “Tiny Dancer”.

Três das mentes mais inovadoras da atualidade vão recorrer à sua perícia para selecionarem os três vencedores da competição “Elton John: The Cut supported by YouTube”, que dará a oportunidade de se criar vídeos oficiais para três das canções mais icónicas do cantor: “Bennie and the Jets”, “Rocket Man” e “Tiny Dancer”.

Jeffrey Katzenberg, CEO da DreamWorks Animation, a vencedora de um Grammy Award Melina Matsoukas e Barry Jenkins, argumentista e realizador do filme “Moonlight” (premiado com o Globo de Ouro para Melhor Filme de Drama) serão os jurados da competição que permite a novos criadores de todo o mundo a oportunidade única de recorrerem à sua visão criativa na realização de telediscos para estas músicas icónicas.

Os três vencedores serão selecionados juntamente com Elton John e o seu parceiro de escrita, Bernie Taupin, sendo que os vídeos escolhidos terão a sua estreia no YouTube durante o verão de 2017. As submissões estão oficialmente abertas ao público.

“Não consigo pensar numa melhor forma de começar este novo ano do que embarcar nesta nova aventura ao lado de Elton John, que traz uma enorme criatividade e inovação para o YouTube”, afirma Jeffrey Katzenberg, da DreamWorks Animation, que trabalhou pessoalmente com o músico quando Elton John compôs as canções da banda sonora do filme “O Rei Leão”.

Melina Matsoukas, realizadora de alguns dos telediscos mais influentes dos nossos dias, incluindo “Formation”, de Beyoncé, ou “We Found Love”, de Rihanna, acrescenta: “É um sonho poder fazer parte deste projeto, que dá esta grande possibilidade a realizadores emergentes e redefine a relação entre um artista tão icónico e os seus fãs através do vídeo.”

Barry Jenkins afirma: “Como um cineasta cujo primeiro filme foi feito através das ferramentas do-it-yourself do cinema digital, adoro esta democratização do processo de realização de filmes e plataformas como o YouTube permitem as pessoas contar histórias que nas gerações anteriores não eram possíveis de ser contadas. Espero encontrar nesta competição ideias que ultrapassem fronteiras e desafiem as expectativas.” 

“Artistas como eu têm de abraçar a tecnologia porque esse é o único caminho a seguir”, diz Elton John. “Uma das razões porque estamos a fazer este projeto com o YouTube é para encorajar jovens cineastas a criar ideias visuais para estas canções e isso dá-nos a oportunidade de partilhar estes temas com fãs mais jovens. Isto é muito entusiasmante porque nunca vimos vídeos para estas músicas.” 

Dada a sua participação no programa, será feito um donativo de 20 mil dólares por cada jurado a uma associação de beneficência da sua escolha. Jeffrey Katzenberg escolheu o Motion Picture and Television Fund e Barry Jenkins escolheu o African Heritage Cultural Arts Center. Melina Matsoukas irá anunciar mais tarde a sua escolha.

Os candidatos podem encontrar detalhes e pormenores de como participar nesta competição em https//thecut.eltonjohn.com/. Os vídeos que vão a concurso terão de respeitar determinados elementos artísticos para cada tema. O vídeo de “Rocket Man” terá de ser uma animação, o de “Tiny Dancer” terá de ser em live action e o de “Bennie and the Jets” terá de incluir uma coreografia. 

De forma a inspirar os candidatos, os criadores de YouTube Kurt Hugo Schneider, PES e Parris Goebel, responsáveis por fazer a primeira triagem de candidaturas e apresentar as suas escolhas ao painel final de jurados, juntaram as suas ideias para arrancar este projeto.

Veja o vídeo de PES, cineasta nomeado para os Óscares e Emmys, que criou uma animação para “Rocket Man”.

A competição termina a 23 de janeiro e está aberta a criadores de todo o mundo com mais de 16 anos, estando sujeita a condições locais. Para descobrir mais sobre “Elton John: The Cut”, apoiado pelo YouTube, e de como entrar no concurso, visite: www.eltonjohn.com/thecut.

26
Out15

Elton John anuncia novo álbum em fevereiro

olhar para o mundo

 

 


ELTON JOHN

Primeiro single, "Looking Up", já disponível para download com pré-venda do álbum



Elton John vai lançar o seu 33.º álbum de estúdio, "Wonderful Crazy Night", coproduzido pelo próprio músico com T-Bone Burnett, a 5 de fevereiro de 2016. "Looking Up", o primeiro avanço deste novo disco, já está disponível para download gratuito com a pré-venda do álbum, no iTunes.
 
"Looking Up" é o perfeito cartão-de-visita daquele que se espera que seja mais um álbum grandioso no percurso de Elton John, sendo esta uma canção que evoca alguns dos sucessos mais aplaudidos do músico britânico. "Looking Up" carrega também em si todo o entusiasmo e espírito criativo que segue Elton John de cada vez que chega a um estúdio de gravação. 
 
Nos últimos anos Elton John e T-Bone Burnett têm trabalhado juntos em vários projetos muito bem-sucedidos. É o caso do aclamado "The Diving Board", de 2013, que chegou ao top 5 de vendas no Reino Unido e nos EUA, ou "The Union", disco de colaboração entre Elton John e uma das suas primeiras inspirações, Leon Russell. 
 
Mas, acima de tudo, este novo "Wonderful Crazy Night" mantém firme a incrível e inesgotável parceria musical entre Elton John e Bernie Taupin. As dez novas canções escritas por John e Taupin representam os últimos frutos de uma amizade com quase 50 anos.
 
"Wonderful Crazy Night" assinala ainda a reunião de Elton John com outros parceiros de longa data. É o caso do baterista Nigel Olsson, com quem tem vindo a trabalhar desde finais dos anos 1960, ou o guitarrista Davey Johnstone, com quem tocou pela primeira vez em 1971, integrando um ano depois a banda de Elton John. Ainda assim, esta é a primeira vez que Olsson e Johnstone colaboram juntos com o músico britânico desde "The Captain & the Kid", de 2006. O novo álbum conta ainda com a participação do percussionista Ray Cooper em cinco canções, a quem se juntam o baixista Matt Bissonette, a teclista Kim Bullard e o percussionista John Mahon.
 
Outros dos destaques deste 33.º álbum de estúdio de Elton John passam por temas como "A Good Heart", "Tambourine" ou "The Open Chord". "Wonderful Crazy Night" prepara-se para ser mais um marco num catálogo discográfico que dificilmente encontra rivais. 

 

31
Jan14

Elton John «Goodbye Yellow Brick Road» reeditado a 24 de Março

olhar para o mundo

Elton John  «Goodbye Yellow Brick Road» reeditado a 24 de Março

 

Elton John

«Goodbye Yellow Brick Road»
reeditado a 24 de Março

Edições deluxe incluem versões de Ed Sheeran, Miguel, John Grant, Emeli Sandé entre outros


 

«Goodbye Yellow Brick Road», o inovador álbum apresentado, em 1973, por Elton John, foi remasterizado e vai conhecer nova vida, em CD, vinil, edição limitada em vinil amarelo e Box-Set, composta por CD com o registo de «Live At Hammersmith 1973», um DVD do filme de Bryan Forbes, «Elton John and Bernie Taupin Say Goodbye To Norma Jean and Other Things», de 1973, além de um livro de 100 páginas e capa dura, que revela fotografias raras, memorabilia e novos textos, entre os quais entrevistas com Elton John e Bernie Taupin. As edições Deluxe e  Box-Set incluem, ainda, uma colecção de versões novas de clássicos.

 

Foi este o álbum que criou uma verdadeira super-estrela. Foi a edição deste disco-duplo, «Goodbye Yellow Brick Road», que consagrou Elton John. Vendeu 31 milhões de exemplares. Nos EUA, o álbum passou oito semanas no nº1 e foi sete vezes Platina. É nele que se pode encontrar o maior sucesso de Elton John e do seu parceiro de escrita, Bernie Taupin: «Candle In The Wind». O disco foi, ainda, incluído na listagem da revista Rolling Stone dos 100 Melhores Álbuns de Todos Os Tempos.

 

O eterno legado de «Goodbye Yellow Brick Road» mantém-se e muitos são os novos artistas que têm vindo a referir a importância que o álbum teve nas suas carreiras. Por isso, nomes como o vencedor de um prémio BRIT, Ed Sheeran («Candle In The Wind»), a sensação do R&B, Miguel («Bennie And The Jets») ou a banda rock, Fall Out Boy («Saturday Night’s Alright For Fighting») acrescentam as suas próprias interpretações destes clássicos, num disco-extra, composto por versões sensacionais. Gravado sob a batuta do produtor Peter Asher, a contínua influência de Elton e Bernie, em cantores actuais de R&B, soul ou rock, só prova aquilo que todos já sabiam: o seu brilho nunca perdeu intensidade.

 

Saiba mais aqui.

18
Jul12

«DESPERDICEI A MINHA VIDA COM DROGAS», DIZ ELTON JOHN

olhar para o mundo

«DESPERDICEI A MINHA VIDA COM DROGAS», DIZ ELTON JOHN

Elton John lançou um livro de memórias onde recorda os tempos difíceis que atravessou com a dependência de drogas e o perigo do vírus da Sida. Em entrevista no programa «Today», da NBC, o músico britânico confessou que foi viciado em drogas durante os anos 1980.

«Desperdicei uma grande parte da minha vida, quando esta grande epidemia (Sida) começou a alastrar-se no início dos anos 1980. E eu era viciado em drogas e só pensava em mim próprio», revelou Elton John ao apresentador Matt Lauer.

O músico explicou que a morte de amigos, vítimas do HIV, o levou a tentar abstrair-se da crua realidade através do recurso a drogas.

Músico britânico lançou um livro de memórias e confessa que esteve viciado em drogas durante os anos 1980«Eu estava completamente consumido pela cocaína, pelo álcool, e sabe-se lá o que mais (...) Tinha amigos a morrerem à minha volta e, mesmo assim, eu não parava de viver assim. Essa é a pior parte do vício», contou.

Na entrevista ao «Today», Elton John falou ainda da «sorte» em ter ultrapassado essa fase mais sombria da sua vida sem ter sido contaminado com o vírus da Sida.

«Quando misturas drogas e bebidas alcoólicas, sentes que és invencível. Consegui sair disto sem apanhar o HIV, fui o homem mais sortudo do mundo», recordou.

Em união de facto com David Furnish desde 2005 e pai de uma criança de um ano e meio, Elton John é hoje em dia, aos 65 anos de idade, um homem bem diferente e que quer usar a sua própria história e experiência para alertar e consciencializar os jovens sobre o HIV.

«Love Is the Cure: On Life, Loss, and the End of AIDS» é o título do livro de memórias cujo valor das vendas reverterá a favor da Elton John AIDS Foundation.

«Estou a tentar compensar os meus erros. Mas ainda há muita coisa para fazer», disse. 

 

Noticia do Push

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub