Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

As Coisas da Cultura

Porque há sempre muito para ver e para contar

Porque há sempre muito para ver e para contar

As Coisas da Cultura

29
Nov13

Fernando Pessoa no Aeroporto de Lisboa

olhar para o mundo

Fernando Pessoa no Aeroporto de Lisboa


Fernando Pessoa no Aeroporto de Lisboa

Começou a 27 de Novembro, a exposição, na parte pública das chegadas do Aeroporto de Lisboa, que serve de comemoração aos 125 anos do nascimento de Fernando Pessoa.

 

No primeiro dia houve uma visita guiada, conduzida por Inês Pedrosa,directora da Casa Fernando Pessoa. Começou por explicar que é uma iniciativa inserida no programa “Ver, Ouvir e Degustar” e que pretende dar a conhecer o poeta e não deixar esta data importante passar despercebida.

 

A exposição começa por apresentar Fernando Pessoa, considerado o maior poeta português do século XX e um dos mais destacados criadores da literatura mundial. 


Desdobra-se em heterónimos, entre eles: Alberto Caeiro (poeta da natureza), Ricardo Reis (neoclassicista), Álvaro de Campos (futurista) e muitos outros com personalidades variadas. Destaca-se Bernardo Soares, que é considerado semi-heterónimo por ter uma personalidade muito idêntica à do próprio Fernando Pessoa.

 

Há na primeira parte da exposição fotos de Pessoa em várias fases da sua vida, em jeito de fotobiografia. Há uma foto dele com a mãe e a última foto sua tirada em vida, passando por outras de momentos da sua vida.

 

Têm ainda fotos de vários sítios que fizeram parte da vida do poeta, tantos sítios onde ele viveu, onde gostava de passar tempo, onde se inspirava… Mostram sítios conhecidos como o Mosteiro dos Jerónimos, Praça do Comércio, Rua da Prata, Cais Sodré, Rua Augusta, e outros.


Cada sitio está acompanhado de um poema que nos remete para o mesmo, e há ainda citações e frases da autoria de Pessoa. Toda a exposição foi pensada também para os turistas, e não só para os que desde logo estão familiarizados com as obras e vida do poeta. Por isso está traduzida em inglês.

 

Para os fãs de Fernando Pessoa aconselha-se ainda o III Congresso Internacional Fernando Pessoa que começa já no dia 28 e se prolonga até ao dia 30 de Novembro, em Lisboa. Estará patente até ao final de Janeiro, na zona de chegados do Aeroporto de Lisboa, pronta a ser visitada.


Retirado do HardMúsica

28
Nov13

Um vendaval de pensamentos no Teatro Aberto

olhar para o mundo
Um vendaval de pensamentos no Teatro Aberto
Em 2013 assinalam-se 125 anos sobre o nascimento de Fernando Pessoa. Para comemorar, a Casa Fernando Pessoa (CFP) desdobra-se em iniciativas. A começar pelo III Congresso Internacional de Pessoa que, esta quinta-feira, sexta e sábado, leva ao Teatro Aberto dezenas de especialistas na obra do autor de O Livro do Desassossego, portugueses e estrangeiros, e de diversos universos, desde académicos a escritores passando por tradutores, artistas plásticos e músicos.

Tudo porque, como esclarece ao SOL Inês Pedrosa, directora da CFP, este é um congresso dirigido a todos: “O que o singulariza é que, sendo denso, não é um congresso académico. A vocação da CFP é fazer um congresso que cruze todos os tipos de abordagens a Fernando Pessoa e que seja um ponto de encontro regular dos pessoanos, leitores ou aficcionados, com os especialistas nas mais diversas áreas. O nosso objectivo é tirar o Pessoa do pequeno núcleo da filologia, linguística ou análise textual e fazê-lo viver enquanto vendaval de pensamentos”.

 

Com Richard Zenith a fazer a conferência inaugural, ‘Livro do Desassossego: o romance possível (var.: impossível)’, pelo palco do Teatro Aberto vão passar muitos outros nomes, em diversos painéis: Eduardo Lourenço, José Paulo Cavalcanti Filho, Teresa Rita Lopes, Jerónimo Pizarro, Anna Klobucka, Luiz Ruffato e Ana Luísa Amaral são apenas alguns dos 40 conferencistas que irão debruçar-se sobre aspectos tão diversos como ‘O feminino em Fernando Pessoa’, ‘Fernando Pessoa e a cultura Árabe-Islâmica’ ou ‘Fernando Pessoa activista queer: uma releitura do Antinous’.

 

Além dos painéis, é possível assistir ao espectáculo musical dos Universus Ensemble, ao concerto de Mariano Deidda, que irá musicar a Mensagem e à leitura de Diogo Dória do Ultimatum, de Álvaro de Campos.

 

Será também editado um novo número da Revista Pessoa que, assegura Inês Pedrosa, a partir de agora se quer trimestral, e, além de conteúdos relacionados com o poeta, contará com textos sobre o que acontece na CFP. Neste número, por exemplo, poder-se-á ler a conferência dada por Christopher Hitchens em 2010 na CFP. E será apresentado o livro Os Objectos de Fernando Pessoa, (ed. D. Quixote), de Jéronimo Pizarro, Patricio Ferrari e Antonio Cardiello, o segundo volume da colecção Acervo da Casa Fernando Pessoa (em 2010, os mesmos autores editaram Biblioteca Particular de Fernando Pessoa), onde se dão a conhecer os objectos do poeta, desde a cómoda à cigarreira, passando pela cama e a máquina de escrever. Para 2015 está planeado um terceiro volume, com as artes plásticas que constituem o acervo da CFP, pouco conhecidas por não existir um museu.

 

‘Appessoa’


Mas há mais. Entre conferencistas e público, são muitos os estrangeiros que se deslocam a Lisboa nestes dias. E, para os receber, inaugurou-se já, no Aeroporto da Portela, a exposição ‘Lisboa em Pessoa’, sobre a vida e obra do escritor, com fragmentos da Lisboa do poeta, em desenhos e fotografias, na Praça Cilindro, junto às chegadas – assinada por Gilson Lopes e Gonçalo Cardoso. A mostra, que permite descarregar um mapa da Lisboa de Pessoa para smartphones, ficará patente até ao fim de Janeiro.

 

Por fim, acaba de inaugurar o restaurante da Casa Fernando Pessoa, Flagrante Delitro, que, aberto de manhã à noite, irá permitir aos visitantes um usufruto melhor da casa onde o poeta passou a última década da sua vida.

 

Retirado do Sol

20
Jun13

Tabacaria é o poema de Fernando Pessoa mais citado na Internet

olhar para o mundo

Tabacaria é o poema de Fernando Pessoa mais citado na Internet

Estudo das citações nas redes sociais mostra também que é o poeta português mais conhecido dentro e fora de Portugal

Tabacaria é o poema de Fernando Pessoa mais citado nas diferentes redes sociais, revela um estudo do Projecto Sapo Labs com a Universidade de Lisboa, hoje divulgado.

 

Fernando Pessoa, nascido há 125 anos, é, segundo o mesmo estudo, “o poeta português mais conhecido dentro e fora de Portugal, [e] é também provavelmente o mais citado”, lê-se no comunicado do portal Sapo. “Tabacaria é o poema mais citado, nomeadamente os versos ‘À parte isso, tenho em mim todos os sonhos do mundo’ e ‘Serei sempre o que esperou que lhe abrissem a porta ao pé de uma parede sem porta’”, lê-se na nota.

 

Esta pesquisa foi feita através do sítio O Mundo em Pessoa, que faz “a recolha automática de citações de Fernando Pessoa, ortónimo e heterónimos, a partir das redes sociais”, explica o mesmo comunicado.

 

Através deste sítio na Internet pretende-se “mostrar quais as frases e versos de Fernando Pessoa que mais inspiram os seus leitores de todo o mundo”, mas também “conduzir todos aqueles que usam as palavras de Pessoa até ao seu texto original, ampliando o número de leitores e o conhecimento da sua obra”, escreve o portal Sapo. Segundo a mesma fonte, “nos últimos sete dias foram recolhidas quase 500 citações”.

 

“Sempre que é citado um texto de Fernando Pessoa no Twitter ou em páginas públicas do Facebook, O Mundo em Pessoa identifica e mostra essa mensagem num interface próprio. Para saber se um texto é uma citação da obra de Fernando Pessoa, recorre-se a arquivos da obra do poeta disponíveisonline, com os quais são comparados os textos do post”, explica a mesma nota.

 

Também é possível “filtrar os resultados por heterónimo e aceder ao top de poemas mais citados nos últimos 30 dias”. Utilizando este critério, o poemaTabacaria, de Álvaro de Campos, heterónimo de Fernando Pessoa, foi o mais citado nas redes sociais no último mês. O segundo poema mais citado é da série O Guardador de Rebanhos, de Alberto Caeiro, outro heterónimo do autor de Mensagem.

 

O investigador e estudioso da obra de Fernando Pessoa Richard Zenith realçou recentemente à Lusa que grande parte do interesse em torno de Fernando Pessoa se deve ao facto de o poeta “ser muito mais nosso contemporâneo que a maioria dos escritores nascidos no século XIX”. O interesse pela obra de Pessoa tem a ver também com “a particularidade da sua visão do mundo, assim como a maneira de escrever que o aproxima do mosso tempo, e é significativo que grande parte da sua obra tenha sido conhecida na segunda metade do século XX e no actual”, acrescentou o investigador.

 

Fernando Pessoa (1888-1935) publicou poucos textos em vida, tendo a maior parte da sua obra sido publicada na segunda metade do século XX e actualmente continuam a surgir inéditos. O autor, além de produzir poesia – que assinava com o seu nome –, criou vários heterónimos, nomeadamente Álvaro de Campos, Ricardo Reis, Alberto Caeiro, Bernardo Soares, entre outros, que produziram variada poesia e prosa.

 

Retirado do Público

13
Jun13

Cascais lembra Fernando Pessoa na Semana do Município 2013

olhar para o mundo

 

Cascais lembra Fernando Pessoa na Semana do Município 2013

 


Cascais lembra Fernando Pessoa na Semana do Município 2013 

 

Na Semana do Município de Cascais a edilidade decidiu homenagear Fernando Pessoa lembrando os 125 anos passados sobre o nascimento do poeta. 


Deste modo será inaugurada pelas 19:00 no Museu Biblioteca Condes de Castro Guimarães a exposição “Gabinete Fernando Pessoa”que recorda a candidatura do poeta a “Conservador- bibliotecário” daquele equipamento municipal

 

Esta exposição recria o que teria sido o Gabinete Fernando Pessoa se por acaso tivesse sido dmitido no cargo para que se candidatara a 16 de Setembro de 1932.

 

Neste Gabinete encontram-se o certificado de habilitações da Universidade de Cape Town (África do Sul) e um ofício desta Universidade, de 20 de Fevereiro de 1904.

 

Entre os documentos do espólio de Fernando Pessoa estarão expostos cinco inéditos (projectos comerciais em Cascais, novela policial à volta de Aleister Crowley, entre outros) reunidos e transcritos por Claudia J. Fischer, Professora da Universidade de Lisboa, e Patricio Ferrari, investigador do Centro de Estudos Comparatistas da universidade de Lisboa e do Departamento de Inglês da Universidade de Estocolmo.

 

Também da biblioteca particular do poeta vão ser exibidas algumas imagens inéditas e ainda o recorte do jornal “O Século” de 01.09.1932, contendo anúncio de emprego para provimento do lugar de conservador-bibliotecário do Museu-Biblioteca Conde de Castro Guimarães, guardado por Fernando Pessoa entre os seus papéis.

 

Lembra-se ainda nesta exposição a ligação do Poeta a Cascais, dado que a família possuia uma casa em São João do estoril e do gosto que o poeta tinha pelo mar, e sobretudo pelo sossego que a paisagem lhe dava.


Relembrar-se-á, também, o episódio da Boca do Inferno, estranho encontro do poeta dos heterónimos com o mago britânico Aleister Crowley, ocorrido em 1930.

O poeta será ainda evocado, em Cascais, em vários momentos do dia 13, através da declamação de poemas no Centro Histórico da Vila entre as 15:00 e as 17:00, com a peça de teatro “Carta com Resposta”, às 18:00, no Teatro Gil Vicente, e ainda uma declamação de poesia pelas 21:30, desta vez na Praça 5 de Outubro, no âmbito do evento "Janelas com Pessoa".

 

Retirado de HardMúsica

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub