Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

As Coisas da Cultura

Porque há sempre muito para ver e para contar

Porque há sempre muito para ver e para contar

As Coisas da Cultura

30
Out17

Gregory Porter lança “Nat King Cole & Me” amanhã

olhar para o mundo

gregory.jpg

 

Gregory Porter lança “Nat King Cole & Me” amanhã

Oiça o tema “Smile” e veja aqui o trailer deste álbum de tributo a Nat King Cole

Esta sexta-feira o cantor, vencedor de dois Grammys, Gregory Porter lança o seu terceiro álbum pela Blue Note, “Nat King Cole & Me”, um tributo emotivo ao seu ídolo, o lendário cantor e pianista Nat King Cole. Com a ajuda de Vince Mendoza, arranjador que já venceu 6 Grammys, da London Studio Orchestra e de uma banda constituída pelo pianista Christian Sands, pelo contrabaixista Reuben Rogers e pelo baterista Ulysses Owens, Porter revisita alguns dos maiores clássicos de Cole, como “Mona Lisa”, “L-O-V-E”, “Nature Boy”, “The Christmas Song” ou “Smile”.

Para Gregory Porter, a influência de Nat King Cole na sua vida é muito profunda, fazendo parte das suas primeiras memórias de infância. “Ele era único. Deixou tanta música incrível, temas lindíssimos que se tornou impossível não ser influenciado pelo seu timbre extraordinário e pelo seu estilo”, Porter afirma. “É natural que vá às raízes da minha inspiração. E essas raízes seriam a minha mãe, a música gospel e Nat King Cole”.

 

Para Gregory Porter, a influência de Nat King Cole na sua vida é muito profunda, fazendo parte das suas primeiras memórias de infância. “Ele era único. Deixou tanta música incrível, temas lindíssimos que se tornou impossível não ser influenciado pelo seu timbre extraordinário e pelo seu estilo”, Porter afirma. “É natural que vá às raízes da minha inspiração. E essas raízes seriam a minha mãe, a música gospel e Nat King Cole”.

No início da carreira de Porter – depois do seu papel no musical “It Ain’t Nothin’ But the Blues”, nomeado para os Tony, mas antes de atingir aclamação crítica enquanto artista a solo – Poter dramatizou o seu profundo apreço por Cole num musical semiautobiográfico “Nat King Cole & Me”, que estreou em 2004.

 

“O musical foi a forma que encontrei de tentar chegar ao meu pai”, explica. “Escrevi-a depois do meu pai [Rufus Porter] ter morrido. O musical era do Nat King Cole; e metade da música eram composições originais minhas. Mas a história era sobre como cheguei à música de Nat devido à ausência do meu pai. Por isso, de certo modo, foi uma terapia e uma medicina emocional auto-prescrita e escrita por mim e para mim.”

O musical acaba por acompanhar “Nat King Cole & Me”, sucessor de “Liquid Spirit” (2013) e
Take Me To the Alley”, dois álbuns vencedores de Grammys que afirmaram Porter como uma superestrela global e um dos maiores cantautores jazz da sua geração.

“Comecei por selecionar as músicas como faço sempre, primeiro de uma forma muito emotiva", diz Porter. "Escolhi as músicas que ao longo dos anos foram significando algo para mim. Houve um período na faculdade, em que tive uma lesão no ombro e precisava de música para me acalmar. Nesse momento, acabei por voltar aos discos de Nat. Fiz o mesmo durante a morte da minha mãe. De certa forma, existe uma certa familiaridade na música de Nat. Gravar a música de Nat foi um processo muito pessoal porque era como se ouvisse e sentisse a minha mãe. E ainda sinto que estou à procura do meu pai.”

27
Set17

Gregory Porter - “L-O-V-E” é o novo single do emotivo álbum de tributo “Nat King Cole & Me”

olhar para o mundo

gregory porter.jpg

 

Gregory Porter

“L-O-V-E” é o novo single do emotivo álbum de tributo “Nat King Cole & Me”

Disco chega às lojas a 27 de outubro

O cantor Gregory Porter, vencedor de 2 Grammys, acaba de lançar “L-O-V-E”, o exuberante segundo single do seu próximo álbum de tributo “Nat King Cole & Me”, que será editado a 27 de outubro pela Blue Note Records. O tema conta com a voz inconfundível de Porter e um solo de trompete brilhante de Terence Blanchard, apoiado por uma secção rímica ágil composta pelo pianista Christian Sands, o contrabaixista Reuben Rogers e o baterista Ulysses Owens. A canção foi composta por Milt Gabler e Bert Kampbert e fez parte do álbum com o mesmo título de Cole, editado em 1965.

Kat King Cole & Me” é um tributo emotivo de Gregory Porter ao seu ídolo, o cantor e pianista lendário Nat King Cole. Com a ajuda do arranjador Vince Mendoza, vencedor de 6 Grammys, e da London Studio Orchestra, Porter revisita alguns dos clássicos mais célebres de Cole, como “Smile”, “L-O-V-E”, “Mona Lisa”, “Nature Boy” e “The Christmas Song”.

 

Para Gregory Porter, a influência de Nat King Cole na sua vida é muito profunda, fazendo parte das suas primeiras memórias de infância. “Ele era único. Deixou tanta música incrível, temas lindíssimos que se tornou impossível não ser influenciado pelo seu timbre extraordinário e pelo seu estilo”, Porter afirma. “É natural que vá às raízes da minha inspiração. E essas raízes seriam a minha mãe, a música gospel e Nat King Cole”.

No início da carreira de Porter – depois do seu papel no musical “It Ain’t Nothin’ But the Blues”, nomeado para os Tony, mas antes de atingir aclamação crítica enquanto artista a solo – Poter dramatizou o seu profundo apreço por Cole num musical semiautobiográfico “Nat King Cole & Me”, que estreou em 2004.

“O musical foi a forma que encontrei de tentar chegar ao meu pai”, explica. “Escrevi-a depois do meu pai [Rufus Porter] ter morrido. O musical era do Nat King Cole; e metade da música eram composições originais minhas. Mas a história era sobre como cheguei à música de Nat devido à ausência do meu pai. Por isso, de certo modo, foi uma terapia e uma medicina emocional auto-prescrita e escrita por mim e para mim.”

O musical acaba por acompanhar “Nat King Cole & Me”, sucessor de “Liquid Spirit” (2013) e “Take Me To the Alley”, dois álbuns vencedores de Grammys que afirmaram Porter como uma superestrela global e um dos maiores cantautores jazz da sua geração.

“Comecei por selecionar as músicas como faço sempre, primeiro de uma forma muito emotiva", diz Porter. "Escolhi as músicas que ao longo dos anos foram significando algo para mim. Houve um período na faculdade, em que tive uma lesão no ombro e precisava de música para me acalmar. Nesse momento, acabei por voltar aos discos de Nat. Fiz o mesmo durante a morte da minha mãe. De certa forma, existe uma certa familiaridade na música de Nat. Gravar a música de Nat foi um processo muito pessoal porque era como se ouvisse e sentisse a minha mãe. E ainda sinto que estou à procura do meu pai.”

10
Set17

Gregory Porter anuncia novo álbum, “Nat King Cole & Me”

olhar para o mundo

gregory.jpg

 

Gregory Porter anuncia novo álbum, “Nat King Cole & Me”, a 27 de outubro

“Smile”, o primeiro single do novo disco, já está disponível

Gregory Porter, vencedor de prémios Grammy, um dos mais sucedidos artistas de jazz da sua geração, está de volta com um novo álbum, “Nat King Cole & Me”, que será lançado a 27 de outubro. O disco é um tributo profundamente pessoal a Nat King Cole, o crooner lendário que despontou a Gregory o seu amor pela música. “É natural que vá às raízes da minha inspiração. E essas raízes seriam a minha mãe, a música gospel e Nat King Cole”, diz.

O novo álbum assinala também a primeira vez que Gregory gravou com uma orquestra completa, tendo o cantor se reunido recentemente com o maestro Vince Mendoza, vencedor de seis Grammys, num evento especial em Londres.

Gravado nos AIR Studios, em Londres, o álbum de 12 temas conta com os temas favoritos de Gregory Porter do repertório de King Cole, incluindo “Smile”, “L-O-V-E” e “Nature Boy”. O álbum inclui ainda um tema original de Gregory, “When Love Was King”, com um arranjo inspirado em Nat King Cole, lançado originalmente no seu platinado álbum “Liquid Spirit”.

 

Para Gregory Porter, a influência de Nat King Cole na sua vida é muito profunda, fazendo parte das suas primeiras memórias de infância, culminando agora com o lançamento do seu novo álbum, “Nat King Cole & Me”. Gregory explica: “Quando tinha cinco ou seis anos, a música de Nat preencheu um vazio que sentia. O meu pai não fazia parte da minha vida nem mostrava qualquer interesse em mim ou em criar-me. As palavras de Nat eram como lições de vida, palavras de sabedoria e conselhos paternais que precisava.”

Nat King Cole & Me” é o sucessor dos álbuns vencedores de Grammys “Liquid Spirit” (2013) e “Take Me to the Alley” (2016). “Liquid Spirit” fez com que Gregory passasse de ser o maior nome na cena jazz para um um dos mais populares cantores da atualidade. O talento de Gregory transcende géneros e chegou mesmo à música dança com o surpreendente êxito “Liquid Spirit Claptone Remix”, que se tornou num dos temas mais populares em Ibiza.

Depois de conquistar públicos com a sua voz soul, não pode existir melhor altura para Gregory regressar à música que o inspirou a se tornar num cantor. Sobre o legado e a influência de Nat, Gregory afirma: “Ele era único. Deixou tanta música incrível, temas lindíssimos que se tornou impossível não ser influenciado pelo seu timbre extraordinário e pelo seu estilo.”

11
Out16

Gregory Porter lança “Live In Berlin”

olhar para o mundo

gregory porte.jpg

 

Gregory Porter lança “Live In Berlin” em DVD a 18 de novembro

Concerto estará disponível em DVD, Blu-ray, DVD 2CD e formato digital

A 18 de novembro Gregory Porter vai lançar “Live In Berlin”, filme-concerto que capta o espetáculo fenomenal que o cantor deu na Philharmonie Berlin, no passado dia 18 de maio, e durante o qual interpretou algumas das suas canções mais emblemáticas, nomeadamente “Holding On”, “Liquid Spirit”, “Hey Laura”, “Take Me To The Alley”, “Be Good (Lion’s Song)”, “Water Under Bridges”, “1969 What?” ou “Don’t Lose Your Steam”. “Live In Berlin” estará disponível em vários formatos: DVD, Blu-ray, DVD 2CD e digital.

 

Desde o seu álbum de estreia, “Water”, editado em 2010, que o cantor e compositor Gregory Porter tem revelado uma força artística que já é plenamente reconhecida. O seu cruzamento muito pessoal de jazz com gospel, blues e soul tem conquistado admiradores em todo o mundo, particularmente desde o lançamento do seu terceiro álbum de estúdio, “Liquid Spirit” (2013), distinguido nos Grammys, mas também com o seu mais recente disco, “Take Me To The Alley”.

 

Além do concerto, durante o qual atravessa várias fases do seu percurso, em “Live In Berlin” Gregory Porter revela-nos outras novidades, também gravadas em Berlim, nomeadamente uma entrevista com o cantor e os membros da sua banda sobre as suas histórias e influências e como funcionam enquanto grupo. No concerto de “Live In Berlin” Gregory Porterestá acompanhado de Chip Crawford, Jahmal Nichols, Emanuel Harrold e Tivon Pennicott. 

Com um cenário minimalista e um simples jogo de luzes, o foco deste espetáculo está na voz sublime de Gregory Porter. “Live In Berlin” é uma verdadeira preciosidade para qualquer admirador de Gregory Porter.

 

 

 
07
Out13

Gregory Porter estreia-se em Portugal esta semana

olhar para o mundo

Gregory Porter


Gregory Porter estreia-se em Portugal esta semana

Concertos no dia 9 Outubro no CCB e dia 11 na Casa da Música. Encontro dia 9 de Outubro na Fnac do Chiado.

 

Gregory Porter estreia-se em Portugal dia 9 Outubro, no Grande Auditório do CCB, e dia 11 de Outubro na Sala Suggia da Casa da Música. Também no dia 9 de Outubro, o norte-americano marca presença na Fnac do Chiado, pelas 15h30, para uma conversa com João Moreira dos Santos (autor do programa «Jazz a Dois» / Antena 2).


Esta é uma oportunidade única para conhecer ao vivo o “rei” do Jazz contemporâneo e “Liquid Spirit”, o mais recente álbum do músico norte-americano. Dono de uma extraordinária presença em palco, Gregory Porter já é comparado com Joe Williams, Nat King Cole, Donny Hathaway e Marvin Gaye.


Melhor que ninguém, Gregory Porter funde o universo do jazz e da soul. Sincero e desarmante performer, possui um groove que nunca desvanece. Dono de uma das vozes mais cativantes na música de hoje, Porter canta com a alma transmitindo emoção e intelecto com a sua voz. Os altos e baixos do romance, a infância e o mundo que o rodeia são algumas das temáticas abordadas em “Liquid Spirit”.


Os bilhetes já se encontram à venda nos locais habituais e o preço varia entre os 18€ e os 35€.


Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D