Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

As Coisas da Cultura

Porque há sempre muito para ver e para contar

Porque há sempre muito para ver e para contar

As Coisas da Cultura

02
Jun17

IndieLisboa continua por todo o país

olhar para o mundo

indie.jpg

 

IndieLisboa continua por todo o país

Após a realização do 14.º Festival Internacional de Cinema Independente, em Lisboa, o IndieLisboa continua com diversas extensões em diversas cidades portuguesas, para já, em Junho e Julho, nas cidades de Famalicão, Vila Franca de Xira, Faro, Ílhavo e Leiria.

No dia 1 de Junho, é exibido Golden Exits, de Alex Ross Perry, na Casa das Artes de Famalicão (Cineclube de Joane).

Nos dias 2, 3 e 4 de Junho, o IndieLisboa chega a Vila Franca de Xira, no Museu do Neo-Realismo, com a exibição de três longas metragens: Arábia, de Affonso Uchôa e João Dumans (Prémio Especial do Júri Canais TVCine & Séries), Viejo Calavera, de Kiro Russo (Grande Prémio de Longa Metragem Cidade de Lisboa) e Museum Hours, do Herói Independente, Jem Cohen. Há ainda uma sessão IndieJúnior, com seis curtas metragens dedicadas a um público com idades a partir dos 6 anos: Grande Booom (Big Booom), de Marat Narimanov, Na Gaiola (La Cage), de Loic Bruyère, O Despertar (Prebúdzac), de Filip Diviak, O Homem de Bolso (Le petit bonhomme de poche), de Ana Chubinidze, Doninha (Podlasica), de Timon Leder e Príncipe Ki Ki Do: O Chá (Princ Ki Ki Do: Skodelica Caja), de Grega Mastnak.

Faro recebe a extensão do festival no dia 6 de Junho, no Teatro das Figuras, onde os filmes são Golden Exits, de Alex Ross Perry e Viejo Calavera, de Kiro Russo (Grande Prémio de Longa Metragem Cidade de Lisboa). Os espectadores mais novos têm também a oportunidade de ir ao festival com a sessão IndieJúnior +3 anos com 10 pequenos filmes: O Cão e o Passarinho (Buzka i dziobek zimowy turniej), de Maciej Pestka, O Trenó (The Sled), de Olesya Shchukina, Faça Chuva ou Faça Sol (Rain or Shine), de Felix Massie, O Pequenito Concerto (Piccolo concerto), de Ceylan Beyoglu, Marte 3752 (Mars 3752), de Nicolas Bianco-Levrin, A Casa (Domek), de Veronika Zacharová, Lobo (Wolf), de Julia Ocker, O Deserto (Sabaku), de Marlies van der Wel, A Vida de Coati (About Coati), de Aleksandra Slepchuk e Silêncio! Pela Saúde do Pedro (Ruhe. Zumdonnerwetternocheinmal!), de Kai Pannen.


Nos dias 25, 26 e 26 de Junho cabe a Ílhavo receber os filmes vencedores do IndieLisboa 2017. A abertura desta extensão do festival, organizada pela Associação 23 Milhas, acontece dia 25, com Viejo Calavera, de Kiro Russo (Grande Prémio de Longa Metragem Cidade de Lisboa). No segundo dia (26 de Junho), às 14h00, é exibida a sessão IndieJúnior para maiores de 6 anos e, às 21h30, apresentamos Arábia, de Affonso Uchôa e João Dumans (Prémio Especial do Júri Canais TVCine & Séries). O encerramento dá-se com um bloco de curtas metragens vencedoras da competição nacional e internacional, às 21h30, de dia 27, com Antão, o Invisível, de Maya Kosa e Sérgio da Costa (Prémio Árvore da Vida), Os Corpos que Pensam, de Catherine Boutaud (Prémio Walla Collective para Melhor Filme da Secção Novíssimos), Wiezi (Close Ties), de Zofia Kowalewska (Grande Prémio de Curta Metragem), The Hollow Coin, de Frank Heath (Prémio Melhor Documentário – Curta Metragem) e Find Fix Finish, de Mila Zhluktenko e Sylvain Cruiziat (Prémio Amnistia Internacional).


Finalmente, dia 11 de Julho, apresentamos, em Leiria, no Teatro Miguel Franco, Golden Exits, de Alex Ross Perry.

Em breve, serão anunciadas mais datas e cidades que irão receber o melhor do cinema independente.

O IndieLisboa é organizado pela IndieLisboa - Associação Cultural, com o apoio financeiro do Ministério da Cultura/ICA - Instituto do Cinema e do Audiovisual, da CML - Câmara Municipal de Lisboa, do Programa Creative Europe da União Europeia e da Allianz; em co-produção com a Culturgest e o Cinema São Jorge e em parceria estratégica com a EGEAC - Empresa de Gestão de Equipamentos e Animação Cultural, EEM.

25
Mai17

Balanço do IndieLisboa

olhar para o mundo

indie.jpg

 

 

Mais de 28 mil espectadores em sala

O IndieLisboa 2017 by Allianz recebeu 28.274 espectadores em salaForam mostrados 296 filmes em 244 sessões, entre elas, algumas esgotadas. O festival terminou no dia 17 de Maio, com a exibição dos filmes premiados no Cinema Ideal.

Além do público que assistiu às sessões, verificou-se uma forte adesão aos workshops, ateliês, festa do Bairro IndieJúnior, LisbonTalks (seis debates sobre temas em torno do cinema), LisbonScreenings e eventos IndiebyNight, atraindo cerca de 7000 participantes, o que significa um total de mais de 35 mil pessoas ao longo de quase duas semanas.

Foram ainda transmitidos em streaming e Facebook Live diversos momentos chave do festival, como a conferência de imprensa, as cerimónias de abertura e de encerramento e as LisbonTalks, cativando o público online, num total de 17.797 visualizações. A App IndieLisboa foi descarregada por 1196 utilizadores.

É de salientar o sucesso das homenagens a Jem Cohen e a Paul Vecchiali, bem como o foco no trabalho de Katja Patschke e Gusztav Hámos. A estreia do festival no Cineteatro Capitólio/Teatro Raul Solnado foi também uma aposta ganha, com quase mil pessoas a comparecerem nas sessões de cinema ao ar livre.

O festival - que teve lugar no Cinema São Jorge, na Culturgest, no Cinemateca Portuguesa, no Cinema Ideal e no Cineteatro Capitólio/Teatro Raul Solnado - viaja agora pelo país com uma selecção de filmes integrados na programação de 2017. As primeiras extensões IndieLisboa realizam-se em Vila Nova de Famalicão (1 de Junho, na Casa das Artes de Famalicão), Vila Franca de Xira (2, 3 e 4 de Junho, no Museu do Neo-Realismo), Faro (6 de Junho, no Teatro das Figuras), entre outras a anunciar posteriormente.

O IndieLisboa é organizado pela IndieLisboa - Associação Cultural, com o apoio financeiro do Ministério da Cultura/ICA - Instituto do Cinema e do Audiovisual, da CML - Câmara Municipal de Lisboa, do Programa Creative Europe da União Europeia e da Allianz; em co-produção com a Culturgest e o Cinema São Jorge e em parceria estratégica com a EGEAC - Empresa de Gestão de Equipamentos e Animação Cultural, EEM.

14
Mai17

Já são conhecidos os vencedores do IndieLisboa 2017

olhar para o mundo
indielisboa.jpg
 
Já são conhecidos os vencedores do IndieLisboa 2017

O realizador boliviano Kiro Russo volta a ser premiado no IndieLisboa com Viejo Calavera, que vence o Grande Prémio de Longa Metragem Cidade de Lisboa. O júri da competição internacional galardoou ainda Arábia, de Affonso Uchôa e João Dumans, com o Prémio Especial do Júri Canais TVCine & Séries. O Prémio Allianz – Ingreme para Melhor Longa Metragem Portuguesa foi entregue a Encontro Silencioso, de Miguel Clara Vasconcelos e o Prémio Ingreme para Melhor Curta Metragem Portuguesa foi atribuído a Miragem Meus Putos, de Diogo Baldaia. O Grande Prémio de Curta Metragem foi entregue a Wiezi/Close Ties, de Zofia Kowalewska.
Palmarés IndieLisboa 2017
 
Júri Competição Internacional
Giona A. Nazzaro | Manuel Mozos | Paz Lázaro
 
Grande Prémio de Longa Metragem Cidade de Lisboa
Viejo Calavera, Kiro Russo (Bolívia, Qatar)

Prémio Especial do Júri Canais TVCine & Séries
Arábia, Affonso Uchôa, João Dumans (Brasil)
 

Júri da Competição Internacional de Curtas Metragens
Filipe Abranches | Katja Pratschke | Richard Raskin

Grande Prémio de Curta Metragem
Wiesi/Close Ties, Zofia Kowalewska (Polónia)

Melhor Animação –  Curta Metragem (Patrocínio: Turismo de Macau)
489 Years, Hayoun Kwon (França)

Melhor Documentário –  Curta Metragem (Patrocínio: Turismo de Macau)
The Hollow Coin, Frank Heath (EUA)

Melhor  Ficção –  Curta Metragem (Patrocínio: Turismo de Macau)
Le film de l’été, Emmanuel Marre (França, Bélgica)
 

Júri da Competição Nacional
Antoine Barraud | Maike Mia Höhne | Paulo Bertolín

Prémio Allianz – Ingreme para Melhor Longa Metragem Portuguesa
Encontro Silencioso, Miguel Clara Vasconcelos (Portugal)

Prémio Ingreme para Melhor Curta Metragem Portuguesa
Miragem Meus Putos, Diogo Baldaia (Portugal)

Prémio Novo Talento FCSH/Nova – Curta Metragem
Flores, Jorge Jácome (Portugal)

Prémio Walla Collective para Melhor Filme da Secção Novíssimos
Os Corpos que Pensam, Catherine Boutaud (França, Portugal)
 

IndieMusic
Joana Sá  | Mário Valente | Tó Trips
 
Prémio Indiemusic Schweppes
Tony Conrad: Completely in the Present, Tyler Hubby (EUA, Reino Unido)


Júri Árvore da Vida
Inês Gil | Paulo Pires Alves

Prémio Árvore da Vida
Ex-aequo:
Antão, o Invisível, Maya Kosa, Sérgio da Costa (Suíça, Portugal)
Num Globo de Neve, André Gil Mata (Portugal)


Júri Amnistia Internacional
Fernanda Câncio | Filipa Santos | Joana Gorjão Henriques

Prémio Amnistia Internacional
Find Fix Finish, Mila Zhluktenko, Sylvain Cruiziat (Alemanha)


Júri Universidades
Leonor Sousa  | Rafael Afonso | Teresa Vieira

Prémio Universidades
El mar la mar, Joshua Bonnetta, J.P. Sniadecki (EUA)

Júri Escolas
Débora Mogueiro | Inês Proença | Teresa Oliveira

Prémio Escolas
Le fol espoir/Wild Hope, Audrey Bauduin (França)


Júri do Público

Prémio do Público Longa Metragem
Venus, Lea Glob, Mette Carla Albrechtsen (Dinamarca, Noruega)

Prémio do Público Curta Metragem Crocs
Scris/Nescris, Adrian Silisteanu (Roménia)

Prémio do Público IndieJúnior Escolas DoctorGummy
Bichinhos do Lixo/Litterbugs, Peter Staney-Ward (Reino Unido)

Prémio do Público IndieJunior Famílias Trina
O Trenó/The Sled, Olesya Shchukina (Rússia)
O IndieLisboa 2017 by Allianz é organizado pela IndieLisboa - Associação Cultural, com o apoio financeiro do Ministério da Cultura/ICA - Instituto do Cinema e do Audiovisual, da CML - Câmara Municipal de Lisboa, do Programa Creative Europe da União Europeia, da Acción Cultural Española (AC/E) através do Programa para a Internacionalização da Cultura Espanhola (PICE) e da Allianz; em co-produção com a Culturgest e o Cinema São Jorge e em parceria estratégica com a EGEAC - Empresa de Gestão de Equipamentos e Animação Cultural, EEM.
11
Mai17

De Frank Zappa a Stuart Staples, de Grave a Uma Memória em Três Atos no IndieLisboa

olhar para o mundo

zappa.jpg

 

O que há para ver ainda no IndieLisboa

De Frank Zappa a Stuart Staples, de Grave a Uma Memória em Três Atos

 
 

Estreia esta quarta, dia 10 de Maio, pelas 21h30, aquela que é a primeira aventura de Stuart Staples (vocalista dos Tindersticks) na realização. Minute Bodies: The Intimate World of F. Percy Smith é uma experiência imersiva que homenageia o trabalho do grande pioneiro do microcinema: F. Percy Smith. Com banda sonora dos próprios Tindersticks, o filme apresenta um olhar completamente novo sobre uma obra, até agora, esquecida. Stuart Staples estará presente na sessão para uma conversa com o público.

O Cinema São Jorge recebe, esta quinta dia 11 de Maio às 19h00, Eat That Question - Frank Zappa in his own words, um documentário único que reúne filmagens inéditas do cantor. Recorrendo a entrevistas e material de arquivo, este filme oferece uma visão próxima sobre a imagem pública e privada de um dos mais influentes músicos dos últimos 40 anos, olhando o seu contributo na construção de pontes entre o rock, o jazz e a música clássica. Também agendada para dia 11 pelas 21h45, no Cinema São Jorge, a única passagem em sala de Grave, um dos mais recentes fenómenos do terror francês. Acompanhando a espiral descendente de uma vegetariana rumo ao canibalismo, o filme tem provocado indisposição e vómitos a membros do público. Uma metáfora sobre a passagem à idade adulta, o conformismo e o sexo.

No fim-de-semana, o IndieLisboa encerra com a mostra de dois importantes olhares sobre a sociedade e a história. A estreia em sala de I Am Not Your Negro (Domingo, 14 de Maio, 21h30), de Raoul Peck, e da primeira longa metragem do realizador moçambicano Inadelso Cossa (Sábado, 13 de Maio às 18h00 no Cinema São Jorge e Domingo 14 às 21h45 na Culturgest). Uma Memória em Três Atos é um documentário que olha o passado colonial português pelos olhos dos moçambicanos. Promovendo o encontro entre ex-presos políticos e os espaços de reclusão, o filme é um exercício de memória obrigatório sobre as histórias daqueles que se viram silenciados pelo regime.

 
O IndieLisboa 2017 by Allianz é organizado pela IndieLisboa - Associação Cultural, com o apoio financeiro do Ministério da Cultura/ICA - Instituto do Cinema e do Audiovisual, da CML - Câmara Municipal de Lisboa, do Programa Creative Europe da União Europeia, da Acción Cultural Española (AC/E) através do Programa para a Internacionalização da Cultura Espanhola (PICE) e da Allianz; em co-produção com a Culturgest e o Cinema São Jorge e em parceria estratégica com a EGEAC - Empresa de Gestão de Equipamentos e Animação Cultural, EEM.
09
Mai17

IndieLisboa - Destaques na segunda semana de festival

olhar para o mundo

indie.jpg

 

 

No arranque da segunda semana de IndieLisboa, deixamos alguns dos destaques dos filmes e actividades que ocuparão os vários espaços do festival.

Inevitável começo pelas retrospectivas de Jem Cohen e Paul Vecchiali com encontros com os realizadores agendados para o próximo dia 9 de Maio e 10 de Maio respectivamente. A marcha em torno das obras dos dois realizadores homenageados na secção Herói Independente integra uma conversa com os próprios. Dia 9 de Maio, no Cinema São Jorge, o americano Jem Cohen falará da sua obra e Paul Vecchiali, no dia seguinte na Cinemateca, sobre as várias facetas da sua filmografia.

No dia 10 de Maio às 21h30 na Cinemateca Portuguesa, Stuart Staples apresenta aquela que é única exibição de Minute Bodies: The Intimate World of F. Percy Smith. Também a arrancar esta semana o foco Silvestre, centrado no trabalho de Gusztáv Hámos e Katja Pratschke, cineastas, estudiosos e curadores, cujo trabalho recente se tem centrado nas explorações do fotofilme. A par das exibições a acontecerem a partir de segunda, dia 8 de Maio, o IndieLisboa organizará ainda uma conversa com a dupla na sexta, 12 Maio, pelas18h00 no Cinema São Jorge, sob o tema: O Fotofilme – As relações entre o Cinema e a fotografia.

No avançar da Competição Internacional, destaque às sessões que contarão com a presença dos realizadores. Em Lisboa estarão Affonso Uchôa (Arábia), Eduardo Williams (El Auge del Humano), Simon Gillard (Boli Bana), Kiro Russo (Viejo Calavera) e Ashley McKenzie (Werewolf).
 

O IndieLisboa 2017 by Allianz é organizado pela IndieLisboa - Associação Cultural, com o apoio financeiro do Ministério da Cultura/ICA - Instituto do Cinema e do Audiovisual, da CML - Câmara Municipal de Lisboa, do Programa Creative Europe da União Europeia, da Acción Cultural Española (AC/E) através do Programa para a Internacionalização da Cultura Espanhola (PICE) e da Allianz; em co-produção com a Culturgest e o Cinema São Jorge e em parceria estratégica com a EGEAC - Empresa de Gestão de Equipamentos e Animação Cultural, EEM.

05
Mai17

IndieLisboa - Paul Vecchiali, Jem Cohen, Vitaly Mansky e Stuart Staples em Lisboa

olhar para o mundo

indielisboa.jpg

Paul Vecchiali, Jem Cohen, Vitaly Mansky e Stuart Staples em Lisboa

 
 

Arranca hoje a décima quarta edição do IndieLisboa que, até dia 14 de Maio, trará até às principais salas de Lisboa um total de 296 filmes, na sua maioria em exibição única no território nacional.

O dia de abertura do festival tem início às 15h30, com a exibição, na Cinemateca Portuguesa - Museu do Cinema, de Femmes femmes, de Paul Vecchiali, um dos heróis deste ano. Este dia é ainda marcado pela ante-estreia de Colo, o novo filme de Teresa Villaverde, às 21h00, na cerimónia de abertura do festival, no Cinema São Jorge. Destaque ainda à exibição da nova longa metragem de Alex Ross Perry, Golden Exits, uma comédia neurótica à la Woody Allen feita de intelectuais opinativos e crises de meia-idade. Uma refrescante e divertida tapeçaria nova-iorquina, com as interpretações de Emily Browning, Mary-Louise Parker, Jason Schwartzman e Chloë Sevigny.

Acompanhando as retrospectivas que lhes são dedicadas, Jem Cohen e Paul Vecchiali marcam presença em Lisboa não só para nos apresentarem os seus filmes, mas também para dois encontros integrados no programa de debates do festival - LisbonTalks - a terem lugar a 9 de Maio no Cinema São Jorge e a 11 de Maio na Cinemateca Portuguesa, respectivamente.

Vitaly Mansky, um dos documentaristas russos mais aclamados por todo o mundo, regressa ao IndieLisboa, depois de, em 2014, ter apresentado Truba. Nascido na Ucrânia, Mansky regressa ao seu país de origem, de modo a explorar as consequências dos protestos de 2013 na Maidan, a Praça da Independência. O realizador visita vários dos seus familiares, que tanto vivem em Odessa como na zona separatista de Donbass e na Crimeia, a zona ocupada pela Rússia. Rodnye (Close Relations) retrata uma família dividida por um conflito fundeado na história secular dos dois países. Para ver a 3 e 5 de Maio no Pequeno Auditório da Culturgest, às 19h15 e 16h30, respectivamente. O realizador estará na sessão de dia 5.

Destacamos ainda a presença em Lisboa de Gusztáv Hámos e Katja Pratschke, homenageados na Secção Silvestre pelo trabalho em torno do fotofilme, Stuart A. Staples (Tindersticks) para a apresentação do seu filme dedicado ao trabalho de F. Percy Smith, Kiro Russo, Eduardo Williams, Damien Manivel, entre outros convidados.

Os realizadores portugueses estarão presentes nas sessões dos seus filmes, para partilhar a sua experiência com o público.

Programa: www.indielisboa.com/program
Presskit: www.indielisboa.com/presskit
Material dos Filmes: www.indielisboa.com/filmstills

28
Abr17

IndieLisboa - Venham até nós os amantes da diversão e do horror

olhar para o mundo

horror.jpg

 

 

Venham até nós os amantes da diversão e do horror

Maratona da Boca do Inferno ocupa o Cinema Ideal durante sete horas

SÁBADO, 6 MAIO, 23H00 ÀS 6H00, CINEMA IDEAL

 

 

A maratona nocturna da Boca do Inferno regressa com filmes que prometem desassossegar todas as almas puritanas. A partir das 23h00 de Sábado, dia 6 de Maio, e durante toda a madrugada são várias as dicas úteis para anotar: como fazer locução de filmes pornográficos (Le Plombier), como disfarçar instintos homicidas (Callback), como lidar com as orgias satânicas dos vizinhos (Saatanan kanit), como comer carne humana (Grave), como amar um morto-vivo (Happy Anniversary), como viver com um grande volume entre as pernas (Halko), como usar uma besta (The Robbery) ou como fazer um strip que deixa tudo à vista (Visa allt). Venham a nós, fãs de Christopher Lloyd (Regresso ao Futuro) e de experiências limite para ver I Am Not a Serial Killer.

A secção dedicada aos filmes que marcham, sem medo, à beira do precipício, apresentará ainda uma sessão composta por curtas metragens e cinco outras longas metragens, para além das integradas na Maratona: as desventuras de Sean e as suas experiências com a alquimia satânica em mais um filme sobre personagens psicóticas de Joel Potrykus (The Alchemist Cookbook); a Free Fire, um Reservoir Dogs do nosso século assinado por Ben Wheatley; ao slasher sanguinolento sobre uma mãe que obedece aos desejos macabros e psico´ticos do seu feto (Prevenge); à libertação sexual de uma russa de meia-idade (Zoology) e aos confrontos geracionais e familiares gerados pela violência e angústia da adolescência (Home).

A programação completa pode ser consultada em www.indielisboa.com.

 

Maratona Boca do Inferno: Filmes

LE PLOMBIER

M. Fortunat-Rossi, X. Se´ron, 14’

HALKO

Teemu Nikki, 7’

DON’T TELL MOM

Sawako Kabuki, 3’

THE ROBBERY

Jim Cummings, 10’

CALLBACK

Carles Torras, 83'

AMEN

M. Viens, P. Lupien, 9’

STEVEN GOES TO THE PARK

Claudia Corte´s Espejo, 6’

DO NO HARM

Roseanne Liang, 12’

I AM NOT A SERIAL KILLER

Billy O'Brien, 104'

HAPPY ANNIVERSARY

Mark Kuczewski, 6’

HAPPY END

Jan Saska, 6’

VISA ALLT

Lasse Persson, 2’

SAATANAN KANIT

Teemu Niukkanen, 17’

GRAVE

Julia Ducournau, 98'

 

 

19
Abr17

IndieLisboa - Curtas da secção Silvestre reorganizadas

olhar para o mundo

Nesta edição do IndieLisboa, a secção Silvestre - Curtas Metragens tem alterações na organização dos seus programas. Como forma de garantir mais atenção para os filmes seleccionados, o IndieLisboa vai dividir as sessões por temas e géneros.

Haverá, assim, um programa dedicado à animação, um radar para as melhores curtas vistas ao longo do ano, mas que por diversos critérios não puderam integrar a competição internacional. Os dois programas dedicados ao documentário vão abordar a política nos nossos dias e as obsessões de vários cineastas em torno do seu trabalho (Jan Soldat, Johan Grimonprez, Lucille Chaufour e Mark Rappaport).

Os dois programas de ficção conjugarão autores consagrados com estreantes: a dupla Valérie Mréjen/Bertrand Schefer escolhe dois actores de referência de Paul Vecchiali: Jacques Nolot e Pascal Cervo, trabalhando um filme que poderia ser obra do seu mentor. Tom Shoval (em competição no IndieLisboa com Justification) volta ao festival com uma curta que acompanha uma mulher em permanente deambulação. O filipino Carlo Francisco Manatad, o brasileiro Gustavo Vinagre e o espanhol Chema Garcia Ibarra estreiam-se no IndieLisboa depois da sua obra ter sido apresentada em múltiplos festivais de cinema.

Um último programa da Silvestre, a ser apresentado na Cinemateca Portuguesa - Museu do Cinema, apresentará os últimos trabalhos de realizadores consagrados no cinema experimental: Bertrand Mandico, Robert Todd, Robert Cambrinus e Friedl Von Groml, conhecida fotógrafa e companheira de sempre de Peter Kubelka, entre outros.

A programação da secção dedicada à mostra de obras que sejam demonstrativas da singularidade da visão de jovens e consagrados cineastas apresentará ainda as novas obras de Alex Ross Perry (Golden Exits), Matías Piñeiro (Hermia & Helena), Radu Jude (Inimi Cicatrizate), Vitaly Mansky (Rodnye (Close Relations) ) e Michael Glawogger (Untitled). O foco Silvestre estará na dupla Gusztáv Hámos e Katja Pratschke, realizadores e curadores que têm dedicado o seu trabalho à exploração do fotofilme e das múltiplas relações entre a imagem, fotografia e cinema.

 

Longas Metragens

A Cidade do Futuro/The City of the Future , Cláudio Marques, Marí´lia Hughes, (Brasil, fic., 2016)

Belinda, Marie Dumora (França, doc., 2017)

City of the Sun, Rati Oneli, Geórgia, (EUA, Qatar, Holanda, doc., 2017)

Der traumhafte Weg/The Dreamed Path , Angela Schanelec (Alemanha, fic., 2016)

Elon Não Acredita na Morte/ Elon Doesn’t Believe in Death , Ricardo Alves Jr, (Brasil, fic., 2016)

Fra balkongen/From the Balcony , Ole Giæver (Noruega, fic., 2017)

Golden Exits, Alex Ross Perry (EUA, fic., 2017)

Hermia & Helena, Matías Piñeiro (EUA, Argentina, fic., 2016)

Inimi cicatrizate/Scarred Hearts, Radu Jude (Roménia, Alemanha, fic., 2016)

Le Parc/The Park, Damien Manivel (França, fic., 2016)

Lumie`res d’e´te´/Summer Lights , Jean-Gabriel Périot (França, fic., 2016)

Mister Universo, Tizza Covi, Rainer Frimmel (A´ustria, Itália, fic., 2016)

Rodnye (Close Relations), Vitaly Mansky (Letónia, Alemanha, Estónia, Ucrânia, doc., 2016)

Untitled, Michael Glawogger, Monika Willi (Áustria, Alemanha, doc., 2017)

Venus, Lea Glob, Mette Carla Albrechtsen (Dinamarca, Noruega, doc., 2016) 

 

Silvestre – Curtas: On Politics

Borders, Damjan Kozole (Eslovénia)

Corps, Benjamin d'Aoust (Bélgica)

Green Screen Gringo, Douwe Dijkstra (Holanda)

Jokinen, Laura Horelli (Finlândia)

Nunca é Noite no Mapa, Ernesto Carvalho (Brasil)

 

Silvestre – Curtas: Animation Spotlight

Anatomy, Patrik Eklund (Suécia)

Batfish Soup, Amanda Bonaiut (EUA)

Books on Books, Lei Lei (China)

Les animaux domestiques, Jean Lecointre (França)

Löss, Yi Zhao (Bélgica)

Penelope, Heta Jäälinoja (Estónia)

Six God Alphabet, Peter Millard (Reino Unido) 

 

Silvestre – Curtas: Obsessions

115 DB, Lucile Chaufour (França)

Protocols, Jan Soldat (Alemanha)

Raymond Tallis | On Tickling, Johan Grimonprez (Bélgica)

Serguei / Sir Gay, Mark Rappaport (França)

 

Silvestre – Curtas: Fiction I

Enfant Chéri, Valérie Mréjen e Bertrand Schefer (França)

Gallo Rojo, Zamo Mkhwanazi e Alejandro Fadel (África do Sul)

La Disco Resplandece, Chema García Ibarra (Espanha)

Les incapables, Roxanne Gaucherand (Bélgica)

Justification, Tom Shoval (Israel)

Youth, Shanti Masud (França)

 

Silvestre – Curtas: Fiction II

Les Incapables, Roxanne Gaucherand (Bélgica)

Fatima Marie Torres and the Invasion of Space Shuttle Pinas 25, Carlo Francisco Manatad (Filipinas)

Os Cuidados que se tem com o Cuidado que os Outros Devem ter Consigo Mesmos, Gustavo Vinagre (Brasil)

When you love, Süheyla Schwenk (Alemanha) 

 

Silvestre – Curtas: Autores

A Dad, Robert Cambrinus (Áustria)

Atelier d'expression, Friedl Von Groml (Áustria)

Colombi, Luca Ferri (Itália)

Depressive Cop, Mandico Bertrand (França)

Phases of Noon, Robert Todd (USA)

Stampede – eine gestempelte Geschichte vom Zirkus, Franz Winzentsen e Tobias Sandberger (Alemanha)

Stella 50.4N1.5E, Elsa Brés (França)

 

 

O IndieLisboa 2017 by Allianz é organizado pela IndieLisboa - Associação Cultural, com o apoio financeiro do Ministério da Cultura/ICA - Instituto do Cinema e do Audiovisual, da CML - Câmara Municipal de Lisboa, do Programa Creative Europe da União Europeia e da Allianz; em co-produção com a Culturgest e o Cinema São Jorge e em parceria estratégica com a EGEAC - Empresa de Gestão de Equipamentos e Animação Cultural, EEM.

24
Mar17

Oasis e Sleaford Mods revistos na secção IndieMusic do IndieLisboa

olhar para o mundo

sleaford.jpg

 

 

Oasis e Sleaford Mods revistos na secção IndieMusic

Supersonic e Bunch of Kunst estreiam em Portugal em Maio

 

Supersonic, o documentário que retrata a carreira dos Oasis, terá a sua primeira e única exibição nacional em sala no IndieLisboa em Maio. Integrado na secção IndieMusic, o filme conta a história da ascensão fulgurante dos Oasis, desde os exercícios iniciais até ao mítico concerto em Knebworth. Através do olhar de Mat Whitecross, o documentário reúne testemunhos da banda, seus familiares e todos aqueles que acompanharam o percurso do colectivo, assim como vídeos raros dos bastidores Supersonic foi produzido por Asif Kapadia e James Gay-Rees, que venceram o Óscar de Melhor Documentário com Amy, sobre a cantora Amy Winehouse, em 2016.

O Guardian descreveu-os como a “mais irritada banda britânica da actualidade” e Iggy Pop fala deles como “a maior banda de rock dos nossos tempos”. Em cinco anos, os Sleaford Mods assumiram-se como uma presença inquestionável nos tops de edições e uma das caras mais visíveis da atitude DiY do post-punk. Em Bunch of Kunst cristaliza-se a forma como o grupo tomou de assalto o mercado musical, num olhar próximo sobre a relação entre o vocalista Jason Williamson (antigo operário fabril), Andrew Fearn e o seu manager e editor Steve Underwood. Realizado por Christine Franz, o documentário estreia-se em Maio no IndieLisboa 2017 by Allianz, meses antes da passagem dos Sleaford Mods no NOS Primavera Sound e poucos tempo depois do lançamento de English Tapas, editado este mês, a 3 de Março.

 

IndieLisboa com mais uma sala: nove sessões do IndieMusic no Capitólio

Nove sessões da programação do IndieMusic serão exibidas no terraço do Cineteatro Capitólio/Teatro Raul Solnado. Adiciona-se, assim, mais um espaço nobre à lista de parcerias do IndieLisboa, para além dos já habituais Cinema São Jorge, Culturgest, Cinemateca Portuguesa – Museu do Cinema e Cinema Ideal. Considerado uma das obras de referência da arquitectura modernista em Portugal, o Cineteatro Capitólio/Teatro Raul Solnado está integrado no Parque Mayer e foi inaugurado na recta final de 2016, depois de sete anos de interregno por razões de reabilitação. As sessões de cinema ao ar livre do IndieMusic terão o apoio da cerveja MUSA, que habitará o terraço do Capitólio com um bar e várias opções de cerveja artesanal para acompanhar os filmes.

 

Stuart Staples em Lisboa

O universo da música será também focado na secção Director's Cut, com a exibição de Minute Bodies: The Intimate World of F. Percy Smith, realizado por Stuart Staples, vocalista dos Tindersticks. Partindo de imagens de arquivo F. Percy Smith e tirando partido da experiência musical de Stuart, o filme constrói uma narrativa silenciosa que abre espaço a novas leituras sobre o trabalho original do pioneiro documentarista britânico. O filme conta com banda sonora original dos próprios Tindersticks, em colaboração com Thomas Belhom e Christine Ott. O realizador Stuart Staples estará em Lisboa para apresentar a estreia do filme.

A programação da secção IndieMusic e do festival será divulgada em breve. O IndieLisboa decorre de 3 a 14 de Maio. Os bilhetes estarão à venda a partir de 19 de Abril.

 

O IndieLisboa 2017 by Allianz é organizado pela IndieLisboa - Associação Cultural, com o apoio financeiro do Ministério da Cultura/ICA - Instituto do Cinema e do Audiovisual, da CML - Câmara Municipal de Lisboa, do Programa Creative Europe da União Europeia e da Allianz Portugal; em co-produção com a Culturgest e o Cinema São Jorge e em parceria estratégica com a EGEAC - Empresa de Gestão de Equipamentos e Animação Cultural, EEM.

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub