Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

As Coisas da Cultura

Porque há sempre muito para ver e para contar

Porque há sempre muito para ver e para contar

As Coisas da Cultura

01
Fev13

Jesualdo Ferreira diz que já arrumou a casa

olhar para o mundo

Jesualdo Ferreira diz que já arrumou a casa

O técnico dos "leões" refere que há quem queira desarrumar aquilo que ele já fez.
O treinador da equipa de futebol do Sporting, Jesualdo Ferreira, afirmou nesta sexta-feira que, quanto maior for a guerra, mais difícil é construir coisas positivas, referindo que veio para o clube com o objectivo de “arrumar a casa”.“Quanto maior for a guerra e o desentendimento, mais difícil é construir alguma coisa positiva. Tudo o que vier a acontecer no futuro vai perturbar o nosso trabalho e a minha missão é impedir que isso aconteça”, disse, em conferência de imprensa.O técnico explicou que não tem receio de que o seu trabalho possa ser deitado por terra no futuro, com a actual situação do clube, afirmando que está no Sporting para “arrumar a casa”.“O meu feeling é positivo e só seria diferente se não tivesse investido tudo neste trabalho. Investi tudo neste trabalho.
Vai ter responsabilidades quem desarrumar a casa; eu vou arrumar. Foi essa a ideia e o objectivo com que vim para o Sporting”, afirmou.O técnico referiu que quando chegou ao Sporting tinha como projecto a reestruturação financeira do clube e a redefinição da estratégia do futebol do Sporting. “Os jogadores que estão aqui constituem a base do trabalho actual e do trabalho futuro. Vamos dizer que está a casa arrumada.
A equipa não é menos competitiva e vamos à procura de potencializar os jogadores e de tornar a equipa mais competitiva e de ganhar jogos”, salientou. Jesualdo Ferreira referiu que, após as saídas e entradas no mercado de Janeiro, o Sporting ficou com 16 jogadores na equipa profissional, mais três guarda-redes, e que depois tem vários jogadores da área da formação que trabalham com o grupo, como Dier, Arias, Pedro Mendes ou o Zezinho. “Neste momento, sabemos quem é o plantel, quais são os objectivos, de chegar à Europa, e tornar a equipa mais competitiva, preparando de forma segura os próximos meses e as bases da próxima época”, defendeu.
Jesualdo Ferreira disse ainda que a contratação de um ou dois avançados era um objectivo, referindo que, além dos jogadores que saíram, houve outros que ficaram e tiveram propostas.“Tínhamos vários jogadores referenciados. É fácil dizer que não se foi a tempo ou houve incompetência, mas a verdade é que temos que andar de acordo com o mercado. Não é verdade que a proposta foi tarde para o Paulo Henrique”, disse.Sobre o jogo com o Rio Ave, em Vila do Conde, Jesualdo Ferreira elogiou o técnico adversário, Nuno Espírito Santo, mas defende que o Sporting vai à procura dos três pontos.

“Está a fazer um trabalho fantástico. Nuno é uma pessoa de quem gosto muito e ganhámos coisas juntos. Agora é adversário e merece a equipa que tem pelo trabalho desenvolvido. Vai querer ganhar ao Sporting e merece a posição onde está, mas que nós queremos conquistar essa posição e é um jogo que queremos ganhar”, concluiu.  
Retirado do Público
28
Jan13

Sporting empata em casa

olhar para o mundo

Sporting empata em casa

“Leões” cedem empate em Alvalade frente ao Vitória. Wolfswinkel marcou de calcanhar, mas o golo do holandês foi insuficiente para evitar que a equipa de Jesualdo Ferreira perdesse os seus primeiros pontos.

 

O Sporting de Jesualdo Ferreira já não tem o pleno de vitórias. Depois de três triunfos consecutivos, os “leões” cederam neste domingo um empate em Alvalade (1-1), frente ao Vitória de Guimarães, em jogo da 16.ª jornada da I Liga. Os vimaranenses ainda estiveram em vantagem, mas Wolfswinkel fez o empate com um toque de calcanhar. Com este empate, a classificação de ambas as equipas ficou inalterada: o Vitória mantém-se no sexto lugar, enquanto o Sporting continua em oitavo.

 

Mesmo limitado pelas ausências de muitos jogadores, desde cedo ficou claro que este Vitória não vinha a Alvalade ser apenas espectador de mais um capítulo da retoma do Sporting. Com um trio de “rejeitados” da Academia “leonina” no ataque (Baldé, Ricardo e Marco Matias), mais uma base de jogadores muito jovens e pouco experientes, a formação vimaranense não entrou à defesa e exigia enorme atenção à defesa sportinguista. Em qualquer outra altura da época, o Sporting ter-se-ia deixado dominar, sofreria a pressão do adversário e só acordaria quando fosse demasiado tarde. Mas a verdade é que, com Jesualdo no banco, a equipa mudou.

Esta atitude activa dos “leões” podia ter dado frutos aos 19’, numa arrancada de André Carrillo pelo flanco direito que Freire não conseguiu acompanhar. O peruano foi correndo com a bola colada aos pés, chegou à área do Vitória e disparou um remate que acabaria por acertar com estrondo no poste. Dois minutos depois, foi Xandão quem teve o golo nos pés, mas o seu remate foi fraco e permitiu a defesa fácil de Douglas. Os golos não chegavam, mas o Sporting jogava bem frente a uma das melhores equipas desta Liga, que, durante quase toda a primeira parte, pouco conseguiu sair do seu meio-campo.

 

Foi só aos 44’ que o Vitória esteve realmente perto de incomodar Rui Patrício, numa jogada de contra-ataque conduzida por Ricardo permitindo a defesa do guarda-redes “leonino” no momento do remate.

 

Os últimos instantes da primeira parte trouxeram uma contrariedade a Jesualdo Ferreira. Boulahrouz cai no relvado após um sprint e já não voltaria do balneário. No seu lugar, mais um da formação “leonina”, o central Pedro Mendes, que até ontem tinha mais minutos pela equipa principal do Real Madrid que pela do Sporting.

 

Tal como acontecera no início do jogo, o Vitória voltou a entrar bem e, desta vez, conseguiu estender esse domínio por mais uns minutos, o suficiente para ter duas jogadas de perigo em que Matias e Tiago Rodrigues estiveram perto do golo.

 

Aos 53’, os vimaranenses fizeram funcionar o marcadar. Baldé tem espaço na área do Sporting, consegue fazer o cabeceamento e Xandão confirma a trajectória da bola na direcção da baliza do Sporting.

 

Há um mês, os “leões” teriam ficado a remoer a má sorte, os assobios teriam enchido Alvalade e os jogadores ficariam todos de braços caídos. Mas esta equipa está mesmo diferente e a reacção não durou nem um minuto. Na jogada seguinte, Miguel Lopes fez o cruzamento e Ricky van Wolfswinkel voltou a marcar um golo de calcanhar, tal como havia feito frente à Lazio na Liga Europa da temporada passada. Era o dia de anos do avançado holandês e ele ofereceu a ele próprio e aos adeptos um belo golo.

 

Ainda faltava mais de meia-hora e o Sporting continuou a carregar. Jesualdo arriscou com Viola e Jeffren, Rui Vitória fez a equipa recuar. Os “leões” queriam mesmo continuar a retoma, mas os jovens vimaranense não deixaram e até reclamaram de um lance na área “leonina” com Ricardo a ser derrubado — Carlos Xistra mandou seguir, mas os protestos eram legítimos. Já nos descontos, Wolfswinkel teve na cabeça o golo do triunfo de novo a cruzamento de Miguel Lopes, mas a bola saiu por cima. Tal como tantas outras vezes esta época, o Sporting voltou a não vencer, mas desta vez não se ouviram assobios.

 

Retirado do Público

13
Jan13

Jesualdo com dedinho na segunda vitória do Sporting

olhar para o mundo

Jesualdo com dedinho na segunda vitória do Sporting

Quase nove meses depois, os “leões” voltaram a conseguir vencer um jogo fora de Alvalade. Labyad e Adrien marcaram os golos dos “verdes e brancos”.

 

O que é que uma equipa, em crise profunda, mais podia desejar num estádio onde não conseguia vencer há 38 anos? Marcar no primeiro remate à baliza. Após a inócua, mas moralizadora, vitória frente ao Paços de Ferreira para a Taça da Liga, o Sporting conseguiu um importante triunfo em Olhão, por 2-0, e afastou-se um pouco dos lugares de despromoção. O marroquino Labyad marcou e foi o homem do jogo. Jesualdo Ferreira continua 100% vitorioso.

 

Tal como tinha acontecido frente ao Paços de Ferreira, Jesualdo montou uma equipa de tracção ofensiva, com um jogador a actuar bem perto de Wolswinkel. No entanto, desta vez, não foi Jeffren que actuou nas costas do holandês. Jesualdo preferiu colocar o hispano-venezuelano num flanco e dar a titularidade a Labyad. O marroquino, que tem sido nas últimas semanas apontado como possível reforço do FC Porto, jogou a “10”, a posição que mais gosta, e mostrou que pode fazer a diferença nesta formação “leonina”. Destaque também para a titularidade de Miguel Lopes. O internacional português, que chegou há um par de dias a Alvalade envolvido no negócio da transferência de Izmailov para o FC Porto, realizou uma exibição segura.

Ao contrário do que já era habitual neste Sporting 2012-13, os jogadores “leoninos” entraram em campo com uma postura de equipa “grande”. Sem medo, os “leões” rapidamente empurraram o Olhanense para o seu meio-campo e, aos 3’, saiu o jackpot aos “verdes e brancos”: Labyad, com muita classe, rematou em arco, de fora da área, não dando hipóteses de defesa a Rafael Bracali. No primeiro remate à baliza do Olhanense, o Sporting colocava-se na frente o marcador e, depois da vitória frente ao Paços de Ferreira alcançada nos últimos segundos, os jogadores “leoninos” recebiam mais uma preciosa injecção de moral.

 

Do lado dos algarvios, à semelhança do que acontecia com Jesualdo, Manuel Cajuda realizava o segundo jogo como treinador do Olhanense, após estrear-se a meio da semana com um empate sem golos frente ao Moreirense, para a Taça da Liga. Para além do revés de sofrer um golo logo nos instantes iniciais, Cajuda tinha uma mão-cheia de indisponíveis (Luís Filipe, Maurício, Ivanildo, David Silva, Djaniny e Babanco) e teve que abdicar do internacional sub-21 Nuno Reis, emprestado ao Olhanense pelo Sporting.

 

O técnico olhanense, no seu estilo habitual, tinha afirmado na antevisão do jogo que a sua equipa era favorita e lembrou que é dos treinadores no activo com mais vitórias frente ao Sporting, mas os algarvios nunca mostraram argumentos para derrotar esta transfigurada equipa lisboeta.

Em vantagem muito cedo, o Sporting, com Labyad e Adrien a assumirem papel de destaque, realizou uma primeira parte agradável, mas após o golo apenas voltou a assustar Bracali aos 44’, num remate de Insúa. Já Rui Patrício, apenas aos 41’, num remate de Evandro, teve oportunidade para se mostrar.

 

A segunda parte não foi muito diferente. Os “leões” voltaram a entrar com um ritmo forte e, aos 55’, fizeram o xeque-mate aos algarvios: Labyad, sempre ele, iniciou a jogada e entregou a bola para Adrien que rematou. A bola desviou em André Micael e acabou no fundo da baliza de Bracali.

Depois, com os níveis de confiança em cima, o Sporting controlou a meia hora final de forma tranquila perante um Olhanense demasiado fragilizado. No final, para além dos importantíssimos três pontos, os “leões” deixaram o Algarve com uma vitória que pode ser o tónico que a equipa “leonina” tanto precisava para acabar a época de forma digna e chegar aos lugares “europeus”.

 

Noticia do Público

08
Jan13

Jesualdo explica porque assumiu o risco de treinar o Sporting

olhar para o mundo

 

Foi

 

Jesualdo Ferreira vai voltar a sentar-se no banco de suplentes como treinador 


Jesualdo Ferreira explicou nesta terça-feira os motivos que o levaram a aceitar o cargo de treinador do Sporting. Recusou a ideia de ter assaltado o lugar, reafirmou o objectivo do clube de lutar por uma classificação europeia e alertou a oposição a Godinho Lopes das consequências gravosas que as suas atitudes podem vir a ter para o clube. O novo treinador do Sporting assumiu que chega ao clube para "ajudar numa missão que não é fácil". Jesualdo Ferreira explicou que a decisão de despedir Franky Vercauteren foi tomada por Godinho Lopes porque "as coisas não estavam a correr bem" e a seguir fez questão de sublinhar que a sua passagem a treinador da equipa de futebol não foi um assalto.

"Quando disse que vinha para o Sporting como treinador, as pessoas acharam que estava à espera de assaltar o lugar. Nunca aceitaria uma posição em que estivesse à espera de assaltar o lugar", insistiu.

Jesualdo Ferreira mostrou-se ainda consciente das dificuldades que vai enfrentar, mas confessou que não poderia virar as costas ao desafio que Godinho Lopes lhe propôs. "Sei exactamente que é um risco, mas, face ao momento que o Sporting vive actualmente, devia assumir as responsabilidades", afirmou.

Falar ao ego dos jogadores

O mais recente técnico dos sportinguistas explicou um pouco a forma como pretende fazer a equipa mudar a forma de estar em campo. Apelar ao brio dos jogadores é o caminho: "[Os jogadores] Necessitam de uma injecção de confiança. O nosso trabalho não é mais do que reunir os jogadores que temos e levá-los a entender o que é jogar num clube grande. Que entendam o que significa para o Sporting estar com 12 pontos e um acima da linha de água. Vamos falar ao ego dos jogadores. Todos eles estão a perder muito. São internacionais, alguns têm uma ligação prolongada com o clube..."

Até ao final da época, a meta da formação "leonina" é chegar a um lugar que lhe dê acesso à provas da UEFA. "O objectivo é o apuramento europeu. Temos que pôr objectivos. Com 17 jogos para jogar, o nosso objectivo é chegar ao espaço das competições europeias", assumiu Jesualdo, que se mostrou muito satisfeito com o ingresso de Miguel Lopes, jogador que chega ao Sporting após a cedência de Marat Izmailov ao FC Porto: "Quando cheguei ao Sporting, o negócio já estava em andamento, mas acho bom que esse tipo de negócios aconteça. Estou muito contente por o Miguel Lopes vir porque é um jogador que conheço e que pode ajudar o Sporting. O Izmailov esteve no Sporting cinco épocas e meia e o seu rendimento do Sporting não foi uniforme", analisou.

Sobre outros jogadores, Jesualdo Ferreira confirmou que os "leões" estão a tentar negociar a saída de Elias, mas negou a contratação do guarda-redes Ventura, jogador do FC Porto: "Ventura não é jogador do Sporting, pois não?", questionou de forma retórica.

Apostar na equipa B

Confirmando a continuidade de Oceano na equipa técnica, Jesualdo Ferreira mostrou que o futuro, pelo menos o imediato, passa pelo aproveitamento dos jogadores que actuam na equipa B "leonina". "Estamos atentos a tudo o que são as preocupações financeiras do Sporting. A equipa B do Sporting é considerada um patamar muito importante do seu futebol profissional. Pretendemos que o plantel do Sporting não se alargue de forma a que o espaço dos que estão em formação seja aberto. Queremos um plantel mais reduzido e que a qualidade seja superior. Não temos mais provas a não ser o campeonato. Por isso, tem que haver uma política diferente para ajustar a uma nova realidade", declarou.

Indirecta para críticos de Godinho Lopes

Quanto à hipótese de Godinho Lopes vir a perder a presidência do Sporting, na sequência de umas novas eleições (processo que muitos sportinguistas defendem), Jesualdo Ferreira preferiu deixar no ar um aviso à navegação. "Com este clima de guerra é difícil construir alguma coisa positiva. Não é essa a via se realmente gostam do Sporting. Vou pôr-me à parte disso e vou fazer apenas o meu trabalho, mas qualquer atitude irreflectida pode causar danos irreparáveis. Não estou a dar recado nenhum, mas pode haver danos irreparáveis se algumas coisas não forem corrigidas", alertou. E deixou mesmo um vaticínio: "Se isso [a saída de Godinho Lopes] acontecer, é mais uma pedrada no futuro do Sporting".

E Jesualdo ainda fez questão de enaltecer a capacidade de coragem e a capacidade de trabalho de Godinho Lopes, revelando que "esta guerra à volta dele e a tentativa de o colocar em situação negativa só o torna mais forte".

No final, houve ainda tempo para assumir que "o actual plantel do Sporting, face aos recursos do Benfica e FC Porto, não tem nível para discutir o título", para agradecer os elogios de Jorge Jesus (que à tarde disse que Jesualdo Ferreira é o treinador que melhor desempenha o 4x3x3 – "tocaram-me as palavras de Jorge Jesus") e para explicar que irá aproveitar o jogo, frente ao Paços de Ferreira, na quarta-feira, da Taça da Liga, para melhorar o rendimento da equipa, garantindo que os jogadores vão fazer tudo para ganhar.
Retirado do Público
17
Dez12

Sportingo Já encontrou o próximo treinador.. só falta despedir o actual

olhar para o mundo

Godinho Lopes escolheu Jesualdo para “treinador de todas as equipas”

O presidente do Sporting anunciou a contratação do ex-treinador para coordenar o futebol “leonino” e diz que o plantel vai ser reestruturado.

 

A notícia já andava a circular há alguns dias e Godinho Lopes confirmou-a neste domingo. Jesualdo Ferreira vai ser o novo gestor do futebol do Sporting. “Treinador de todas as equipas”, foi como o presidente “leonino” descreveu em entrevista à RTP Informação as funções de Jesualdo Ferreira, que estava sem emprego desde Novembro passado, depois de ter saído do Panathinaikos. É o regresso ao futebol português do experiente treinador de 66 anos, depois de ter abandonado em 2010 o FC Porto, onde foi três vezes campeão nacional.

 

 “Depois de um período de reorganização interna que era fundamental, entendemos que Jesualdo Ferreira era a pessoa certa pela experiência no futebol português e futebol internacional”, afirmou Godinho Lopes, admitindo que também tinha falado com José Couceiro para assumir as mesmas funções, numa altura em que Jesualdo ainda era treinador do Panathinaikos. Godinho Lopes refere que a acção do manager será transversal a todas as equipas e que Jesualdo irá ter “influência em todas as questões do futebol”, caracterizando a possibilidade de Jesualdo assumir o cargo de treinador no futuro como “futurologia”.

Segundo Godinho Lopes, Jesualdo irá ter influência na reestruturação do plantel “leonino” que irá acontecer em Janeiro, na reabertura do mercado de transferências. Sem falar em nomes, e sem confirmar negociações com o FC Porto por Izmailov, o líder sportinguista frisou que as mudanças da equipa vão obedecer a critérios desportivos e financeiros. “Com a situação actual, não faz sentido o Sporting ter a equipa que tem hoje. Vai ter de haver retrocessos. Já está definido o que vai acontecer com a equipa”, frisou o presidente.

O presidente do Sporting rejeitou, mais uma vez, a ideia de eleições antecipadas no clube, ele que foi eleito em Março de 2011. “Isso não faz sentido. Sou uma pessoa determinada. Propus um trabalho de três anos. No primeiro, aproximámos os adeptos do clube e no segundo ano apostamos numa reestruturação para criar sustentabilidade. Não estou satisfeito com a prestação da equipa e, não deitando a toalha ao chão, entendo que deveria verificar o que tinha de ser alterado”, observou Godinho Lopes, revelando que, quando chegou ao clube, havia outros jogadores que queriam sair do Sporting. “Os sportinguistas estão cansados de mudanças sucessivas”, reforçou.

 

Retirado do Público

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub