Sábado, 18.01.14

Curta-metragem do português Daniel Sousa nomeada para os Óscares

Curta-metragem do português Daniel Sousa nomeada para os Óscares
O filme de animação "Feral", de Daniel Sousa, realizador português nascido em Cabo Verde, está nomeado para o Óscar de melhor curta-metragem de animação, anunciou hoje a Academia de Cinema dos Estados Unidos.

"Feral" conta a história de um menino selvagem, uma criança que se tenta adaptar à civilização, depois de ter sido encontrada num bosque, onde cresceu.

 

Este é o sexto filme de Daniel Sousa e soma mais de uma dezena de prémios entre os cerca de quarenta festivais de cinema onde foi exibido, nomeadamente o de Annecy (França), onde recebeu três distinções em 2013.

 

No Cinanima 2012, em Espinho, conquistou o prémio RTP2 "Onda Curta".

 

Daniel Sousa nasceu em Cabo Verde em 1974, cresceu em Portugal e em 1986 mudou-se com a família para os Estados Unidos, onde vive.

 

O realizador, que integra o colectivo Handcranked Films Projects, formou-se na Rhode Island School of Design, onde atualmente dá aulas, depois de já ter leccionado na Universidade de Harvard ou no Art Institute de Boston.

 

A cerimónia dos Óscares está marcada para 02 de março, em Los Angeles (Califórnia), com apresentação de Ellen DeGeneres.

 

Retirado do Sol

publicado por olhar para o mundo às 10:05 | link do post | comentar
Quinta-feira, 16.01.14

Filmes nomeados para os Óscares

Filmes nomeados para os Óscares
'
Gravidade' (na foto) e 'Golpada Americana' lideram a corrida, com 10 nomeações cada
Já são conhecidos os nomeados para a 86ª edição dos Óscares, os grandes prémios da Academia de cinema de Hollywood. A cerimónia de nomeações decorreu esta manhã em Los Angeles, apresentada por Ellen DeGeneres.

Veja a lista dos nomeados nas principais categorias:

 

Melhor filme:

 

Golpada Americana

Nebraska

Captain Phillips

Dallas Buyers Club

Gravidade

O Lobo de Wall Street

Her

12 Anos Escravo

Philomena

 

Melhor actor:

Christian Bale, Golpada Americana

Chiwetel Ejiofor, 12 Anos Escravo

Bruce Dern, Nebraska

Leonardo DiCaprio, O Lobo de Wall Street

Matthew McConaughey, O Clube de Dallas

 

Melhor actriz:

Amy Adams, Golpada Americana

Cate Blanchett, Jasmim Azul

Judi Dench, Philomena

Sandra Bullock, Gravidade

Meryl Streep, August: Osage County

 

Melhor actor secundário:

Barkhad Abdi - Captain Phillips

Bradley Cooper - Golpada Americana

Michael Fassbender - 12 Anos Escravo

Jonah Hill - O Lobo de Wall Street

Jared Leto- O Clube de Dallas

 

Melhor actriz secundária:

Sally Hawkins - Jasmim Azul

Jennifer Lawrence - Golpada Americana

Lupita Nyong'o - 12 Anos Escravo

Julia Roberts - August: Osage County

June Squibb - Nebraska

 

Melhor realização:

David O. Russell - Golpada americana

Alfonso Cuarón - Gravidade

Alexander Payne - Nebraska

Steve McQueen - 12 anos escravo

Martin Scorsese - O lobo de Wall Street

 

Melhor argumento adaptado:

Antes da meia-noite

Capitão Phillips

Philomena

12 anos escravo

O lobo de Wall Street

 

Melhor argumento original:

Golpada americana

Blue Jasmine

O clube Dallas

Her

Nebraska

 

Melhor filme estrangeiro (de língua não inglesa):

A caça (Dinamarca)

Omar (Palestina)

The missing picture (Cambodja)

La grande bellezza (Itália)

The broken circle breakdown (Bélgica)

 

Melhor filme de animação:

Os croods

Frozen

Gru - o mal disposto 2

Ernest & Celestine

The wind rises

 

Melhor documentário:

The act of killing

Cutie and the boxer

Dirty wars

The square

20 feet from stardum

 

Melhor documentário em curta-metragem:

Cavedigger

Facing fear

Karama has no walls

The lady in number 6: music saved my life

Prison terminal: The Last Days of Private Jack Hall

 

Melhor curta-metragem:

Aquel no era yo

Avant que de tout perdre

Helium

Do I have to take care of everything?

The voorman problem

 

Melhor curta-metragem de animação:

Feral

Get a horse!

Mr. Hublot

Possessions

Room on the broom

 

Melhor produção artística:

Golpada americana

Gravidade

O grande Gatsby

Her

12 anos escravo

 

Melhor fotografia:

O grande mestre

Gravidade

A propósito de Llewyn Davis

Nebraska

Prisoners

 

Melhor montagem:

Golpada americana

Capitão Phillips

O clube de Dallas

Gravidade

12 anos escravo

 

Melhor caracterização:

O clube de Dallas

Jackass Presents: Bad Grandpa

O mascarilha

 

Melhor guarda-roupa:

Golpada americana

O grande Gatsby

O grande mestre

The invisible woman

12 anos escravo

 

Melhor banda sonora original:

The Book Thief

Gravidade

Her

Philomena

Ao encontro de Mr. Banks

 

Melhor canção:

Alone yeat not alone - Alone yeat not alone

Happy - Gru, o maldisposto 2

Let it go - Frozen

The moon song - Her

Ordinary Love - Mandela - Longo caminho para a liberdade

 

Melhor montagem de som:

All is lost

Capitão Phillips

Gravidade

The Hobbit: A desolação de Smaug

Lone survivor

 

Melhor mistura de som:

Capitão Phillips

Gravidade

O Hobbit: A desolação de Smaug

A propósito de Llewyn Davis

Lone survivor

 

Melhores efeitos visuais:

Gravidade

O Hobbit: A desolação de Smaug

Homem-de-ferro 3

O mascarilha

Star Trek: Além da escuridão

[actualizada]

 

 

Retirado do Sol

publicado por olhar para o mundo às 21:37 | link do post | comentar
Quarta-feira, 09.10.13

Número recorde de 76 países com filmes candidatos a Óscar

Número recorde de 76 países com filmes candidatos a Óscar
Um número recorde de 76 países candidata-se ao Óscar de melhor filme estrangeiro em Março, com novas entradas como a Moldávia, a Arábia Saudita e Montenegro.

O filme "As linhas de Wellington", da realizadora chilena Valeria Sarmiento, é o candidato de Portugal a uma nomeação para melhor filme estrangeiro dos Óscares, os principais prémios norte-americanos de cinema, conforme anunciado em Setembro pela Academia Portuguesa de Cinema.

 

"As linhas de Wellington", produzido por Paulo Branco e rodado em Portugal, recria um episódio da História de Portugal, a terceira invasão francesa no começo do século XIX, quando o general Arthur Wellesley, duque de Wellington, liderou um exército anglo-português e utilizou uma linha de fortificações que protegia Lisboa - as Linhas de Torres Vedras.

 

Com argumento de Carlos Saboga, a longa-metragem é também um fresco social sobre aquela época, acompanhando, em vários momentos, histórias individuais de pessoas de diferentes estratos sociais, que se vão cruzando na narrativa, à medida que as tropas francesas tentam avançar no terreno.

 

França concorre com "Renoir", de Gilles Bourdos.

 

A Academia de Artes e de Ciências do Cinema, organizadora dos Óscares, publicou na segunda-feira a lista de 76 países submetidos ao comité de selecção.

 

Este órgão reduzirá a lista a uma dezena de candidatos, antes de escolher os cinco filmes nomeados para a ambicionada estatueta.

 

A 86.ª cerimónia de entrega dos Óscares realiza-se a 02 de Março no Dolby Teathre, em Hollywood. As nomeações serão anunciadas a 16 de Janeiro.

 

Retirado do Sol

publicado por olhar para o mundo às 10:16 | link do post | comentar
Sexta-feira, 13.09.13

As Linhas de Wellington é o candidato português aos Óscares

As Linhas de Wellington é o candidato português aos Óscares

Filme português é o candidato à nomeação na categoria de Melhor Filme Estrangeiro.

 

As Linhas de Wellington, de Valeria Sarmiento, é o filme seleccionado para concorrer aos Óscares na categoria de Melhor Filme Estrangeiro, anunciou esta sexta-feira a Academia Portuguesa de Cinema.

 

Estreado no Festival de Veneza do ano passado, As Linhas de Wellington, o último projecto de Raoul Ruiz (1941-2011), foi assim o escolhido para representar Portugal nos prémios mais cobiçados do mundo do cinema, os Óscares, que acontecem em Março de 2014. No entanto, o filme português é ainda um candidato à nomeação aos Óscares.

 

O filme recebeu a maioria dos votos da Comissão de Selecção que foi este ano composta pela actriz Anabela Teixeira, a produtora Pandora da Cunha Telles, o argumentista Possidónio Cachapa, o realizador Vicente Alves do Ó e os directores de fotografia Luís Branquinho e Tony Costa.

 

Produzido por Paulo Branco e com argumento de Carlos Saboga, As Linhas de Wellington conta no elenco com Nuno Lopes, Soraia Chaves, Marisa Paredes, John Malkovich, Carloto Cotta, Mathieu Amalric e Adriano Luz. Este começou por ser um projecto pessoal do realizador Raoul Ruiz.

 

Porém, depois da sua morte a 19 de Agosto de 2011, já em fase de pré-produção, foi Valeria Sarmiento, a sua viúva, quem completou o trabalho. O filme chegou aos cinemas portugueses no primeiro fim-de-semana de Outubro de 2012 e foi visto por 50.750 pessoas.

 

Rodado em Torres Vedras, o filme retrata a história das Linhas de Torres que tiveram um papel preponderante na retirada das tropas francesas comandadas pelo marechal André Masséna, durante a Terceira Invasão do território.

 

No ano passado, o filme de João Canijo, Sangue do Meu Sangue, foi o candidato português, mas acabou por não conseguir a nomeação aos Óscares.

A cerimónia de entrega dos Óscares, que será apresentada pela norte-americana Ellen DeGeneres, está marcada para o dia 2 de Março de 2014 no Dolby Theatre, em Los Angeles. As nomeações são anunciadas entre Janeiro e Fevereiro, cerca de um mês antes da cerimónia.

Esta semana, As Linhas de Wellington recebeu também nove nomeações para os prémios Sophiaorganizados pela Academia Portuguesa de Cinema, e que vão ser entregues no dia 6 de Outubro, em Lisboa.

 

 

 

Retirado do Público

publicado por olhar para o mundo às 21:14 | link do post | comentar
Domingo, 24.02.13

Seth MacFarlane apresentará a 85ª edição dos Óscars

Seth MacFarlane apresentará a 85ª edição dos Óscars


Seth MacFarlane apresentará a 85ª edição dos Óscars

A 85ª edição dos Oscars volta a marcar um ponto de viragem na forma como a Academia norte-americana de artes e ciências cinematográficas concebe o espetáculo de atribuição dos prémios mais importantes da indústria sediada em Hollywood.

 

O sinal mais evidente dessa vontade de mudança vem da escolha do apresentador. Este ano, o eleito foi Seth MacFarlane.
 
Seth MacFarlane é adepto de um género de humor politicamente incorreto, o que aliás se confirma pelos trabalhos que desenvolveu para televisão como os desenhos animados "Family Guy", "American Dad" e "The Cleveland Show", ou pela comédia "Ted" que envolve linguagem muito pouco convencional. De resto, a dupla de protagonistas deste filme, constituída pelo desbocado urso Ted e pelo ator Mark Wahlberg, também marcará presença no palco do Dolby Theater.

 

Esta será provavelmente uma das maiores aventuras em que decidiram entrar, recorde-se que a transmissão televisiva é feita para mais de 255 países com milhões de pessoas a assistirem.

 

Um dos momentos mais aguardados da cerimónia será o que vai homenagear os musicais dos últimos dez anos, nomeadamente "Chicago", "Dreamgirls" e "Os Miseráveis". Os produtores da cerimónia anunciaram que dez estrelas estarão presentes nessa coreografia: Jennifer Hudson, Catherine Zeta-Jones, Russel Crowe, Hugh Jackman, Anne Hathaway, Helena Bonham Carter, Samantha Barks, Aaron Tveit, Eddie Redmayne e Amanda Seyfried.

 

Quando for anunciado o Oscar de melhor filme do ano, Craig Zadan e Neil Meron prepararam um final atípico. Seth MacFarlane regressará ao palco acompanhado pela estrela da Broadway Kristin Chenoweth para um último número musical.

 

A cerimónia decorrerá no Kodak Theatre, em Los Angles, no próximo dia 24 de Fevereiro.

 

Retirado do HardMúsica

publicado por olhar para o mundo às 10:05 | link do post | comentar
Quinta-feira, 10.01.13

Lincoln e A Vida de Pi lideram nomeações para os Óscares

Lincoln e A Vida de Pi lideram nomeações para os Óscares

Da esquerda para a direita, os actores Daniel Day-Lewis, Bradley Cooper, Hugh Jackman, Joaquin Phoenix e Denzel Washington. As actrizes Naomi Watts, Jessica Chastain, Jennifer Lawrence, Sally Field e Amy Adams 

 

Do rol de nomeações destaca-se então Lincoln, de Steven Spielberg, com 12 nomeações, seguido de A Vida de Pi, de Ang Lee, com onze nomeações

 

Expectativas confirmadas, surpresas e ausências: nos 85.ºs Óscares há um favorito, Lincoln, seguido de perto em número de nomeações por A Vida de Pi, há uma comédia vencedora em Sundance que ganhou força nas últimas semanas, Guia para um Final Feliz, e a adaptação do musical Os Miseráveis. Mas na lista de nomeados para melhor realizador não há Kathryn Bigelow por00:30 A Hora Negra , mas há a surpresa As Bestas do Sul Selvagem, de Behn Zeitlin.

 

Os nomeados para a 85.ª edição dos Óscares foram conhecidos esta quinta-feira numa transmissão em directo de Beverly Hills conduzida pela actriz Emma Stone e pelo apresentador da cerimónia de entrega dos prémios da Academia das Artes e Ciências Cinematográficas de Hollywood, Seth MacFarlane. Do rol de nomeações destaca-se então Lincoln, de Steven Spielberg, com 12 nomeações, seguido de A Vida de Pi, de Ang Lee, com onze nomeações. Guia para um Final Feliz Os Miseráveis somam oito nomeações cada um, seguidos do nomeado para melhor filme estrangeiro, para melhor filme e melhor realizador Amor, de Michael Haneke, vencedor da Palma de Ouro no Festival de Cannes de 2012. Os restantes nomeados para melhor filme estrangeiro são Kon-Tiki (Noruega), No (Chile), A Royal Affair(Dinamarca) e War Witch (Canadá).

 

Argo, o filme realizado e protagonizado por Ben Affleck sobre a crise dos reféns norte-americanos no Irão, teve também seis nomeações da Academia, seguido de 00:30 A Hora Negra, o regresso da primeira mulher a receber um Óscar de melhor realização, Kathryn Bigelow, com o seu filme sobre a caça a Osama bin Laden, Django Libertado, o western sobre a escravatura de Quentin Tarantino, e o 23.º Bond, Skyfall, todos com cinco nomeações. Tanto Tarantino quanto Bigelow eram considerados favoritos na corrida às nomeações e não foram escolhidos pelos membros da Academia. Nomeados sim foram Haneke, Spielberg, Ang Lee, Benh Zeitlin (As Bestas do Sul Selvagem) e David O. Russell (Guia para um Final Feliz).

 

O filme de Bigelow não granjeou nomeações para a sua realizadora, mas Jessica Chastain conseguiu a sua segunda nomeação para um Óscar, desta feita de melhor actriz, pelo seu papel em 00:30. A sua concorrência faz-se de Jennifer Lawrence, por Guia para um Final Feliz, da veterana Emmanuelle Riva, de Amor, de Naomi Watts, por The Impossible, e de Quvenzhané Wallis, por As Bestas do Sul Selvagem. Nos papéis principais masculinos estão nomeados Daniel Day-Lewis (Lincoln), Bradley Cooper (Guia Para Um Final Feliz), Joaquin Phoenix (O Mentor), Hugh Jackman (Os Miseráveis) e Denzel Washington (Flight).  

 

As Bestas do Sul Selvagem é a surpresa nas nomeações para melhor filme e melhor realizador (Benh Zeitlin) – na conferência de imprensa desta quinta-feira em Beverly Hills, as suas menções foram recebidas com ruidosa surpresa -, sendo também ainda candidato aos óscares de melhor actriz (Quvenzhané Wallis) e de melhor argumento adaptado. Com as mesmas quatro nomeações surge o drama de época protagonizado por Keira Knightley Anna Karenina.

 

A contenda nas categorias de melhores actores e actrizes secundários é tudo menos secundários: todos os actores nomeados já são oscarizados - Christoph Waltz (Django Libertado), Philip Seymour Hoffman (O Mentor), Robert De Niro (Guia Para Um Final Feliz), Alan Arkin  (Argo), Tommy Lee Jones (Lincoln); no grupo das actrizes, há também nomes de peso, de Sally Field (Lincoln) a Anne Hathaway (Os Miseráveis), passando por Amy Adams (O Mentor), Helen Hunt (The Sessions) e Jacki Weaver (Guia Para Um Final Feliz). 

 

Na animação, os esperados Brave – Indomável, Frankenweenie,ParaNorman Força Ralph também têm a companhia de Os Piratas! nas nomeações para melhor filme. No campo da canção original, Adele recebe a nomeação expectável por Skyfall, do Bond homónimo, com a concorrência deEverybody Needs a Best Friend, em Ted, de Pi’s Lullaby, em A Vida de Pi, de Before My Time, em Chasing Ice, e de Suddenly, em Os Miseráveis

 

Os Óscares de 2013 são entregues a 24 de Fevereiro no Dolby Theater de Hollywood, em Los Angeles.

 

Noticia do Público

publicado por olhar para o mundo às 21:23 | link do post | comentar
Terça-feira, 27.11.12

A caça a Bin Laden entra na corrida aos Óscares

A “brutal” caça a Bin Laden entra na corrida aos Óscares

Zero Dark Thirty, o novo filme de Kathryn Bigelow, foi mostrado este fim-de-semana à imprensa americana. Classificam-no como “jornalismo cinematográfico” que “resume o clamor e a confusão de uma década numa narrativa clara”. A estreia portuguesa é a 17 de Janeiro

Acompanhando o processo de perseguição e morte de Bin Laden desde o 11 de Setembro de 2011, o filme, com estreia americana marcada para Janeiro de 2013, não esconde a violência do processo, canalizada pela protagonista Maya, interpretada por Jessica Chastain, e o seu desconforto perante uma administração que, escreve o Huffington Post, considera "demasiado cautelosa". O sucessor de Estado de Guerra junta-se a Les Misérables,Lincoln e Argo na corrida aos Óscares.

 

Já sabíamos que, depois do Iraque em conflito de Estado de Guerra, vencedor do Óscar da Academia para Melhor Filme em 2010, Kathryn Bigelow se mantivera no mesmo espaço simbólico. Zero Dark Thirty, que terá estreia americana a 11 de Janeiro de 2013, acompanha o processo de perseguição e abate de Osama Bin Laden pelas forças especiais do Exército americano. Foi exibido este fim-de-semana em Nova Iorque e Los Angeles, em sessões para a imprensa, e as primeiras impressões apontam para que, apesar de o sentimentalismo e sentido épico de Les Misérables, de Tom Hopper, o peso histórico de Lincoln, de Steven Spielberg, ou a acção “hollywoodesca” de Argo, de Ben Affleck, se alinharem com a tradição da Academia, Zero Dark Thirty fica bem cotado na corrida às estatuetas. Os nomeados para os Óscares serão anunciados a 10 de Janeiro.

 

Na revista Time, Richard Corliss alinha o argumento do novo filme de Bigelow na tradição de A Sangue Frio, de Truman Capote, ou de Os Eleitos, de Tom Wolfe. “Saltando a fase ‘romance de não-ficção’”, escreve Corliss, “[Mark Boal] criou um argumento original que fornece um mapa temporal agilizado da caça a Bin Laden. A palavra ‘docu-drama’ não faz justiça ao feito”.

 

O primeiro guião de Zero Dark Thirty, termo usado pelo Exército norte-americano para designar meia-noite e meia, foi completado antes da morte de Osama Bin Laden e contava a história de como os Estados Unidos haviam deixado o líder da Al-Qaeda escapar do seu esconderijo em Tora Bora, no Afeganistão.

 

Bin Laden foi morto na madrugada de 2 de Maio de 2011, num complexo residencial em Abbottabad, no Paquistão. A operação dos Navy Sealsfoi organizada pela CIA e acompanhada em directo por Barack Obama. O corpo de Bin Laden foi levado para o Afeganistão para identificação e lançado ao mar menos de 24 horas depois do ataque.

 

Perante isto, o filme que os críticos viram este fim-de-semana tornou-se obviamente diferente do projecto inicial. Mike Ryan, num artigo de “Perguntas & Respostas” publicado no site de notícias Huffington Post, conta que Zero Dark Thirty tem início no 11 de Setembro de 2011 e acompanha os agentes da CIA Maya (Jessica Chastain) e Dan (Jason Clarke) na sua obsessiva perseguição a Bin Laden. Descreve algumas cenas como “brutais”, particularmente as de tortura a prisioneiros suspeitos de terrorismo. Na Timeo filme é classificado como “jornalismo cinematográfico” que “resume o clamor e a confusão de uma década numa narrativa clara”.

 

Como seria de esperar, dado o tema e o facto de 2012 ter sido ano eleitoral nos Estados Unidos, Zero Dark Thirty esteve envolvido em polémica meses antes da sua primeira apresentação pública. Em Agosto, o republicano Peter King exortou o Departamento da Defesa e a CIA a investigar uma possível cedência de informação secreta, por parte da administração Obama, a Bigelow e a Boal. Tal foi negado tanto pela realizadora e pelo argumentista como pelo porta-voz do Conselho de Segurança Nacional americano, Tommy Vietor. O Huffington Post citava ontem declarações de Maio, em que Vietor garantia que as informações fornecidas à realizadora e ao argumentista foram as mesmas dadas aos serviços de imprensa da Casa Branca, centradas no papel de Barack Obama em todos os processos de decisão: “Quando alguém, incluindo imprensa, realizadores e documentaristas que trabalham em projectos que envolvem o Presidente, pede para falar com representantes da administração, fazemos o nosso melhor para atender aos seus pedidos, de forma a assegurar que os factos são dados correctamente. Dificilmente isto representará uma nova abordagem aos media."

 

Zero Dark Thirty, de título provisório Kill Bin Laden, teve estreia programada para 12 de Outubro, ou seja, para antes das eleições presidenciais que garantiram a reeleição de Barack Obama. A corrida à Presidência levou a Sony Pictures a adiar o lançamento para Janeiro de 2013 (o filme chega aos cinemas portugueses dia 17).


No supracitado artigo no Huffington Post, Mike Ryan escreve que, “quando muito, a administração Obama surge [no filme] como demasiado cautelosa, o que, aos olhos da ultra-agressiva Maya, não é uma coisa boa”. 

 

Noticia do Público

publicado por olhar para o mundo às 19:48 | link do post | comentar

mais sobre mim

pesquisar neste blog

 

posts recentes

últ. comentários

  • Comigo acontece do mesmo jeito mas quem dorme sou ...
  • Minha esposa dorme durante a relacao eu viro chego...
  • Minha esposa as vezes dorme , aí eu paro viro de l...
  • hmmm fixe! Será uma daquelas edições para colecion...
  • Interessante
  • gosto do suave tom da sua voz :)
  • Vou procurar para ouvir =)Beijinhos
  • Neste Natal só te desejo duas coisas: TUDO e NADA!...
  • Recomendadíssimo!!Para quem não conhece a sonorida...

arquivos

tags

favoritos

subscrever feeds

blogs SAPO