Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

As Coisas da Cultura

Porque há sempre muito para ver e para contar

Porque há sempre muito para ver e para contar

As Coisas da Cultura

30
Jun16

Plebe Rude toca repertório do clássico "O Concreto já Rachou" no SESC Santo André

olhar para o mundo

plebe.jpg

 

 

Plebe Rude toca repertório do clássico "O Concreto já Rachou" no SESC Santo André

 

Show celebra os 30 anos do álbum e 35 anos de atividades do grupo de rock brasiliense

 

A Plebe Rude esteve presente no epicentro das mudanças que formaram a história moderna brasileira. Formada em Brasilia no ano de 1981, a banda contribuiu muito para o surgimento da cena do rock brasileiro nos anos 80 e há 30 anos lançava seu álbum mais importante: O Concreto já Rachou.

 

O conteúdo de suas letras politizadas e a sonoridade pós-punk deu voz à juventude brasileira durante as Diretas Já, a Anistia e a redemocratização do país. Nesse show, os componentes originais Philippe Seabra e Andre X, mais Clemente Nascimento e Marcelo Capucci tocam todas as músicas do clássico álbum, além de outros sucessos da banda.

 

SERVIÇO

Plebe Rude – O Concreto Já Rachou

Data: 01/07/2016

Local: SESC Santo André

  1. Tamarutaca, 302

Santo André-SP

 

Locais de venda:

Bilheterias do SESC

Site do SESC:

- http://www.sescsp.org.br/programacao/97943_PLEBE+RUDE+O+CONCRETO+JA+RACHOU#/content=saiba-mais

 

Valores dos ingressos: 

Comerciários - R$ 6,00

Estudantes e aposentados - R$ 10,00

Inteira - R$ 20,00

 

 

Sobre a Plebe Rude

 

A banda de rock formada em 1981, em Brasília, começou se destacando no meio punk-rock por volta de 1982, numa época em que a efervescência roqueira da capital federal era grande. Intitulado “O Concreto Já Rachou”, o primeiro disco do grupo foi lançado em 1985, às vésperas da abertura política do país, em um período de redemocratização. O segundo álbum, “Nunca Fomos Tão Brasileiros”, surgiu no contexto da criação da nova Constituição, em 1988.

 

No terceiro disco, homônimo, a banda buscou explorar as raízes brasileiras, criando o embrião do forró-rock, que teve seu ápice anos depois com os Raimundos. Antes de darem uma pausa na carreira em meados da década de 90, o grupo ainda lançou o quarto disco, “Mais raiva do que Medo, de 1993”.

 

A Plebe Rude retornou às atividades em 2000, com o álbum ao vivo “Enquanto a Trégua Não Vem”. Quatro anos depois, o guitarrista Clemente Nascimento, da banda Inocentes, passou a integrar o grupo, trazendo um estilo mais punk agressivo ao quinto álbum de estúdio, “R ao Contrário” (2006). Cinco anos depois, a banda lançou um novo disco ao vivo, “Rachando Concreto”, ao vivo em Brasília. Há dois anos, a banda lançou o álbum “Nação Daltônica” e segue tocando pelo pais em comemoração aos 30 anos de seu álbum de estreia. 

 

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub