Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

As Coisas da Cultura

Porque há sempre muito para ver e para contar

Porque há sempre muito para ver e para contar

As Coisas da Cultura

30
Jul12

Deixe o seu corpo falar

olhar para o mundo

sexo, Deixe o seu corpo falar

Deixe o seu corpo falar

Depois provoque, toque e atormente o do outro

 

Você fez o trabalho de casa e aquela coisa do flirt resultou. Agora, aqui está você face a face com uma versão da vida real da sua fantasia mais marota. Ups. O que fazer agora? Continue a ler...


A perita em sexo americana Barbara Keesling pensa que a antecipação é a chave para criar sexo explosivo. Ela defende que se provoque e atormente até que o parceiro não consiga sequer olhar para nós sem ficar vermelho de paixão. Tenho de dizer que concordo com ela. A Barbara criou a expressão "tocar e provocar" para uma série de esquemas de sedução premeditados, concebidos para pôr um alvo potencial de joelhos num nanossegundo (e não é para fazer o pedido de casamento).

 

Peguei na ideia dela, fiz-lhe umas alterações, acrescentei-lhe montes de toques auto-eróticos (tocar-se em sítios onde os outros adorariam fazê-lo) e criei algumas versões para adultos do original. Alguns "toque e agora atormente" resultam melhor nos homens, outros nas mulheres. Dividi-os de acordo com isso, mas esteja à vontade para misturá-los se acha que o seu alvo é uma excepção!

 

O Aquecimento (vocês acabam de conhecer-se)


Isto resulta quer esteja sensualmente instalada no sofá quer esteja de pé num bar no meio de uma multidão. Também resulta independentemente da fase em que a vossa relação se encontra. A única condição é que você tem de ter seios - daí que esta seja para ela, não para ele!

- Enquanto ele está a falar, cruze um braço descontraidamente por cima da cintura e -apoie o cotovelo do outro braço sobre a mão em taça.

 

Agora erga o braço que está apoiado até que os dedos toquem no peito. Abra os dedos e erga a mão de forma a tocar-se apenas com as pontas dos dedos e acaricie levemente a clavícula, para trás e para diante durante cerca de um minuto. Mantenha co¬ntacto visual o tempo todo e, quando acabar, deixe a mão ficar nesse sítio. Demasiado vampe?


Eis a Versão do batoteiro: Em vez de acariciar, simplesmente pouse a mão aí.

- Da próxima vez que se rir, atire a cabeça para trás para expor o pescoço e, à medida que o fizer, desloque a mão para a cavidade da garganta. Muito, muito devagar, deixe os dedos deslizarem pela garganta em direcção aos seios. Pare precisamente onde começa o decote (ou onde devia, dependendo de até que ponto é bem dotada!) e deixe os dedos ficarem aí, perigosamente perto dos seios.

Mantenha os dedos aí enquanto ele estiver a falar mas quando você começar a falar, retire a mão (para não parecer artificial nem uma tentativa de chamar a atenção). Ele vai ficar fascinado porque a sua mão está onde a dele quer estar e você está a dar-lhe um incentivo extra para continuar a cantar-lhe a canção do bandido.


Versão do batoteiro: Pouse os dedos na cavidade da garganta em vez de no decote.

- Imagine como seria beijar este rapaz. Faça um pequeno filme na cabeça, depois baixe a cabeça, mas levante os olhos para olhar para ele. Agora acaricie lentamente o lábio inferior com o indicador. Pensar em beijá-lo deixa-lhe um brilhozinho perverso nos olhos, tocar distraidamente a boca sugere que você está de facto a pensar em algo maroto e a cabeça baixa acrescenta uma vulnerabilidade de menina perdida. Um trio fatal!


Alguns minutos depois, diga algo como "Desculpa, o que é que estavas a dizer? Perdi-me um pouco." É crucial que mantenha o contacto visual ou ele vai mesmo pensar que você adormeceu por estar aborrecida.


Versão do batoteiro: Se não for capaz de acariciar o lábio, olhe antes para a boca dele.

 

A vossa sessão mais quente foi num elevador?


Sussurre-lhe ao ouvido "elevador" quando os pais dele/dela os receberem para o almoço de domingo.

 

As regras da provocação

Não apresse nada
Se o fizer como deve ser, a pessoa não vai sair do lugar.

Não seja difícil - nem seja demasiado fácil
Um bom provocador não promete aquilo que não dará, é a questão "quando" que acrescenta o factor provocação.

Não faça batota 
A sua cara reflecte os seus pensamentos. Pense em algo sensual e parecerá sensual - mesmo que esteja a discutir de que cor pintará a casa de banho. Pense de que cor vai pintar a casa de banho e a descrição rouca e pormenorizada de prazeres futuros perderá completamente o impacto.

Descontraia a boca
A boca denuncia a tensão. Mantenha os lábios um pouco afastados e imagine que está prestes a ser beijado.

 

Retirado de Sapo Mulher

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub