Domingo, 20.01.13

Sexo sem compromisso

Sexo sem compromisso

Dois especialistas desvendam os desejos, as motivações e os riscos das relações de uma noite

«Fomos apresentados por uma amiga comum. No bar onde estávamos, a conversa foi fluindo, entre copos de vinho, revelando logo à partida o interesse um pelo outro», recorda Marta, de 38 anos, sem namorado há cinco anos.

 

«Quando saímos do bar, beijámo-nos e fomos para casa dele. Fizemos sexo e foi bom. Tomei um duche rápido, ele ficou deitado e eu saí», acrescenta.

 

«Mais tarde, ele pediu o meu contacto à nossa amiga mas não autorizei e nunca mais o vi. Como esta situação já tive algumas mas é sempre na minha cama e sozinha que termino a noite e é assim que pretendo manter-me», conta ainda. Se, para muitas mulheres, partilhar a sua vida com alguém especial é importante, para outras não.

 

«As mulheres sem relacionamentos assumidos têm vindo a aumentar entre nós, tal como as mulheres que optam por não casar e que não invejam a maternidade», refere Vânia Beliz, psicóloga clínica e sexóloga, no seu livro «Ponto Quê – O prazer no feminino», publicado pela editora Objectiva. Segundo a especialista, «estas mulheres não querem abdicar da privacidade e autonomia conquistadas».

O sabor da independência

«Com o passar dos anos, tornei-me muito mais exigente, o que faz com que prefira estar sozinha. Tenho a minha casa, o meu círculo de amigos, estabilidade emocional e não sinto necessidade de partilhar isto com um companheiro», explica Marta. Algumas investigações sugerem que as mulheres que procuram sexo casual possam ter medo dos relacionamentos. Mas a sexóloga Vânia Beliz alerta que «é preciso distinguir a situação de nunca desejar um relacionamento sério e a situação de passar uma temporada dedicada a nós próprias». Marta confessa que teve algumas relações duradouras mas agora sente-se bem sozinha.

Uma mudança social

Para o psicólogo clínico Quintino Aires, o aumento do número de mulheres sem uma relação assumida é uma realidade que reflete mudanças culturais com implicações psicológicas. «O compromisso não desapareceu. A diferença é que, no passado, o compromisso era regulado pela sociedade e, uma vez assumido, esse compromisso era para sempre. Hoje, somos nós próprios a assumi-lo e esta mudança levanta sérias dificuldades numa sociedade que, no momento da escolha, não consegue decidir e, então, adota a estratégia de não assumir compromissos», refere o especialista.

Crise de identidade?

«A sociedade atual não está organizada para desenvolver a identidade pessoal», alerta Quintino Aires, explicando que «no momento de escolher o namorado(a), não há a certeza se é mesmo aquela a pessoa certa ou não». De acordo com o psicólogo, o controlo dos pais durante a adolescência também pode desencadear esta crise psicológica na idade adulta. «A construção da identidade pessoal, saber o que cada um quer e gosta, implica um treino de experiências que os jovens muitas vezes não têm durante a adolescência. O resultado é que muitas mulheres descobrem apenas por volta dos 30 anos que ainda não conseguem escolher o companheiro com quem desejam partilhar a sua vida», constata o especialista.

Uma fase de descoberta

Aos olhos da psicologia, «as mulheres que optam por relações fugazes estão a lutar por uma identidade, um conhecimento de si mesmas, mesmo que não tenham essa consciência», alerta o psicólogo Quintino Aires. «Aparentemente, envolvem-se apenas com a finalidade da atividade sexual mas, na verdade, trata-se de um movimento de descoberta», sublinha.

 

«Em termos psicológicos, estão a fazer o mesmo que uma criança que brinca para descobrir o mundo, aqui estão a envolver-se para descobrir os parceiros amorosos e para se descobrirem a si mesmas», diz. «Só experimentando podemos saber o que gostamos e não gostamos e os encontros sexuais sem qualquer compromisso resultam de uma intuição desse princípio», refere o especialista, acrescentando ainda que «este é um comportamento comum aos 20 e aos 30 mas também aos 40, 50 e 60 anos».

 

Retirado de Sapo Mulher

publicado por olhar para o mundo às 21:14 | link do post | comentar
Sexta-feira, 05.10.12

Alimentos e hábitos que melhoram o seu desempenho na cama

alimentos e hábitos que melhoram seu rendimento na cama

Estresse, cansaço físico, desgaste emocional, monotonia e doenças são apenas alguns dos motivos para uma possível queda de libido ou de rendimento sexual, mas alguns alimentos e hábitos podem ajudar a solucionar esse problema 

Culturalmente se espera que o homem sempre esteja pronto para pular na cama e desejando sexo o tempo todo. Porém, sabemos que nem sempre é assim que funciona. Estresse, cansaço físico, desgaste emocional, monotonia e doenças são apenas alguns dos motivos para uma possível queda de libido ou de rendimento sexual. “Podemos dizer que o cotidiano conspira contra o sexo, pois conciliar família, amigos, trabalho e interesses pessoais é muito difícil”, defende o urologista, sexólogo e terapeuta sexual Celso Marzano. Com o passar do tempo e o envelhecimento inevitável do corpo a situação fica ainda mais complicada. Porém, alguns alimentos e hábitos podem ajudar e muito a melhorar sua performance sexual. Confira 15 dicas de especialistas:

 

Confie no zinco


O que você come pode aumentar ou diminuir sua libido. “Uma má alimentação pode gerar uma baixa produção de alguns neurotransmissores relacionados ao bem-estar e prazer. Essas alterações podem prejudicar o desempenho sexual e até a fertilidade”, afirma Flávia Morais, coordenadora de nutrição da rede Mundo Verde. Alguns alimentos podem melhorar sua vida sexual. Esse é o caso das ostras que, segundo a especialista, são boas fontes de zinco, mineral necessário para a maturação o esperma e fertilização. “Na falta de zinco temos diminuição na produção de testosterona, diminuindo a libido. A recomendação diária de zinco para homens é de 11 mg, em 100 g (quatro unidades) de ostra temos 90 mg desse mineral”, diz Flávia. Outro alimento rico em zinco é o fígado de boi, porém pode conter algumas toxinas.

 

Explore seu corpo


O autoconhecimento e a masturbação estão sempre em foco quando o assunto é sexualidade feminina. Porém, isso também vale para melhorar a vida sexual dos homens. “A masturbação deve ser encarada como uma forma alternativa de exprimir a própria sexualidade, Ela é usada há muito tempo pelos terapeutas sexuais como parte das técnicas de tratamento para disfunções”, diz Celso. Apesar de quase todos os homens praticarem a masturbação ao longo da vida, em muitos casos, essa prática ainda vem acompanhada de alguns sentimentos negativos. No entanto, essa é uma ótima forma de despertar o corpo para a sexualidade e conhecer os toques e movimentos que proporcionam mais prazer.

 

Evite bebida em excesso


Uma boa taça de vinho pode ajuda-lo a relaxar e criar um clima, mas fique atento para não exagerar. De acordo com Flávia, o álcool favorece o relaxamento, prejudicando a circulação e, em consequência, a ereção. “A bebida em excesso bloqueia a resposta sexual e prejudica o efeito de medicamentos para ereção. A medida certa é individual”, complementa Celso. De acordo com o sexólogo, o alcoolismo destrói as respostas nervosas e vasculares, do que depende o desempenho sexual.

 

Não se entregue ao sedentarismo


A atividade física é ótima para o corpo, mente e para sua vida sexual também. “Os exercícios promovem uma resposta física melhor a tudo que fazemos”, defende Celso. Pesquisas demonstram até que a prática de atividades físicas pode estar relacionada a um aumento da produção de testosterona, hormônio responsável pelo desejo sexual, além de melhorar o rendimento na cama. E quando se trata de homens acima dos 40 anos a atividade física faz ainda mais diferença. Um estudo feito por médicos de Dublin mostrou que a perda de peso e aumento de massa magra reduz em 50% o risco de queda nos níveis de testosterona nessa fase. A pesquisa também indicou uma contagem mais alta de espermatozoides e ereções mais vigorosas nos homens mais ativos.

 

Consuma alimentos afrodisíacos


Alguns alimentos conhecidos por serem afrodisíacos como pimenta, ginseng e canela são temperos que melhoram a circulação, afetando positivamente a ereção. O amendoim e o ovo de codorna também são boas apostas. “O amendoim é fonte de vitamina B3, que colabora para a vasodilatação sanguínea, melhorando a circulação na região do órgão sexual masculino. Já o ovo, contém vitamina E, que participa da produção de hormônios sexuais, estando relacionado ao aumento da libido e do apetite sexual”, explica Flávia. Alimentos com tirosina como leguminosas, nozes, castanhas, tofu, cereais integrais e leite aumentam a produção de dopamina e noradrenalina, que também melhorar o rendimento sexual.

 

Esqueça o cigarro


Segundo um estudo da Universidade do Texas, em Austin, EUA, homens que pararam de fumar conseguem ficar excitados cinco vezes mais rápido do que aqueles que não abandonaram o vício. Outras pesquisas também apontam que a nicotina atrapalha a ereção. Por isso, se você quer manter uma boa potência sexual é melhor evitar o cigarro. “O cigarro afeta a microcirculação arterial e venoso dos corpos cavernosos do pênis e a bomba cardiovascular, que prejudica a chegada do sangue no órgão sexual”, afirma Celso Marzano. Segundo o especialista, parar de fumar pode ser um passo importante até para a redução ou mesmo eliminação total da impotência sexual.

 

Invista na acupuntura


Para a medicina oriental a função sexual é um reflexo da saúde geral. Por isso, quando a energia do corpo não vai bem isso pode causar impacto na cama. “Para os chineses a potência sexual está ligada aos rins, enquanto a libido tem relação com o funcionamento do fígado”, explica o fisioterapeuta e acupunturista Márcio Luna, presidente regional da Associação Brasileira de Acupuntura. Segundo o especialista, a relação é uma via de duas mãos, a saúde dos órgãos afeta o estado emocional e vice e versa.

 

A acupuntura pode ajudar a melhorar a performance sexual, aumentar a libido e tratar problemas como ejaculação precoce e impotência. “O primeiro passo é uma avaliação profunda do pulso e da língua para detectar qualquer alteração, mesmo que sutil, da energia do corpo”, afirma Luna. A partir daí começa a intervenção com o estimulo de pontos ligados aos órgãos que serão trabalhados. Em casos de distúrbios o ideal, segundo o especialista é trabalhar em conjunto com um urologista. “Costumo recomendar sessões duas vezes por semana no início. Depois de 10 sessões já há uma melhora significativa. Em geral, 30 sessões são suficientes, mas o tratamento vai depender muito de cada caso”, conta Luna.

 

Tome suco de romã


Um estudo da Queen Margaret University, em Edinburgo, mostrou que o consumo de um copo de suco de romã pode melhorar a libido. “O estudo mostrou que os voluntários que beberam um copo por dia durante duas semanas tiveram um aumento entre 16 e 30% dos níveis de testosterona”, conta Flávia. A pesquisa, realizada com 58 homens entre 21 e 64 anos, ainda indicou que a fruta é rica em antioxidantes e ajuda a melhorar a circulação sanguínea. 

 

Não pule as preliminares


“As preliminares são importantes porque desencadeiam a resposta sexual, a química do sexo se inicia e a excitação vai aumentando. Qualquer toque, visão ou odor tem uma interpretação no cérebro, que processa as informações direcionando a resposta sexual pela liberação de neurotransmissores, que agem nos diferentes receptores periféricos”, explica Celso. Então, esse momento para entrar no clima é necessário não apenas para as mulheres, que normalmente precisam de mais tempo para excitação, mas também para que o corpo masculino possa experimentar diferentes sensações, levando a uma relação mais prazerosa.

 

Fique de olho na andropausa

 

A idade também influencia os hormônios masculino levando os homens à andropausa após os 50 anos. “Ela é uma síndrome clínica caracterizada pelo declínio dos níveis de vários hormônios no sangue, principalmente a testosterona”, explica Celso. Com a andropausa podem surgir fadiga muscular, insônia, alterações do humor e raciocínio, perda de memória, depressão, diminuição de massa corpórea e força muscular, osteoporose, perda de pelos, alterações na pele, aumento de gordura na barriga, perda de libido e disfunção erétil (impotência sexual). Segundo o especialista, nessa fase da vida geralmente é necessário mais tempo para ereção, sendo está menos rígida, e para a ejaculação e há uma maior dificuldade para recuperar a ereção quando perdida.

 

“Hoje podemos pensar em reposição hormonal, mas antes o urologista deve avaliar outras possibilidades clínicas”, afirma Celso. Para melhorar a sexualidade depois dos 50 anos é preciso cuidar do estado geral de saúde, conhecer seu corpo e se adaptar às mudanças fisiológicas e manter uma prática sexual contínua e equilibrada durante a vida. Segundo o urologista, o homem deve dar mais valor às carícias antes e durante o sexo, variar posições e fugir da monotonia na cama e usar a imaginação ao seu favor, investindo em fantasias sexuais etc.

 

Recorra a medicamentos só em casos de necessidade


Existem diversos tratamentos para problemas de ereção e falta de libido como medicamentos hormonais, terapia sexual, dispositivos de vácuo, injeções, prótese peniana e remédios orais. “Além do Viagra temos no Brasil outros medicamentos como o Cialis e o Levitra. Porém, um acompanhamento da terapia sexual também é necessário para ter um resultado mais completo”, afirma Celso. O uso desse tipo de medicamento sem prescrição e acompanhamento médico oferece riscos sérios à saúde.

 

Aposte nas ervas medicinais


Segundo o fitoterapeuta e naturopata, André Resende, autor do livro Sexo mais Caliente, algumas ervas naturais podem dar uma forcinha melhorando o desempenho sexual. Confira algumas sugestões de receitas do especialista:

 

Pasta afrodisíaca

 

Ingredientes


2 colheres (sopa) de tribulus terrestres em pó

2 colheres (sopa) de maca em pé

2 colheres (sopa) de catuaba em pó

2 colheres (sopa) de noz de cola em pó

2 colheres (sopa) de gengibre em pó

2 colheres (sopa) de guaraná em pó

500 g de mel

 

Modo de fazer


Em uma vasilha, coloque as ervas e o mel e misture bem até virar uma pasta. Coloque em um vidro com tampa e tome uma colher de sopa duas vezes ao dia. Evite tomar a noite. Não utilize o guaraná em caso de hipertensão

Chá afrodisíaco masculino

 

Ingredientes


Nó de cachorro

Marapuama

Casca de catuaba

Raiz de ginseng

Noz-de-cola

Hortelã

1 litro de água

Mel

 

Modo de fazer


Coloque a água para ferver. Depois, coloque um punhado de cada erva e deixe ferver. Desligue o fogo e deixe esfriar. Em seguida coe e adoce com mel. Tome uma xícara (chá) cinco vezes ao dia.

Suco ‘levanta moral’

 

Ingredientes


2 xícaras (chá) de melancia (parte branca)

2 rodela de gengibre

1 colher (café) de guaraná em pó

1 colher (café) de ginseng em pó

1 colher (sopa) de mel

1 copo de água

 

Modo de fazer


Bata todos os ingredientes no liquidificador e beba em seguida.

 

Retirado de ExpressoMT

publicado por olhar para o mundo às 23:00 | link do post | comentar

mais sobre mim

pesquisar neste blog

 

posts recentes

últ. comentários

  • Comigo acontece do mesmo jeito mas quem dorme sou ...
  • Minha esposa dorme durante a relacao eu viro chego...
  • Minha esposa as vezes dorme , aí eu paro viro de l...
  • hmmm fixe! Será uma daquelas edições para colecion...
  • Interessante
  • gosto do suave tom da sua voz :)
  • Vou procurar para ouvir =)Beijinhos
  • Neste Natal só te desejo duas coisas: TUDO e NADA!...
  • Recomendadíssimo!!Para quem não conhece a sonorida...

arquivos

tags

favoritos

subscrever feeds

blogs SAPO