Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

As Coisas da Cultura

Porque há sempre muito para ver e para contar

Porque há sempre muito para ver e para contar

As Coisas da Cultura

07
Out17

“Sting: Live At The Olympia Paris”

olhar para o mundo

sting.jpg

 

“Sting: Live At The Olympia Paris” lançado a 10 de novembro em DVD e Blu-ray

Acaba de ser anunciado o lançamento de “Sting: Live At The Olympia Paris”, a 10 de novembro, em DVD, Blu-ray e para download digital. A pré-venda dos formatos físicos já está disponível.

Sting: Live At The Olympia Paris” capta a aclamada digressão do músico quando chegou à capital francesa, para um concerto muito especial da icónica sala de espetáculo, em abril deste ano. Descrito como “um espetáculo de uma vida” (The Vancouver Globe & Mail), “Live At The Olympia Paris” celebra os melhores momentos da grande carreira deste músico já premiado com 16 Grammys, com interpretações surpreendentes das novas canções do seu álbum mais recente, “57th & 9th”, incluindo o viciante single “I Can’t Stop Thinking About You”, e a épica “50,000”, além dos êxitos dos The Police e da carreira a solo de Sting. “Sting: Live At The Olympia Paris” demonstra como Sting abrange uma grande variedade de estilos, bem como de influências musicais, num só concerto monumental.

 

No concerto, Sting é acompanhado de uma banda de quatro elementos, incluindo o guitarrista de longa data, Dominic Miller, Josh Freese (bateria), Rufus Miller (guitarra) e Percy Cardona (acordeão), com o coro composto por Joe Sumner e Diego Navaira & Jerry Fuentes, dos The Last Badoleros. O DVD e o Blu-ray contêm como material bónus 9 performances de Sting com convidados especiais.

A digressão “57th & 9th World Tour” recebeu uma grande aclamação crítica: “Este é um excelente presente para os fãs” (Vancouver Sun); “Não menos que brilhante” (Mass Live); “A atual encarnação de Sting mostra-o no seu melhor” (The Daily Gazette, Saratoga); “Parece não envolver qualquer esforço – mas ser tão bom durante tanto tempo é porque existe algo de muito especial” (The Independent).

A esgotada digressão “57th & 9th World Tour” foi apresentada pela Live Nation e começou a 1 de fevereiro em Vancouver, no Canadá. Após um total de 115 concertos por toda a América do Norte, Ásia, América Latina e Europa (tendo passado por Portugal, pelo Festival MEO Marés Vivas), a digressão chega ao fim no próximo dia 17 de outubro, na Roménia. O último álbum de Sting, “57th & 9th”, foi lançado em novembro de 2016 e atingiu o top 10 de vendas em vários países um pouco por todo o mundo.

17
Mai17

Sting: “The Complete Studio Collection”

olhar para o mundo

sting.jpg

 

Sting: “The Complete Studio Collection” editada a 9 de junho

Caixa inclui todos os álbuns a solo de Sting em vinil de 180 gramas

Acaba de ser anunciado o lançamento de “The Complete Studio Collection”, caixa de inclui todos os álbuns a solo de Sting em vinil de 180 gramas, marcado para 9 de junho. Indo desde o álbum de estreia, “The Dream of the Blue Turtles”, de 1985, ao último “57th & 9th”, “The Complete Studio Collection” é a primeira antologia completa da carreira a solo incomparável de Sting.

Após a edição da já esgotada “The Studio Collection”, “The Complete Studio Collection” inclui todos os álbuns de Sting editados pela A&M/Interscope Records, mais os discos editados na Deutsche Grammophon – “Songs from the Labyrinth” (2006), “If On A Winter’s Night…” (2009) e “Symphonicities” (2010) – bem como o novo álbum “57th & 9th”, reunindo todos os 12 álbuns de estúdio a solo pela primeira vez.

Para os fãs que já adquiriam a caixa “The Studio Collection”, foi criado um segundo volume, intitulado “The Studio Collection: Volume II”, que contém os 4 novos álbuns agora acrescentados - “Songs from the Labyrinth”, “If On A Winter’s Night…”, “Symphonicities” e “57th & 9th” – com espaço dentro da caixa para incluir os restantes álbuns e assim criar este “The Complete Studio Collection”.

 

 

 

Todos os LPs apresentam reproduções meticulosas do artwork original, sendo que as novas masterizações foram feitas nos célebres estúdios de Abbey Road, de forma a garantir a melhor qualidade áudio possível.

The Complete Studio Collection” destaca a abrangência incrível da escrita de canções de Sting, da sua forma inimitável de contar histórias e dos arranjos inspiradores dos seus temas, através de uma miríade de estilos musicais. Desde o álbum político influenciado pelo jazz “The Dream of the Blue Turtles”, até à sapiência de escrita pop de “…Nothing Like The Sun”, passando por “Brand New Day”, pela eletrónica evocativa de “Sacred Love”, pela exploração de formas complexas da música clássica em “Songs from the Labyrinth”, pela magnitude conceptual de “If On A Winter’s Night…”, pelos arranjos orquestrais de “Symphonicites” até ao regresso triunfal às formas pop/rock em “57th & 9th”, “The Complete Studio Collection” revela todas as facetas da arte verdadeiramente inspirada de Sting, que está sempre em evolução.

The Complete Studio Collection” e “The Studio Collection: Volume II” serão editadas 9 de junho e já estão disponíveis em regime de pré-venda.

A digressão de Sting57th & 9th World Tour”, que conta com os convidados especiais The Last Bandoleros e Joe Sumner, está a receber os mais rasgados elogios dos fãs e da crítica especializada. A digressão passará por Portugal este verão, já que Sting atuará a 16 de julho no festival MEO Marés Vivas, em Vila Nova de Gaia.

Sting vai ainda ser distinguido com o Polaris Music Prize, que destaca o poder e a importância da música, sendo um prémio entregue a personalidades, grupos ou instituições com reconhecimento internacional pela sua excelência no mundo da música. A cerimónia do Polaris Music Prize realiza-se a 5 de junho, em Estocolmo, na Suécia, na presença da Família Real Sueca.

 

 

12
Jan17

Sting lança novo vídeo para o single “One Fine Day”

olhar para o mundo

sting.png

 

Sting lança novo vídeo para o single “One Fine Day”

Canção faz parte do mais recente álbum do músico: “57th & 9th”.

Sting acaba de revelar o vídeo do seu mais recente single, “One Fine Day”, retirado do seu último álbum de originais, “57th & 9th” (2016), tendo sido realizado por James Larese. O vídeo de animação faz uma clara referência ao teledisco icónico de “Love is the Seventh Wave”, tema do álbum “The Dream of the Blue Turtles”, editado em 1985.

“‘One Fine Day’ é a minha sátira sobre os céticos do clima. Espero muito sincera e apaixonadamente que eles estejam certos e que a maioria dos cientistas nos respetivos campos de pesquisa só digam loucuras, e por isso… talvez todos nós seremos gratos… one fine day!”, afirmou Sting.

Para celebrar as canções deste seu novo álbum, Sting inicia já no próximo mês uma digressão mundial de promoção a “57th & 9th”, durante a qual estará acompanhado de três músicos: Dominic Miller (guitarra), Josh Freese (bateria) e Rufus Miller (guitarra). Entre alguns dos convidados especiais desta digressão estão o cantautor Joe Sumner e o grupo The Last Bandoleros.

A digressão vai passar por Portugal no verão, a 16 de julho, estando confirmada a presença de Sting na edição deste ano do festival MEO Marés Vivas, em Vila Nova de Gaia. Para ficar a par de todas as datas, basta aceder ao site www.sting.com.

 

 

03
Out16

“The Studio Collection”: a nova caixa que reúne a discografia de Sting em vinil

olhar para o mundo

sting.jpg

 

“The Studio Collection”: a nova caixa que reúne a discografia de Sting em vinil, editada hoje

Caixa inclui oito álbuns a solo de Sting em vinil, tendo todos os discos sido remasterizados nos estúdios de Abbey Road

Chega hoje às lojas “The Studio Collection”, a caixa que reúne todos os álbuns a solo da discografia de Sting em edições em vinil de 180 gramas.

The Studio Collection” inclui os oito álbuns essenciais do percurso do músico na A&M Records – “The Dream of the Blue Turtles” (1985), “…Nothing Like The Sun” (1987, editado em duplo LP), “The Soul Cages” (1991), “Ten Summoner’s Tales” (1993), “Mercury Falling” (1996), “Brand New Day” (1999, editado em duplo LP), “Sacred Love” (2003, também duplo LP) e “The Last Ship” (2013). No caso dos álbuns “Brand New Day” e “Sacred Love”, esta é também a primeira vez que estes são editados em vinil.

Todos os LPs incluídos nesta caixa surgem com o artwork original, sendo que cada um dos álbuns foi remasterizado nos lendários estúdios de Abbey Road, de forma a garantir uma qualidade sonora excecional.

Fazem parte da caixa “The Studio Collection” alguns dos álbuns e das canções mais icónicos de sempre, incluindo vários temas premiados com prémios Grammy. Desde o revelador “The Dream of the Blue Turtles”, lançado em 1985 e no qual Sting se fez acompanhar pelos melhores músicos de jazz americanos da época num disco carregado de mensagens políticas, até ao mais recente “The Last Ship”, de 2013, onde o músico explora temáticas como o regresso às raízes e a autodescoberta no Nordeste de Inglaterra, “The Studio Collection” revela a escrita de canções meticulosa de Sting, a sua forma de contar histórias evocativa e uma inovação contínua que tem cruzado géneros musicais de forma desafiante ao longo de toda a sua carreira.

Desde grandes sucessos como Englishman In New York, If I Ever Lose My Faith In You, Fields Of Gold, Seven Days ou Shape of My Heart, aos temas politicos como We Work The Black Seam e Russians, passando pelas influências gospel em Let Your Soul Be Your Pilot e Filler Her Up, às incursões pelas bossa nova de La Belle Dame Sans Regrets e Big Lie Small World, até ao hip hop francês de Perfect Love… Gone Wrong ou à arabesca Desert Rose, "The Studio Collection” combina a amplitude e a força de Sting enquanto compositor, cantor e ativista numa série de vinis de alta qualidade.

Cada um dos álbuns que integra esta caixa que hoje chega às lojas também estará disponível individualmente.

 

A caixa “The Studio Collection” não é a única novidade que Sting tem reservada para a rentrée, já que a 11 de novembro vai também editar o seu novo álbum de estúdio, intitulado “57th & 9th”. O disco já se encontra em pré-venda. 

 

 

24
Set13

«THE LAST SHIP», O NOVO ÁLBUM DE STING

olhar para o mundo

«THE LAST SHIP», O NOVO ÁLBUM DE STING


«THE LAST SHIP», O NOVO ÁLBUM DE STING

 

O novo álbum de originais de Sting«The Last Ship» já chegou às lojas. Estࡠ agora disponível em edição digital e física, em dois formatos – uma versão de 12 canções (também editada em vinil) e uma versão deluxe com dois discos, que inclui 5 canções extra.


«The Last Ship» foi inspirado na peça de Sting com o mesmo nome, que tem como ponto central o imaginário do regresso a casa e da auto-descoberta, partindo da memória do seu crescimento na sombra do estaleiro de Swan Hunters, em Wallsend. As suas reminiscências pessoais iluminam verdades universais, acabando por dar origem a uma apaixonante parábola dos tempos modernos. «The Last Ship» tem estreia marcada, na Broadway, para 2014.


O álbum, foi produzido por Rob Mathes (Sting, Eric Clapton, Elton John, Lou Reed, Carly Simon) e misturado por Donal Hodgson«The Last Ship» conta, ainda, com a participação de diversos músicos do nordeste de Inglaterra, entre os quais Kathryn Tickell, Peter Tickell, Julian Sutton, The Wilson Family, The Unthanks, além de Jimmy Nail e Brian Johnson, como convidados especiais.

06
Jun13

STING APRESENTA «THE LAST SHIP»

olhar para o mundo

Sting, the last ship


STING APRESENTA «THE LAST SHIP»

 

O novo álbum de originais de Sting, intitulado «The Last Ship», vai ser editado pela Cherrytree/Interscope/A&M Records no dia 23 de Setembro.

O disco foi inspirado na próxima peça de Sting, com o mesmo nome, que tem como ponto central o imaginário do regresso a casa e da auto-descoberta, partindo da memória do seu crescimento na sombra do estaleiro de Swan Hunters, em Wallsend. As suas reminiscências pessoais iluminam verdades universais – a complexidade dos relacionamentos, a passagem do tempo e a importância da família e da comunidade – acabando por dar origem a uma apaixonante e complexa parábola dos nossos tempos modernos.

A peça, na qual Sting tem estado criativamente mergulhado nos últimos três anos, vai estrear-se, na Broadway, em 2014, sendo o resultado de uma intensa colaboração com vários vencedores de prémios Tony: Joe Mantello (encenador; «Wicked», «Other Desert Cities»), John Logan (argumentista; «Red», «Skyfall») e Brian Yorkey (argumentista; «Next To Normal»). «The Last Ship» narra a história do progressivo desaparecimento da indústria de construção naval, na década de 1980, em Newcastle – a mesma actividade que, durante muito tempo, definiu e obscureceu a cidade, o seu desenvolvimento e a sua sociedade.

O álbum, foi produzido por Rob Mathes (Sting, Eric Clapton, Elton John, Lou Reed, Carly Simon), e misturado por Donal Hodgson.

«The Last Ship» vai estar disponível em edição digital e física, em dois formatos – uma versão de 12 canções (também editada em vinil) e uma versão deluxe com dois discos, que inclui 5 canções extra.

www.sting.com

10
Mai13

Sting - Ne me quitte pas (live)

olhar para o mundo

 

Letra

 

Ne me quitte pas 
Il faut oublier 
Tout peut s'oublier 
Qui s'enfuit déja 
Oublier le temps 
Des malentendus 
Et le temps perdu 
A savoir comment 
Oublier ces heures 
Qui tuaient parfois 
A coups de pourquoi 
Le coeur do bonheur 
Ne me quitte pas 
Ne me quitte pas 
Ne me quitte pas 
Ne me quitte pas 

Moi je t'offrirai 
Des perles de pluie 
Venues de pays 
Ou il ne pleut pas 
Je creuserai la terre 
Jusqu'apres ma mort 
Pour couvrir ton corps 
D'or et de lumiere 
Je ferai un domaine 
Ou l'amour sera roi 
Ou l'amour sera loi 
Ou tu seras reine 
Ne me quitte pas 
Ne me quitte pas 
Ne me quitte pas 
Ne me quitte pas 

Ne me quitte pas 
Je t'inventerai 
Des mots insensés 
Que tu comprendras 
Je te parlerai 
De ces amants-la 
Qui ont vu deux fois 
Leurs coeurs s'embraser 
Je te raconterai 
L'histoire de ce roi 
Mort de n'avoir pas 
Pu te rencontrer 
Ne me quitte pas 
Ne me quitte pas 
Ne me quitte pas 
Ne me quitte pas 

On a vu souvent 
Rejaillir le feu 
D'un ancien volcan 
Qu'on croyait trop vieux 
Il est paraît-il 
Des terres brulées 
Donnant plus de blé 
Qu'un meilleur avril 
Et quand vient le soir 
Pour qu'un ciel flamboie 
Le rouge et le noir 
Ne s'épousent-ils pas 
Ne me quitte pas 
Ne me quitte pas 
Ne me quitte pas 
Ne me quitte pas 

Ne me quitte pas 
Je ne vais plus pleurer 
Je ne vais plus parler 
Je me cacherai la 
A te regarder 
Danser et sourire 
Et a t'écouter 
Chanter et puis rire 
Laisse-moi devenir 
L'ombre de ton ombre 
L'ombre de ta main 
L'ombre de ton chien 
Ne me quitte pas 
Ne me quitte pas 
Ne me quitte pas 
Ne me quitte pas.

29
Jun12

Sting abre o CoolJazzFest

olhar para o mundo
Sting actua esta sexta-feira no Parque dos Poetas, em OeirasSting actua esta sexta-feira no Parque dos Poetas, em Oeiras (Nuno Ferreira Santos)

Seis concertos, ao ar livre, em espaços do concelho de Oeiras. É mais um CoolJazzfest, de Michael Kiwanuka a Pat Metheny.

 

Começa esta sexta-feira o CoolJazzFest, que regressa a Oeiras, depois de três anos sediado em Cascais. Nesta 9.ª edição estarão presentes nomes da pop, jazz ou soul, em seis noites, ao ar livre, que vão ao encontro do conceito ecléctico que desde o início serviu de bússola a este evento.

É no estádio do Parque dos Poetas que Sting se apresentará, previsivelmente para revisitar o seu longo percurso, desde os Police, no final da década de 70, até à actualidade. 

Para revisitar o 25.º aniversário da sua carreira, o cantor e músico inglês lançou a antologia 25 Years e o CD duplo The Best of 25 Years, e é nesse contexto que regressa a Portugal. É natural que o fantasma dos Police esteja presente (canções como Message in bottle, Roxanne e Sychronicity costumam fazer parte do alinhamento), mas a maior fatia do concerto incidirá naturalmente nos êxitos a solo como Englishman in New York ou a balada Desert rose. 

Antes de Sting, apresenta-se o britânico James Walsh, que conhecemos melhor como líder dos Starsailor. Vem mostrar do que é feito o recém-inaugurado percurso a solo, através do EP Live at the Top of the World, que contou com a participação de uma orquestra de câmara norueguesa. 

Mas nem só de Sting se fará o festival. A 4 de Julho, nos jardins do Palácio do Marquês de Pombal, será a vez dos cubanos Buena Vista Social Club e do inglês Michael Kiwanuka, que este ano se estreou com o álbum Home Again, variação em torno da soul, jazz e reggae. A 8, no mesmo espaço, é a vez de Al Jarreau, e a 19, Lizz Wright e Raul Midón. No encerramento, as atenções virar-se-ão para Pablo Alborán (21) e Pat Metheny (22), ambos nos jardins do Palácio do Marquês Pombal.

 

Noticia do Público

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D