Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

As Coisas da Cultura

Porque há sempre muito para ver e para contar

Porque há sempre muito para ver e para contar

As Coisas da Cultura

19
Nov13

Cristiano Ronaldo coloca Portugal Mundial

olhar para o mundo

Cristiano Ronaldo

 

Pela sexta vez no seu historial, a selecção portuguesa qualificou-se para a fase final do Mundial de futebol, após ter nesta terça-feira derrotado a Suécia por 3-2 em Estocolmo, no jogo da segunda mão do playoff de apuramento, depois do triunfo por 1-0 em Lisboa.

 

Tal como acontecera no jogo na Luz, foi Cristiano Ronaldo a decidir para a selecção portuguesa. Foi o avançado do Real Madrid os três golos portugueses e a confirmar a presença da selecção no Mundial que se realiza no próximo ano no Brasil.

 

Tudo parecia estar encaminhado para um resto de jogo sem sobressaltos quando Ronaldo fez o 1-0 aos 50’, numa jogada de contra-ataque. A Suécia precisava de marcar três golos para anular a desvantagem e Zlatan Ibrahimovic, a sua principal arma ofensiva, parecia desinspirado.

 

O avançado do PSG complicou as contas portuguesas ao marcar dois golos em três minutos. Primeiro, aos 68’, cabeceou sozinho na área portuguesa e fez o empate. Depois, aos 71’, colocou os suecos na frente com um livre directo.

 

Mas a resposta de Ronaldo foi a melhor possível. Aos 77’, Ronaldo fez o empate em mais uma jogada de contra-ataque e, aos 79’, acaba, em definitivo com a eliminatória, ao fazer o 3-2 numa jogada semelhante.

 

Foi o segundo hat-trick de Ronaldo ao serviço da selecção, ele que já tinha marcado três golos frente à Irlanda do Norte e, com esta proeza, o madeirense igualou Pauleta na lista dos melhores marcadores da história da selecção, passando a somar 47 golos em 109 internacionalizações.

 

Retirado do Público

29
Out12

João Salaviza distinguido na Suécia com Prémio em Memória de Ingmar Bergman

olhar para o mundo

O júri de Uppsala destacou a

O júri de Uppsala destacou a "cinematografia de sensibilidade" deRafa (DR)


Depois do Urso de Ouro em Berlim, outra distinção de peso. Se não por tudo o resto, pelo simbolismo: Rafa, curta-metragem de João Salaviza, foi distinguida hoje com o Prémio Uppsala em Memória de Ingmar Bergman, um dos mais relevantes do Festival Internacional de Curtas Metragens que termina hoje na cidade natal do histórico realizador sueco.

 

O júri da competição internacional, onde estava integrado Rafa, é constituído por Joakim Blendulf, Jacob Lundstrm, Frédéric Pelle, Anita Svingen e Insa Wiese. O Prémio em Memória de Ingmar Bergman, que se destina a destacar um “realizador jovem e promissor que alargue as fronteiras da arte cinematográfica”, foi atribuído a Salaviza pela “cinematografia de sensibilidade” de Rafa, que “capta o silêncio de um jovem rapaz numa missão solitária na Lisboa moderna”. No site do festival destaca-se ainda uma “interpretação emotiva mas subtil que prenuncia um bom futuro”.

O prémio consiste em 50 mil coroas suecas (cerca de 5800 euros) e uma obra do artista Jin Jiang.

João Salaviza é um dos rostos da encruzilhada em que vive actualmente o cinema português, onde o sucesso e reconhecimento internacional de realizadores como Miguel Gomes, João Canijo ou Salaviza, convive com um desinvestimento estatal que os agentes do meio consideram pôr o futuro em perigo. Antes da distinção em Uppsala, Rafa ganhara em Fevereiro o Urso de Ouro para melhor curta no Festival de Cinema de Berlim. Já em Maio, no Indie Lisboa, Cerro Negro, uma encomenda da Fundação Gulbenkian, valeu a Salaviza o Prémio para Melhor Realizador Português de Curta-Metragem.

Três anos antes Arena, a sua primeira obra, foi distinguida com o prémio de melhor curta no Indie Lisboa 2009. Poucas semanas depois o país inteiro ficou a conhecer o realizador, então com 25 anos, quando Arena venceu o Grande Prémio da competição de curtas-metragens no Festival de Cannes.

O novo secretário de Estado da Cultura, Jorge Barreto Xavier, teve nas felicitações a Salaviza o seu primeiro acto público depois da tomada de posse sexta-feira, substituindo Francisco José Viegas. Lê-se num comunicado enviado à Lusa: “O secretário de Estado da Cultura, Jorge Barreto Xavier, enviou hoje as suas felicitações em nome do Governo português ao realizador João Salaviza na sequência do galardão obtido pelo filme Rafa no 31.º Festival Internacional de Curtas Metragens em Uppsala.

 

Noticia do Público

05
Out12

Suécia constrói museu para homenagear os ABBA

olhar para o mundo

Bjoern Ulvaeu anunciou que o museu inaugura na Primavera de 2013Bjoern Ulvaeu anunciou que o museu inaugura na Primavera de 2013 (Dylan MartinezREUTERS/)

A cidade de Estocolmo, na Suécia, está a construir um museu dedicado ao grupo musical ABBA. A novidade foi anunciada por Bjoern Ulvaeu, um dos fundadores da banda, em conferência de imprensa na quarta-feira. A data de inauguração está prevista para a Primavera de 2013.

No museu vão estar expostas as roupas fantasiosas da banda dos anos 1970 e 1980, assim como alguns dos instrumentos que já antes foram vistos pelo público na exposição ABBAWORLD, que correu a Europa e a Austrália entre 2009 e 2011.

“É gratificante para os ABBA que as pessoas se possam lembrar de nós jovens, ambiciosos e com energia, durante os anos 1970, do que alguns velhos que sentem vontade de se levantar e tocar para sempre” disse Bjoern Ulvaeu, ex-membro da banda, na conferência de imprensa.

Segundo o músico, os ABBA decidiram há 30 anos fazer uma pausa para poderem iniciar outros projectos, com a ideia de se juntarem novamente mais tarde. “Nós somos o único grupo com aquele tipo de estatuto que nunca voltou se voltou a reunir”, disse Ulvaeu à Associated Press. 

A banda que desistiu no topo da carreira, como disse o músico, aprovou a criação do museu em sua homenagem e Bjoern Ulvaeu espera a presença do grupo na inauguração. No entanto, exclui um regresso aos palcos.

Durante a década de 1970 e 1980, os suecos ABBA escalaram os tops mundiais da música e fizeram furor nas pistas de dança, principalmente depois da vitória no Festival da Eurovisão em 1974 com Waterloo. 

Mesmo depois do fim, os ABBA continuam a vender milhões de discos todos os anos. Durante o tempo que estiveram no activo venderam mais de 370 milhões de cópias. 

Em 2008, o filme Mamma Mia, de Phyllida Lloyd, um tributo aos ABBA, protagonizado por Meryl Streep e Pierce Brosnan, regenerou a energia da onda disco da banda e tornou-se no musical mais rentável até aos dias de hoje.

 

Noticia do Público

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub