Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

As Coisas da Cultura

Porque há sempre muito para ver e para contar

Porque há sempre muito para ver e para contar

As Coisas da Cultura

27
Out16

Espectáculo "As Lusíadas" no Teatro do Bairro.

olhar para o mundo

companhiadaoutra.png

 

 

" As Lusíadas", uma criação da Companhia De Outra, encenada por Maria João Rocha, irá estrear no dia 25 de Novembro, no Teatro do Bairro.

 

AS LUSÍADAS conta a histórias de algumas das mulheres que fizeram parte dos descobrimentos e que foram apagadas da história. Com base em factos reais este espectáculo entrelaça a vida de várias mulheres, de diferentes classes sociais, que tiveram um papel numa época em que a mulher não estava destinada a tê-lo.

 

Sinopse: 

Ao escrever Os Lusíadas, Luís de Camões esqueceu-se (ou não terá achado conveniente assinalar) que muitas mulheres contribuíram para a expansão portuguesa fazendo o mesmo percurso e passando pelas mesmas dificuldades que relata, sofrendo, muitas vezes castigos severos pela ousadia. 

Ao longo dos séculos, As Lusíadas foram ignoradas pelos historiadores, como se a sua motivação para a viagem fosse menos nobre do que a dos homens, ou como se a sua vontade e coragem fossem indignas de constar na História de Portugal.

Iria Pereira, Inês, Maria, Cecília, Catarina, Isabel, Antónia Rodrigues, Brianda de Solis, Catarina Pires, Beatriz Anes e tantas, tantas outras, foram mulheres corajosas que “Em perigos e guerras esforçados / Mais do que permitia a força humana, / E entre gente remota edificaram / Novo Reino, que tanto sublimaram;”. “Luís, estás a ouvir? Nós também fomos à Índia!”

 

Sobre Maria João Rocha:

Licenciada em História pela Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, Mestre em Teatro-Encenação pela Escola Superior de Teatro e Cinema e possui o Título de Especialista em Comunicação Audiovisual e Multimédia, atribuído por unanimidade por um Júri conjunto do Instituto Politécnico de Lisboa / Instituto Politécnico de Leiria / Instituto Politécnico do Porto. Como Investigadora no Gabinete de Estudos de Cultura, Artes Performativas e Audiovisuais, do CLEPUL – Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, integra os grupos de trabalho que desenvolvem os projetos de investigação 25/S I Ciclo de Estudos Televisivos e Teatro ON AIR. Foi realizadora de televisão (RTP) e é encenadora de teatro. Tem desempenhado funções docentes nas áreas do audiovisual e do teatro em diversas Escolas Superiores e Universidades e foi Formadora ativa no Centro da Formação da RTP (1983-2000). Atualmente é professora na Licenciatura em Artes Performativas da ESTAL – Escola Superior de Tecnologias e Artes de Lisboa. Em 1994 recebeu uma Menção Especial do Júri do Festival de Teatro Televisivo do Prémio Itália pela realização de Fé, Esperança e Caridade, de Odon von Horváth.

03
Nov15

Nega Jaci no Teatro do Bairro dia 25 de Novembro

olhar para o mundo

negajaci.jpg

 

 

Nascida em Salvador, Bahia, Nega foi convidada na adolescência para integrar o Grupo Cultural Bagunçaço (projecto direccionado às crianças em situação de risco social). O seu talento para a música foi logo percebido e Jaci tornou-se vocalista de duas bandas, Sucata Mania e Percucia. Com esta última gravou o CD “Toque Bahia”, cujo repertório se identifica com as raízes musicais africanas, um misto de ritmos afro-brasileiros e norte-americanos.


O trabalho desenvolvido enquanto vocalista das duas bandas proporcionou a Jaci a abertura de grandes concertos, como o da cantora Maria Rita. Teve também a oportunidade de cantar para muitas figuras ilustres como o ex-presidente do Brasil, Lula da Silva, e a rainha Sílvia da Suécia – num espectáculo produzido no próprio Castelo Real e onde Jaci se destacou pela sua voz particular.


O timbre da sua voz e o seu carisma chamou a atenção e o interesse da célebre cantora brasileira Margareth Menezes, que a convidou para integrar a sua banda. Nega passou a acompanhá-la durante alguns anos como membro do coro, o que lhe proporcionou a presença em palcos como o Canecão, no Rio de Janeiro, Festival de Verão de Salvador, Micaretas e trios eléctricos em vários estados brasileiros, bem como a gravação de dois álbuns: “Tete a Tete Margareth” e “Festival de Verão Salvador ao vivo”.


Nestes espectáculos, Jaci partilhou o palco com outros grandes nomes da MPB (Música Popular Brasileira) como Ivete Sangalo, Alcione, Cidade Negra, Gabriel O Pensador, Sandra de Sá, Elba Ramalho, Gilberto Gil e Caetano Veloso, entre outros.
 

Agora em Portugal, assista ao concerto de apresentação do álbum
"Nega Jaci canta Chico & Elis e revisita a MPB" no:

 
Teatro do Bairro
Rua Luz Soriano, 63, 1200 246 Lisboa
Quarta-feira , 25 de Novembro às 21:30
 
Abertura de portas 21h
Entrada 5€


Informações e Reservas por telefone
21 347 33 58 ou 91 321 12 63 (16h - 20h)

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub