Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

As Coisas da Cultura

Porque há sempre muito para ver e para contar

Porque há sempre muito para ver e para contar

As Coisas da Cultura

18
Jan13

Sporting voltou a ganhar

olhar para o mundo

Rui Patrício garante terceira vitória consecutiva do Sporting de Jesualdo EM ACTUALIZAÇÃO: PAULO CURADO 18/01/2013 - 22:01 (actualizado às 22:47) Duas defesas do guarda-redes “leonino” seguraram o triunfo da equipa de Alvalade nos intensos instantes finais. Carrillo saltou do banco para marcar o golo que rendeu mais três pontos e o sexto lugar provisório.    Rui Patrício voltou a ser o herói do Sporting PATRÍCIA DE MELO MOREIRA/AFP  0        TÓPICOS Futebol nacional I Liga Beira-Mar Sporting Futebol Jesualdo Ferreira MAIS  Jesualdo Ferreira:

Duas defesas do guarda-redes “leonino” seguraram o triunfo da equipa de Alvalade nos intensos instantes finais. Carrillo saltou do banco para marcar o golo que rendeu mais três pontos e o sexto lugar provisório.

 

Após um final de partida electrizante, com dois penáltis falhados em cada uma das balizas, o Sporting de Jesualdo Ferreira garantiu nesta sexta-feira a terceira vitória consecutiva. Antes do cair do pano, Rui Patrício foi o herói da equipa da casa, ao defender o castigo máximo e impedindo ainda a derradeira grande oportunidade do Beira-Mar.

 

O triunfo dos lisboetas (1-0) não escondeu o muito trabalho que o novo treinador dos “leões” tem pela frente, mas para já está a fazer aquilo que parecia impossível esta temporada. Poderá ser o messias que a direcção de Godinho Lopes sonhava para diminuir os índices de contestação dos adeptos.

Noticia do Público
25
Set12

Sporting consegue primeira vitória

olhar para o mundo

Sporting consegue primeira vitória

Foi com suor, paciência e muito sofrimento que o Sporting construiu a primeira vitória do campeonato (2-1) nesta época.


Os “leões” estiveram a perder durante 69 minutos, mas acabaram por dar a volta ao marcador frente a um Gil Vicente que deixou de ser a única equipa sem golos sofridos ou marcados na competição. No final, um abraço emocionado de Luís Duque, responsável pelo futebol de Alvalade, a Sá Pinto poderá ter representado a sobrevivência do treinador no futuro imediato.

Alvo de todas as críticas nos últimos dias, o técnico leonino reservou três novidades argentinas para este jogo, que implicaram algumas alterações tácticas, com bons resultados nos primeiros 45’. Estes terão sido os melhores da equipa de Alvalade esta temporada, nomeadamente em termos de dinâmica atacante, apesar de, nas contas finais, ter saído para o intervalo a perder, por 1-0.

Mais aguardada do que as restantes surpresas, foi o regresso de Rinaudo, sete meses depois da sua última participação em jogos oficiais. Um longo interregno que se deveu a uma complicada lesão, mas que, aparentemente, não retirou nenhuma das qualidades a este médio defensivo. Também não espantou muito a chamada de Insúa para o lado esquerdo da defesa, ao contrário do que aconteceu com o inesperado adiantamento no terreno de Pranjic, o anterior detentor desta posição. E particularmente mais inesperada acabou por ser a estreia de Viola a titular.

Mudanças também no esquema táctico leonino, desenhado num ofensivo 4-1-3-2, com Izmailov a assumir o papel de “maestro” da companhia. A determinação do acossado Sá Pinto foi apreendida pelos seus jogadores, que nos primeiros seis minutos criaram duas excelentes oportunidades de golo, desperdiçadas por Pranjic (5’) e Capel (6’).

O público de Alvalade gostou, a equipa prometia uma noite de redenção, mas no momento imediato tudo arrefeceu. Cédric deixou-se ultrapassar por Luís Carlos, que se isolou e marcou para a equipa minhota.
A frustração não dominou os “leões”, que mantiveram a concentração. Com Rinaudo (que assumiu as despesas do meio-campo defensivo) e Izmailov inspirados, os lisboetas voltaram a empurrar o adversário para perto da sua área, com muita circulação de bola, que esbarrava quase sempre numa das defesas mais bem organizadas deste campeonato.

Um verdadeiro teste à persistência e paciência do Sporting, que teve ainda de lidar com alguma falta de sorte, como aconteceu no final do primeiro tempo, quando Viola atirou, de primeira, uma bola à barra.
Nada mudou no reatamento, nem sequer faltou mais uma soberana oportunidade para o Gil Vicente voltar a marcar. Desta vez, valeu Rui Patrício, que evitou com o pé o golo de Brito, aos 69’. Inconformado, Sá Pinto foi reforçando o ataque, fazendo entrar Carrillo (61’, para o lugar de Xandão) e Jeffrén (74’, a render Viola). Na primeira metade, Labyad já substituíra o lesionado Pranjic.

O sofrimento dos lisboetas começou a ser apaziguado aos 76’, quando Insúa e Capel construíram o golo do empate, mas seria preciso aguardar até aos 85’ para a euforia tomar completamente conta de jogadores e adeptos sportinguistas. Wolfswinkel, de cabeça, resolveu tudo.

POSITIVO

Rui Patrício, Capel 
e Wolfswinkel
O guarda-redes manteve o Sporting em jogo, o espanhol fez renascer a esperança e o holandês levou ao delírio os sportinguistas. 


Izmailov
O maestro é um jogador intocável no actual Sporting.

Rinaudo
Incansável e determinante no meio-campo.

Luís Carlos
Marcou o primeiro golo dos gilistas no campeonato e deu grandes esperanças aos minhotos.

Adeptos leoninos
Compareceram em número significativo, apesar do mau início de temporada da equipa.

NEGATIVO

Viola
É verdade que a barra impediu o seu golo, mas o argentino também não fez muito mais para evitar uma estreia pálida como titular.


Ficha de jogo

Sporting, 2
Gil Vicente, 1

Jogo no Estádio José Alvalade, em Lisboa.

Sporting Rui Patrício, Cédric, Xandão (Carrillo, 61), Marcos Rojo, Insúa, Rinaudo, Diego Capel, Izmailov, Pranjic (Labyad, 39), Van Wolfswinkel e Viola (Jeffrén, 74). Treinador: Sá Pinto

Gil Vicente Adriano Fachini, Daniel (Éder, 42), Halisson, Cláudio, Luciano Amaral, Luis Manuel, Tiero, Pedro Pereira (Leonardo, 59), André Cunha, Luis Carlos (Djalma, 75) e Brito. Treinador: Paulo Alves.

Árbitro Vasco Santos (Porto).
Amarelos Pedro Pereira (19), Daniel (23), Marcos Rojo (44), Labyad (46 e 88), Brito (51), Cláudio (88), Cédric (90+2) e Rui Patrício (90+3).
Vermelho Labyad (89). Nelson (treinador de guarda-redes do Sporting) 

Golos
0-1, por Luís Carlos, aos 7'
1-1, por Capel, aos 76'
2-1, por Wolfswinkel, aos 85'


Noticia do Público

30
Jul12

Automobilismo, GP3: dupla vitória de Félix da Costa na Hungria

olhar para o mundo

Automobilismo  GP3: dupla vitória de Félix da Costa na Hungria

O piloto português António Félix da Costa fez um pleno inédito na sexta etapa do circuito mundial de GP3, ao vencer a segunda corrida do GP da Hungria.

 

Félix da Costa, da Red Bull Junior Team, entrou para a história da competição, ao tornar-se no primeiro piloto de sempre a vencer as duas corridas num fim de semana da GP3 Series.

Com a dupla vitória no circuito húngaro, Félix da Costa subiu ao terceiro lugar do campeonato, agora com 102 pontos, atrás do australiano Mitch Evans (138) e do finlandês Aaro Vainio (119).

Depois da negra participação na quinta etapa, na Alemanha, marcada pela desistência nas duas corridas do circuito de Hockenheim, Félix da Costa saltou do sétimo para o terceiro lugar da geral.

“Este é um dos dias mais felizes da minha carreira. Foi uma corrida espectacular. A equipa esteve muito bem na estratégia de troca de pneus e quando voltei à pista fiz uma série de voltas muito rápidas para chegar à liderança. Foi fantástico estar no lugar mais alto do pódio por duas vezes num fim-de-semana, acompanhado pelo nosso hino nacional”, afirmou o piloto no final da corrida, em declarações reproduzidas pela sua assessoria de imprensa.

Félix da Costa repartiu esta vitória com a Red Bull e todos os portugueses: “Estamos juntos nesta caminhada até à Fórmula 1”.

A sétima e penúltima etapa da GP3 Series disputa-se a 01 e 02 de Setembro, no circuito belga de Spa-Francorchamps. 


Noticia do Público

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub