Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

As Coisas da Cultura

Porque há sempre muito para ver e para contar

Porque há sempre muito para ver e para contar

As Coisas da Cultura

06
Jan17

O parto humanizado da própria filha encerra o primeiro ano do Yokohama Café

olhar para o mundo

IMG_8158-2.jpg

 

O parto humanizado da própria filha encerra o primeiro ano do Yokohama Café

 

"Sobre a Vida do Mar" trata de um dos rituais mais importantes e desafiadores da vida de qualquer ser vivo: o nascer.  O vídeo é um registro do parto humanizado de Sara, filha de Allan Yokohama e Francine Cristino, realizado em 19 de setembro de 2016 e acompanhado pela Dra Lara Nahar Barbosa (obstetra), Dr Ênio Machado (pediatra) e pela doula Sindriani Fonseca.

"Após duas cesáreas desnecessárias e a vontade latente por um parto, não nos restava nada além de se munir de informação e encontrar a equipe ideal para realizar esse sonho, que já me havia sido roubado anteriormente. Esperar pelo momento certo, onde o bebê nos mostra que está pronto para nascer é uma lição de paciência, amor e respeito por ele, que não precisa chegar ao mundo já cercado de violência", comenta a mamãe Francine.

O momento foi captado pelas lentes de Márcia Kohatsu, trazendo um olhar artístico para mais uma das várias sessōes de parto humanizado em que acompanha, com o cuidado e sensibilidade exigidos ao momento.

 “A escolha pelo parto humanizado veio através de muita informação e pesquisa de profissionais que realizassem tal feito. Esperar pelo momento certo, o momento em que o bebê quer nascer, sem retirá-lo à força de dentro da barriga da mãe, foi uma grande lição de respeito e carinho que queremos cultivar junto à uma nova vida que se inicia”, comenta Allan Yokohama.

A canção, a última inédita dentro da edição 2016 do projeto Yokohama Café, teve letra escrita por Rodrigo Medeiros, música por Allan Yokohama, voz de Iria Braga e lira por Elizabeth Vieiro. As imagens captadas do nascimento e a canção estão disponíveis no Youtube oficial da banda de um homem e vários amigos Yokohama Café.

 

Sobre o projeto Yokohama Café:

O Yokohama Café é formado da união entre amigos a fim de criar músicas, contar histórias e simplesmente se divertir, vivenciando cada momento da criação. Tendo como único membro fixo o fundador Allan Yokohama, a banda traz músicos importantes de diversas bandas que marcaram época no cenário independente se revezando em formações diferentes, gerando uma canção e uma sessão de fotos totalmente inédita por mês, durante todo o ano de 2016.

Em janeiro o projeto estreou com "Asfalto", que reunia alguns ex-integrantes da banda Narciso Nada pela primeira vez em anos. Para fevereiro o Yokohama Café contou com Diogo Soares, da banda acreana Los Porongas, para criar “Inventar o Agora”. O primeiro clipe da banda veio com uma animação da faixa “Preciso”, lançada em março. Já em abril, a teatral “A Fera Espera a Jaula Caducar” trouxe Lemoskine como grande convidado. O teatro continuou presente em maio, com “O Resto É Silêncio”, composta para uma interpretação rocker de Hamlet, de William Shakespeare.

As canções continuam com “O Espaço”, com Oneide Diedrich (Pelebroi Não Sei), Rapha Moraes (Rapha Moraes e The Mentes) e Fábio Elias (Relespública), divulgada em junho; “A Marcha das Formigas” cantada por Debbie Salomão (Audac), em julho. “Reféns (O Perdedor)”, com integrantes das bandas Anacrônica e Humanish; e por fim o clipe megalomaníaco de “O Menino no Vidro (ou O Nome que Achar Melhor)”, lançado em setembro com diversos nomes da cena curitibana dividindo o palco e o vídeo, e o registro ao vivo e viceral de “A Beleza e Sua Piromania”, captada dentro do projeto Casa da Frente, em Curitiba. “Sucesso Danado” foi a canção de novembro, trazendo de volta a participação de Diogo Soares, da banda Los Porongas.

 

 

30
Nov16

Ao lado de líder da banda Los Porongas, Yokohama Café lança novo single

olhar para o mundo

Yokohama Café  Foto por Osvaldo Vanguarda 2.jpg

 

 

Ao lado de líder da banda Los Porongas, Yokohama Café lança novo single
Faixa “Sucesso Danado” explora a inquietude necessária em todos nós


A nova música do Yokohama Café é uma grande pedrada. “Sucesso Danado” capta a inquietude e o tédio da vida do adulto médio brasileiro. Escrita por Allan Yokohama, Diogo Soares, Marano e João Taborda, a canção está disponível no canal oficial do projeto no Youtube, sendo esta a penúltima faixa da edição 2016 do Yokohama Café, onde lançou um single inédito, uma formação de banda, fotos oficiais e estilo musical diferente por mês neste ano.

“Sucesso Danado” é uma música sobre a vontade de sair de casa, ultrapassando a zona de conforto para descobrir a si mesmo. Foram dois dias compondo a música do zero no estúdio Old Black Records em Curitiba, em fevereiro de 2015. “A experiência de gravar uma música composta a partir do nada com músicos tão talentosos e com a cabeça aberta para arriscar por novos rumos é sempre incrível. Traz novas percepções sonoras e enriquece a alma”, afirma Allan Yokohama, mentor e único membro fixo do projeto.

A canção carrega o peso da voz e da letra de Diogo Soares, líder da banda acreana residente em São Paulo Los Porongas; tendo ainda Marano (da Banda Mais Bonita da Cidade) no baixo, João Taborda (da Trombone de Frutas) na bateria, Allan Yokohama (Poléxia, Terminal Guadalupe, e outras) na guitarra, Osvaldo Vanguarda nas fotos, Igor Amatuzzi na captação sonora e Gustavo Schirmer na mixagem e masterização, feitas no Schirmer Studio.

 

Sobre o projeto Yokohama Café:

O Yokohama Café é formado da união entre amigos a fim de criar músicas, contar histórias e simplesmente se divertir, vivenciando cada momento da criação. Tendo como único membro fixo o fundador Allan Yokohama, a banda traz músicos importantes de diversas bandas que marcaram época no cenário independente se revezando em formações diferentes, gerando uma canção e uma sessão de fotos totalmente inédita por mês, durante todo o ano de 2016.

Em janeiro o projeto estreou com "Asfalto", que reunia alguns ex-integrantes da banda Narciso Nada pela primeira vez em anos. Para fevereiro o YokohamaCafé contou com Diogo Soares, da banda acreana Los Porongas, para criar “Inventar o Agora”. O primeiro clipe da banda veio com uma animação da faixa “Preciso”, lançada em março. Já em abril, a teatral “A Fera Espera a Jaula Caducar” trouxe Lemoskine como grande convidado. O teatro continuou presente em maio, com “O Resto É Silêncio”, composta para uma interpretação rocker de Hamlet, de William Shakespeare.

As canções continuam com “O Espaço”, com Oneide Diedrich (Pelebroi Não Sei), Rapha Moraes (Rapha Moraes e The Mentes) e Fábio Elias (Relespública), divulgada em junho; “A Marcha das Formigas” cantada por Debbie Salomão (Audac), em julho. “Reféns (O Perdedor)”, com integrantes das bandas Anacrônica e Humanish; e por fim o clipe megalomaníaco de “O Menino no Vidro (ou O Nome que Achar Melhor)”, lançado em setembro com diversos nomes da cena curitibana dividindo o palco e o vídeo, e o registro ao vivo e viceral de “A Beleza e Sua Piromania”, captada dentro do projeto Casa da Frente, em Curitiba.

 

 

02
Nov16

Yokohama Café mostra em vídeo seu novo single: “A Beleza e sua Piromania”

olhar para o mundo

yokohamacafé.jpg

Yokohama Café mostra em vídeo seu novo single: “A Beleza e sua Piromania”
Faixa foi captada dentro do projeto Casa da Frente, em Curitiba


Como uma espécie de inversão aos últimos lançamentos, a canção de outubro do Yokohama Café prima pela simplicidade. Allan Yokohama, único membro fixo do projeto mutante de uma música inédita, formação de banda e sessão fotográfica por mês, decidiu apostar no formato clássico de banda (baixo, guitarra, bateria e voz) para lançar a faixa “A Beleza e sua Piromania”.

Captada em áudio, vídeo e take único em Curitiba, a canção explora a beleza e os perigos que a envolvem. “A beleza é uma garota piromaníaca pronta para agir com violência, sem escrúpulos e sem limites. Promete não poupar os curiosos e mostra para quem está de olho que não é possível ficar impune a ela. Afinal quem não quer ser incendiado pela beleza e ter seu corpo em chamas?” explica Rodrigo Medeiros, autor da letra da faixa.

O registro foi gravado, mixado e masterizado no Nico’s Studios, dentro do projeto Casa da Frente. A direção do vídeo é de Fernando Hideki, com direção de áudio de Vinícius Braganholo, produção de Karime Kamel e fotos por Osvaldo Vanguarda. A formação deste mês da Yokohama Café tem Rodrigo Medeiros na voz, Gustavo Schirmer na guitarra, Bê Müller no baixo e Allan Yokohama na bateria e na melodia da faixa.

Durante as semanas que antecederão o single de novembro, o Yokohama Café irá mostrar o processo de composição de “A Beleza e sua Piromania”, disponibilizando versões prévias de arranjos e melodias pensadas para canção. Para ouvir essas versões basta ficar ligado na página do Facebook do projeto:

 

 

Sobre o projeto Yokohama Café:

O Yokohama Café é formado da união entre amigos a fim de criar músicas, contar histórias e simplesmente se divertir, vivenciando cada momento da criação. Tendo como único membro fixo o fundador Allan Yokohama, a banda traz músicos importantes de diversas bandas que marcaram época no cenário independente se revezando em formações diferentes, gerando uma canção e uma sessão de fotos totalmente inédita por mês, durante todo o ano de 2016.

Em janeiro o projeto estreou com "Asfalto", que reunia alguns ex-integrantes da banda Narciso Nada pela primeira vez em anos. Para fevereiro o YokohamaCafé contou com Diogo Soares, da banda acreana Los Porongas, para criar “Inventar o Agora”. O primeiro clipe da banda veio com uma animação da faixa “Preciso”, lançada em março. Já em abril, a teatral “A Fera Espera a Jaula Caducar” trouxe Lemoskine como grande convidado. O teatro continuou presente em maio, com “O Resto É Silêncio”, composta para uma interpretação rocker de Hamlet, de William Shakespeare.

As canções continuam com “O Espaço”, com Oneide Diedrich (Pelebroi Não Sei), Rapha Moraes (Rapha Moraes e The Mentes) e Fábio Elias (Relespública), divulgada em junho; “A Marcha das Formigas” cantada por Debbie Salomão (Audac), em julho. “Reféns (O Perdedor)”, com integrantes das bandas Anacrônica e Humanish; e por fim o clipe megalomaníaco de “O Menino no Vidro (ou O Nome que Achar Melhor)”, lançado em setembro com diversos nomes da cena curitibana dividindo o palco e o vídeo.

04
Out16

Clipe e single inédito do Yokohama Café explora a linha tênue entre o divertido e o bizarro

olhar para o mundo

yokohamacafé.jpg

 

Clipe e single inédito do Yokohama Café explora a linha tênue entre o divertido e o bizarro
“O Menino no Vidro” é o nono single lançado pelo projeto neste ano


Imagina uma banda que todo mês lança uma música, muda a formação e faz uma sessão de fotos diferente. Este exercício de amizade e criatividade foi criado pelo músico Allan Yokohama e se chama Yokohama Café. Na nona música da edição 2016 do projeto, a banda mutante divulga o carro chefe do trabalho: O lisérgico e cinematográfico clipe da inédita canção “O Menino no Vidro (ou O Nome que Achar Melhor)”, disponível no canal oficial do grupo.

A faixa brinca com a linha tênue entre o divertido e o bizarro. Numa espécie de Opera Rock Circense , os vocalistas vão se revezando numa montanha russa emocional para contar a história de um cara que acaba armazenado em uma espécie de vidro de formol. Trata-se ainda de uma história de amor, cheia de sarcasmo e ironia, mas ainda sim, a descrição tortuosa de um romance que chegou ao fim, com seus arrependimentos, culpas , desejo e vontade de seguir em frente com um sorriso no rosto, ainda que seja para rir da desgraça alheia.  

Com inspirações em filmes como "O Grande Lebowski", dos irmãos Coen, e "Medo e Delírio em Las Vegas", do diretor Terry Gilliam, o clipe da canção aproveita o refrão "Pode me etiquetar com o nome que achar melhor" para mostrar que as pessoas são livres para serem elas mesmas sem medo do absurdo, numa atmosfera que imita a completa liberdade artística que o Yokohama Café se propõe a mostrar.

A produção do clipe ficou por conta da BUZZ Creative Content Studio, de Curitiba (PR), com direção de Duda Justus e protagonismo coletivo de Handerson Banks (da banda Banks), Paulo Perazzoli, Renan Gerhardt, Jimmy Lyn (Carne de Onça), Allan Yokohama (Poléxia, Terminal Guadalupe), Bê Müller (Narciso Nada), Gustavo Schirmer, Luna Tik, Rapha Moraes (Poléxia, Nuvens) e Victor Sálvaro.

Gravada no Schirmer Studio, a música é mais uma parceria entre Allan Yokohama e Rodrigo Medeiros (Narciso Nada), que fazem as vozes da faixa junto com Andrew Knoll (ator e músico), Handerson Banks e Gustavo Schirmer. Schirmer e Allan assinam todo o instrumental, com participação de Macca Tavares (Banks) no baixo. As fotos de divulgação são de Osvaldo Vanguarda.

 

 

31
Mai16

Yokohama Café lança faixa inédita criada para versão rocker da peça Hamlet

olhar para o mundo

yokohamacafé.jpg

 

 

Yokohama Café lança faixa inédita criada para versão rocker da peça Hamlet
"O Resto é Silêncio" foi trilha da peça "Psycho Rock Hamlet"


Ainda envoltos ao clima teatral do último lançamento do projeto, o Yokohama Café disponibiliza a instrumental “O Resto é Silêncio”, composta originalmente como parte da trilha da peça "Psycho Rock Hamlet", do diretor curitibano Jota Eme. A audição oficial da música foi disponibilizada no canal do Youtube do projeto.  

“O Resto é Silêncio” foi composta originalmente por Allan Yokohama na guitarra barítono, Marcelo Chytchy (Folhetim Urbano) na bateria e Renato Zubek (Folhetim Urbano, Munay) no baixo. Os músicos interagiam diretamente com os atores, tocando a trilha ao vivo durante a peça. "Psycho Rock Hamlet" foi uma adaptação mais roqueira da peça de William Shakespeare, realizada em outubro de 2014, no Teatro Guaíra em Curitiba (PR).

Para a versão que entra no espólio do Yokohama Café, além dos músicos originais, foi adicionado o guitarrista Cláudio Farinhaque, da banda Monolito. A captação ficou por conta de Cristiano Fendrich e Virgílio Milléo, com mixagem e masterização de Gustavo Schirmer, e fotos de Osvaldo Vanguarda.

 

Sobre o Yokohama Café:

O Yokohama Café é formado da união entre amigos a fim de criar músicas, contar histórias e relembrar bons momentos pelos palcos do país. Tendo como único membro fixo o fundador Allan Yokohama, a banda traz músicos importantes de diversas bandas que marcaram época no cenário independente se revezando em formações diferentes, gerando uma canção e uma sessão de fotos totalmente inédita por mês, durante todo o ano de 2016.

Em janeiro o projeto estreou com "Asfalto", que reunia alguns ex-integrantes da banda Narciso Nada pela primeira vez em anos. Para fevereiro o Yokohama Café contou com Diogo Soares, da banda acreana Los Porongas, para criar “Inventar o Agora”. O primeiro clipe da banda veio com uma animação da faixa “Preciso”, lançada em março. Já em abril, a teatral “A Fera Espera a Jaula Caducar” trouxe Lemoskine como grande convidado.

 

 

 

04
Abr16

“Preciso” novo single do projeto Yokohama Café

olhar para o mundo

yokohamacafé.jpg

 

 

“Preciso” novo single do projeto Yokohama Café
Faixa questiona necessidades falsas da vida


Seguindo o projeto mensal de lançamentos do Yokohama Café, onde uma formação de banda diferente mostra uma canção inédita por mês, uma nova música está no ar: “Preciso” é a faixa inédita disponibilizada para o mês de março, acompanhada de um clipe em animação feito por Lucas Fernandes.

A canção foi escrita por Allan Yokohama e Rodrigo Medeiros em 2013, contando com a bateria de João Taborda (Trombone de Frutas e Expresso Vermelho), guitarras de Francis Yokohama (Poléxia), sintetizadores de Gustavo Schirmer, além da voz e guitarra barítono do único integrante fixo da banda mutante, Allan Yokohama (Terminal Guadalupe, Humanish, Rapha Moraes).

Acompanhando o lançamento da canção, também está sendo disponibilizado um vídeo criado por Lucas Fernandes, artista visual curitibano dos estúdios Cia de Canalhas e Nanu, que deu sua versão animada da densidão da melodia e dos questionamentos apresentados na letra. O vídeo complementa a experiência social do projeto Yokohama Café de integrar arte entre amigos, tendo além do vídeo uma sessão fotográfica especial para este lançamento.

Esta é a primeira canção do projeto onde Allan assume as vozes, assim como faz na sua outra banda, a Humanish. Para o multi-instrumentista, “Preciso” é “uma música sobre o desperdício de gastar nosso tempo de vida com coisas que não agregam nada, esperando sempre pelo final, nunca vivenciando algo de fato”.

Sobre o Yokohama Café:

O Yokohama Café é formado da união entre amigos a fim de criar músicas, contar histórias e relembrar bons momentos pelos palcos do país. Tendo como único membro fixo o fundador Allan Yokohama, a banda traz músicos importantes de diversas bandas que marcaram época no cenário independente se revezando em formações diferentes, gerando uma canção e uma sessão de fotos totalmente inédita por mês.

Em janeiro o projeto estreou com "Asfalto", que reunia alguns ex-integrantes da banda Narciso Nada pela primeira vez em anos. Já em fevereiro o Yokohama Café contou com a participação de músicos d’A Banda Mais Bonita, Charme Chulo, Terminal Guadalupe e outros para criar “Inventar o Agora”, que teve a participação de Diogo Soares, da banda acreana Los Porongas.

 

 

04
Fev16

Yokohama Café Lança Primeira Faixa: “Asfalto”

olhar para o mundo

Yokohama Cafe foto por Osvaldo Vanguarda 2.jpg

 

 

Yokohama Café Lança Primeira Faixa: “Asfalto”
Super banda irá lançar faixas mensalmente em formato single

 

Como num encontro de amigos para uma troca de papo, nasce o Yokohama Café. O projeto reúne vários nomes da cena curitibana, liderados pelo experiente Allan Yokohama, que já tocou com Poléxia, Terminal Guadalupe, Narciso Nada, Humanish e Rapha Moraes. Cada faixa será arranjada por uma banda totalmente diferente e lançada mensalmente para audição e download gratuito.

A primeira amostra se chama “Asfalto”. Foi composta e cantada por Rodrigo Medeiros (ex-Narciso Nada) e fala de um relacionamento amoroso e a sensação semelhante a uma viagem por uma estrada perigosa. Além de Rodrigo, outro ex-Narciso que participa é o baixista Be Müller, que traz melodias tortas para compor o grave da faixa.

Gustav Schirmer, dono do Schirmer Studio, assina a guitarra, sintetizador, violino, bateria, piano e a produção ao lado de Allan, o único membro fixo desta banda mutante, que toca violão, reforça os vocais e compôs a melodia e a harmonia da canção.

Este é o primeiro lançamento da banda, que até o fim de 2016, promete mostrar 12 faixas inéditas, sempre na segunda metade de cada mês e sem nenhum rótulo predefinido. Há faixas de vários ritmos, feitas por músicos de estilos diferentes, que ajudam a definir bem a mudança, pluralidade e crescimento do cenário curitibano nos últimos 15 anos.

 

 

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub