Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

As Coisas da Cultura

Porque há sempre muito para ver e para contar

Porque há sempre muito para ver e para contar

As Coisas da Cultura

01
Fev14

Teatro - Marta Gautier traz risadas aos palcos portugueses

olhar para o mundo

Marta Gautier traz risadas aos palcos portugueses

Os palcos nacionais abrem as portas a "Vamos lá então perceber as mulheres... Mas só um bocadinho ..." de Marta Gautier, um monólogo de comédia que convida o espectador a perceber as mulheres (mas só um bocadinho).
 É com "Vamos lá então perceber as mulheres... Mas só um bocadinho ..." em palco que Marta Gautier prova o contrário do ocasional comentário de que a comédia é um mundo de homens. 

Já há muito tempo que as mulheres andam a conquistar em grande este terreno e com um pé de igualdade em fazer rir e em talento, e a artista não deixa aquém.O seu espectáculo sem malícia mas traquina convida o espectador a perceber um pouco no que vai na cabeça das mulheres, mas sem revelar demasiados segredos.

A sala enche e a boa disposição dos que se sentam em frente a um pequeno palco coberto de negro com apenas uma mesa e uma cadeira como decoração vibra no ar, um zum-zum de comentários que se eleva em cacofonia até desaparecer quando as luzes descem e uma voz pede, por favor, desliguem os telemóveis.Marta Gautier entra em palco com segurança e sem farsas; descontraída, o seu início não desdobra as duas horas de risada constante que se apresentam com o começo um pouco lento.

Apesar de parecer por de lado a audiência que não tem filhos (e vê-se os mais jovens a pensar "oh, não, outra vez não"), com a abertura de monólogo a retratar os pais que Marta Gautier trabalhava como psicóloga antes de saltar para o mundo dos palcos, a verdade é que este pequeno degrau é rapidamente escalado e leva a todos a uma viagem no passado até aos tempos de liceu, encontrando um ponto em comum: as personagens femininas marcantes na difícil altura da adolescência.

Apesar do título parecer vincar nas mulheres, Marta Gautier não tem dificuldades em puxar tanto por um sexo como pelo outro, captando a atenção de todos. O texto da autoria da artista é exposto com franqueza e bom espírito. 

Um espectáculo dividido em dois actos, os quais passam pelo liceu, a adolescência, o início da vida adulta e, por fim, a família. Apesar do segundo acto não ser tão forte como o primeiro devido a incidir mais na família e em filhos (com o que nem todos se podem conectar), a artista nunca perde o entusiasmo nem deixa a audiência cair em tédio. 

O fecho é um pouco abrupto e o monólogo final, intimista e sincero, deixa um pouco a desejar, mas não deixa de ter uma boa surpresa e animação, com alguma filosofia à mistura que não pesa na boa disposição de duas horas de risos.

O texto em si por vezes recorre um pouco a estereótipos usados e abusados, mas a qualidade é incontestável e o divertimento que traz ao público é ensurdecedor em gargalhadas e palmas. As palavras sobrepõem-se à presença em palco, a qual não é tão forte, mas compensa bem com o uso de um palco minimalista que não obscura a artista e dos props não excessivos que servem para ilustrar uma piada e não como "muletas".

Capaz de ter boa empatia com a sua audiência, Marta Gautier tem um estilo consistente e fácil de seguir, apesar de por vezes se parecer perder um pouco no seu monólogo.

No entanto, isso dá-lhe um certo candor, nivelando-se com o humor cínico mas nunca extenuante ou excessivamente deprimente ou negativo.

A artista brinca, sem atacar, as inseguranças que passam por todos nós, tanto homens como mulheres – mas, como o título indica, com a perspectiva de uma mulher.

Para quem gosta de rir ou precisa de um momento para desatar às gargalhadas, recomenda-se este espetáculo. Nem que seja só para conhecer as mulheres... mas só um bocadinho!Mais espectáculos nos seguintes dias

05 de Fevereiro (Teatro Villaret – Lisboa)
28 de Fevereiro (Teatro Sá da Bandeira – Porto)
Retirado do HardMúsica

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub