Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

As Coisas da Cultura

Porque há sempre muito para ver e para contar

Porque há sempre muito para ver e para contar

As Coisas da Cultura

21
Out14

Teatro na ACERT - O FASCISMO DOS BONS HOMENS

olhar para o mundo

O FASCISMO DOS BONS HOMENS

 

 

O FASCISMO DOS BONS HOMENS
Trigo Limpo teatro ACERT
A Escola vem ao Teatro



O envelhecimento que fala português. Impiedoso, comovente, poético, satírico… com desvarios amorosos.

Entre o trágico e o cómico, esta aventura de final de vida ganha, em palco, uma dimensão que nos remete novamente para o mundo do “faz de conta”, essa fantástica brincadeira que, em pequenos nos permite “reinar” e, já adultos, nos reaproxima da menoridade.

A determinada altura o Américo, ao ralhar com os utentes do Lar, exclama: - “Parecem putos… Não têm vergonha na cara, estes homens desta idade, parecem putos…”, - o que nos remete para um universo onde as idades e os comportamentos se confundem porque, como diz o povo, "de velho se torna a menino". E é neste universo que nos vamos mover e onde, num jogo de “faz de conta”, vão “reinar” as palavras de valter hugo mãe dando vida ao triste e divertido Lar Feliz Idade.

“Fiquei maravilhado com o trabalho que o Trigo Limpo apresenta. Não podia esperar receber o meu livro devolvido desta forma, simultaneamente tão competente e amável. (…)

Em certo sentido, uma encenação brilhante como a que o Trigo Limpo faz agora é o modo mais prudente para que eu, enquanto autor, regresse ao meu livro. (…)

Voltamos a casa com vontade de colocar em cada vazio um sinal contrário. Porque momentaneamente estamos repletos. Fortes para muito mais do que o habitual.”


Crónica de valter hugo mãe in JL a 22-01-2014

PREÇO: 2€ (Público Escolar)

 Auditório 1
Data/Hora:  Qua, 29 out'14 às 10:30
Local:  Auditório 1
Data/Hora:  Sex, 31 out'14 às 10:30 e às 14:30




Ficha Técnica


A partir de “A Máquina de Fazer Espanhois” de valter hugo mãe
Adaptação e encenação de Pompeu José
Composição e Direção musical de Filipe Melo
Cenografia de Zétavares e Pompeu José
Desenho de luz de Luís Viegas e Paulo Neto
Interpretação de António Rebelo, Hugo Gonzalez, João Silva, Pedro Sousa, Pompeu José, Raquel Costa e Sandra Santos

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D